Progresso Entre Reinos – parte II

byO progresso espiritual é eterno? Ou encontra um ponto final? Como discutimos na primeira parte desta série, várias afirmações feitas por autoridades gerais no séc. XIX apontam para a possibilidade de progresso do ser humano por toda a eternidade, sem um ponto final.

No ano de 1855, Wilford Woodruff ouviu Brigham Young falar a respeito do tema, após terem realizado um círculo de oração: Continuar lendo

Progresso Entre Reinos – parte I

Haverá progressão entre os graus e reinos de glória? O mormonismo ensina que Deus tem um plano de progresso eterno para seus filhos. Fazem parte desse plano três diferentes reinos de glória – telestial, terrestrial e celestial -, cada um possuindo em si diferentes graus, os quais são herdados de acordo com a obediência ao plano. 

Uma das lacunas na atual doutrina SUD é a possibilidade ou não de avanço de um grau a outro no mesmo reino, ou de um reino a outro. Alguém que herdou a glória terrestrial poderia, ao longo das eras, subir a uma esfera celestial? Continuar lendo

Disseminar conhecimento

Que pensam desta citação?

cannonA natureza do reino ao qual estamos associados é disseminar conhecimento através de todas as fileiras do povo, e fazer de cada homem um profeta e cada mulher uma profetisa, para que possam compreender os planos e propósitos de Deus. (George Q. Cannon, Journal of Discourses 12:46)

Origem e destino da mulher

A posição da mulher na doutrina mórmon ganhou uma reflexão especial pela pena de John Taylor. Morando em Nova York para editar o jornal The Mormon, na década de 1850, John Taylor conheceu a jovem e bela Margaret Young (sem  parentesco com Brigham), então com vinte anos. Transformando em artigo do seu jornal parte do que havia escrito em cartas de amor a Margaret, Taylor publicou, em 1857, Origem e destino da mulher, traduzido abaixo. Em setembro de 1856, Margaret havia se tornado esposa plural de John Taylor, com quem ainda teria nove filhos. Continuar lendo