Três Novos Apóstolos

Três novos Apóstolos Mórmons foram chamados e anunciados formalmente hoje pela Primeira Presidência da Igreja SUD.

Três Novos Apóstolos: Ronald A. Rasband, Gary E. Stevenson, Dale G. Renlund (esq. para dir.)

Novos Apóstolos: Ronald A. Rasband, Gary E. Stevenson, Dale G. Renlund (esq. para dir.)

O anúncio foi realizado nesse fim de semana durante a 185a Conferência Geral Semi-Anual d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

O novos Apóstolos são:

Rasband vem de longa carreira eclesiástica. Bispo, Presidente de Missão, Primeiro Quórum de Setenta, Presidência dos Setenta, até Presidente Sênior dos Setenta.

Profissionalmente, formou-se em Administração de Empresas e subiu a carreira corporativa nas empresas da família Huntsman, aposentando-se em 1996 para trabalhar para a Igreja.

Stevenson também vem de longa carreira eclesiástica. Bispo, Presidência de Estaca, Presidente de Missão, Primeiro Quórum dos Setenta, até Bispo Presidente.

Profissionalmente, Stevenson formou-se de Administração de Empresas e era dono de uma micro-empresa de equipamentos de academia (fitness, ou exercícios, ou malhação).

Renlund também vem de longa carreira eclesiástica. Bispo, Presidente de Estaca, Setenta Autoridade de Área, até Primeiro Quórum dos Setenta.

Profissionalmente, Renlund formou-se em medicina e lecionava na Universidade de Utah, gerenciando seu centro de transplante cardíaco, de onde se aposentou em 2009 para trabalhar para a Igreja.


Leia mais sobre o contexto das vagas que esses três homens estão ocupando hoje, inclusive quando fora a última vez na história quando três novos Apóstolos foram chamados ao mesmo tempo.

Leia mais sobre o nosso artigo de ontem torcendo por um Apóstolo brasileiro.

Leia mais resumos e impressões de sessões da 185a Conferência Geral Semi-anual aqui.

27 comentários sobre “Três Novos Apóstolos

    • Se você ainda estava com esperança de ter um apóstolo que não fosse branco, proveniente de família influente e americano; só te digo isso:
      “Sabe de nada, inocente !!” 😀

  1. Bem, as coisas na igreja não surpreendem mais. Tudo sempre será definido com indicação do espírito. Que Deus escolhe os homens para ocuparem os cargos, mas o que vemos é a “panelinha” dos americanos para não serem ameaçados, no futuro, com um presidente da igreja não-americano ou nao-branco.

  2. por qual motivo o Senhor não escolheria um homem para representa-lo levando em consideração sua cor? Tenho certeza que na sua infinita sabedoria Ele jamais faria tal distinção entre seus filhos, todos que estão lá são homens dignos e honrados e cada um, independente de cor tem sua primordial importância no avanço do evangelho e nossa preocupação não deve ser essa, mas sim devemos nos preocupar com pessoas que perdem seu tempo com comentários
    maldosos e nem um pouco edificante sobre as escolhas inspiradas de nossos lideres…isso sim merece atenção.

      • Marcello, você cita trechos onde, a seu ver, a Igreja faz discriminação racial, mas esquece de citar os trechos onde claramente os profetas ensinam que são todos iguais perante Deus, independente de cor, raça, credo… muito parcial seu comentário.
        A Igreja não é racista. Converse com o Helvecio Martins e com outros homens que viveram naquela época que ficará bem claro que não existiu racism.

    • Mari,
      Nunca disse que Deus escolhe pela cor.
      Disse que os lideres da igreja sim.
      Não me diga que vc não acha estranho não ter negros no quorum dos setenta.
      Ou pior nunca vi um negro discursar em uma conferência.
      Ou na década de 70 ter sido disponibilizado o sacerdócio para negros.
      Fatos mostram que sim a distinção na igreja e um fator é a cor da pele.

      • Ainda em tempo temos apenas 1 negro no Quorum dos setenta O Elder Edward Dube

        E isso ocorreu após muitos anos

      • Nunca viu um negro no QUorum dos 70 ? E nem discursar ? Pega a Conferencia passada, teve discurso do Elder Sitati…ele é negro. Alem do Dude que vc citou tambem teve o Helvecio Martins…

      • Realmente marcelo esqueci Helvecio Martins, me desculpo por isso. Como disse nunca vi quer dizer eu não vi, não que não tenha acontecido recentemente na igreja. Outro ponto que seria enfatizar e a raridade dos casos, são poucos lideres e dificilmente são chamados para cargos de destaque.

  3. Boa noite irmãos.
    Fiz um rápido levantamento. Dos 15 homens que ocupam os maiores cargos da igreja, onze nasceram em Utah, um nasceu na califórnia, outro em Nova York e outro em Nova Jersey. Apenas um não é americano, Dieter F. Uchtdorf que nasceu na antiga Tchecoslováquia. Pelo visto o espírito santo está olhando apenas para aquela região quando vai chamar um novo profeta, apóstolo, vidente. Por sermos uma igreja mundial, tenho certeza que existem muitos membros da igreja que tem tanta capacidade quando os atuais, para ocupar um chamado desse.

    • Sim !! O espírito Santo só está olhando aquela região ( ͡° ͜ʖ ͡°)
      Como diria o Fael: “Sabe de Nada, Inocente !!”

  4. Sei sim. O interessante é que se vc levanta uma questão dessa na Escola Dominical ou na reunião do quórum, aparece alguém e cita Mosias 3:19:” Porque o homem natural é inimigo de Deus e tem-no sido desde a queda de Adão e sê-lo-á para sempre…”. Na verdade é algo que não se pode discutir ou falar dentro das paredes da igreja. Não somos tão inocentes, apenas percebemos, abrimos os olhos e tiramos nossas conclusões.

  5. Se olharmos pelo lado espiritual, o Senhor chama seus apóstolos já pré-ordenados. Mas, um olhar mais pragmático, vemos que somente o serviço na igreja não é suficiente. Cláudio Costa é mais antigo como Autoridade Geral do que os novos apóstolos. Renlund nunca Presidiu uma Área.

    O Cláudio Costa serviu como conselheiro de bispo, sumo conselheiro de estaca, conselheiro de presidente de estaca, presidente de missão e representante regional, Presidência dos Setenta, Presidente da Área América do Sul Norte, presidente da Área Brasil Norte e como conselheiro nas áreas Brasil e América do Sul Sul.Primeiro . Quórum dos Setenta em 31 de março de 2001. Serviu no Segundo Quórum dos Setenta, de abril de 1994 a março de 2001.

    Ronald A. Rasband,Rasband foi nomeado membro do Primeiro Quórum dos Setenta de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em 1º de abril de 2000. Ele serviu como conselheiro na Presidência da Área Europa Central, presidente da Área Utah Salt Lake City e diretor executivo do Departamento de Templos, tendo supervisionado as Áreas América do Norte Oeste, Noroeste e três áreas de Utah como um membro da Presidência dos Setenta,missionário de tempo integral na Missão dos Estados do Leste (1970-1972), guia missionário da Praça do Templo, bispo e membro do Comitê do Sesquicentenário da Igreja. Ele presidiu a Missão Nova York Nova York Norte de 1996 a 1999.

    Gary E. Stevenson, missionário no Japão, conselheiro na presidência da estaca, bispo, e presidente da Missão Japão Nagoya (2004–2007). Foi chamado para o Primeiro Quórum dos Setenta em 2008 e serviu como conselheiro e presidente na Área Ásia Norte.

    Dale G. Renlund, Primeiro Quorum dos Setenta desde abril de 2009 Conselheiro da Africa Southeast Area e membro do Quinto Quorum dos Setenta em Utah Salt Lake City Area.

    • Marco Aurélio não entendi muito bem sua colocação, mas apenas me referi às escolhas serem somente de membro nascidos em UTAH. Repito minha pergunta, será que não temos outros homens tão capazes pelo mundo quanto os líderes Americanos e principalmente de UTAH?

  6. Nesse seleto grupo maçônico continua a prevalecer as duas principais regras, ser branco e a segunda ser americano. E assim caminha representado as raças de uma igreja internacional.

  7. Eu estou pensando aqui. No tempo de Jesus Cristo, será que havia alguns dos apóstolos negros também, qual era a cor do apostolo Pedro, e a cor do cabelo?, cabelo duro ou liso? Foram presidentes de área, presidente dos bispos, estudiosos, homens de letras? Nao sei quais eram as aparências deles, so sei que não tinham estudos como os reis e os governadores e arquitetos e filósofos da época. Mas uma coisa eu sei, segundo a historia, tinham bastante Fe em Deus, tinham entrega total pelo reino de Deus, Jesus conhecia cada um deles, e os escolheu nao por causa da cor ou pelos que tem ou que nao tem. Os escolheu por causa das humildades de cada um deles, erraram varias vezes antes e apos de serem escolhidos, mas também acredito que sabiam reconhecer após errar seus pecados. Concluindo, onde então Deus olha o homem? Na aparência ou no que tem, ou no que é?

  8. Não sei se a cor da pele poderia ser um fator distintivo na escolha de apóstolos. Afinal, quando o Sacerdócio foi aberto aos negros, durante a administração do presidente Kimball, na década de 70, lembro-me que a justificativa oferecida por uma autoridade geral cujo nome não me recordo e que nos visitou no Rio de Janeiro foi que, com o enorme crescimento da Igreja entre nós, brasileiros, conhecidos por sermos um amálgama interracial, ficaria difícil distinguir quem poderia ou não receber o Sacerdócio (sic!). De fato, devido à mestiçagem, muito poucos entre nós aqui em Pindorama poderiam atestar com razoável grau de certeza não terem, inobstante a cor branca, pelo menos algumas gotas de sangue de Caim nas veias. Se formos mais fundo na questão talvez seja difícil definir padrões mais rigorosos de pureza racial até mesmo para os povos anglo-saxões (de onde descendem os ingleses, colonizadores dos Estados Unidos), sendo estes de origem germânica, para onde, por sua vez, confluíram povos diferentes em sua origem mais remota. Definitivamente, este é um assunto que incorpora capacidade de nos remover da centralidade objetiva e de nos conduzir a uma apreciação ideológica, e portanto subjetiva dos fatos. Daí porque, prefiro analisar outros fatores que podem ter concorrido para a escolha dos novos três apóstolos. O principal deles, acho, pode ser a nacionalidade: a Igreja Mórmon é uma igreja estadunidense, com sede nos Estados Unidos, que recolhe dízimos em todo o mundo e os remete para lá, e que tem compromisso com a manutenção do poder estadunidense no planeta. E que na minha opinião, mantida sua estrutura de poder atual, jamais cederá seus principais postos a alguém nascido e criado em outra cultura. Vejam, por exemplo, que nesta última conferência, pela primeira vez alguns discursos foram feitos em outras línguas que não o inglês. No entanto, o presidente Utchdorf, que é nascido e criado na Alemanha, falou em inglês, não em alemão. E por quê? Acredito que pelo fato dele ser um membro da Primeira Presidência. Ou seja, quanto mais elevada a posição eclesiástica, mais deve ser a identificação com os valores e fundamentos não exatamente da Igreja, mas da sociedade estadunidense. Simplesmente, com o fim da Segunda Guerra Mundial os Estados Unidos da América constituíram duas grandes colônias destinadas a consolidar sua influência face à avassaladora expansão da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas no mundo. Uma dessas colônias foi a Alemanha Ocidental e a outra foi o Japão, países onde a cultura se dilui face à maneira estadunidense de viver e as línguas originais o fazem em relação ao idioma inglês. Por isso, acho que não agora, mas no futuro, talvez possamos ver um brasileiro ou mexicano no Quórum dos Doze, mas duvido bastante que um brasileiro ou mexicano possa ser chamado como membro da Primeira Presidência, como foi Utchdorf. Talvez seja mais sensato esperarmos um japonês ao lado dele….

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s