Profeta Nelson Anuncia Novo Chamado: Irmãos e Irmãs Ministradores

O Presidente Russell M. Nelson anuncia o abandono de um projeto eclesiástico há décadas falido e anuncia um novo chamado na Igreja!

Profeta Russell M. Nelson anuncia mudanças no Sacerdócio de Melquisedeque durante a 188a Conferência Geral Anual (Foto: Scott G Winterton, Deseret News)

Adeus mestres familiares. Olá, irmãos ministradores.

Adeus professoras visitantes. Olá, irmãs ministradoras.

Mas qual será a diferença entre esses novos chamados e os velhos, além de seus títulos?

Obviamente, o programa não está tão bem definido assim, pois a Igreja anunciou a publicação de um site explicativo em conjunto com o anúncio profético, mas a página em português está quase vazia.

Contudo, a seção de Perguntas e Respostas contém algumas informações:

Ministrar como o Salvador substituirá o programa de mestres familiares e o de professoras visitantes

Ok. Substituirá. Como?

Os portadores do sacerdócio são chamados de “irmãos ministradores”, e as irmãs da Sociedade de Socorro são chamadas de “irmãs ministradoras”. De modo geral, eles serão simplesmente chamados pelo nome: “irmão Silva” e “irmã Oliveira”. Eles não serão chamados de “ministradores”.

Regras de nomes. Ditadas verticalmente. Como as pessoas devem se chamar, umas as outras. Tudo muito “natural” e “fluído”. Agora, qual é a diferença?

Ministrar como o Salvador é semelhante ao programa de mestres familiares e ao de professoras visitantes no fato de que cada família terá irmãos do sacerdócio — irmãos ministradores — para ministrar a eles e cuidar da família ou dos membros dessa família (ver D&C 20:47, 59). Cada irmã adulta terá membros da Sociedade de Socorro — irmãs ministradoras — para ministrar a ela e cuidar dela, reforçando a ênfase na ministração que foi compartilhada pela presidência geral da Sociedade de Socorro em janeiro de 2018 (ver “Manter contato com a irmã a qualquer hora, em qualquer lugar e de todas as maneiras”, Liahona, janeiro de 2018, p. 7).

Além disso, algumas exigências do programa de mestres familiares e professoras visitantes foram ajustadas para ajudar os membros a ministrar com mais ênfase em suprir as necessidades. Os contatos não precisam mais ser visitas formais. Eles podem acontecer em casa, na igreja ou em qualquer outro lugar que seja seguro, conveniente e acessível. Conforme ensinou o élder Jeffrey R. Holland: “O que mais importa é como vocês abençoaram e cuidaram das pessoas que estão sob sua responsabilidade, que não têm praticamente nenhuma relação com um cronograma específico ou com um determinado local. O importante é que amem as pessoas e cumpram o mandamento de ‘zelar sempre pela igreja’”.

Em resumo, ministrar como o Salvador é guiado pelo Espírito, é flexível e é personalizado de acordo com as necessidades de cada membro.

Tudo muito “flexível” e “guiado pelo Espírito”. Exceto, é claro, em como as pessoas devem se chamar umas as outras.

Agora, para todos nós que já dedicamos centenas, milhares de horas como mestres familiares ou professoras visitantes: Isso não é exatamente o que todos nós já fazíamos há décadas?

Exceto o de nunca chamar o outro de “ministrador”!

Vejamos mais:

Ao ministrarem, os membros buscam inspiração para saber como melhor ajudar os outros e suprir suas necessidades. Uma visita marcada e telefonemas a uma irmã mais velha que mora sozinha forneceriam a conexão de que ela precisa? Um convite feito a um jovem adulto menos ativo para participar de um projeto comunitário seria o contato mais útil? Acompanhar o jogo de futebol de um jovem ajudaria tanto o jovem quanto seus pais? Enviar uma escritura cheia de esperança por mensagem de texto a alguém ajudaria a aliviar seus fardos? Um bilhete, um cartão ou um e-mail mostraria uma preocupação útil? O que o Salvador gostaria que Seus servos fizessem? Encontrar respostas inspiradas para essas perguntas e usar todos os métodos disponíveis para contatar aqueles para quem estão designados é o ponto central para a ministração inspirada. A fim de prover serviço cristão, os irmãos ministradores e as irmãs ministradoras não podem ter como base visitas rotineiras ou mensagens pré-determinadas; eles buscam inspiração e se aconselham com os membros da família para cuidar melhor daqueles aos quais estão designados — usando o tempo e os recursos que têm.

Novamente, não era o que fazíamos antes? OK, admitimos que nos era cobrado uma coisa, mas não era isso o que realmente fazíamos? A revelação nova não poderia ser resumido “não vamos fazer cobranças absurdas, vocês são adultos, cuidem-se uns dos outros como  puderem e acharem mais apropriado”?

Os irmãos ministradores e as irmãs ministradoras podem fazer o que funcionar melhor. As pessoas de quem eles vão cuidar talvez não tenham uma necessidade igual de atenção. Ao atuarem com o bispado e o conselho da ala, a presidência do quórum de élderes e a presidência da Sociedade de Socorro comunicam as prioridades aos irmãos ministradores e às irmãs ministradoras para que eles tenham uma ideia de quem talvez precise mais deles. A prioridade mais alta costuma ser dada a membros novos, a membros menos ativos que sejam receptivos e a outras pessoas, como pais que criam os filhos sozinhos e viúvas e viúvos. Os líderes podem designar um líder da ORM para uma família em que um rapaz ou uma moça esteja passando por desafios e imediatamente designam irmãos ministradores e irmãs ministradoras para os novos conversos. Eles podem designar quaisquer membros do quórum de élderes — sumos sacerdotes ou élderes — para essa ministração.

Onde for apropriado, um casal de homem e mulher casados pode ser designado para uma família ou uma pessoa. Além disso, as lauréis e as meninas-moças podem fazer contribuições significativas ao servirem como companheiras de irmãs da Sociedade de Socorro, assim como os sacerdotes e mestres ao servirem como companheiros dos portadores do Sacerdócio de Melquisedeque.

Ah, sim. Bom senso. Devemos todos ter e exercer bom senso.

Devido aos números, às distâncias, à segurança e a outras considerações, uma visita mensal a cada casa pode não ser possível ou prática; no entanto, as visitas são importantes quando são possíveis de serem realizadas. Para servirem como o Salvador, os irmãos ministradores e as irmãs ministradoras devem considerar cada possibilidade para cuidar daqueles a quem foram designados e contatá-los.

Exatamente o que nenhum mestre familiar ou nenhuma professora visitante nunca tinha pensado ou percebido nas últimas 5 décadas!

 

Bom, essa é a nova revelação revolucionária para profundamente alterar como “ministramos” aos membros da Igreja. Certamente esse “novo” programa será um enorme sucesso e reduzirá a altíssima taxa de inatividade, assim como o revolucionário e inspirado novo programa missionário anunciado em outubro de 2012 foi um enorme sucesso e aumentou a taxa de conversão e batismos e aumentou o crescimento da Igreja.

6 comentários sobre “Profeta Nelson Anuncia Novo Chamado: Irmãos e Irmãs Ministradores

  1. As visitas de mestre familiar/professora visitante, tinham que ser seguir o protocolo para serem consideradas visitas. Conheci uma presidente da soc soc que ligava para as irmãs ou deixava uma carta escrita a mao as vezes, com uma mensagem sud imprensa junto, a todas as irmãs que sempre estavam ocupadas ou difícil de serem visitadas simplesmente para saber como a irmã está sem fingimento ,sem cobrança ou condenando ela,usando o bom senso e se adequando conforme necessário. O presidente do quórum não aceitava esta idéia disse que ia surgir mais efeito conforme o protocolo de visitas, no final das contas as visitas eram pouquíssimas assim como seu efeito no quórum de elderes, e querendo ou não as irmãs da soc soc conseguiam se manter e trazer de volta uma irmã ou outra a igreja.

    Agora na próxima reunião de conselho, todos vão querer saber como é o modelo da carta qje a Pres da soc soc usa, para suas visitas.

  2. Eu sempre detestei fazer essas visitas, esses irmãos NÃO tem desejo de voltar a igreja, esse povo se batiza, em grande parte, só porque os missionários ficam insistindo sabendo que o povo não quer, eles frequentam uma semana, um mês e logo abandonam, a gente é obrigada a visitar esse povo sem avisar porque se avisasse todos saíram como sempre fazem, somos estranhos na casa desse povo que nem se quer nos conhece. Todos os chamados são inúteis e esse não mudou em nada, eles estão vendo o declínio nos números e por isso tantas mudanças, “revelações”.

  3. Na verdade não há segredo. Basta ter amor sincero, respeito e poder de compreensão. Se notar bem grande parte dos inativos decidiram sair da igreja por não haver esses três items.

    O grande problema tanto de professoras visitantes e mestre familiar é que as duplas levam essa responsabilidade como se fosse uma simples visita sem intuito de ajudar o visitado a ter uma esperança maior sobre seu futuro tanto na igreja como no meio social. Quando membro compartilha seus problemas especialmente problemas em relação a algum membro, o mestre familiar ou professora visitante deve ouvir bem e deixar claro que irá ajudar o membro e levar esse assunto a autoridades competentes. Só que tem alguns mestres familiares que ao invés de ouvir, sempre vem com respostas decoradas “ah irmão, mas a igreja é verdadeira e os membros são falhos”. Essa resposta só irá piorar pois irá soar que você como mestre familiar não está afim de se envolver e quer tirar responsabilidade fazendo o membro sentir sem esperança de regressar a igreja.

    O problema não está em ser chamado mestre familiar ou irmão ministrador como queiram rs…mas sim na atitude. Se você como mestre familiar não tem atitude de homem e amigo, sua visita irá se caracterizar como perda de tempo e nem mesmo a própria pessoa que recebe a visita irá confiar em você . Há a necessidade de criar um vinculo especial sem falsidade, criar um bom relacionamento de confiança e usar bom senso. Se você ter atitudes assim, não somente você ganhará mais um amigo, como também você terá mais auto-confiança para pode ajudar a família ou o membro em sí.

    • Hico minha penso da mesma forma que você, o serviço de ministrar aos outro deve sempre estar acima dos números e relatórios.Isso era uma coisa que eu também sempre enxerguei assim.

  4. Você tem o direito de discordar, porém isso não mudará a realidade da obra de Deus.Está é sua Igreja e sempre será.
    Que Nosso Pai Celestial te abençoe. Venha junte se a nós venha contribuir para o crescimento do Reino de Deus para destruir já tem muitos.
    Rafael Holanda

  5. Já vi minhas famílias no aplicativo Ferramentas SUD já aparece a palavras Ministrar como o Salvador -Designação para Ministrar, tenho 3 famílias e já fiz minhas visitas confesso que gostei demais…Me senti mais tranquilo e feliz por não ficar prestando relatório burocrático e sim agindo pela leveza do amor ao servir…Falamos sobre coisas pessoais e necessidades autênticas. Gostei dessa paz para servir ! Aquele negócio de número e relatório estava pesado demais ! Parecia empresa …o Presidente perguntava QUANTAS VISITAS ESSE MÊS?
    Só 3 !! Só 5 !!! Etc…Penso que o evangelho deve ser vivido de forma mais autêntica e abnegada servindo de forma muitas vezes invisível e tocante…Parabéns pela mudança! Tô animado!

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.