Joseph Fielding Smith: Vida Pré-Mortal

A conduta pessoal durante a vida pré-mortal influencia a vida mortal?

Mórmons acreditam que todos nós vivemos numa existência espiritual antes nascer na Terra como mortais. A este período chamam de “vida pré-mortal” ou “primeiro estado”. De acordo com a doutrina Mórmon, durante a vida pré-mortal, todos tivemos o livre arbítrio para obedecer ou desobedecer Deus assim como o têm aqui na vida mortal, ou “segundo estado”.

Como impactariam essas decisões lá no que ocorre aqui?

Joseph Fielding Smith foi o 10o Presidente d'A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (1970-1972). Filho do 6o Presidente, Joseph F. Smith (1901-1918), também serviu como Apóstolo (1910-1970).

Joseph Fielding Smith foi o 10o Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (1970-1972). Filho do 6o Presidente, Joseph F. Smith (1901-1918), também serviu como Apóstolo (1910-1970).

O Presidente Joseph Fielding Smith explicou a questão com clareza em seu livro ‘Doutrinas de Salvação’, publicado por décadas pela Igreja SUD aqui no Brasil.

Há uma razão para um homem nascer preto e com outras desvantagens enquanto outro nasce branco com grandes vantagens. A razão é que nós tínhamos um outro estado antes de virmos para cá, e fomos obedientes, mais ou menos, às leis que lá nos foram dadas. Aqueles que lá foram fiéis em todas as coisas receberam bênçãos maiores aqui, e aqueles que não foram fiéis receberam menos. [1]

Para que não houvesse dúvidas ou ambiguidade, Smith elaborou no assunto com ainda mais certeza:

Não houve neutros no céu. Não houve neutros na guerra no céu. Todos tomaram partido, fosse com Cristo ou com Satanás. Cada homem tinha o seu livre arbítrio lá, e os homens recebem recompensas aqui com base em suas ações lá, exatamente como eles receberão recompensas no mundo vindouro pelos atos feitos no corpo. O Negro, evidentemente, está recebendo a recompensa que ele merece.” [2]

Além das publicações curriculares, poucas são incluídas entre os livros publicados pela Igreja SUD traduzidos para o português. Esse livro de Joseph Fielding Smith foi escolhido para ser um desses, e ainda é publicado e vendido pela Igreja até hoje, com entusiasmo:

Doutrinas de Salvação… uma obra autorizada, escrita pelo mais notável estudioso do Evangelho na Igreja, contém uma riqueza de explicações sobre muitos assuntos do Evangelho, explicações essas que não podem ser encontradas em outras fontes. É uma obra que vem de encontro à necessidade de material abalizado sobre questões freqüentemente debatidas… Em Doutrinas de Salvação… o Presidente Joseph Fielding Smith responde abalizadamente a uma multidão de importantes perguntas sobre o evangelho… [3]

Como refletem essa citações de Fielding Smith nas crenças de membros da Igreja hoje?

Quão representativas são esses ensinamentos de Smith do que a Igreja prega hoje?

Qual significância pode-se atribuir ao fato da Igreja ainda publicar esses ensinamentos, até na língua portuguesa?


REFERÊNCIAS
[1] Smith, Joseph Fielding, Doutrinas de Salvação Vol. 1, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 1994, p. 67 (Impresso no Brasil, ênfases no original)
[2] Smith, Joseph Fielding, Doutrinas de Salvação Vol. 1, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 1994, p. 73 (Impresso no Brasil, ênfases no original)
[3] Propaganda no site da editora da Igreja SUD ‘Deseret Book‘.

 

33 comentários sobre “Joseph Fielding Smith: Vida Pré-Mortal

  1. A Igreja Mórmon vive um conflito de “eu disse, eu não disse, ele é um servo de Deus, nós não dissemos isso e você está nos interpretando erroneamente”. Qualquer estudioso de doutrinas religiosas vai reconhecer racismo e preconceito na doutrinas de Joseph Fielding Smith. O mais interessante é que dentro da Igreja há vozes que são contra mas com medo de represálias, alguns trabalham para a Igreja, ficam calados. O racismo pode aparecer de várias formas, e entre as mais comuns, no mundo religioso, é simplesmente dizer que quem proferiu o discurso é um servo de Deus.

  2. Certa vez ouvi o irmão Marcus Martins dizer que essa ideia de que os negros não teriam sido valentes na pré existência foi uma ideia que surgiu dentre o povo da igreja e que ganhou grande popularidade, inclusive sendo abraçada por Fielding Smith, mas que nunca foi fruto de revelação divina.

    Vale dizer que a ideia que os negros eram inferiores ou que não tinham alma já existiam no cristianismo tradicional e era amplamente abraçada pelos cristãos protestantes da época de Joseph Smith, que inclusive era a teoria científica da época e era utilizada para justificar o tráfico de escravos negros.

      • As obras Doutrinas de Salvação são valiosas fontes de doutrina, porém o estudioso diligente deve buscar harmonizar os ensinamentos contidos nesses livros com a evolução da doutrina oficial da Igreja, notadamente em relação ao tema deve-se buscar lê-la à luz do artigo “as etnias e o sacerdócio” disponível no site da Igreja.

        Ademais, simplesmente extirpar essa parte polêmica do texto seria uma imensa falta de respeito para com o autor, seu pensamento e sua obra.

        Na verdade, atualmente tal excerto serve somente como fonte histórica e não como fonte para doutrinação atual, pois vai de encontro aos ensinamentos dos profetas vivos.

      • Certamente ninguém advogaria publicar os livros extirpando “partes polêmicas”. (Diga-se, porém, que ninguém aqui está chamando o ensinamento de Fielding Smith de “polêmico”!)

        Não obstante, a Igreja já publicou um livro de ensinamentos de Fielding Smith sem a inclusão de teologias racistas. Ademais, recentemente notamos uma publicação da Igreja nessa mesma série extirpando “partes polêmicas” dos ensinamentos do Profeta Joseph Smith. Isso significa que a Igreja oferece novas publicações “higienizadas” dos ensinamentos dos profetas do passado.

        Portanto, as questões importantes permanecem. Por que a Igreja traduziria e publicaria esses livros há menos de duas décadas? Por que a Igreja ainda venderia e distribuiria esse livro? Por que não, simplesmente, “higienizar” os ensinamentos que “v[ão] de encontro aos ensinamentos dos profetas vivos” como fazem em outras publicações?

      • Respondendo às suas questões:

        Como já falei anteriormente, a obra “Doutrinas de Salvação” é uma valiosa fonte de doutrina e conhecimento para os membros da igreja, e acredito que isso fosse motivo suficiente para que a igreja decidisse publicar a obra em português, para que os membros do idioma lusitano também tivessem acesso a esse conhecimento e pelo mesmo motivo ela continua a vender ainda hoje.

        Realmente não sei o motivo da obra ter sido publicada em português somente em 1994, talvez a junta de tradutores da igreja estivesse envolvida em outros projetos e em 1994 foi a vez da obra “Doutrinas de Salvação”. Mas não sei o motivo real, estou só levantando uma hipótese. Vale ressaltar que trata-se de uma obra bastante volumosa e naturalmente demanda tempo para que um trabalho dessa magnitude passe por todo o proceso de tradução, revisão, edição e publicação.

        A coleção de livros “Ensinamentos dos Presidentes da Igreja” são de autoria da própria Igreja e como ela é a autora ela pode se dar o direito de atualizar sua obra, seja acrescentando ou excluindo trechos. Diferentemente da obra de Joseph F. Smith onde ele é o autor e a igreja a distribuidora, publicando a obra em sua integralidade.

      • Não seja ridículo, Adalberto.

        Em primeiro lugar, esse é um argumento que nasce de profunda ignorância de princípios básicos de ciência, história da ciência, e filosofia da ciência.

        Em segundo lugar, esse é um argumento conhecido por, ignorantemente, confundir “ciência” com “apropriação social” das ciências. Tropo batido e já descreditado de apologistas simplórios (criticado até por apologistas mais eruditos).

        Em terceiro lugar, você está fugindo da questão que Charles Darwin demonstrou cientificamente o que Fielding Smith não entendia ou não aceitava um século depois, e a Igreja continua sustentando ao traduzir, publicar, e distribuir um século e meio depois.

        Já que você não se ruboriza com gracejos, a sugestão que lhe deixamos é: Pegue emprestado dois livros de resumos básicos de ensino médio, desses para vestibular mesmo, sobre ciências biológicas e história. Leia ambos, incluindo as partes de introdução básica. E leia o livro que lhe citei de Darwin, publicado há um século e meio. “[D]epois volte para conversar comigo.”

      • Primeiramente peço humildemente que me desculpe se tiver lhe ofendido, acredito que fui deveras arrogante em minha frase, foi uma frase infeliz. Não tenho espirito de contenda.

        Ocorre que você citou Darwin como exemplo de teoria científica da época, porém o que predominava na época era a teoria do racismo científico, tendo como expoentes o naturalista e zoólogo francês Georger Cuvier e o historiador e filósofo alemão Christoph Meiners, ambos defensores do poligenismo científico (teoria que acredita que as raças não descendem do mesmo homem), sendo as ideias de Darwin realmente minoritárias na época.

        Em relação a seu comentário gostaria de esclarecer que em momento algum defendi a teoria do racismo cientfico, o que quis dizer no meu comentário original foi que o racismo científico predominava nos idos de 1800 e que tanto a ciência, como a religião e a sociedade estava impregnada de ideais hoje considerados racistas.

        De fato, hoje as teorias de racismo científico não encontram lugar na comunidade cientifica global.

        E para finalizar, é falso o seu argumento de que, ao continuar vendendo a obra Doutrina de Salvação com o trecho que é tema da postagem, a Igreja continua sustentando a teoria de Joseph F. Smith, pois a igreja já tem uma posicionamento sobre o assunto e não se coaduna com o acima exposto.

      • Apóstolo Joseph Fielding Smith, escreveu em 1907 que a crença era “muito geral” entre os mórmons de que “ raça negra tinha sido amaldiçoada por tomar uma posição neutra no grande conselho”. Mas essa crença, ele admitiu: “não é a posição oficial da Igreja, [e é] apenas a opinião dos homens.” Joseph Fielding Smith a Alfred M. Nelson, 31 de janeiro de 1907, biblioteca de história da Igreja, Salt Lake City.

  3. A doutrina Sud é embriagante é cada coisa que somos levados a acreditar. Muita gente fica com raiva quando falam que é feita uma lavagem cerebral, mas sinceramente é difícil de acreditar nessas doutrinas: Poligamia no céu,
    negros descendentes de Caim, Não existir salvação sem aceitação de Joseph Smith, doutrina essa ensinada por Joseph Fielding Smith em Doutrina da salvação.
    bem diferente do que foi ensinado no Novo Testamento: nem se casam nem se dão em casamento, mas são anjos nos céus, bem quem proferiu isso foi Jesus Cristo. Deus não faz acepção de pessoas. E somente existe um nome pelo qual os homens possam ser salvos: Jesus Cristo. Simples assim, sem fantasias e dogmas.

      • Magnolia, esse ” calorzinho no peito” nao e novidade, Apos a ressurecicao de Cristo seus discipulos caminhavam juntos quando Jesus aparaeceu e caminhou com eles explicando as escrituras, de forma miraculosa Jesus nao se revelou e eles de modo que nao puderam reconhecer lo (Lucas 24) No versiculo 32 eles descrevem essa sensacao no peito durante o tempo em que Jesus lhes ensinava as escrituras. Eu mesmo nunca tive essa experiencia embora tive muitas outras que nao me deixou duvida que era a influencia do Espirito Santo, mas ja ouvi outras pessoas descreverem esse sentimento, membros da igreja e membros de outras religioes tambem ja me disseram terem tido esse sentimento ardente no peito. Como eu disse eu nunca tive e nao posso dizer como e mas nao deixo de acreditar que o Espirito se manifesta de formas diferentes para as pessoas.

      • Na verdade é bem mais uma estranha sensação de alegria.Mas como o Fábio falou, há muitas outras experiências mais “concretas”. Eu, na verdade, acho que o evangelho é completamente comprovado pela lógica. Nada é mais claro e lógico do que o verdadeiro evangelho de Cristo,nenhuma teoria de homens, nada!

  4. No texto lemos que não recebemos nenhum conhecimento e sabedoria anteriores do nascimento. Não obstante o meio – ambiente e muitas outras causas exercem grande influência no progresso e destino do homem.
    O ESPÍRITO influencia em muito o corpo(vivíamos como espíritos e trazemos isso conosco para o nosso 2° estado), assim como o corpo com seus desejos e anseios tem influência sobre o espírito. Que muitos espíritos nobres nasceram profetas e governantes aqui e que pela ação do espírito sobre o corpo, PROVAVELMENTE, haviam de servi-lo aqui. Levando em conta que as características do espírito foram desenvolvidas por muitos séculos e Deus ama a todos sem distinção, brancos e negros, independente das CONDIÇÕES em que nasceram e se CRIARAM, Deus olha para todos com misericórdia e fará por qualquer um, branco ou negro o melhor que puder.

    VOZES MÓRMONS, você colocou: “Há uma razão para um homem nascer preto e com outras desvantagens enquanto outro nasce branco com grandes vantagens. A razão é que nós tínhamos um outro estado antes de virmos para cá, e fomos obedientes, mais ou menos, às leis que lá nos foram dadas. Aqueles que lá foram fiéis em todas as coisas receberam bênçãos maiores aqui, e aqueles que não foram fiéis receberam menos.” [1]pag.67

    Li no original assim: “Existe uma razão para um homem nascer negro e COM OUTRAS DESVANTAGENS(isso é importante) enquanto outro nasce branco com grandes vantagens.
    O autor complementa dizendo que fomos mais ou menos obedientes em nosso 1°estado, e os que foram obedientes em todas as coisas lá receberam bênçãos maiores aqui e os que não foram receberam menos, e continua dizendo que ninguém foi predestinado a falhar ou ser mal.

    Historicamente já prova como é difícil nascer negro na terra, atualmente ainda é, imagina na época do autor e até mesmo na restauração e bem antes, e ainda deixa claro que muitas pessoas por carregar essa carga da pré existência nascerão com outras desvantagens, acredito que a maioria não foi obediente em tudo lá, por isso nascemos com tantas dificuldades, é por isso que existe tantas coisas ruins aqui na terra, incluindo o racismo, que o homem criou, Deus sabe disso, a culpa não é dos mórmons esse racismo, é do homem em geral desde a fundação do mundo.Onde foi criado um contexto histórico terrível. Além que fica claro que todos sem exceção viemos pra terra com uma promessa de Deus, apesar de todas as dificuldades, ainda temos o poder de escolher e vencer aqui nessa terra, sim… branco, negro, vermelho, amarelo… gordo, magro, chato, legal, verdadeiro, falso, hétero, homossexual… todos tem a promessa e ainda Deus sabendo disso deu a cada um características únicas, onde cada um carrega a sua cruz e o Senhor prometeu que não é mais pesada que não podemos carregar.

    • Ainda o autor dá muito bem a entender que é uma comparação, todos nós sabemos que graças a historia da humanidade hoje em dia a maioria dos negros nascem em lugares menos favorecidos, mas e’fruto da humanidade isso e não de uma determinação de Deus, mesmo Deus sabendo de tudo isso. Venho pensar também se fui menos obediente eu preciso crescer mais, é óbvio que para o crescimento precisa-se de maior dificuldade e experiências específicas, infelizmente o homem aprende com a dor e acredito que com o avanço da humanidade e da historia como um todo, todos nós aprendemos com os erros do passado, por isso hoje parece que os negros venceram tantas dificuldades e todo esse ciclo faz parte do evangelho, é tantos fatores e questionamentos que podemos chegar com essa questão. Esse texto fez-me abrir os olhos para alguns sentimentos que estava procurando.

  5. Essa é a Teologia da Prosperidade Mórmon. Agora eu entendo porque tanta ênfase em relação a Dízimos e Ofertas e porque aqueles que não estão com os dízimos em dia não podem entrar no Templo para receberem “Bençãos”. Qualquer semelhança com as Igrejas Neopentecostais não é mera coincidência…

    • Não só o dízimo, mas também os que não estão vivendo a lei de castidade , a palavra de sabedoria, etc. A tal ênfase é dada de modo geral no que diz respeito a dignidade do indivíduo, sendo que o mandamento em questão é o único que o bispo tem a certeza se ele está cumprindo ou não por se tratar de uma relação direta entre os dois. Os demais mandamentos dependerá da honestidade de cada um durante a entrevista .

  6. Eu tenho esse volume I, mas o II e o III não. Pensei que tivesse sido banido das editoras da Igreja. Na realidade ele é apenas de Joseph Fielding Smith que com seu tradicionalismo e ideias como as de Benson e Kimball. Interessante que uma irmã vivia citando um desses volumes ao dizer que “quem nasce sob convênio é um espírito especia”. Tá lá em Doutrinas de Salvação”. -.-‘

    Na parte histórica ele é bom por explicar algumas coisinhas. Achei dura a crítica as vertentes da doutrina mórmon e muitas doutrinas explicadas por ele bem estranhas. Vale ressaltar que das páginas 105-115 ele faz malabarismos para provar que Brigham Young não ensinou que Adão era Deus encarnado e que foi mal compreendido…

    Um livro que sinceramente se foi tirado de circulação no Brasil foi uma bela ideia.

  7. Eu li os três volumes do Pres. Smith, ainda possuo em casa um volume de escritos e ensinamentos do Profeta Joseph Smith. De fato nenhum dos quatro livros a Igreja publica mais atualmente.

    Na Bíblia ensina no Velho Testamento que Caim, após matar Abel, recebeu um sinal, o Livro de Mórmon ensina que os descendentes de Lamã e Lemuel receberam uma marca, ou seja a cor escura.

    Joseph Smith em seu livro, ensina que o negro que nasceu, aceitou Jesus como o Cristo, guardou os mandamentos para e então ter seu segundo estado na mortalidade, mas não aceitou devidamente o Sacerdócio como deveria ser.

    É interessante notar que no Velho Testamento tínhamos profetas que receberam revelação para aquela época, no N.T. temos profetas e o próprio Cristo instalando uma lei maior, ou seja, uma revelação para aquela época.
    E hoje temos profetas que recebem revelação para nossa época e que explicam diversos pontos da doutrina. (Revelação moderna).

    Eu sou membro da Igreja desde meus 17 anos, realizei minha missão, casei no Templo.
    As pessoas, como falaram acima, não entram no Templo por não pagar o dízimo por que não estão guardando um mandamento direto.

    Da mesma forma que se um judeu não fazia suas ofertas e oferendas, era lhe negada a entrada no Templo, como diversas vezes Cristo mostrou nas escrituras as pessoas na porta do Templo, ou ate mesmo fazendo “casa de (seu) Pai, um covil de leões”.

    • Estou estudando o Antigo Testamento com mais curiosidade e espirito investigativo e o que está relatado lá é que o dízimo tinha o propósito de ajudar os pobres e necessitados, não era pré-requisito para ingressar no templo, aliás, notei que somente o sacerdote Aarao tinha autorização de Deus para realizar os ritos dentro do Templo, mesmo pelas outras pessoas, como para Expiação de pecados, p. Exemplo. Esta constatação encontra-se nos livros do Pentateuco.

  8. Creio que alguns traços de nossa personalidade são herdados da pré existência , contudo vale ressaltar que evangelho está crescendo muito na África com muitos Templos e criações de estacas.Hoje o EUA tem um presidente negro.E temos cotas raciais.O racismo esta sendo combatido por inúmeras campanhas nos esportes nas leis e na mídia.Creio que o cristianismo no passado era plenamente imbuído de racismo.Assim como no Novo Testamento onde havia exclusão por parte de Pedro aos não Judeus inscircunsisose e tem os samaritanos tambem.Em toda história desde Adão vamos ver algum povo diminuído por crenças de desfavorecimento.A humanidade sempre conviveu com divisões sociais. Creio que houve avanços ,mas não é o ideal.Irmão Joseph tinha a mesma visão de tantos outros profetas da bíblia e fora da bíblia que viveram numa sociedade cheia de exclusões e divisões. Hoje para nos e um absurdo isso.Por causa de mudanças de nossa cultura . Mas a uns 60 anos,não ser racista era algo anormal dependendo do lugar.

    • Achei interessante teu ponto de vista Otávio, realmente houve progresso quanto às questões raciais atualmente, resultado da luta pela conscientização e quebra de paradigma com relação ao racismo, incluindo também a mudança nas Leis. Entretanto, atribuir uma etnia como resultado da desobediência em outra vida é de uma insensatez tremenda. A questão do sinal posto a Caim e que seria a origem da raça negra é uma interpretação exclusiva do mormonismo, ao meu ver, pois ainda não li nenhuma outra teoria que venha corroborar com tal ideia.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s