Primeira Presidência Finge Responder Acusações Sobre Finanças

De acordo com reportagem do The Washington Post, a “Igreja Mórmon engana membros [da Igreja] sobre fundo de investimentos isento de impostos de USD 100 bilhões”.

Russell M. Nelson (centro) e seus dois conselheiros na Primeira Presidência, Dallin H. Oaks (esquerda) e Henry B. Eyring (à direita), em janeiro de 2018. | Imagem Cortesia de Intellectual Reserve.

O prestigioso jornal recebeu documentos da denuncia de um funcionário d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias registrada com a Receita Federal dos EUA alegando que a Igreja malversa e desvia USD 100 bilhões de um fundo supostamente destinado à caridade e a ajudas humanitárias.

Naturalmente, considerando o prestígio do jornal e a gravidade das acusações, a reportagem repercutiu nacional e internacionalmente nas mídias e nas redes sociais. Como seria de se esperar, a Igreja respondeu emitindo uma nota oficial diretamente das autoridades máximas da Igreja: A Primeira Presidência.

Não surpreendendo ninguém, a Primeira Presidência apenas fingiu responder as acusações.

Eis a nota oficial: Continuar lendo

Igreja Mórmon Engana Membros Sobre Fundo de 100 Bilhões

De acordo com reportagem do The Washington Post, a “Igreja Mórmon engana membros [da Igreja] sobre fundo de investimentos isento de impostos de USD 100 bilhões”.

Templo de Lago Salgado (FOTO: Manish Prabhune)

O prestigioso jornal recebeu documentos da denuncia de um funcionário d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias registrada com a Receita Federal dos EUA alegando que a Igreja malversa e desvia USD 100 bilhões de um fundo supostamente destinado à caridade e a ajudas humanitárias.

Os documentos confidenciais, entregues em 21 de novembro p.p., demonstrariam que a Igreja não apenas viola normas éticas, mas também leis federais norte-americanas, ao desviar fundos de contribuições religiosas e caridosas isentos de impostos para atividades com fins lucrativos. O autor da denúncia, membro da Igreja SUD David Nielsen, trabalhava até setembro último para a Igreja como gerente sênior de investimentos em uma das organizações sem fins lucrativos da Igreja no ramo de investimentos Ensign Peak Advisors, e alega em sua denúncia que a Igreja mente para seus membros sobre o uso de fundos de doações religiosas. Continuar lendo