Dinossauros Extraterrestres

Este é o primeiro post da série A Ciência da Doutrina

Eu sou um amante da ciência e acredito que ela está completamente ligada ao Evangelho, ela nos proporciona a Luz e a Verdade das coisas de Deus quanto à natureza, as “Ciências Naturais”, enquanto o Evangelho nos dá a Luz e a Verdade no campo metafísico, espiritual etc. Vejo a religião e a Ciência como duas faces da mesma  moeda, uma dá a resposta para a pergunta do “Como”: “como foi feito”, “como surgiu”, “como aconteceu”; e a religião nos dá respostas do “Por quê”, do propósito das coisas: “porque existe mortalidade”, “qual o propósito da vida”, etc.

mórmons ciência

Numa edição recente da Liahona, encontramos um excelente artigo sobre Religião e Ciência intitulado “A Ciência e nossa busca pela felicidade”  e uma citação do Élder Russell M. Nelson que gostaria de expôr aqui: Continuar lendo

Judas e a História

A (in)Confiabilidade das Informações Transmitidas pelas Escrituras.


Quando falamos em escrituras, consideramos elas como fontes seguras para entendermos a vontade de Deus, conhecer seus estatutos e um mapa para voltarmos a viver com Deus. O Livro de Mórmon chama as escrituras de “Barra de Ferro”, ou o que conhecemos hoje, um “corrimão” que nos conduz em segurança pelas tribulações da vida. Apesar dessa ser a ideia geral, as pessoas tendem depositar uma confiança excessiva nas escrituras, confiança essa que pode trazer erros de entendimento quanto às coisas de Deus.

A Última Ceia por Carl Heinrich Bloch (1834 – 1890), focando na conspícua saída de Judas da ceia

A Última Ceia por Carl Heinrich Bloch (1834 – 1890), focando na conspícua saída de Judas da ceia

Há vários tipos de informação nas escrituras: Continuar lendo

O Amor de Muitos Esfriará

Eu sou moderador de um grupo de membros da Igreja SUD que conta com aproximadamente 11 mil pessoas. Frequentemente, coloco alguns artigos para instigar a opinião crítica, estimular o estudo do Evangelho e da história da Igreja, bem como de sua doutrina.

Contudo, percebo na maioria esmagadora dos comentários (9 em cada 10) um comportamento nos Santos dos Últimos Dias que me tem causado grande espanto: o esquecimento do amor cristão. Continuar lendo

A descendência “cainita” de Joseph Smith

É de conhecimento geral que a Igreja SUD, em uma determinada época, acreditava que os negros africanos eram descendentes de Caim, portanto amaldiçoados para o Sacerdócio.

Essa doutrina, mencionada pelo próprio site oficial da Igreja no ensaio “Raça e Sacerdócio” menciona essa “doutrina” sendo cultural e oriunda aproximadamente ao ano de 1730.

Brigham Young também incentivou muito o estudo e que a religião não deveria contradizer a ciência. Podemos até dizer que Brigham Young era uma pessoa que possuía uma mente analítica. Ele não era uma pessoa que se acomodava com o pensamento contemporâneo, ele acreditava em vidas em outros planetas, embora estivesse enganado sobre a vida em nosso sistema solar, é de se admirar que um líder religioso cristão tivesse tais pensamentos em pleno século XIX.

Embora esses pensamentos fossem motivados pelas revelações de Joseph Smith, há que se mencionar a notoriedade em Brigham Young não aceitar o conceito de Adão ter sido criado do barro, como diz a Biblia. Algo surpreendente para a época, embora ele ainda estivesse errado em achar que o homem veio em sua forma atual do espaço, de outro planeta. Tenho grande admiração por Brigham Young, e ainda que estivesse errado em algumas coisas, ele não deixava de pensar.

Contudo, ele não pensou num assunto que talvez tenha sido um dos mais impactantes de sua presidência, qual seja, a exclusão dos negros do Sacerdócio. A justificativa era de que os negros não podiam portar o Sacerdócio devido a essa suposta descendência de Caim e para um homem que gostava de pensar sobre as doutrinas do evangelho, ele não teria tido esse pensamento se tivesse usado uma lógica simples e elementar.

'Caim e Abel' por Jacopo Palma il Giovane, ca. 1590

‘Caim e Abel’ por Jacopo Palma il Giovane, ca. 1590

Vou deixar esse assunto em aberto para explicar uma pesquisa cientifica recente e depois retomo esse pensamento. Continuar lendo