AO VIVO: 185a Conferência Geral (Sessão de Sábado da Manhã)

Com este artigo, durante a sessão de conferência, vocês podem fazer comentários enquanto ouvem os discursos ou acompanham os resumos digitados aqui. Clique em “recarregar” no seu navegador para ler as atualizações sobre os discursos em tempo real.

Ouviu algo que você acha merecer maior ênfase? Comente! Acha que algo dito vai provocar reações negativas? Comente! Será que o discurso não é relevante para a vida no Brasil? Comente! Não gosta do cor da gravata do orador? Comente! Concorda muito com algo? Comente! Discorda de algo? Comente!

[Traduções rápidas — não serão iguais ao que se publica na Liahona!]

Coro: Coro do Tabernáculo Mórmon

Dirigindo essa sessão: Dieter F. Uchtdorf, 2o Cons. Primeira Presidência

Coro: Glória a Deus nas Alturas

Oração: Timothy J. Diches, dos Setenta

Discursante: Henry B. Eyring “Não Foi O Jejum Que Eu Escolhi?”

“Então o Senhor nos deu um mandamento simples com uma maravilhosa promessa. Na Igreja hoje nós oferecemos a oportunidade de jejuar uma vez por mês e dar generosas ofertas de jejum através de nossos Bispos ou Presidentes de Ramo para o benefício dos pobres e necessitados. Algo disso será usado para ajudar aqueles próximos a vocês, ou talvez alguém em sua família. Os servos do Senhor orarão e jejuarão por revelação para saber a quem ajudar e que tipo de ajuda oferecer. O que não for necessário para ajudar as pessoas na sua unidade da Igreja local será enviado para fazer o bem para outros membros da Igreja, espalhados mundo afora, que estão necessitados.”

“Não sabemos todas as razões por quê Jesus Cristo foi ao deserto para jejuar e orar. Mas sabemos ao menos de um dos efeitos: O Salvador completamente resistiu as tentações de Satanás para abusar de Seu divino poder. O curto tempo que jejuamos todo mês e a pequena quantia que oferecemos aos pobres pode nos dar uma pequena porção da mudança de coração em nossas naturezas para não desejarmos mais fazer o mal. Mas há uma enorme promessa [aqui]…”

Coro: Por Acaso Fiz Hoje

Discursante: Boyd K. Packer “The Plan of Happiness”

“O mandamento para multiplar e preencher a Terra nunca foi suspenso. É essencial para o plano de redenção e é a fonte de felicidade humana. Através do exercício desse poder em dignidade, podemos nos aproximar do Pai nos Céus e vivenciar a plenitude da felicidade, mesmo da divindade. O poder de procriação não é uma parte coincidente do plano de felicidade, é a chave para a felicidade.”

“Amor verdadeiro requer reservar até após o casamento para compartilhar daquele afeto que destrava tais poderes sagrados na fonte da vida. Isso significa evitar situações onde desejo físico pode tomar controle. Amor verdadeiro pressupõe que apenas após a promessa de fidelidade eterna, e uma cerimônia legal e reconhecida pelo Estado, e idealmente após um selamento no templo, é que se destravam esses poderes procriativos perante os olhos de Deus para a plena expressão do amor. É para ser compartilhado única e exclusivamente com aquela pessoa quem será seu companheiro para eternidade.”

“A única expressão legítima e autorizada desses poderes procriativos são entre homem e mulher que forem casados legalmente e reconhidos pelo Estado. Qualquer outra coisa além disso viola os mandamentos de Deus.”

” Quando falamos de casamento e de vida familiar, invariavelmente nos vem à mente ‘E as exceções?’ Alguns nascem com limitações e não podem ter filhos. Alguns inocentes tem seus casamentos destruídos pela infidelidade de seus cônjuges. Outros não casam, e vivem vidas de celibato digno. Por agora, eu lhes ofereço esse conforto: Deus é nosso Pai! Todo o amor e generosidade manifestas no pai terráqueo ideal é (sic) magnificado n’Ele, quem é nosso Pai e nosso Deus, além da capacidade da mente mortal de compreender. Seus julgamentos são justos, Sua misericórdia sem limite; Seu poder para compensar além de qualquer comparação terrena.”

(Nota: Boyd Packer aparenta em mal estado físico, usando catéter nasal de O2 e óbviamente dispneico, com dificuldade para ler o seu discurso.)

Discursante: Linda K. Burton, Pres. Geral da Sociedade de Socorro “Subiremos Juntas”

“Estou convencida que um marido nunca será mais atraente para sua esposa do que quando ele está servindo nos seus papéis destinados por Deus como portador do Sacerdócio – mais importantemente no lar.”

“Deve ser difícil, no melhor das hipóteses, para homens do convênio viverem num mundo que não apenas denigre seus papéis e responsabilidades divinos como também lhes bombardeam com falsas mensagens sobre o que constitui um ‘verdadeiro homem’. Uma das falsas mensagens é que ‘tudo gira em tôrno de mim’. No outro lado da denegrimento e do escárnio é  a mensagem que maridos e pais não são mais necessários.”

“Podemos nos testar com algumas simples perguntas. Com um pouco de adaptação, essas perguntas servem para todos nós, casados ou solteiros ou em quaisquer outras situações familiares:

1) Quando foi a última vez que eu sinceramente elogiei o meu companheiro, a sós ou na presença de nossos filhos?

2) Quando foi a última vez que eu agradeci, expressei amor por, ou sinceramente orei em fé por ele ou ela?

3) Quando foi a última vez que eu me parei antes de dizer algo que eu sabia que magoaria?

4) Quando foi a última vez que eu pedi desculpas e humildemente pedi perdão – sem adicionar as palavras ‘mas se você apenas tivesse’ ou ‘mas se você apenas não tivesse’?

5) Quando foi a última vez que decidi ser feliz ao invés de exigir ter a ‘razão’?”

Coro: No Monte A Bandeira

Discursante: Dallin H. Oaks “A Parábola do Semeador”

“A parábola do semeador nos avisa de circunstâncias e atitudes que previne qualquer pessoa que receba a mensagem do Evangelho para produzir uma boa colheita.”

“1) Chão rochoso; sem raízes [espirituais]”

“2) Espinhos; Cuidados desse mundo e as tentações de riquezas”

“A posse de riquezas ou altos salários não é um sinal de bençãos divinas, assim como sua ausência tampouco seja sinal de ausência de bençãos.”

“[Jesus] não estava identificando a posse de riquezas como um mal, mas apenas o mal da atitude com relação às posses.”

“A raíz de todo mal não é o dinheiro, mas o amor ao dinheiro.”

“Nos rendemos aos ‘prazeres da vida’ 1) quando estamos viciados, o que impede o dom divino do arbítrio; 2) somos enganados por distrações triviais, que nos distraem de coisas de importância eterna; e 3) quando temos um sentimento de direitos (“entitlements”), que nos impede de crescimento pessoal necessário para qualificarmos para nosso destino eterno.”

“3) Caiu em bom solo e produziu frutos”

“Como nos preparamos…? Nos convertemos assim através de preces, leituras das escrituras, servindo, e regularmente tomando dos sacramentos para sempre ter Seu Espírito conosco.”

Discursante: L. Whitney Clayton, Setenta “Escolher Crer”

“Perceber luz espiritual é diferente de ver luz física. Reconhecer a luz espiritual do Salvador começa com a nossa disponibilidade para crer. Deus requer que, inicialmente, ao menos tenhamos a vontade de crer.”

“Nossas ações são a evidência de nossas crenças e se tornam a essência da nossa fé. Escolhemos crer quando oramos e lemos as escrituras. Escolhemos crer quando jejuamos, guardamos o Sábado, quando adoramos no templo e quando lemos as escrituras. (sic) Escolhemos crer quando nos batizamos e tomamos o sacramento. Escolhemos crer quando nos arrependemos e buscamos perdão divino e o amor cicatrizante.”

Coro: Vinde A Cristo

Discursante: L. Tom Perry, ” Por que Casamento e Família São Importantes – Em Todo Lugar do Mundo”

“Durante o congresso [sobre casamento e família no Vaticano], eu observei que quando várias fés e denominações e religiões se unem sobre casamento e família, eles também estão unidos nos valores e lealdade e comprometimento que estão naturalmente associados às unidades familiares. É incrível para mim ver o quanto casamentos e prioridades centradas nas famílias atravessam diferenças culturais, religiosas, políticas e econômicas.”

“Muitos ali expressaram essa união, e o fizeram de muitas maneiras. Uma das minhas favoritas foi quando um acadêmico muçulmano do Irã citou dois parágrafos palavra-por-palavra da nossa Proclamação Sobre a Família.” [Risadas do público]

“A despeito do que muito da mídia e da indústria do entretenimento podem sugerir, contudo, e a despeito do real declínio em casamentos e orientações familiares de alguns, a sólida maioria da humanidade ainda acredita que casamento deve ser entre um homem e uma mulher. Eles acreditam em fidelidade no casamento, e acreditam nos votos de casamento ‘na saúde e na doença’ e ‘até que a morte nos separe’.”

“Queremos que a nossa voz seja ouvida contra todas as fraudes e estilos de vidas alternativos que tentam suplantar a organização da família que o próprio Deus estabeleceu. Também queremos que nossa voz seja ouvida sustentando a felicidade e a alegria que as famílias tradicionais trazem. Devemos continuar projetando nossa voz através do mundo declarando porquê casamento e família são tão importantes…”

Coro: Creio Em Cristo

Oração: Larry J. Echo Hawk, Setenta

4 comentários sobre “AO VIVO: 185a Conferência Geral (Sessão de Sábado da Manhã)

  1. Começamos a Conferência Geral com dois discursos contrastantes. Um bem positivo, um bem negativo.

    Henry Eyring: Vamos jejuar para doar o dinheiro e ajudar os pobres.

    Boyd Packer: Sexo sem casamento nunca; Gays não existem; quem sofre por não ter a mesma vida familiar que o ideal religioso, só será feliz depois que morrer!

    Ao menos ele aprendeu com a “bronca” de uns 4 anos atrás e deixou a alusão homofóbica apenas nas entrelinhas.

    Dallin Oaks: Para quem não sabe, a alusão a “liberdade religiosa” é código para campanhas anti-gay e “entitlements” é código para quem se opõe a benefícios sociais, como Previdência Social, ou Sistema Único de Saúde, ou INSS, etc. Duas causas políticas favoritas do Oaks.

    L. Tom Perry: Terceiro discurso anti-gay e estamos na primeira sessão ainda!

    • Tom Perry se preparando para assumir, hein?! Monson e Packer estão óbviamente em péssimo estado de saúde ambos, e recentemente ele interrompeu uma viagem subitamente para retornar ao QG e ele foi conversar com o Presidente Barack Obama junto com os 2 conselheiros da Primeira Presidência (sendo apresentado como Presidente Perry). Não me surpreenderia muito se o chamassem para 3o conselheiro da Primeira Presidência hoje à tarde e o Russell Nelson para Presidente Interino dos Doze. (Ver esse artigo sobre a sucessão apostólica)

    • Olá Marcello
      Eu tenho ouvido muito de homofobia,anti-gay e tantos mais, e percebo que: Se eu tiver uma opinião contraria aos planos dos homossexuais, eu tachado de Homofóbico, e ai eu pergunto: Será que tenho que não posso ter opinião contraria? Tenho ouvido muito que a Igreja Mormon é contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, mas será que temos que ser favoráveis? e se formos contra? Vale lembrar que assim como você tem sua opinião favorável e até ai não tem problema algum, as outras pessoas assim como eu posso ter opinião contrario e isso não que dizer que seja homofobia ou ser inimigos dos Gays.
      Fico muito preocupado quando vejo que as pessoas que só estão dispostos a ouvir elogios e nunca dispostos a ouvir criticas. Não sou contra os gays, eles têm os mesmos direitos que eu, e penso que isso é certo, afinal de contas somos dicadões e pagamos nossos impostos. Só acho que se os mórmons,batistas e tantas religiões mundo a fora são contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, isso não importa.

  2. Pingback: 185a Conferência Geral: Impressões, Resumos, Votos Contrários | Vozes Mórmons

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s