Davi, Golias, Néfi e Labão

No Vale de Elá estavam os israelitas e os filisteus num impasse que durou semanas, nem avançavam e nem recuavam, dos dois lados. Até que resolveram o problema da maneira tradicional de combate único, sem precisar entrar em batalha e derramar muito sangue.

E o filisteu enviado para o combate era o seu gigante. Ele tinha 2,05 metros, vestido com uma armadura de bronze, uma espada, um escudo e uma lança e bradou por 40 dias:

“Hoje desafio as companhias de Israel, dizendo: Dai-me um homem, para que ambos pelejemos.”

Nenhum israelista desejou enfrentá-lo. E finalmente, o único que se apresenta para enfrentar Golias é um jovem pastor de ovelhas; Davi disse a Saul:

“Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá, e pelejará contra este filisteu”

Mas você ainda é moço e sem experiência de batalha, dizia Saul. Mas Davi argumentava que ele estava preparado, pois já matara ursos e leões. Então você usa esta armadura e este capacete, orientava Saul. “Não posso andar com isto, pois nunca o experimentei”, disse Davi

Davi pega seu cajado. Escolhe cinco pedras e guarda na sua bolsa de pastor. Segura a sua funda e caminha em direção ao gigante filisteu “Vem a mim, e darei a tua carne às aves do céu e às bestas do campo.”, insultou Golias

Mesmo portando apenas um cajado na mão, Golias dizia que ele trazia paus para bater em um cão. Davi escolhe uma pedra e a lança, acertando na testa de Golias. Golias demaia ou morre, mas, enquanto isto, Davi pega a própria espada de Golias e corta a sua cabeça.

# 1 – Davi não era azarão

Acreditamos que era um azarão por ser um simples pastor de ovelha sem experiência vencer um gigante guerreiro experiente em guerras. E Golias estava equipado com uma armadura de bronze e armas de guerra. Enquanto Davi só tinha a roupa do corpo, cinco pedras e uma funda. Mas pensar assim é o primeiro erro que cometemos

Antigamente havia três tipos de guerreiros. A cavalaria, a infantaria e a artilharia. Na artilharia há os arqueiros, especialmente os fundeiros. A funda era um tira de couro com uma concavidade para encaixar uma pedra. Um arma mortal. Quando Davi girava a funda, ela girava 6 ou 7 vezes por segundo. Significa que quando a pedra foi atirada ela atingiu 35 metros por segundo. Mais rápido que uma bola de beisebol. As pedras do Vale de Elá eram de sulfato de bário, que tem a densidade duas vezes mais do que as pedras normais. De acordo com os calculos balisticos, a força para parar a pedra lançada por Davi é igual a mesma força para parar uma bala de uma arma de calibre .45

Tem mais. Davi era um atirador de pedra exímio. Atiradores como ele podiam acertar pássaros enquanto voavam. Podiam matar e mutilar um alvo a 180 metros. Golias não estava a 180 metros de distancia, ele estava a 35 metros de distancia. Davi tinha a intenção de matá-lo e sabia que ia conseguir. Nas batalhas antigas, os fundeiros eram determinantes para vencer a infantaria adversária

Golias tinha a expectativa de enfrentar um inimigo da infantaria pesada. Saul também, tanto é que entregou uma armadura para Davi

# 2 – Golias era frágil e doente

Não fazia sentido para Davi vestir uma armadura, pois sua habilidade mais forte era ser fundeiro. O que fez de Golias um alvo fácil. Golias tinha uma armadura pesada e carregando alguns quilos de madeira, que deixava-o lento e mais desajeitado. Golias estava prreparado para uma luta a curta distancia e ele não tinha nenhuma chance.

Golias foi conduzido por um assistente, um escudeiro. Golias estava desafiando toda a Israel, então porque precisava de um assistente para levá-lo até o vale? Golias andava devagar e demorou para reagir, enquanto Davi descia o vale. Golias não vê espada, nem armadura e nem escudo em Davi, mas porque ele não reagiu quando Davi girava a funda, pois Golias tinha um escudo? Golias estranhamente dizia que Davi estava com paus, como se viesse matar um cachorro, mas Davi só tinha um cajado pra ordenhar ovelhas.

Não sabemos ao certo o que sucedia a Golias. Mas de certa forma ele era maior do que todos os seus companheiros. Quando alguém é muito maior do que o comum, pode indicar a doença de gigantismo, a acromegalia.

Cientistas médicos acreditam que Golias tinha acromegalia.

A acromegalia é um tumor raro causado pelo aumento do hormonio do crescimento. O maior de todos foi Robert Wadlow. Ele atingiu 2,72 metros de altura, morreu aos 22 anos com quase 3 metros de altura. Os portadores de acromegalia geralmente tem a visão dobradas ou muito míopes, por causa do tumor no cerebro. Quando Golias disse “Vem até mim” é porque ele não enxergava Davi e muito menos viu a funda e a pedra atirada. Ele vê dois cajados nas mãos de Davi e disse que eram paus (no plural).

Ele tem dificuldade para andar. Talvez isto explique porque precisou de um assistente para levá-lo até o local da batalha.

O que os filisteus acreditavam ser a sua maior força, Golias, era, na verdade, a sua maior fraqueza. E Davi sempre foi o favorito para vencer, mas os israelistas acreditavam estar em desvantagem

# 3 – A espada de Golias

Antigamente, a espada era simbolo de reinado e heroísmo. Simbolo de justiça e retidão, muitas vezes nas escrituras é associada ao poder divino.

Davi cortou a cabeça de Golias com a propria espada do gigante. Cortar a cabeça de Golias, fez de Davi um herói:

“Saul feriu os seus milhares, porém, Davi os seus dez milhares.”1 Samuel 18:7

A vitória sobre o gigante deu a oportunidade de Davi de tornar-se um grande chefe de guerra. Motivos que deixaram Saul enciumado. Apesar de Davi ter sido ungido por rei de Israel por Samuel, o povo precisava de um sinal de rei em Davi, que foi a vitória e a espada de Golias. Assim, o sacerdote Aimeleque (e seu filho Abiatar) entregou a espada de Golias a Davi:

“E disse o sacerdote: A espada de Golias, o filisteu, a quem tu feriste no vale do carvalho, eis que está aqui envolta num pano detrás do éfode. Se tu a queres tomar, toma-a, porque nenhuma outra há aqui, senão aquela. E disse Davi: Não há outra semelhante; dá-ma.” 1 Samuel 21:9

Inclusive,  85 sacerdotes, junto com Aimeleque, e as pessoas das cidades destes sacerdotes, homens, mulheres e crianças, foram executados por ter apoiado Davi dando-lhe a espada de Golias (1 Samuel 22:13-19)

Na posse da espada, Davi conseguira quatrocentos seguidores (1 Samuel 22:2).

E Saul admitiu diante de Davi:

“Agora, pois, eis que bem sei que certamente hás de reinar, e que o reino de Israel há de ser firme na tua mão.” 1 Samuel 24:20

Não se sabe o destino da espada de Golias. Ela pode ter sido usada pelos líderes e reis que sucederam o trono de Davi.

Diz a lenda que Davi passou a espada para seu filho Salomão. Proximo da morte, Salomão retirou a espada de Golias do templo e a mandou para o mar em um navio que havia construído. Um descendente de Salomão encontrou a espada sendo somente um homem justo poderia possui-la. Esta espada ficou conhecida como a Excalibur do rei Artur

Um paralelo pode ser visto na espada de Labão, cujo o profeta Nefi tomou posse:

Néfi matou um homem temível, porém tinha vantagens mortais sobre ele. No caso de Nefi, Labão estava dormindo embriagado. Com a espada de Labão, Nefi cortou a sua cabeça. A espada tinha uma aparência de destaque. Assim que Nefi chegou nas Americas, seus familiares queriam que ele fosse seu rei. Com a espada de Labão, Néfi construiu outras cópias desta espada. A espada foi passada entre os governantes nefitas. Os profetas a usavam nas guerras, assim como Davi. O Rei Benjamin, por exemplo lutou com ela. A espada de Labão foi passada até chegar em Morôni. Ele a enterrou e a escondeu. Joseph Smith a encontrou junto com as placas de ouro.

” Eis que vos digo que devereis confiar em minha palavra e, se o fizerdes de todo o coração, vereis as placas e também o peitoral, aespada de Labão, o Urim e Tumim, que foram dados ao irmão de Jarede no monte quando ele falou com o Senhor face a face; e osguias milagrosos que foram dados a Leí enquanto estava no deserto, às margens do Mar Vermelho.” D&C 17:1

Não se sabe onde está a espada de labão. Provavelmente foi levada por Morôni junto com as placas de ouro

(Ver 1 Nefi 4:9; 2 Nefii 5:14, 18-19; 2 Nefi 6:2; Jacó 1:9-10, 11-15; Mosias 1:15-16; Alma 37:14; Palavras de Mormon 1:13; D&C 17:1)

 


 

Referências

A Biblia Sagrada, João Ferreira de Almeida

A Arte de Enfrentar Gigantes, Malcolm Gladwell

History Channel, Davi e Golias

The Sword of Laban as a Symbol of Divine Authority and Kingship, Brett L. Holbrook

 

22 comentários sobre “Davi, Golias, Néfi e Labão

  1. Em relação a Davi, considerando os graves pecados que cometeu, dentre eles o fato de ter cometido adultério com Bate-Seba e feito com que Urias perdesse sua própria vida, não me surpreendo pelo fato de ter decapitado Golias; no entanto, sempre fiquei intrigado com a estória do assassinato de Labão. Apesar da justificativa apresentada em 1 Néfi 3:13 (o Senhor mata os iníquos, para que sejam cumpridos seus justos desígnios. Melhor é que pereça um homem do que uma nação degenere e pereça na incredulidade), no caso, não foi o Senhor quem matou, pelo contrário, Labão foi decapitado pelas próprias mãos de Néfi e sem condições de defender-se. Néfi ainda tirou as roupas de Labão, vestiu-as, bem como cingiu-se da armadura e da espada pertencente ao morto, e dirigiu-se à Casa de Labão, por meio de ardil, fingiu ser o próprio Labão, com o intuito de apoderar-se daquilo que lhe interessava, enganou Zorã, forçando-o a fugir e ser cúmplice do crime cometido por Néfi. Uma estória muito estranha, que na verdade, descortina a verdadeira natureza e personalidade do homem que escreveu o Livro de Mórmon, uma obra fictícia, escrita no Século XIX.

    “Não matarás” – 5º Mandamento, Êxodo 20:13

    “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e, quem matar será réu de juízo” (Mateus 5:21)

      • Sim, uma obra fictíca. E não, não creio que Joe, por si só, fosse possuidor de tamanha ‘capacidade criativa’, considerando que o Livro de Mórmon é uma colcha de retalhos, uma obra plagiada de várias outras, a exemplo do conhecido “View of the Hebrews” de Ethan Smith, livro publicado em 1823 (sete anos antes do LM) e que já apresentava a teoria defendida por muitos teólogos americanos do final do século XVIII e início do século XIX, de que os índios americanos eram descendentes da Casa de Israel.

        Esta idéia era muito popular naquela época, especialmente na região onde Joseph Smith Jr viveu durante sua infância e juventude. Aliás, já havia naquele período um forte movimento restauracionista

        Ethan Smith, autor de View of Hebrew foi um conhecido clérigo em Vermont, tendo sido pastor na Igreja Congregacional frequentada por Oliver Cowdery, ou seja, Cowdery que foi escriba de Smith, tinha conhecimento prévio de uma das obras utilizadas como fonte primária para elaboração do Livro de Mórmon.

        Em uma outra obra denominada “Manuscript Found” (elaborada em 1812 por Solomon Spaulding, trata-se de um romance histórico sobre os primeiros povoadores da América; esta obra, também apresenta a teoria de que os indíos americanos são descendentes dos judeus, com um relato da saída de um pequeno grupo de Jerusalém, por mar, até chegar nas Américas, tudo escrito no velho estilo do “E aconteceu que”, no início das frases 🙂

        No entanto, esta idéia cultuada no Século XIX e apresentada em várias obras, e, replicada por Joseph Smith no Livro de Mórmon, por conta de acuradas pesquisas e análises genéticas, atualmente, é notório e comprovado de que os nativos americanos, em verdade, são descendentes de um pequeno número de linhagens do leste asiático e pormenorizadas análises linguísticas corroboram os estudos genéticos, tendo sido encontradas antigas relações e padrões de similaridade entre as línguas faladas na Sibéria e aquelas faladas no continente americano.

      • Sim, uma obra fictícia. E não, não creio que Joe, por si só, fosse possuidor de tamanha ‘capacidade criativa’, considerando que o Livro de Mórmon é uma colcha de retalhos, uma obra plagiada de várias outras, a exemplo do conhecido “View of the Hebrews” de Ethan Smith, livro publicado em 1823 (sete anos antes do LM) e que já apresentava a teoria defendida por muitos teólogos americanos do final do século XVIII e início do século XIX, de que os índios americanos eram descendentes da Casa de Israel.

        Esta idéia era muito popular naquela época, especialmente na região onde Joseph Smith Jr viveu durante sua infância e juventude. Aliás, já havia naquele período um forte movimento restauracionista

        Ethan Smith, autor de View of Hebrew foi um conhecido clérigo em Vermont, tendo sido pastor na Igreja Congregacional frequentada por Oliver Cowdery, ou seja, Cowdery que foi escriba de Smith, tinha conhecimento prévio de uma das obras utilizadas como fonte primária para elaboração do Livro de Mórmon.

        Em uma outra obra denominada “Manuscript Found” (elaborada em 1812 por Solomon Spaulding, romance histórico sobre os primeiros povoadores da América; obra que igualmente apresenta a teoria de que os indíos americanos são descendentes dos judeus, com um relato da saída de um pequeno grupo de Jerusalém, por mar, até chegar nas Américas, tudo escrito no velho estilo do “E aconteceu que”, no início das frases 🙂

        No entanto, esta idéia cultuada no Século XIX e apresentada em várias obras, e, replicada por Joseph Smith no Livro de Mórmon, CAIU POR TERRA, por conta de acuradas pesquisas e análises genéticas, atualmente, é notório e comprovado de que os nativos americanos, em verdade, são descendentes de um pequeno número de linhagens do leste asiático e pormenorizadas análises linguísticas corroboram os estudos genéticos, tendo sido encontradas antigas relações e padrões de similaridade entre as línguas faladas na Sibéria e aquelas faladas no continente americano.

    • Adilson Clayton de Souza ‘a Bíblia’ ensina “Não matarás” (Êxodo 20:13) me explica o que aconteceu a Moisés quando este matou um egípicio?Deixou de ser Profeta? Deixou de ser o escolhido para guiar o povo do convênio? E me explica o que aconteceu ao povo que vivia em Canaã quando Moisés recebeu o mandamento de tomá-la?

      • Ora, quando Moisés matou o egípcio, por estar batendo em um israelita (cf.Êxodo 2.11-14), Deus ainda não havia lhe transmitido os 10 mandamentos no Monte Sinai, pois, é importante lembrar que as tábuas mandamentais só foram recebidas por Moisés após a sua saída do Egito para conduzir seu povo à Terra Prometida 🙂

      • Alexandre Bezerril, você me apresentou o seguinte questionamento: “o aconteceu ao povo que vivia em Canaã quando Moisés recebeu o mandamento de tomá-la?”

        Pois bem, é preciso ter em mente que, de acordo com a Bíblia, foi DEUS (e não seus servos) quem exterminou pecadores, situação apontada em inúmeras ocasiões no Cânone Sagrado, por exemplo, quando “a terra ficou cheia de violência” nos dias de Noé, Deus trouxe um dilúvio que eliminou todas as pessoas, com exceção de uma família — a de Noé. (Gênesis 6:11; 2 Pedro 2:5); DEUS destruiu as cidades de Sodoma e Gomorra quando os pecados de seus habitantes se tornaram ‘muito graves’. (Gênesis 18:20; 2 Pedro 2:6).

        Note que Ele decretou a destruição da capital da Assíria, Nínive, “cidade de derramamento de sangue”, porém, importante salientar que Ele a POUPOU quando seus habitantes se arrependeram de sua conduta errada. (Naum 3:1; Jonas 1:1, 2; 3:2, 5-10).

        Agora, chego ao núcleo de sua pergunta, ou seja, quanto aos cananeus, povo que habitava Canaã, foi DEUS quem os destruiu para proteger Israel, a nação de onde viria o Messias. (Salmo 132:11, 12).

        De acordo com as Escrituras Sagradas, essa é uma prerrogativa que DEUS possui; quanto a nós, mortais, Ele determinou: “Sede pacíficos para com todos os homens. (…) “Não vos vingueis a vós mesmos, mas dai lugar à ira de Deus, porque está escrito: MINHA é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor.” (Romanos 12:18-19), e “Não digas: vingar-me-ei do mal; espera pelo Senhor e ELE te livrará.” (Provérbios 20:22) considerando, por fim a advertência: “Quem ferir um homem e o matar terá que ser executado” (Êxodo 21:12), sendo que, em 600 aC, Néfi vivia sob a égide da Lei Mosaica (código de leis formado por 613 ordens e proibições, o qual dentre outras, estabeleceu o direito a vida e a proibição do homicídio sem uma prévia e necessária investigação pelas Autoridades Locais a fim de garantir que o fato fosse apurado com imparcialidade), assim, sendo a lei igual para todos, tendo Néfi decapitado Labão, teria de ser executado da mesma forma, ou seja, a punição deveria ser exatamente igual ao crime.

        Por fim, de acordo com o Novo Testamento, Jesus estabeleceu uma Lei muito superior à Lei de Moisés. A lei de Moisés impõe: “Não matarás” (Êx 20.13). Mas Jesus admoesta: “Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” (Mt 5.44).

        Do exposto, Alexandre, é de clareza solar que Néfi não tinha qualquer necessidade ou justificativa para assassinar Labão, pois DEUS em toda sua Grandeza, teria facilmente providenciado qualquer outro meio a fim de que o jovem Néfi não necessitasse, de forma covarde, sujar suas mãos com o sangue de um homem que encontrava-se sem qualquer condição de defesa, tornando-se um criminoso sujeito aos rigores da Lei Mosaica.

    • O Livro de Mormon nao e obra ficticia. E uma obra sagrada tanto como a Biblia e demais escrituras sagradas existentes. Nefi nao enganou Zora ou Zoram, e sim ambos fizeram um convenio, tanto e que posteriormente se tornaram grandes e fieis amigos. Creio que e desonesto interpretar e distorcer essa descricao sugerindo que Zoram foi enganado ou forcado. O Livro de Mormon, singularmente, em sua introducao oferece um testemunho de tres testemunhas que assinaram e deram seus nomes atestando a sua autenticidade e a origem sagrada e divina deste livro. Posteriormente outras oito testemunhas adicionais tambem acrescentaram seus testemunhos oferecendo ainda maior autenticidade a este livro sagrado. Qualquer advogado “honesto” aceita em cartorio o testemunho de duas pessoas, mesmo sem conhece-las, portanto os mesmo principios aceitos no mundo juridico deveriam tambem serem aplicados nesta questao, caso contrario, como se diria no direito, o juizo esta eivado ou de ma fe ou de incompetencia!!! O Livro de Mormon transformou e tem transformado a minha vida pessoal, bem como a de milhoes e milhoes de pessoas, que se transformaram em pessoas melhores, mais gentis, caridosas, bondosas, com menos orgulho, maior auto-dominio e com tantas outras virtudes atraves do seu estudo e aplicacao sincera. Nao adianta lutarmos contra Deus, esta luta e va e destruidora em todas os sentidos..Primeiramente destroi o individuo, depois sua familia e na sequencia sua propria geracao. Havera um dia em que todo joelho se dobrara e toda lingua confessara que Jesus e o Cristo. O Livro de Mormon e um outro testamento de Jesus Cristo, e disso presto meu solene testemunho,

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.