Missionários e o Dom de Línguas

“E também a alguns é dado falar em línguas; E a outros é dada a interpretação de línguas.” Assim diz a revelação dada a Joseph Smith Jr. Porém, para mim foi dado uma única vez.

Jovens missionários d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. | Foto: Acessórios Sud

Enquanto servia como missionário, sempre tive muita dificuldade com os estudos para aprender a falar e com a gramática do inglês. Poucas vezes estudei com companheiros, ainda que fosse uma regra importante na missão em que servi. O dom de línguas conforme ensinado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é usado para a pregação do evangelho e seus missionários o teriam pela facilidade com que aprendem outro idioma. Continuar lendo

Russell M. Nelson e o Dom de Línguas

Texto de Gustavo Oliveira

Fui escolhido! Quando tinha 17 anos, o Élder Russell M. Nelson, do Quórum dos Doze Apóstolos, viria visitar o Rio de Janeiro. Seria uma visita rara, sem muito aviso prévio, e somente por um dia. Élder Nelson anunciou que queria dirigir-se aos jovens e jovens solteiros. Meu bispo me perguntou se eu tinha interesse em ser o tradutor do Élder Nelson para seu discurso. Eu estava em êxtase! Um membro do Quórum dos Doze Apóstolos! Claro que aceitei!

Semanas se passaram e eu não havia recebido nenhuma mensagem reforçando o convite; eu ainda não sabia se seria o tradutor ou não. Finalmente, chegou o dia do serão com o Élder Nelson. Eu cheguei cedo na capela de Andaraí, um bairro carioca, e a sede da nossa estaca. A grande maioria dos presentes eram jovens; jovens das três estacas cariocas: Andaraí, Madureira, e Rio de Janeiro. A capela de Andaraí estava mais cheia que durante nossas conferências de estaca. E eu ainda não sabia se seria o tradutor ou não. Continuar lendo

Imposição de mãos (femininas)

Imagem: ordainwoen.org

Imagem: ordainwomen.org

Mulheres sud não são mais vistas administrando bênçãos de conforto e saúde por imposição de mãos.  A prática incentivada por Joseph Smith e levada para as Montanhas Rochosas pelas mulheres mórmons, foi defendida e  promovida pela Sociedade de Socorro no final do século XIX, sobrevivendo com respaldo oficial a primeira metade do século XX.

Para Joseph Smith, mulheres poderiam impor as mãos sobre qualquer doente, homem ou mulher. Para aqueles que criticaram a prática, afirmou que havia tanto pecado na imposição de mãos por mulheres quanto em umedecer o rosto de um doente. Presidida por Emma Smith, a Sociedade de Socorro estabelecida em 1842, em Nauvoo, abraçou com devoção a prática. Continuar lendo