Igreja Mórmon Cede, Muda Investidura

A Igreja SUD confirma, com relutância, rumores de mudanças a seus rituais templários mais sagrados de modo a torná-los menos machistas.

tempo rio de janeiro sud mórmon

Representação do futuro Templo do Rio de Janeiro © Intellectual Reserve, Inc. 2017

A mais importante ordenança religiosa no mormonismo, o ritual da investidura foi estabelecido pelo Profeta Joseph Smith em maio de 1842, aproveitando sinais, símbolos, expressões, palavras, juramentos, e temas dos rituais maçônicos aos quais fora iniciado 2 meses antes. Desde então, a ordenança recebeu algumas alterações pontuais para se acomodar melhor aos seus contextos sociais contemporâneos. As mudanças apresentadas estas semanas podem ser as mais profundas e impactantes dos últimos 177 anos.

Anúncio atropelado

No primeiro dia do ano, o professor da universidade da Igreja SUD Brigham Young University, Alonzo Gaskill, teria postado em sua rede social pessoal uma nota vazando mudanças profundas às ordenanças de investiduras que ele teria testemunhado no Templo de Nauvoo, e ouvido da liderança da Igreja que seriam incluídas em todos os templos d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias durante as próximas semanas.

Print do post original de Alonzo Gaskill de 01/1/2019 (Fonte: Facebook)

Já no dia seguinte, Gaskill apagou sua postagem e postou um pedido de desculpas por haver vazado a notícia em antecedência de um anúncio oficial.

Não obstante, os rumores se alastraram pelas mídias sociais e aos jornalistas norteamericanos, obrigando a Primeira Presidência a emitir uma nota oficial hoje:

A Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias emitiu a seguinte declaração:
“Sempre que o Senhor tiver um povo na Terra que obedeça à Sua palavra, receberá ordens para construir templos. As escrituras documentam os padrões da adoração no templo dos tempos de Adão e Eva, Moisés, Salomão, Néfi e outros.
Com a restauração do evangelho nestes últimos dias, o culto do templo também foi restaurado para abençoar a vida das pessoas em todo o mundo e também do outro lado do véu.
Durante esses muitos séculos, detalhes associados ao trabalho do templo foram ajustados periodicamente, incluindo linguagem, métodos de construção, comunicação e manutenção de registros. Os profetas ensinaram que não haverá nenhum fim para tais ajustes, conforme dirigido pelo Senhor a Seus servos.
Um templo dedicado é o mais sagrado de qualquer lugar de adoração na terra. Suas ordenanças são sagradas e não são discutidas fora de um templo sagrado.”

Como a nota oficial da Igreja reafirma, membros são proibidos de discutir detalhes das cerimônias templárias em público.

As mudanças

As mudanças são ostensivamente dedicadas a aliviar a impressão, e as críticas, de que o ritual sagrado seja inerentemente machista.

Por exemplo, a encenação (teatro em alguns templos, filme na maioria dos templos) da criação da Terra e da “queda de Adão”, incluíam cenas entre Deus, Jesus Cristo, Adão, Eva, e Satanás, inclusive com participação especial dos apóstolos cristãos Pedro, Tiago, e João. Até a semana passada, Eva praticamente nada falava, servindo apenas de testemunha passiva dos eventos. Agora, aparentemente não apenas Eva servirá um papel maior, mas terá o seu próprio monólogo, com mais diálogos que Satanás.

Ademais, doravante homens e mulheres farão os mesmos juramentos, ou convênios, diretamente a Deus. Até a semana passada, homens faziam juramento solene para obedecer a Deus, enquanto mulheres faziam juramento solene a obedecer “a lei do Senhor” enquanto “ouviam o conselho de seus maridos” conquanto eles obedecessem a Deus. Com essa nova alteração, não haverá mais diferenças nos juramentos de obediências, e tampouco serão as mulheres obrigadas a jurar obedecer, ou “ouvir os conselhos”, de seus maridos.

Além disso, durante a cerimônia de selamento, que é freqüentemente chamada de “casamento no templo”, a esposa não se entrega mais ao marido, mas sim os cônjuges se entregam reciprocamente um ao outro.

E, finalmente, diz-se que as mulheres não mais serão obrigadas a cobrir seus rostos com um véu durante o círculo de oração e a verdadeira ordem de oração.

Mudanças históricas do passado

Essa não é a primeira vez que a Igreja SUD altera suas ordenanças de investidura para apaziguar críticas de machismo e misoginia. Em abril de 1990, a Primeira Presidência anunciou a então maior alteração ao ritual, eliminando linguagem ainda mais machista de outrora. O juramento de mulheres, que até a semana passada era qualificado com a clausula condicional “conquanto seus maridos ouçam o conselho do Pai”, antes de abril de 1990 era mais diretamente para “observar e guardar a lei de seus maridos, e ouvir seus conselhos em retidão”. Ademais, a narrativa foi alterada para não mais culpar Eva pela “queda de Adão”, tornando sua decisão mais consciente e deliberada. Além disso, removeu-se um dos sinais maçônicos apresentados “junto ao véu” conhecido como “cinco pontos de comunhão” por causa de reclamações de contato físico excessivo com oficiantes masculinos (ver abaixo, em sua versão maçônica).

Assim com as mudanças atuais, as alterações de 1990 foram vistas com bons olhos pela comunidade mórmon feminista e por não-mórmons em geral.

Outras mudanças profundas em abril de 1990 foram a remoção das penalidades maçônicas que ilustravam mortes violentas para os mórmons que divulgassem os segredos das ordenanças do templo. Conhecidos como juramentos de sangue, mórmons prometiam permitir que lhes cortassem suas gargantas, seus peitos, ou seus abdomens no caso de traição desses segredos.

Diversas mudanças menores ocorreram durante os quase 2 séculos desde que Joseph Smith introduziu a ordenança a seus seguidores mais próximos. Em 2005, as ordenanças de unção e ablação tornaram-se menos invasivas. Antes, o membro permanecia nú (ou semi-nú), coberto apenas por um poncho largo e aberto, e era literalmente ungido com óleo em várias partes de seu corpo desnudado por um oficiantes, e posteriormente ajudado a vestir seus garments (ver abaixo) pela primeira vez. A partir de 2005, tal ordenança passou a ser realizada apenas simbolicamente, com um membro já vestido por si mesmo. Em 2016, a ordenança tornou-se ainda mais simbólica, com o membro plenamente vestido com o mesmo uniforme das investiduras, sem ponchos ou unções.

Talvez a mudança mais profunda além destas alterações feministas de 1990 e 2019 ocorreu em 1927, quando a Primeira Presidência removeu o juramento de vingança das investiduras. Introduzido por Brigham Young em 1845, mórmons juravam solenemente buscar vingança contra o governo dos Estados Unidos da América:

“Você, e cada um de vocês, juram e prometem que orarão e nunca cessarão de orar ao Deus Todo-Poderoso para vingar o sangue dos profetas sobre esta nação, e que ensinarão o mesmo a seus filhos e aos filhos de seus filhos até a terceiro e quarta geração.”

Maior mudança nas vestes sagradas do templo desde a década de 1920

pouco menos de um ano, a Igreja lançara novos modelos dos garments, as roupas íntimas religiosas usadas por membros que receberam a cerimônia da investidura. Membros que recebem essas roupas íntimas são proibidos com juramentos solenes de remove-los, com exceções óbvias, ou de vesti-los por cima de quaisquer outras peças de vestuário. Os novos modelos trouxeram tecidos mais elásticos e mangas mais curtas para o público feminino. Alguns modelos masculinos e femininos, antes disponíveis nos EUA, também foram descontinuados, como os garments de peça única. Porém, a maior e mais inusitada inovação nas vestes mórmons está na confecção das suas quatro marcas sagradas.

Garments da Igreja SUD, circa 2006 (Foto: Richard Packham, publicado 15/11/2006)

Ao invés de bordadas de forma visível no exterior da peça, as marcas são impressas no avesso, de forma a não serem visíveis de fora. Além disso, devido à impressão, os novos garments têm “validade” prevista de um ano. Na compra dos novos modelos, membros SUD recebem a seguinte explicação:

Foi aprovada uma aplicação atualizada das marcas sagradas. Elas são agora impressas no interior do garment, permitindo que sejam vistas por quem o veste enquanto reduz sua visibilidade externa e aumenta o conforto do seu usuário.
As marcas são usadas para durarem mais do que o garment em condições normais de lavagem e uso (aproximadamente 50 lavagens ou um ano de uso).

Mórmons, instruídos a nunca expor ou revelar seus garments, recentemente viram a Igreja SUD publicando imagens oficiais destas roupas íntimas pela primeira vez:

História dos garments

O uso de roupas com símbolos associados à investidura foi introduzido sob a direção do Profeta Joseph Smith em 1842 em Nauvoo, Illinois. Há evidências de que os primeiros modelos confeccionados fossem constituídos por uma camisa e uma calça. Posteriormente, os primeiros iniciados do Quórum dos Ungidos passaram a adotar uma peça única, como pode-se ver neste exposé publicado em 1879 pelo jornal The Salt Lake Tribune.

O modelo de peça única era similar ao chamado union suit, roupa íntima comum nos Estados Unidos à época. Muitos mórmons fundamentalistas hoje usam exclusivamente o garment longo de peça única.

As marcas sagradas, originalmente cortadas no tecido durante a investidura e posteriormente bordadas pelo iniciado, incluíam o esquadro e o compasso, tradicionais símbolos maçônicos.

A obtenção ou confecção de garments era originalmente uma responsabilidade individual para mórmons do século 19. Já no século 20, em Utah, surgiram empresas privadas que ofereciam garments, com ou sem as marcas sagradas, e competiam entre si no mercado santo dos últimos dias. As opções de escolha estavam nos tecidos (algodão, lã, seda, etc) e mesmo nas cores (branco, bege, pêssego, etc).

Anúncio da empresa The Reliable (“A Confiável”) publicado na década de 1920 em periódicos da Igreja SUD.

Em 1923, o então Presidente da Igreja SUD Heber J. Grant approvou mudanças nas vestimentas sagradas, possibilitando o uso de mangas e pernas curtas, ainda que mantendo a peça única. Foi somente na década de 1970 que a Igreja SUD passou a incentivar o uso dos garments de duas peças (camiseta e shorts) e desincentivar o estilo tradicional.

Monopólio eclesiástico

Na década de 1930, a Igreja adentrou o mercado de garments com sua empresa Beehive Clothing Mills, em Salt Lake City, gradualmente instituindo o monopólio da confeccção e comercialização.

A expansão mundial mórmon e a construção de templos em outros países também implicou na maior demanda de roupas sagradas. A logística e custos de exportação colocaram um fim na produção exclusiva de garments na capital de Utah.

Em 1980, afirma o historiador D. Michael Quinn em seu mais recente livro sobre as finanças SUD, a Beehive Clothing Mills já possuía “fábricas auxiliares em Hunter, Utah; Manchester, Inglaterra; Cidade do México, México; e São Paulo, Brasil”.


Não perca essa série sobre ordenanças templárias mórmons:


Observação:

Mórmons consideram seus rituais templários secretos sagrados e por isso não devem ser divulgados em público. Em respeito a esta sensibilidade, abstém-se aqui de publicar fotos ou vídeos do ritual templário mórmon, mesmo que eles sejam fartamente disponíveis tanto em formato de vídeo, como em formato de texto, pela internet.

Não obstante, imagens de sinais e símbolos dos rituais maçônicos aos quais Joseph Smith fora iniciado podem ser vistos aqui.

13 comentários sobre “Igreja Mórmon Cede, Muda Investidura

  1. Ótima retrospectiva das mudanças nas ordenanças templárias. Essa do BY eu não sabia.
    Parabéns pelo registro bem completo.

  2. Mudanças e mais mudanças. Lembro como se fosse ontem em uma das casas ensinando um pesquisador e o companeiro dizendo que as idéias dos homens sempre muda, mas Deus não.
    Quando vemos e analisamos a história da Igreja vemos que não é bem assim, pelo menos para a visão Mormon não. Mudanças são comuns seja em qualquer assunto da igreja incluindo coisas do templo.

    • Hyperlinks. É só clicar nos hyperlinks para encontrar artigos de jornais descrevendo as críticas de machismo e misoginia na ordenanças templárias da Igreja SUD, assim como o alívio de membros feministas com o anúncio dessas mudanças.

      Naturalmente, poderíamos ter incluído na matéria acima, que já é longa, uma discussão sobre a tensão entre a Igreja SUD e a parcela feminina de seus membros. Contudo, leitores assíduos do nosso site, ou pessoas que sabem usar o botão de “buscar” que incluímos em todas as páginas do nosso site, saberão que nós já publicamos dezenas de artigos explorando esse tema.

    • Nós criamos a ABEM, e o site Vozes Mórmons, para estimular o estudo acadêmico, racional e literário, do mormonismo no Brasil. Publicamos artigos, estudos, traduções, e notícias com a intenção de promover as reflexões e os ímpetos para tal, entre mórmons e não mórmons igualmente.

      Contudo, todo nosso trabalho pela ABEM é voluntário. Ninguém jamais recebeu um centavo pelos labores de quase uma década. Pelo contrário. Todos nós dedicou, e dedicamos, tempo e dinheiro pela oportunidade de disseminar informações e estimular reflexões. Todos nós temos suas profissões, todos nós temos suas famílias e filhos, todos nós temos seus trabalhos voluntários e/ou chamados, e nos dedicamos aqui apenas após o cumprimento diário ou semanal de nossas obrigações pessoais na vida real.

      E o fazemos com enorme prazer, cientes do valor da produção intelectual ímpar na língua portuguesa, e satisfeitos com a interação com, e a audiência de, milhares de leitores e muitos colaboradores.

      Dito isso, não enxergamos nosso trabalho voluntário aqui como uma comodidade, nem tampouco nossos leitores como consumidores. Como deixamos claros nas nossas regras de comunidade, aceitamos as contribuições de todas as pessoas desejosas, conquanto sejam contribuições e não fardos. Não nos obrigamos a ninguém para lhes satisfazer seus desejos, realizar seus agrados, afagar suas visões de mundo, validar suas fés ou crenças pessoais, ou cumprir suas demandas idiosincráticas. Enquanto contribuem com algo de valor intelectual, ou mesmo de valor documentário, e o fazem com respeito e educação, aceitamos a todos.

      Consequentemente, não nos dá nenhuma satisfação ou prazer em receber participações que faltam com educação básica, ou respeito, ou valor intelectual demonstrável. Infelizmente, suas contribuições repetidas vezes caíram em uma ou mais dessas categorias, e nisso com reincidência. Tentamos manter uma postura caridosa e tolerante, mas esta última mensagem excedeu os limites da perseverança. Deixaremos explícito aqui a condição clara que não lhe devemos a você, ou a qualquer outra pessoa, quaisquer obrigações de tempo ou atenção.

      Por agora, se tiver interesse em reagir às nossas publicações, comentar sobre nossos artigos, ou mesmo criticar nossas colocações, dirigimos sua atenção à nossa página no Facebook. Aqui no site colocaremos suas contribuições em moderação permanente por um tempo indefinido. Esperamos que o suficiente para repensar suas atitudes e, quiçá, interagir conosco com educação.

  3. Não tem mais o que fazer do que ficar distorcendo e denegrindo a religião, vão procurar fazer alguma coisa útil para a humanidade, a igreja só contribui para o bem das pessoas.

    • Em primeiro lugar, Dirceu, solicitaríamos a gentileza de um pouco mais de honestidade de sua parte. Se checar o artigo acima novamente com cuidado, verá que não há absolutamente nada “distorcido” e nada além do que é estritamente verídico sobre “a religião”.

      Em segundo lugar, a afirmação de que “a igreja só contribui para o bem das pessoas” não é nem de longe defensível pelos fatos. Veja, apenas por exemplo, aqui, aqui, aqui, e aqui.

    • Dirceu, no dia que a Igreja contribuir para o bem das pessoas sem pensar em interesses, com certeza nenhuma pessoa irá sair dela e a igreja irá crescer. Por agora, infelizmente a Igreja continuará a ficar na estagnação devido a iniquidade dos membros. Enfim, sabemos que a Igreja tem feito modificações ao longo de sua história.

  4. Aqui estao algumas das declaracoes feitas por Joseph Smith e outros lideres sobre as ordenancas do templo:

    Agora, o propósito em Si mesmo na cena da última dispensação é que todas as coisas relativas àquela dispensação devem ser conduzidas precisamente de acordo com as dispensações precedentes … Ele estabeleceu que as ordenanças fossem as mesmas para todo o sempre e Adão para vigiá-los, para revelá-los do céu para o homem, ou para enviar anjos para revelá-los. ” (Joseph Smith, História da Igreja, 4: 208)”

    “Ordenanças instituídas nos céus antes da fundação do mundo, no sacerdócio, para a salvação dos homens, não devem ser alteradas ou mudadas. Todos devem ser salvos nos mesmos princípios.” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith, pp. 424-422)”

    Antes de 1855: Iniciados receberam uma roupa não marcada durante a iniciação. O oficiante cortaria as marcas na roupa e o recebedor iria então fazer as marcas mais tarde em casa. Essas vestimentas eram de uma só peça (precisavam ser pisadas pelo pescoço) e de corpo inteiro (para o pulso e para o tornozelo) e só podiam ser feitas de algodão branco, linho ou lã. Aqueles que encurtaram ou modificaram suas vestes não foram autorizados a entrar no templo. (Veja “Adoração do Templo SUD” de Anderson)”

  5. Que coisa! Descobri que a igreja é só mais uma modista que vai no onda do que é mais conveniente. Quem guia náo é Deus! São as tendências mundias e locais! Vale tudo para nao perder membros e, consequentemente, dizimistas fiéis. Igreja verdadeira, uma ova!!!!

    • Exato, as novas mudanças nos rituais do templo é graças aos movimentos feministas, quando o sapato aperta e a pressão popular é grande, logo as “revelações” aparecem.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.