Igreja SUD Demite Funcionário em SP, Justiça Ordena Reintegraçāo

Funcionário afirma que sua demissāo foi motivada por homofobia.

Justiça do Trabalho determinou no dia 03 de junho a reintegraçāo provisória do funcionário.

A Associaçāo Brasileira d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em abril passado, demitiu seu funcionário Frederico Rocha por justa causa. Ele foi acusado pela instituição de infidelidade conjugal, o que constitui uma violaçāo da conduta esperada pela Igreja de seus funcionários.

Rocha afirma que o real motivo da sua demissāo foi homofobia por parte de seu empregador. Ele iniciou um processo contra a ABIJCSUD por danos morais, pedindo uma indenizaçāo no valor de R$ 750 mil. Também pede a reversāo de sua demissāo, e o pagamento retroativo de salários e outros benefícios desde abril.

Continuar lendo

Igreja Mórmon Condenada Por Dízimo Cobrado

A Igreja Mórmon foi condenada pela Justiça brasileira a indenizar funcionário demitido por não pagar dízimo pleno.

Dízimo

Um coordenador do Sistema Educacional da Igreja que trabalhava para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias por 12 anos deverá receber R$ 30 mil de indenização por ter sido demitido simplesmente por deixar de pagar dízimo integral. Continuar lendo

Igreja processada por violar direitos autorais

Prédio do Escritório da Igreja

Prédio do Escritório da Igreja

A Corporação do Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias tem sido bastante zelosa em relação aos seus direitos de propriedade intelectual, processando indivíduos ou empresas que usem o que considera ser suas marcas registradas. Agora é a vez da Igreja ser processada por violar os direitos de uma empresa nos Estados Unidos. A Litchfield Associates, sediada na Flórida, está processando a Igreja – juntamente com as empresas Intellectual Reserve, Inc.e Deseret Book Company – por desrespeitar o acordo envolvendo o uso de sua Bíblia em versão audiolivro.¹ Continuar lendo

Osama, Obama e um monte de perguntas

Segunda-feira de manhã peguei o jornal no balcão da padaria por costume. Queria ver as manchetes enquanto esperava o sanduíche que seria meu café-da-manhã. A manchete sobre a morte de Bin Laden parecia quase ficção. “Sério que isso aconteceu?”, pensei comigo num misto de admiração e perplexidade. Continuar lendo