185a Conferência Geral Semi-Anual (Sessão de Sábado de Manhã): Impressões e Resumo

Minhas impressões pessoais sobre a 185a Conferência Geral Semi-Anual (Sessão da Manhã do Sábado)

Destaques

O coro do tabernáculo não cantou como pré-lúdio o conhecido “A Deus Senhor e Rei” porém, cantou “Jeová Sê Nosso Guia” que por diversas vezes é cantado como hino intermediário pela congregação.

image

Essa Conferência, como em abril deste ano, não teve o tradicional discurso de abertura e boas-vindas do Presidente Monson. Nele são faladas sobre rededicamentos de Templos, dedicações e novos Templos além de comentários (sempre otimistas, óbvio) de como anda a situação da Igreja além de anúncios históricos como em outubro de 2012.

Curiosamente, em abril ele não deu a despedida e o último discursante foi o Russell M. Nelson sobre santificar o Dia do Senhor, que está servindo de inspiração nessa Sessão.

Melhor discurso:

Élder Ballard que falou sobre ensinamentos sobre Apóstolos e Profetas antigos e modernos. O ponto alto foi sua sinceridade ao admitir que eles cometem erros como qualquer ser humano e usou exemplos de relações afetivas, familiares e amizades. Falou abertamente sobre a Reunião Sacramental ser para o Salvador, da importância do Sacramento e do que realmente é um testemunho (visto a falta de dicionário e bom senso entre os membros).

Pior discurso:

Élder Francisco J. Viñas que falou sobre buscarmos a alegria que vem do Salvador, o que é excelente. O problema é que misturou muitos princípios com idas e vindas nos assuntos o que deu uma certa confusão sobre a organização das ideias.

Resumo dos discursos:

Élder Dietr F. Uchtdorf: Vivência do evangelho, buscas pessoais e conversão. Exemplos excelentes foram dados durante o discurso como costuma sempre fazer.

Élder Richard J. Maynes: Histórias do Livro de Mórmon e experiências de sua esposa para incentivar os membros a buscarem a paz do evangelho. Não conseguiu atingir o mesmo patamar dos anteriores Ballard e Uchtdorf.

Élder Larry R. Lawrence falou sobre viver o evangelho em si.

Irmã Neill F. Marriott: Discurso motivacional com sua experiência Cristã antes de ser membro da Igreja sobre a esperança e fé num futuro melhor.

Élder Quentin L. Cook: Dignidade  e retidão foram seus temas principais citando firmeza, moral e conduta. Uniu brilhantemente a felicidade terrena com felicidade celestial. Porém, cita o fato de muitos no mundo julgarem ser bom o que é mau, o que pode se especular tratar-se de uma defesa contra o Estado laico e a aceitação do casamento civil homossexual.

Temas mais falados:

Alegria do evangelho, autoajuda, felicidade eterna e até exortações a viver o Dia do Senhor foram os temas mais enfatizados nessa sessão da Conferência Geral.

33 comentários sobre “185a Conferência Geral Semi-Anual (Sessão de Sábado de Manhã): Impressões e Resumo

  1. Nao entendo por quê os discursos sao tao mecanicoa. Nao há uma demonstração de sentimentos. Não vejo alegria, coragem, motivação. Parece uma leitura de texto decorado que nao pode ser interrompido.

    • Mas os discursos na Igreja são tradicionalmente assim. Mecânicos. Longe de exaltar a efusão da oratória neo pentecostal, creio que há de existir um meio termo. Uma maneira mais fervorosa de ministrar. Esta mecanização se reproduz nas alas e estacas, com poucas exceções.

      • Quando assistimos uma palestra motivacional, sentimos vontade de retornar, mas oa discursos da igreja , prwxisamoa parar e estudar várias vezes para entender. Acho que somos carregado porum discurso motivador.

  2. Muito feliz a consideração de Melvin Russell Ballard, Jr. sobre o erro e sua incorporação à natureza humana, o que não exclui ele próprio e o restante da liderança da Igreja. Talvez tivesse sido oportuno acrescentar que o erro não é apenas humano, mas também divino: ao criar o homem, Elohim disse ter se arrependido disso, confessando, portanto, um erro na sua própria esfera de glória.

    • A Igreja considera uma má tradução e protestantes que o “arrependeu-se” é entristeceu-se pelos erros do homem naquela situação.

      • acho que apenas a igreja lê esse versículo dessa forma. Por que Deus não pode arrepender-se de ter feito o homem ou colocado saul no poder?

      • José

        isso admitiria contradição bíblica já que Ele não é “homem para que minta e nem se arrependa”.-Números 23:19

        Obviamente o versículo esta´dizendo que não é humano mas, evangélicos ensinam que quer dizer que não ter forma física de homem. A Bíblia é complexa demais…

    • O Estado laico é quando o país não é regido por leis religiosas e que NENHUMA religião seja privilegiada. Obviamente isso no Brasil durante muitos anos nunca existiu e hoje há uma falsa aparência que existe. A ICAR mandou e desmandou nos tempos da escravidão e temos a experiência que religião e política não se misturam.

      Há dois versículos de D&C que a Igreja não vem obedecendo a um bom tempo.

      “Cremos que a religião foi instituída por Deus; e que os homens são responsáveis perante ele e somente ele, por seu exercício, a menos que suas opiniões religiosas os levem a infringir os direitos e a liberdade de outrem; não cremos, porém, que as leis humanas tenham o direito de interferir na prescrição de regras de adoração para oprimir a consciência dos homens nem de ditar formas de devoção pública ou particular; cremos que o magistrado civil deve reprimir o crime, mas jamais controlar consciências; deve castigar delitos, mas nunca suprimir a liberdade da alma.(…)

      Não cremos ser justo misturar influência religiosa com governo civil, o que faz com que uma sociedade religiosa seja favorecida e outra, restrita em seus privilégios espirituais; e os direitos individuais de seus membros, como cidadãos, sejam negados.

      Cremos que todas as sociedades religiosas têm o direito de lidar com seus membros, em caso de conduta inadequada, de acordo com as regras e os regulamentos dessas sociedades; desde que tal ação se limite à participação e posição da pessoa na sociedade a que pertença; mas não cremos ter qualquer sociedade religiosa autoridade para julgar os homens quanto a seu direito a propriedade ou à vida; para confiscar-lhes os bens deste mundo, ou para pô-los em perigo de vida ou de danos físicos ou para infligir-lhes qualquer castigo físico. Podem, apenas, excomungá-los de sua sociedade e negar-lhes participação”.-Doutrina & Convênios 134:04, 09-10

      Não falei em nenhum momento que o casamento gay é bom. Citei que ele deu uma indireta que pode ser ou o fato do apoio correto do qual a maioria dos cristãos não entendem sobre o Estado laico ou membros aceitarem o casamento homossexual sem aquele fundamentalismo tradicional de Fielding Smith, Kimball, Packer e CIA Ltda…

      Também não afirmei caso pense que tem que ter casamento homossexual dentro da Igreja. Apenas que as coisas devem ser entendidas e não ficar dando opiniões, fundamentadas apenas em preconceitos.

      Holland deu a entender que um jovem foi curado de sua atração pelo mesmo sexo. Isso não existe nem a ciência ou psicologia conseguiram provar que existe ex-gay. O que existe de fato, é a pessoa não ceder as tentações e buscarem se manter fiéis ao evangelho. No Princípios do Evangelho pág. 236-237 há uma explicação sobre a posição da Igreja.

      • Júlio César Costa,
        Não entendi desta forma o discurso do Élder Holland. Pois ele disse que o rapaz (na missão) passava por dificuldades com atrações homossexuais, mas se mantinha digno. Porém toda esta situação trouxe-lhe muita dor, sofrimento, angústia e muita mágoa. Posteriormente buscou ajuda e foi curado destes sentimentos, não do homossexualismo. Bom, assim compreendi.

      • Vou assistir novamente mas, tanto eu como a maioria que conversei percebeu que foi nesse sentido.

      • É interessante notar que um estado deve ser laico, mas não laicizante… A igreja Católica tem sua influência devido à colonização portuguesa, isso torna o Brasil um país cristão. Relembro que um dos pontos de doutrina sobre o Milênio é justamente o governo do Mestre, o que se torna uma Teocracia, implodindo a teoria do estado “laico”… Coisa que progressistas insistem em exigir da Cristandade, mas enfiam o rabo entre as pernas e até apoiam quando se trata da teocracia islâmica. Quanto ao casamento gay, não é ser contra, mas respeitar o direito civil que os gays possam ter, mas não querer que religiosos ou a Igreja aceitem como normal algo que é declarado no Antigo Testamento como pecado, como ativistas querem que seja, por força de lei, que isso não seja mais visto como pecado, afinal de contas, todos são livres para amar… E preconceitos são armas de defesa, todos tem, até aqueles que são liberais com o pensamento dos outros, mas que não aceitam idéias contrárias às suas, inclusive ativistas homossexuais e apologistas do sacerdócio feminino, tão comuns aqui…

      • Você está grosseiramente errado, Leandro.

        Estado laico significa que o Estado é laico. O país é laico. Ele não é Católico. Ele não é Cristão. Ele é laico.

        O Brasil foi colonizado por portugueses. Isso o torna um país português?

        O Brasil foi colonizado por brancos. Isso o torna um país branco?

        O Brasil foi colonizado pela Igreja Católica. Afinal, essa era a religião oficial do Estado. Isso o torna um país católico?

        Não. O Brasil já foi um país português, branco, e católico. Hoje é um país independente e laico, onde todas as raças e todas as religiões (ou falta de religião) são tratadas iguais. O Estado, que é o símbolo e a cerne ou o núcleo do país, é neutro para questões de raça, religião, gênero, idade e orientação sexual. Laico.

        Absolutamente ninguém inteligente ou coerente defende teocracias islâmicas. Certamente ninguém aqui da ABEM.

        Absolutamente ninguém inteligente ou coerente defende forçar as igrejas a deixarem de ser homofóbicas. Certamente ninguém aqui da ABEM. O que se defende é que as igrejas aprendam que homofobia é antiética e imoral. Da mesma maneira que a Igreja SUD precisou aprender, após décadas de pressão da sociedade, que racismo contra negros é antiético e imoral.

        Nenhuma pessoa inteligente ou coerente define questões de comportamento moral e ético literalmente baseando-se no que “é declarado no Antigo Testamento” ou mesmo no Novo Testamento. Afinal, fosse assim, deveríamos aceitar essas declarações bíblicas de conduta pessoal:

        * Esposas devem ser inteiramente submissas e subservientes a seus maridos;

        * Mulheres podem ser escravizadas, forçadas a se casar com seus raptores, e coagidas a ter relações sexuais com seus raptores/maridos;

        * Uma mulher solteira vítima de estupro é obrigada a casar-se com seu estuprador;

        * Mulheres são consideradas como propriedade de seus maridos;

        * Homens podem se divorciar de suas mulheres por quaisquer motivos, mas elas nunca podem se divorciar deles;

        * Uma mulher divorciada é impura como uma prostituta e não pode se casar novamente com um portador do Sacerdócio;

        * Homens em casamentos inter-raciais ou internacionais agradam a Deus quando abandonam suas mulheres e suas crianças;

        * Mulheres não devem falar em público;

        * Mulheres não podem chefiar ou liderar homens em quaisquer capacidades, no lar ou fora do lar;

        * Mulheres devem ser completamente submissas e obedientes a seus maridos, mesmo aos que sequer são bons Cristãos.

        * Discípulos fieis devem abandonar (e até trair) seus familiares, seus pais idosos, seus filhos pequenos, seus cônjuges, seus irmãos e irmãs, em nome da fé.

        Todas essas declarações bíblicas são profundamente imorais, e a maioria dos Cristãos, assim como a maioria dos Mórmons, repudiaria qualquer uma delas como guia para conduta pessoal ou como regras para a sociedade moderna.

        É verdade que todas as pessoas sofrem com preconceitos, mas as pessoas que buscam ser inteligentes, éticas, morais, e coerentes reconhecem essa propensão humana e constante e conscientemente esforçam-se para sobrepujá-los, ao invés de abraçá-los e orgulhar-se deles.

        Não há nenhum ativista homossexual aqui na ABEM. Ninguém aqui quer converter heterossexuais em homossexuais. Contudo, defender a noção que homossexuais detém os mesmos direitos civis que heterossexuais nada mais é que uma postura a favor da ética.

        É verdade que há vários “apologistas do sacerdócio feminino” aqui na ABEM, embora eu não diria que todos sejam, mas novamente, defender a noção que mulheres devem ser tratadas e consideradas em pé de igualdade com homens é nada mais que uma postura a favor da ética.

        Em conclusão, não há uma única ideia correta, inteligente, coerente, ou ética no seu comentário acima. Não leve isso como uma crítica pessoal. Eu não lhe conheço e não lhe julgo. Mas, sim, é uma crítica e um julgamento ao esse seu raciocínio e a esses seus ideais. Se você quiser justificar seus preconceitos, sua homofobia, etc., eu sugiro que ao menos se esforce para apresentar argumentos mais coerentes, mais lógicos e mais inteligentes.

    • Leandro

      A maioria da população brasileira nem tem ideia do que seja Estado laico. Não sou ativista gay, mas não me incomoda nenhum pouco cada um vive como quiser e não quero colocá-los em um sharia.

      Também se não gosta do ativismo do sacerdócio feminino, saiba que autoridade elas já tem, o que falta é a ordenança confirmando isso e aliás, já existiu sacerdotisas nos tempos de Joseph.

      Um dia ainda a Igreja irá voltar atrás e conceder essa bênção as irmãs…

  3. Caros irmãos, não apenas Elohim confessou ter errado ao arrepender-se de ter criado o homem, como o chefe da Cristandade, Jesus Cristo, o acusou de tê-lo abandonado em meio à crucificação, incorrendo também em erro pois o sacrifício expiatório era necessário para a remissão dos pecados da humanidade. Errar, pois, não é apenas humano, como também divino, e podemos confirmar isso através da teologia mórmon, de progresso eterno: o homem é como Deus já foi, e o homem poderá ser como Deus é. Ora, ninguém que seja absolutamente perfeito pode progredir, resultando daí uma possível e interessante conclusão, a de que se a perfeição existe, ela é relativa ao grau de glória de que se desfruta. Portanto, Elohim seria perfeito para Jesus Cristo e para nós, mas não dentro de seu próprio estágio de evolução, onde continuaria a progredir e sobre o qual não ouso especular; Jesus Cristo seria perfeito para nós, mas não em sua própria esfera, onde também continuaria a progredir; e nós, ao nos esforçamos para sermos bons pais, perfeitos para a nossa prole. Se continuarmos o raciocínio poderemos dizer que haveria uma escala de perfeição entre outros seres vivos, começando com os unicelulares e chegando aos mamíferos. Por exemplo, por que será que sofremos tanto tanto com a morte de nosso cachorro, mas não damos a mínima para o holocausto diário de bilhões de bactérias quando fervemos uma panela com água no fogão de nossa casa? Tenho a impressão de que Elohim, ao ter nos dado a oportunidade de vir a este planeta, ganhar corpos e ser pais, está nos dando a oportunidade de progredir e ganhar um estágio de perfeição que nos será útil no futuro, quando precisaremos povoar outros mundos, fazendo, assim, com que a associação conjugal de um homem com apenas uma mulher não seja suficiente para a tarefa, daí resultando a necessidade da poligamia. Semelhantemente, quando for o momento de glorificar este planeta, tornando-o semelhante a Kolob, teremos que mexer no DNA de alguns animais superiores, conferindo a eles princípios de inteligência, bem como retirar de outros certas características nocivas e que serão inaplicáveis para o futuro, como transformar leões carnívoros em herbívoros, tornando possível que convivam com os carneiros. E então seremos como deuses! Digo essas coisas sem pretender influenciar ninguém, na forma de uma mera reflexão teológica crítica, com base em doutrina conhecida e cabível, acho, num blog como este. Mas, estou certo de que seriam pensamentos impossíveis de serem formulados em um ambiente tão burocrático como o que conhecemos em nossos ramos e alas, onde terá sido suficiente aplaudir o discurso de Melvin Russell Ballard, Jr., nesta Conferência Geral, em que ele admitiu errar.

  4. Ontem pela minha casa a vi a reunião do sacerdocio. Mesmo sendo mulher quis compreender um pouco mais sobre essa reunião.
    Me indignei com o primeiro discursante élder neil l. andersen, falando sobre a obediência cega, e claro deu exemplo de um Brasileiro que largou tudo pagou a missão e ainda ajudava seus irmão.
    É complicado pegar exemplos assim para falar a Jovens que sustentam suas casas e recebem menos que um salario minimo.
    Sei que fé e crença não se discutem, porém esse discurso foi muito manipulador e será usado por todos os lideres para fazer um jovem pagar sua missão sem contar sua condição social, largando Pais Irmãos que muitas vezes são sustentando por eles.

    • Priscila, isso é o que sempre me preocupou quando era da igreja, esses jovens não tem maturidade,são dependentes da família em todos os aspectos e a igreja só obriga (disfarçadamente), a tantos sacrifícios desnecessários, prometendo bençãos que nunca vem…………

  5. Profeta, vidente e revelador chama os que duvidam de “cínicos” na Sessão do Sacerdócio.

    Élder Dieter F. Uchtdorf disse em seu discurso na sessão do sacerdócio que os que não acreditam na igreja ou no profeta Joseph são “cínicos”. Ele disse que “qualquer um pode ser cínico, ser cínico é muito fácil” e falou ainda que “para acreditar na igreja tem que ter fé e ser corajoso.” Aí ele incentivou os membros a não serem cínicos e sim terem fé e serem corajosos. Ele usou a escritura que não tem nada a ver com a questão, “não temas crê somente” em Mateus 5, um homem vem pedir a Cristo que cure sua filha que está doente, enquanto eles caminhavam para a casa do homem, chega um mensageiro e diz que não adianta mais pois a menina já morreu, nesta parte Cristo diz ao homem “Não temas crê somente”. Agora o que isto tem a a ver com Joseph ter tido 40 esposas (11 já casadas), com a mentira da tradução dos papiros do livro de Abraão? ou com a tradução do livro de mórmon com a cabeça enfiada num chapéu? ou do assassinato de crianças, mulheres e homens no monte Meadows? Realmente só tendo muita coragem e fé cega pra acreditar nisto. Outra pergunta e como saber que o cínico não é o Élder Uchtdorf?

    • Estou aqui tentando entender em que outro sentido a palavra cínico pode ter sido aplicada…Mas a escola socrática de pensamento chamada “cinismo”, na Grécia antiga, nada tem a ver com o contexto apresentado. Então, o sentido foi este mesmo? Fiquei curiosa. Vou procurar o discurso pra tentar entender.

      • Concordo, Moroni, que “cínico” foi uma má escolha para a tradução.

        Em português, segundo o Dicionário Aulete, significa:

        “1. Indivíduo que por convicção, por interesse ou como provocação desafia as convenções sociais, a moralidade, as normas de conduta

        2. P.ext. Pessoa desavergonhada, impudente; que não tem princípios ou pratica atos imorais

        3. Indivíduo que desdenha dos escrúpulos alheios, que se mostra atrevido ou descarado ao seguir seus impulsos ou interesses

        5. Que revela cinismo (2); próprio de um cínico (acps.1 a 3) (sorriso cínico)

        6. Que não tem ou não age com pudor, decência; que pratica atos imorais

        7. Que despreza ou desafia as convenções morais e sociais; que afronta ou choca os escrúpulos alheios”

        Já em inglês, segundo o Merriam-Webster, “cynic” significa “alguém que tem opiniões negativas sobre outros e o que eles fazem; especialmente, alguém que acredita que as pessoas são egoístas e estão apenas interessadas em seu próprio benefício”.

    • Seja como for, o discurso dele foi muito manipulativo. Dando a entender que duvidamos de Deus, quando na verdade duvidamos das historias esfarrapadas de joseph. Temos fé em Deus e em Jesus. Agora estas coisas que um anjo veio três vezes e da terceira vez com uma espada dizendo que joseph devia ser polígamo é conversa fiada, o cara se achava o ban ban ban, tudo que queira fazer era só dizer que recebeu uma revelação e mandar ver.

      • Carlos, tbm concordo com seu pensamento, o povo questiona as doutrinas e a liderança sud acha ruim, e até eles vem concordando e aceitando que tudo era mentira.

      • quando nós achávamos que a igreja era verdeira dávamos nosso testemunho em publico inclusive eramos incentivados a fazer isto, e pela doutrina induzidos a fazer se não estaríamos pecando… Nos usaram até onde puderam para fazer propaganda pra igreja e conseguir adeptos, depois quando descobrimos os erros da doutrina e nao concordamos mais com ela denigrem nossa imagem e nos reprovam por dizer em publico o que descobrimos…quando falamos contrario a doutrina… para as pessoas que nos perguntam porque saimos da igreja, aí eles vão lá e dizem pro lider olha fulano tá falando mal da igreja, aí o lider vai e diz pros membros que se afastem dele, que ele é pecador e apóstata. ou seja o cara vem te perguntar, pra não mentir você é honesto e diz o porquê e aí eles ainda usam isto contra você.

    • Cínicos? engraçado como a religião é, você passa 5, 10, 20… anos sendo feito de otário, dando seu dinheiro, seu tempo e talentos para a igreja. Ai um dia você descobre a verdade ai fala o que descobriu e é chamado de cínico.

      • Esse é um dos maiores problemas dos sud, logo se acham no direito de julgar qualquer um que tenha opinião oposta a deles. viva a ignorância!

  6. Como não assisti ao vivo aos discursos da conferência, estava assistindo agora alguns, dentre eles o discurso do Pres. Utchdorf na sessão do sacerdócio, e que belo discurso, discurso que se aplica a vários que frequentam este site a quem ele chamou de cínicos.
    Confesso que fiquei ainda mais surpreso por ver que ele usou alguns argumentos que utilizei anteriormente numa conversa que estou tendo com Marcello Jun, no post “novo apóstolo brasileiro” mas que ele ainda não liberou meu comentário no site (deve estar fazendo a tréplica).
    Fico feliz por saber que meu pensamento vai ao encontro do pensamento do Pres. Utchdorf.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s