Conferência Geral Abre Expondo Medos da Liderança

A Conferência Geral semi-anual d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias abriu anteontem com a sessão para mulheres e Bonnie L. Oscarson, presidente geral da Organização das Moças, explicitamente expressou os medos da liderança geral da Igreja.

Bonnie Oscarson, Presidente Geral da Organização das Moças

Bonnie L. Oscarson, Presidente Geral da Organização das Moças

Oscarson demonstra a grande preocupação da liderança eclesiástica ao discorrer sobre a importância de se “vacinar [as] crianças contra as muitas influências negativas às quais estão sendo expostas online e na escola”.

Quais seriam essas “influências negativas”? Desonestidade? Corrupção? Consumerismo desenfreado? Ganância? Ódio? Inveja? Egoísmo? Ignorância? Promiscuidade sexual? Preconceito? Racismo? Desprezo por pobres?

Nada disso.

As grandes “influências negativas” sobre as crianças e os jovens da Igreja que tanto preocupam sua liderança eclesiástica seriam as vozes que pregam igualdade para mulheres e homossexuais.  Continuar lendo

Mulheres integrarão comitês gerais da Igreja SUD

Bonnie L. Oscarson, Rosemary M. Wixom e Linda K. Burton. (Foto: Jeffrey D. Allred/Deseret News)

Bonnie L. Oscarson, Rosemary M. Wixom e Linda K. Burton. (Foto: Jeffrey D. Allred/Deseret News)

Três mulheres farão parte de comitês formados pelas autoridades gerais d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. A decisão inédita tornará permanente a participação de presidentes das chamadas organizações auxiliares em comitês até então exclusivamente masculinos. A decisão foi anunciada no ultimo dia 18. Continuar lendo

Por que Rapazes Fazem Missão e Moças Fazem Bolo?

Texto de Larissa Arce Centurião

Sobre a separação de tarefas por gênero dentro da igreja

Foto: littlemisskaelin.tumblr.com.

Foto: littlemisskaelin.tumblr.com.

Comecei a prestar mais atenção em certos ensinamentos na igreja para compreender por que me prometiam a felicidade mas estavam, de um certo modo, se tornando um incômodo. De princípio até acreditei que meus questionamentos eram desnecessários e que a necessidade de mudança devia estar fora de cogitação. Afinal, quem é que nunca escutou a velha frase: ‘A Igreja é perfeita’? Continuar lendo

Permanecer em lugares santos: reflexões sobre a questão antropológica do “nós” e dos “outros” no contexto SUD.

Neste ano, o tema da mutual dos jovens para 2013 é “Permanecer em lugares santos”. De acordo com Monica Lunardelli (2012), “as presidências gerais dos rapazes e das moças esperam que o tema e os recursos a ele relacionados ajudem os jovens a focar no trabalho do templo, viver os padrões e seguir o exemplo de Cristo”.

Este tema faz referência à escritura Doutrinas & Convênios 87: 8. Esta passagem está no contexto de uma revelação dada a Joseph Smith no natal de 1832. Haveria um período de guerra e, desta forma, muitas calamidades surgiriam na Terra. Para que os santos[1] não sejam desvirtuados do caminho do Senhor, eles devem permanecer em lugares santos.

O atual presidente da Igreja, Thomas S. Monson, busca explicar esta questão em um discurso da Conferência Geral de outubro de 2011. De acordo com Monson, haveria uma analogia entre a diversificação da moral (e dos “bons costumes”) e a guerra citada na escritura acima. Diante de um discurso onde afirma que “sabemos que a moralidade não é coisa ultrapassada” porque “as leis de Deus permanecem constantes” (Monson: 2011), um discurso moralizante, nos é posto a ideia de que devemos “estar no mundo, mas não ser do mundo”, ou seja, que como santos dos últimos dias, nós devemos nos distinguir das demais pessoas por termos uma “moral mais elevada”. Continuar lendo

Menos idade = mais missionários?

Neste primeiro dia da 182a Conferência Geral de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o presidente Thomas S. Monson anunciou a nova idade mínima para os missionários de tempo integral: 18 anos para os homens e 19 para as mulheres (ao invés do padrão anterior de 19 e 21, respectivamente).

A nova idade mínima, no entanto, não será obrigatória para os homens, afirmou Monson: “não estou sugerindo que todos os rapazes irão – ou devem – servir nessa idade mais jovem”. Continuar lendo

Chieko Okazaki (1926-2011)

Chieko Okazaki faleceu na segunda-feira, aos 84 anos. Americana de origem japonesa, Chieko foi a primeira mulher não-caucasiana (não-branca) a servir tanto na presidência da Organização das Moças quanto na Sociedade de Socorro.

Criada como budista, Chieko entrou em contato com missionários mórmons aos 11 anos,  frequentando a Igreja pelos quatro anos seguintes, até sua conversão, aos 15. Na Universidade do Havaí, Chieko conheceu seu futuro esposo, Edward, veterano da II Guerra e à época um fiel congregacionalista. O casal se mudou em 1951 para que Chieko fizesse pós-graduação na Universidade de Utah. Continuar lendo