Progresso Entre Reinos – parte I

Haverá progressão entre os graus e reinos de glória? O mormonismo ensina que Deus tem um plano de progresso eterno para seus filhos. Fazem parte desse plano três diferentes reinos de glória – telestial, terrestrial e celestial -, cada um possuindo em si diferentes graus, os quais são herdados de acordo com a obediência ao plano. 

Uma das lacunas na atual doutrina SUD é a possibilidade ou não de avanço de um grau a outro no mesmo reino, ou de um reino a outro. Alguém que herdou a glória terrestrial poderia, ao longo das eras, subir a uma esfera celestial?
 
As respostas que ouviríamos hoje na Igreja podem variar de um sincero “não sei” a um categórico “não!”. A literatura oficial da Igreja hoje parece não abordar tal tema, preferindo enfatizar que o progresso eterno será apenas acessível aos que forem exaltados. E, mesmo assim, o progresso eterno parece ser relativizado por algumas afirmações de que Deus não está progredindo porque já progrediu plenamente. Nesse sentido, o progresso eterno não ocorreria em termos do conhecimento ou retidão pessoal desenvolvidos por Deus, mas o progresso dos seus filhos.
 
brigham-1851Brigham Young defendeu o conceito de que não poderia haver um limite para o progresso de um ser. Caso houvesse, argumenta, tal ser seria condenado a um retrocesso:

O trabalho de Deus é ver que todos se tornem celestiais assim como ele. Depois das pessoas terem sido designadas a diferentes graus de glória, não é o fim do seu progresso. Elas continuarão a avançar acima, até que todos dobrem os joelhos e se tornem seres celestiais. Se o progresso cessasse em algum lugar na eternidade, em quaisquer dos reinos, elas seriam imediatamente jogadas para o caminho de retrocesso. (Journal of Discourses 1:350)

James_Edward_TalmageNa primeira edição do livro Regras de Fé, de 1899, o apóstolo James E. Talmage fala sobre a possibilidade de avanço entre graus e reinos:

É razoável acreditar, na ausência de revelação direta pela qual conhecimento absoluto do assunto pudesse ser adquirido, que, de acordo com o plano Deus de progresso eterno, avanço de um grau a outro dentro de qualquer reino, e de reino a reino será provido. Mas se os que recebem uma glória menor serão capazes de avançar, certamente as inteligências de um nível maior não serão impedidas em seu progresso; e assim podemos concluir que graus e níveis sempre irão caracterizar os reinos de nosso Deus. A eternidade é progressiva; a perfeição é relativa (…) (Articles of faith (Regras de Fé), 1899), p. 420-421)

Ainda que Talmage diga não haver uma revelação específica sobre o tema, ele afirma estar de acordo com a doutrina revelada a crença na progressão entre reinos, além de apontar para o fato que que não há perfeição absoluta, mas sim relativa. O parágrafo acima não foi incluído nas edições subsequentes do seu livro.

32 comentários sobre “Progresso Entre Reinos – parte I

  1. Acho muito interessante o tema de progresso, em minhas dúvidas sobre o tema, eu parei para pensar e pesquisar, porém por falta de descobertas na literatura mórmon atual, tentei uma lógica pela Bíblia e no Livro de Mórmon, por isso relatarei algumas coisas que vieram em minha busca.

    Encontrei algo em Hebreus 6:4-6, “Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo,
    E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro,
    E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério.”

    Além do mais 2 Néfi 28 8;9, ” E muitos também dirão: Comei, bebei e diverti-vos; não obstante, temei a Deus—ele a justificará a prática de pequenos pecados; sim, menti um pouco, aproveitai-vos de alguém por causa de suas palavras, abri uma cova para o vosso vizinho; não há mal nisso. E fazei todas estas coisas, porque amanhã morreremos; e se acontecer de sermos culpados, Deus nos castigará com uns poucos açoites e, ao fim, seremos salvos no reino de Deus.
    9 Sim, e haverá muitos que ensinarão desta maneira adoutrinas falsas, vãs e tolas; e encherão o coração de orgulho e procurarão esconder profundamente do Senhor os seus desígnios secretos; e farão as suas obras às escuras.”

    E não posso esquecer de que o Élder Bruce McConkie explica que ” dois nascimentos são essenciais para a salvação. O homem não pode ser salvo sem nascer na mortalidade tampouco pode voltar ao seu lar celestial sem o nascimento no campo do espírito (…) Os elementos presentes no nascimento mortal e no nascimento espiritual são os mesmos. Eles são água, sangue e espírito. Todo nascimento mortal, portanto, é um lembrete dos céus para que nos preparemos para o segundo nascimento.” Acho muito interessante que ele expõe do nascimento corporal e esiritual movidos pelo sangue como fonte de tudo, então, sem o sangue em qualquer um dos dois tópicos, não há salvação.
    Enfim, se acreditamos em uma ressurreição, também acreditamos que ela mudará nosso corpo, pois sairemos de corpos corruptíveis para incorruptíveis, ou seja, uma mudança onde não haverá mais possibilidade de volta, seremos imortalizados de acordo com o que fizemos, trazendo salvação eterna ou condenação permanente. ( tirado de 1 cor 15:42 e Mosías 16: 10-11.)

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.