Julgamentos de Assassino Mórmon Publicados

Os Arquivos do Estado de Utah anunciaram a publicação das transcrições oficiais da Segunda Vara Distrital do Território de Utah para o primeiro e o segundo julgamentos do filho adotivo de Brigham Young, John D. Lee, pelo seu papel no massacre de Mountain Meadows, completo com digitalização e disponibilização em seus arquivos digitais oficiais.

Gibbs, Josiah F. (1910) The Mountain Meadows Massacre, Salt Lake City: Salt Lake Tribune. OCLC 220893397

Foto de John D. Lee, sentado ao lado do seu caixão, minutos antes de ser executado por um pelotão de fuzilamento. Em Gibbs, Josiah F. (1910) The Mountain Meadows Massacre, Salt Lake City: Salt Lake Tribune. OCLC 220893397

Em 11 de setembro de 1857, entre 45 e 68 Mórmons (i.e., membros d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias) sob a direção imediata de 2 Presidentes de Estaca, 1 Bispo, e vários Sumo-Conselheiros, junto com 15 a 25 ameríndios Paiute induzidos por seus aliados Mórmons, assassinaram Continuar lendo

Natal Pioneiro Mórmon

Como eram os Natais dos pioneiros Mórmons, recém emigrados para Utah, lutando para estabelecer o Reino de Deus no meio do deserto?

Pioneiros Mórmons emigrando para Utah

John D. Lee, filho adotivo de Brigham Young e um de seus principais representantes nas colônias Mórmons no sul de Utah, deixou uma anotação breve nos seus diários de uma festividade natalina da época:
Continuar lendo

11 de Setembro

Fanatismo religioso, a violência brutal de ato terrorista, e a tragédia da morte de inocentes marcam a data do 11 de Setembro profundamente no inconsciente coletivo norte-americano.

Cemitério

Lenta e progressivamente, ao longo dos últimos 10+ anos, a Igreja SUD vem assumindo a sua parte neste triste legado de violência e terror.

O avanço das últimas semanas é mais um pequeno, porém importante, passo neste longo processo de auto-reflexão institucional.

Continuar lendo

O Declínio da Adoção

mormon_polygamists

George Q. Cannon e outros mórmons presos por “coabitação ilegal”.

Como a doutrina de progressão eterna e o casamento plural, a lei da adoção era parte essencial dos ensinamentos de Joseph Smith em Nauvoo. Com a colonização do oeste, a adoção ainda influenciava a vida social e as crenças mórmons, cumprindo os propósitos de edificar, a partir da Igreja, um povo – o grande objetivo sonhado por Joseph Smith.

Muitos santos dos últimos dias, porém, não estavam contentes com a lei da adoção e a maneira como influenciava a construção de sua família, especialmente com a adoção dos ancestrais falecidos como descendentes. O descontentamento com a lei da adoção era também partilhado por parte das autoridades gerais, incluindo Wilford Woodruff, quarto presidente da Igreja sud. No final do séc. XIX, antes de interromper completamente a adoção de ancestrais falecidos como posteridade dos membros vivos, a Igreja já havia deixado aos presidentes de templo a decisão sobre como instruir os membros nessa questão, de forma que muitos santos já estavam sendo selados a seus pais biológicos falecidos, mesmo quando esses não haviam recebido as ordenanças do evangelho em vida. Continuar lendo