AO VIVO: 186a Conferência Geral (Sessão de Sacerdócio)

Com este artigo, durante a sessão de conferência, vocês podem fazer comentários enquanto ouvem os discursos ou acompanham os resumos digitados aqui. Clique em “recarregar” no seu navegador para ler as atualizações sobre os discursos em tempo real.

conferencia

Ouviu algo que você acha merecer maior ênfase? Comente! Acha que algo dito vai provocar reações negativas? Comente! Será que o discurso não é relevante para a vida no Brasil? Comente! Não gosta do cor da gravata do orador? Comente! Concorda muito com algo? Comente! Discorda de algo? Comente!

[Traduções rápidas — não serão iguais ao que se publica na Liahona!]

Discursante: Russell M. Nelson, Apóstolo “O Preço pelo Poder do Sacerdócio

“Portar significa suportar o peso daquilo que é portado. É uma responsabilidade sagrada portar o sacerdócio, que é o grande poder e autoridade de Deus. Pense nisso: O sacerdócio conferido a nós é o mesmo poder e autoridade através do qual Deus criou este e os mundos inumeráveis, governa os céus e a terra, e exalta Seus filhos obedientes.

Irmãos, de igual modo, temo que há muitos homens que receberam a autoridade do sacerdócio, mas que não têm o poder do sacerdócio, porque o fluxo de energia foi bloqueado por pecados tais como preguiça, desonestidade, orgulho, imoralidade, ou preocupação com as coisas do mundo.

Temo que há muitos portadores do sacerdócio que têm feito pouco ou nada para desenvolver a sua capacidade de acessar os poderes do céu. Preocupo-me com todos os que são impuros em seus pensamentos, sentimentos ou ações ou que rebaixam suas esposas ou crianças, cortando assim o poder do sacerdócio.

Temo que muitos têm, infelizmente, entregado a sua agência para o adversário e estão dizendo por sua conduta, ‘eu me importo mais sobre satisfazer meus desejos do que portar o poder do Salvador para abençoar os outros’.

Qual é o preço para desenvolver tal poder? O Apóstolo sênior do Salvador, Pedro – O mesmo Pedro que com Tiago e João conferiram o Sacerdócio de Melquisedeque a Joseph Smith e Oliver Cowdery – declararam quais qualidades devemos procurar para ‘ser participantes da natureza divina’.

Ele nomeou fé, virtude, conhecimento, temperança, paciência, piedade, bondade fraternal, caridade e diligência. E não se esqueça humildade! Então eu pergunto, como é que os nossos familiares, amigos e colegas de trabalho dizem que você e eu estamos no desenvolvimento destes e de outros dons espirituais? Quanto mais esses atributos são desenvolvidos, maior será o nosso poder do sacerdócio.”

Discursante: Stephen W. Owen, Presidente Geral dos Rapazes “Os Melhores Líderes São Os Melhores Seguidores”

“O mundo ensina que os líderes devem ser poderosos; o Senhor ensina que eles devem ser mansos. Líderes do mundo ganham poder e influência através de seu talento, habilidade e riqueza. Líderes em Cristo ganham poder e influência ‘com persuasão, com longanimidade, com brandura e mansidão e com amor não fingido’. Aos olhos de Deus, os maiores líderes sempre foram os maiores seguidores.

Jovens rapazes, é assim que o Senhor lhes vê. Convido-lhes a ver-se desta forma. Haverá momentos em sua vida quando você será chamado para liderar. Em outros momentos, você será pedido para seguir. Mas a minha mensagem para vocês hoje é que, independentemente da sua vocação, você será sempre um líder, e você será sempre um seguidor. A liderança é uma expressão do discipulado – É simplesmente uma questão de ajudar os outros a virem a Cristo, que é o que verdadeiros discípulos fazem. Se você está se esforçando para ser um seguidor de Cristo, então você pode ajudar os outros a segui-lo, e você pode ser um líder.”

Discursante: Dieter F. Uchtdorf, Cons. Prim. Presidência “Honrando os que Salvam”

“Mas fortes relações matrimoniais e familiares não acontecem só porque somos membros da Igreja. Elas exigem um trabalho constante e intencional. A doutrina da família eterna deve inspirar-nos a dedicar os nossos melhores esforços para salvar e enriquecer nossos casamentos e famílias. Admiro e aplaudo aqueles que têm preservado e alimentado essas relações críticas, eternas.

De alguma forma, enquanto os dias se multiplicam e a cor do amor romântico muda, há alguns que lentamente param de pensar na felicidade do outro e começam a perceber as pequenas falhas. Em tal ambiente, alguns são atraídos pela trágica conclusão de que seu cônjuge não é suficientemente inteligente, divertida o suficiente, ou jovem o suficiente. E de alguma forma eles têm a idéia de que isso dá-lhes a justificação para começar a procurar outro lugar.

Irmãos, se isso chega perto a descrever-lhes em qualquer maneira, eu aviso-os que vocês estão em uma estrada que leva a casamentos desfeitos, lares desfeitos, e corações partidos. Rogo-lhes para parar agora, virar-se e voltar ao caminho seguro da integridade e fidelidade aos convênios. E, claro, os mesmos princípios se aplicam para as nossas queridas irmãs.

Agora, basta uma palavra para aqueles de nossos irmãos solteiros que seguem o engano que eles primeiro tem que encontrar a “mulher perfeita” antes que eles possam entrar em namoro sério ou casamento.

Meus amados irmãos, eu posso lembrá-los, se houvesse uma mulher perfeita, vocês realmente acham que ela estaria tão interessada em vocês?

No plano de felicidade de Deus, não estamos muito à procura de alguém perfeito, mas de uma pessoa com a qual, ao longo de uma vida, podemos unir esforços para criar um relacionamento amoroso, duradouro e mais perfeito. Esse é o objetivo.

Irmãos, aqueles que salvam seus casamentos entendem que esta busca leva tempo, paciência e acima de tudo, as bênçãos da Expiação de Jesus Cristo. Ela exige que você seja gentil, não invejoso, não buscando a sua própria vontade, não se irritando, não pensando no mal, e nos gloriando na verdade. Em outras palavras, requer caridade, o puro amor de Cristo.

Tudo isso não vai acontecer em um instante. Grandes casamentos são construídos tijolo por tijolo, dia após dia, durante toda a vida.

E isso é uma boa notícia.

Porque não importa o quão simples seu relacionamento possa estar no presente, se você continuar a adicionar pedrinhas de bondade, compaixão, escuta, sacrifício, compreensão, e altruísmo, eventualmente, uma pirâmide poderosa vai começar a crescer.

Se parece demorar uma eternidade, lembre-se: Casamentos felizes são feitos para durar para sempre! Assim, ‘não vos canseis de fazer o bem, porque estais lançando o alicerce de uma grande [casamento]. E de pequenas coisas provém aquilo que é grande’.

O grande inimigo da caridade é o orgulho. O orgulho é um dos principais motivos porque casamentos e famílias sofrem. O orgulho é o pavio curto, cruel, e invejoso. Orgulho exagera sua própria força e ignora as virtudes dos outros. O orgulho é egoísta e se irrita facilmente. Orgulho assume má intenção, onde não há e esconde suas próprias fraquezas atrás de falsos pretextos. O orgulho é cínico, pessimista, irritado e impaciente. Na verdade, se a caridade é o puro amor de Cristo, então o orgulho é a característica definidora de Satanás.

O orgulho pode ser uma falha humana comum. Mas não é parte de nossa herança espiritual, e não tem lugar entre os portadores do sacerdócio de Deus.

A vida é curta, irmãos. Lamentações podem durar um longo tempo, alguns terão repercussões que ecoam por toda a eternidade.
A maneira como você trata sua esposa ou filhos ou pais ou irmãos pode influenciar as gerações vindouras. Que legado você quer deixar a sua posteridade?”

Discursante: Henry B. Eyring, Cons. Prim. Presidência “Famílias Eternas”

“Minha mensagem hoje é uma tentativa para descrever o futuro e o que devemos fazer para ser uma parte do plano de felicidade que nosso Pai Celestial tem preparado para nós. Antes de nascermos, vivíamos em uma família com nosso exaltado e eterno Pai Celestial. Ele ordenou um plano que nos permite avançar e progredir para se tornar como Ele. Ele fez isso por amor a nós. O objetivo do plano era permitir-nos o privilégio de viver para sempre como nosso Pai Celestial vive. Este plano do evangelho nos ofereceu uma vida de mortalidade na qual seríamos testados. A promessa foi dada que, por meio da Expiação de Jesus Cristo, se obedecessemos às leis e ordenanças do sacerdócio do evangelho, teríamos a vida eterna, o maior de todos os dons.

Todo esforço do sacerdócio e cada ordenança do sacerdócio se destina a ajudar os filhos do Pai Celestial serem alterados por meio da Expiação de Jesus Cristo para tornarem-se membros de unidades familiares aperfeiçoadas. Segue-se que ‘o grande trabalho de cada homem é crer no evangelho, guardar os mandamentos, e criar e aperfeiçoar uma unidade familiar eterna’, e para ajudar os outros façam o mesmo.

Sendo isso verdadeiro, tudo o que fazemos deve ter o casamento celestial como seu foco e propósito. Isso significa que devemos nos esforçar para ser selados a uma companheira eterna no templo de Deus. Devemos também encorajar outros a fazer e manter os convênios que unem marido e mulher juntos, com sua família, nesta vida e no mundo por vir.”

Discursante: Thomas S. Monson, Presidente da Igreja “Famílias Eternas”

“Durante a Segunda Guerra Mundial, um amigo meu estava servindo no Pacífico Sul, quando seu avião foi abatido sobre o oceano. Ele e os outros membros da tripulação pularam de pára-quedas com êxito do avião em chamas, inflando seus botes salva-vidas, e se apegando a essas balsas para três dias. No terceiro dia, eles viram o que eles sabiam ser uma embarcação de resgate. Ele passou por eles. Na manhã seguinte, ele passou por eles novamente. Eles começaram a se desesperar quando perceberam este foi o último dia em que o navio de resgate estaria na área. Em seguida, o Espírito Santo falou ao meu amigo: “Você tem o sacerdócio. Comande a equipe de resgate para buscá-lo.” Ele fez o pedido: “Em nome de Jesus Cristo e pelo poder do sacerdócio, volte e nos pegue.” Dentro de alguns minutos o navio estava ao lado deles, ajudando-os subir ao deck. Um portador fiel e digno do sacerdócio, na sua extremidade, havia exercido esse sacerdócio, abençoando sua vida e as vidas dos outros.”

“Que possamos determinar, aqui e agora, sempre estar preparados para o nosso tempo de necessidade, o nosso tempo de serviço, o nosso tempo de bênção. Enquanto agora concluimos esta reunião geral do sacerdócio, eu digo que vocês são “a geração eleita, o sacerdócio real.” Que possamos sempre ser dignos dessas homenagens divinas, eu oro em nome de Jesus Cristo, nosso Salvador.”

UPDATE: Assista a sessão na íntegra aqui:

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s