Davi, Golias, Néfi e Labão

No Vale de Elá estavam os israelitas e os filisteus num impasse que durou semanas, nem avançavam e nem recuavam, dos dois lados. Até que resolveram o problema da maneira tradicional de combate único, sem precisar entrar em batalha e derramar muito sangue.

E o filisteu enviado para o combate era o seu gigante. Ele tinha 2,05 metros, vestido com uma armadura de bronze, uma espada, um escudo e uma lança e bradou por 40 dias:

“Hoje desafio as companhias de Israel, dizendo: Dai-me um homem, para que ambos pelejemos.”

Nenhum israelista desejou enfrentá-lo. E finalmente, o único que se apresenta para enfrentar Golias é um jovem pastor de ovelhas; Davi disse a Saul:

“Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá, e pelejará contra este filisteu”

Mas você ainda é moço e sem experiência de batalha, dizia Saul. Mas Davi argumentava que ele estava preparado, pois já matara ursos e leões. Então você usa esta armadura e este capacete, orientava Saul. “Não posso andar com isto, pois nunca o experimentei”, disse Davi

Davi pega seu cajado. Escolhe cinco pedras e guarda na sua bolsa de pastor. Segura a sua funda e caminha em direção ao gigante filisteu “Vem a mim, e darei a tua carne às aves do céu e às bestas do campo.”, insultou Golias

Continuar lendo

Labão e os muitos “Labões”

O obscuro Labão está muito mais presente nas escrituras do que podemos imaginar. Também sua importância no relato nefita pode ser maior do que nos é transmitido pela leitura correlacionada das escrituras. Labão encarna características descritas em maior detalhe por outros profetas do passado, sobre as quais somos alertados. Continuar lendo