Professor da BYU Criticado por Livro Sobre Mulheres

lost+teachingsO Professor da BYU Alonzo L. Gaskill está sendo severamente criticado por seus pares acadêmicos, por acadêmicos Mórmons e pelo público Mórmon leigo, por grosseira incompetência intelectual.

Em seu livro recém-publicado ‘O Ensinamentos Perdidos de Jesus Sobre o Papel Sagrado da Mulher’, o professor de História da Igreja e Doutrina se propõe a estabelecer uma reconstrução acadêmica dos ensinamentos de Jesus de Nazaré sobre o papel apropriado de mulheres na sociedade Cristã. Uma das fontes principais, na qual Gaskill ancora seu livro  e seus argumentos nos manuscritos de Pali, que descrevem a vida e os ensinamentos de Jesus durante Sua adolescência no sub-continente Indiano, e descobertos num monastério Indiano no final do século XIX pelo jornalista e explorador russo Nicholas Notovich. Compilados e traduzidos para Francês (e, rapidamente, para vários outros idiomas) por Notovich nos anos 1890 sob o título ‘A Vida Desconhecida de Jesus’. O grande problema, contudo, é que o livro não só foi demonstrado por acadêmicos como um falsificação clara, como o próprio Notovich confessou o embuste.

Mas este nem é o maior problema do livro do historiador da BYU. Continuar lendo

Por que você é firme na Igreja?

Compromisso, Coerência e Aprovação Social

O primeiro contato com a Igreja é com os missionários. Logo eles pedem para você orar e ler o Livro de Mórmon. Fazem esse primeiro compromisso, além de marcarem a segunda visita. Os vizinhos já viram eles entrando na sua casa e a sua família já sabe ou esteve presente. Então, por ter gostado, achado eles lindos ou pra não ser anti-social, você marca a segunda visita. Com a próxima visita agendada, você fica preocupado em ler o Livro de Mórmon e orar daquele jeito que ensinaram pra perguntar a Deus se o livro é verdadeiro.O dia da segunda palestra chega. Você aguardou eles porque, afinal de contas, não quer parecer uma pessoa “sem palavra”, mas “eu não quero me batizar”, você pensa consigo. Os missionários  perguntam se você leu o livro e se orou. Você responde que sim, pois você assumiu um compromisso e cumpriu. Te convidam pra visitar a Igreja. Você vai, acorda cedo, é cumprimentado pelo pessoal da Igreja e fica lá nas três horas, mesmo não entendendo nada.

Continuar lendo

O leite derramado

Conto de Sueli Patelli

Dona Maria labutava o dia inteiro com os afazeres domésticos e cuidava de dois filhos pequenos, um de três e outro de dois anos, mas sua barriga já dava sinal de outro bebê a caminho.

Antes do sol raiar, seu marido, João, já estava na estação de trem a caminho do trabalho. Viajava duas horas no trem lotado, depois uma hora de ônibus até chegar à lojinha de aparelhos eletrônicos usados de que era sócio. Ao findar o dia era a mesma coisa, uma hora de ônibus, duas horas de trem. Chegava em casa depois das nove horas da noite, Continuar lendo

O Missionário e o Advogado

Conto de Luiz Polito

-“Se os malandros e vigaristas soubessem como é bom ser honesto, eles seriam honestos até por vigarice !”
Essas palavras voltaram à mente de Roberto, depois de mais de trinta anos dele as ter ouvido. Ele as ouvira da boca de um advogado, numa tarde de calor forte, numa praça pública do Rio de Janeiro. Roberto era na época um missionário mórmon – Elder Silveira- e estava fazendo uma exposição na praça Castro Alves, num subúrbio da cidade do Rio. Continuar lendo

O Estranho Sonho de Natalicio – final

Parte Dois

-Pode me chamar de Eliel, Natalício. E agora eu vou explicar melhor essa questão de passado, presente e futuro para você. Para isso, pense num criador e numa criatura. O criador construiu uma estrada muito extensa, cheia de curvas, cheia de subidas e descidas, que começava numa cidade e terminava em outra. Continuar lendo

O Estranho Sonho de Natalicio

Conto de Luiz Polito

Parte Um

Natalício dos Santos recolheu-se tarde ao seu quarto naquela noite. Não estava nem frio nem quente – a noite estava numa temperatura muito agradável para se dormir. Sua esposa Ângela já estava dormindo há algumas horas e Natalício procurou deitar-se com cuidado para não acordá-la. Ele tinha ficado até tarde da noite lendo, como era seu costume, e estivera lendo a respeito dos assuntos de que mais gostava: filosofia e religião. Continuar lendo