Por que Rapazes Fazem Missão e Moças Fazem Bolo?

Texto de Larissa Arce Centurião

Sobre a separação de tarefas por gênero dentro da igreja

Foto: littlemisskaelin.tumblr.com.

Foto: littlemisskaelin.tumblr.com.

Comecei a prestar mais atenção em certos ensinamentos na igreja para compreender por que me prometiam a felicidade mas estavam, de um certo modo, se tornando um incômodo. De princípio até acreditei que meus questionamentos eram desnecessários e que a necessidade de mudança devia estar fora de cogitação. Afinal, quem é que nunca escutou a velha frase: ‘A Igreja é perfeita’?

Porém tomei conhecimento de que o problema estava em algumas doutrinas repletas de sexismo, e isso definitivamente não é saudável para o crescimento de mulheres na igreja (digo mulheres pois são as mais prejudicadas, mas os homens não fogem das consequências). Principalmente para que tenham a plena noção de que os estereótipos extremos na sociedade não fazem nenhum bem, tornando assim o evangelho duvidoso.

Acredito que a base para esses ensinamentos esteja nas organizações dos jovens (ORM). Quando uma criança completa doze anos de idade, ela desvincula-se da primária e passa a ter aulas separadas e especificas de acordo com o seu sexo.

Jovem posando com a publicação

Jovem posando com a publicação “Progresso Pessoal”. Foto: lds.org

Essas aulas dão ênfase para os jovens de seu verdadeiro papel na terra, e eu como Laurel aprendi nesses quatros anos meu verdadeiro papel como mulher e claro minhas responsabilidades diante da família. Creio que os irmãos já imaginam quais ensinamentos tive nesses quatro anos, pois nas organizações dos adultos não é diferente, a questão é que para os jovens passa-se uma visão ‘natural’ das coisas, ensinando toda a visível divisão de tarefas de modo sútil durante tais aulas.

Aprendi que sou uma moça, naturalmente mais frágil, possuo uma afinidade maior e uma responsabilidade maior com os afazeres domésticos, devo ter filhos (sem mas), a responsabilidade de cuidar deles é minha, devo cuidar e ajudar meu futuro esposo com o sacerdócio, e de um modo aprendi também o papel do homem: ele é o cabeça, tem a responsabilidade de me sustentar e o direito de tomar as decisões finais da família.

Com essa explicação objetiva dos ensinamentos devo assustar alguns, mas a prova que tenho de que o que falo é verídico é muito simples, os manuais com metas para obter um testemunho pessoal de Jesus Cristo – diferentes para meninas e meninos.

Imagem da publicação

Imagem da publicação “Dever Para Com Deus”.

Ao analisar Dever para com Deus (dos Rapazes) e Progresso Pessoal  (das Moças) é óbvia a separação de tarefas por gênero. Observamos o foco para os rapazes fazerem o trabalho missionário, adquirir conhecimento e habilidades para um futuro emprego.  Já o Progresso Pessoal das Moças foca na “natureza divina da mulher”, aconselhando sobre o natural instinto materno, com metas para ajudar a família em afazeres domésticos, aprender a cozinhar, costurar, e ainda possui uma opção no projeto de boas obras de “ser uma boa dona-de-casa”.

“Ah! Mas no dever para com Deus também possui meta para os rapazes cumprirem atividades no lar” “Ah! Mas no Progresso Pessoal existe meta de obra missionária”. Ok irmãos, gosto de falar em números, alguém ai já comparou?

O sistema de metas dos dois livrinhos é completamente diferente. Até mesmo entre os jovens é reconhecido que o Progresso Pessoal das Moças é mais difícil, pois depende de um tempo e um foco maiores, moldado aos seus oito valores (fé, natureza divina, valor individual, conhecimento, escolhas e responsabilidades, boas obras, integridade e virtude – Princípios básicos para uma boa moça Sud). A Organização dos Rapazes não possui tais valores como foco, nem se comenta esses valores especificamente. Por que não focar em virtude com os Rapazes assim como nas Moças? 

Repetidas vezes no Dever para com Deus é possível ver imagens de missionários, e apenas duas imagens de meninos lavando a louça (páginas 26 e 75), exemplos dados para as metas de servir ao próximo (qualquer próximo), diferentemente do Progresso Pessoal das Moças, em que todas as atividades referentes ao lar são claramente colocadas para nos preparar a uma futura responsabilidade dentro da família: “O serviço é um princípio essencial da vida familiar. Por duas semanas, ajude a preparar o cardápio de sua família, consiga alimentos e prepare parte das refeições” (Boas Obras, p. 54).

Quando comentado no começo do texto de que os homens não fugiam de tais consequências não houve nenhuma ideia precipitada, afinal, a maneira como eles são ensinados e cobrados da responsabilidade masculina de sustentar toda a família e tomar sobre si todos os problemas fora da responsabilidade materna (filhos, limpeza), e a obrigação (sim, obrigação) de cumprir uma missão de tempo integral também é de se preocupar.

“Se você tiver uma renda, desenvolva e siga um planejamento pessoal de despesas e de poupança. Inclua o pagamento do dízimo e uma poupança para a missão.” Pg.57

Foto: lds.org

Foto: lds.org

Muitos irão criticar o que escrevo, dizendo que é impossível questionar algo que veio da inspiração do Senhor, mas digo: sim, acredito que um manual para os jovens poderem facilmente adquirir um testemunho de Jesus Cristo deve existir, acredito que ensinar sobre a importância do trabalho missionário e a importância de servir também é necessário, acredito que ensinar afazeres domésticos para a proximidade da independência e a importância do aprendizado para os cuidados de uma criança também é extremamente importante, porém, quando ensinado igualmente para os dois.

As pessoas gostam também de lutar contra este argumento apresentando o famoso testemunho dos apóstolos “A Família: Proclamação ao Mundo”: ‘Segundo o modelo divino, o pai deve presidir a família com amor e retidão, tendo a responsabilidade de atender às necessidades de seus familiares e de protegê-los. A responsabilidade primordial da mãe é cuidar dos filhos.’

Não existe documento mais contraditório e patriarcal. Esse documento foi feito por homens. Existe sim um equívoco. Deve haver a necessidade de todos compreenderem a importância da família, porém, não dessa forma.

Infelizmente acho triste mulheres se fecharem a essas ideias, ou então, procurar igualdade ‘até onde convém’. Nós podemos ser mais do que nos apresentam que podemos ser.

Eu não estou querendo dizer que todas as mulheres devem abolir o pensamento de responsabilidade dentro do lar, mas sim, que TODAS devem ter a noção de que sua escolha e sua liberdade não se limitam a isso, todas devem ter a visão de que estar ali é uma escolha e não uma obrigação.

Foto: lds.org.

Foto: lds.org.

Acredito que devem e vão haver algumas mudanças. Uma prova é o direito de sisters  ocuparem cargos na missão antes negados. Ainda falta muito, mas já seria excelente se os membros começassem a compreender e a se sentirem livres para argumentar e questionar certas doutrinas da igreja.

Sei que os problemas apresentados estão presentes nos moldes da sociedade, mas se este é o evangelho de Cristo deve-se então desprender-se dessas ideias e procurar o melhor para seus membros. Todos sofremos as consequências do patriarcado, e o ensinamento igualitário atrai benefícios em qualquer situação.

*Sobre a autora:

Larissa Arce Centurião tem 16 anos e acaba de ingressar no Curso de Ciências Sociais da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.

126 comentários sobre “Por que Rapazes Fazem Missão e Moças Fazem Bolo?

  1. Muito bom Larissa, concordo com você.
    Ao ler a parte final, onde é informada a sua idade, não pude deixar de ficar agradavelmente surpreso ao saber que uma pessoa tão jovem é capaz de escrever um texto com esta qualidade. Parabéns!

  2. Parabéns pela independência e sobriedade de pensamento demonstrada na escrita.
    Espero que continues a galgar sabedoria e experiência assim enquanto continua a estudar e analisar criticamente o mundo a seu redor, o que inclui a Igreja (social x espiritual).
    Bons estudos.

    • Larissa,Apesar de cada um ser ensinado coisas diferentes, você vai ensinar tudo que aprendeu a seus filhos e a seu marido, e eles também iram te ensinar o que aprenderam.O que os manuais ensinam creio que são as partes mais difíceis,e assim,quando vc estiver praticando, vai ver que tornou-se tudo mais fácil.Os homens também lavam ,passam , fazem bolos, cuidão de criança e se a vida impor que vc tenha que fazer mais,você vai fazer mais.Precisamos entender que tudo que somos ensinados serve apenas como base,ainda temos muito que fazer,e as nossas ações no evangelho são ilimitadas,se compreendermos como o sacerdócio funciona,Todos participam, apesar de só o homem recebe-lo.Assim como o dízimo, que é uma parte bem pouca,de como ajudar as pessoas e não ser presos no dinheiro.No final, todo ensinamento é compartilhado e o trabalho também entre as famílias.Apenas quando vc casar é que vai ver como tudo funciona. Se seus pais são da igreja, veja o que acontece na vida deles, mas se eles não partilham dos deveres em casa,que pode acontecer, isso é o que os manuais ensinam,não é só para moças e para os rapazes ,tudo que vcs aprendem serve para todos da família, e assim por diante.

  3. Acho que uma moça deve fazer uma faculdade e ter uma profissão; Porque digo isto: Porque já conheci uma pessoa que teve uns 7 filhos, um marido excelente que foi até lider da igreja. mas, quando os filhos estavam na adolência ele separou-se dela. E ela ficou sem ter como sustentar os filhos… compreende; Nosso objetivo como seres humanos é buscar o aperfeiçoamento não acredito que não estudar seja o correto, quanto a missão nunca soube que era proibido mulheres não fazerem missão, mas soube que por causa do sacerdócio os homens seriam cobrados por isso no dia do juízo. e as mulheres não. Da mesma forma que por as mulheres terem recebido o poder da materinidade serão cobradas por seus filhos etc….

    [Editado e moderado de acordo com a Política de Comentários]

      • Tipico pensamento de que a mulher deve estudar para se algum dia for necessário, e não,se ela sente o desejo de realizar um sonho profissional, uma realização pessoal.
        Isso é até passado pelos lideres : “Estude pois um dia pode acontecer de seu esposo morrer,vocês se separarem, doença na família e etc…”
        Em nenhum momento do meu texto disse que as mulheres são proibidas de servir uma missão, a essência do meu texto é o incentivo amplamente diferenciado para os dois.
        Existe apenas uma meta optativa de experiência missionaria no progresso pessoal, e ainda no dia a dia vivemos com comuns argumentos do tipo : ” você quer servir missão? pra que? vai casar ! ”
        As pessoas ainda insistem no argumento de “poder da maternidade feminina”, oras não fiz o filho sozinha, todo o ser humano tem o “poder” de receber um filho. O fato de eu poder carrega-lo durante nove meses não quer dizer que devo ‘carrega-lo’ durante toda a vida. E ainda sim acredito que uma gravidez não deve ser algo isolado somente a mulher, e sim uma responsabilidade de ambos.

    • Sempre pensei assim enquanto era sud,imagina estas moças mais novas do eu,aqui onde moro elas casam sem nem saber quem são eles,tem 17 anos,um ovo não sabem fritar,e se elas se separam aos 30 anos?os maridos só ganham um salário,elas não podem viver de pensão,já é difícil emprego para jovens imaginem quando ficamos mais velhos,elas não pensam nisso e nem eles……..sinto pena,se tivesse seguido os meus ex-líderes locais,estaria casada com quem não gosto,sem ter móveis em casa,sem minha faculdade e passando quase fome como muitas aqui…..isso para mim,só tem um nome DOENÇA!!!!!!!!!!!!!!!!

      • verdade, por isso temos que seguir a Cristo, os nossos líderes muitas vezes apenas querem que sejamos obedientes, e nem eles as vêzes estão seguindo a cristo, e fazem escolhas para nossa vida.O profeta incentiva a todos nós estudar por toda nossa vida.O Senhor não quer ninguém passando por dificuldades !!As moças podem escolher, se vão para a missão ou não,porém para os rapazes que voltam, fica mais difícil constituir uma família se não tiver alguém esperando por eles,mas essa opinião é particular ,se ela quer fazer missão,então vá fazer missão. Conselho não é mandamento .

    • Sim, se não precisar fazer melhor, mas dependendo da vida ela vai cobrar, mas muitos não terão como fazer.Cuidar dos filhos é importante ,mas se puder cuidar e fazer faculdade,vai lá,faz a faculdade !! Mas, um princípio é fundamental cuidar dos filhos.Tem que ter uma profissão,sim.Mas, o que esta em evidencia é o cuidado dos filhos! Se as mulheres puderem aprender uma profissão,ótimo !!! entende !!!Muitas vêzes na igreja, temos uma visão muito ofuscada de como funcionam as coisas, e alguns líderes nos passam de uma maneira muito limitada,porém, já ví muitas moças na minha estaca fazendo faculdade, e pessoas casadas onde a mulher também ia para o trabalho, a minha esposa é uma !! È claro que o Senhor sabe de todas as coisas, e quando estamos em família todos trabalham para que a família cresça.

    • A Igreja ensina TODOS a serem autossuficientes, sem exceções. Tanto mulheres como homens deve buscar conhecimento secular. Como em todos os lugares existem, há diversas situações e diversos tipos de pessoas. Não vamos generalizar.

  4. textos com forte teor feminista, assim como o machismo não deve ser aceito em qualquer grupo inclusive o religioso o feminismo e tão pernicioso e capaz de destruir valores quanto o machismo,tem tarefas que sinto dó de ver uma mulher realizar, mas sei que a mesma realiza por falta de oportunidade ou necessidade já fui missionário e sei a dificuldade que o missionário passa no campo, ontem mesmo vi o testemunho de uma síster que falava dos sofrimentos no campo, espirituais e físicos e relembrei como isso se passava comigo que não nasci na igreja e depois de um ano de membro fui para o campo sem saber o que me esperava, e fico pensando como é para as sísteres passar pela dureza do campo sendo elas mas refinadas e sensíveis sei que essas mulheres são super valorosas pois alem de estarem preparando-se para o casamento antes disso saem para dividir aquilo que lhe faz feliz, melhor que palavras ao vento de quem não pode lhe passar uma experiencia e sentar-se por meia hora e usufruir da companhia de quem já pode viver esses ensinamentos e hoje poder pela experiencia tratar do assunto com verdadeira propriedade.

    [Editado e moderado de acordo com a Política de Comentários]

    • Muito obrigada por deixar sua opinião.
      Fiquei refletindo sobre os tais valores que o feminismo destrói, e se esses supostamente são valores fundamentais a uma mulher, ou até mesmo, se são valores.
      O problema está em sempre enxergar as mulheres com um caráter frágil,dócil,passivo e delicado. As mulheres foram ao campo por escolha , serviram e honraram sua missão tanto quanto um homem. As dificuldades são as mesmas para os dois, afinal nem todo homem possui uma característica física mais apropriada. Os homens também se preparam para o casamento (ou ao menos deveriam).
      Sobre minhas palavras ao vento: Minha presidente das moças já foi sister e é casada, já passei mais que meia hora conhecendo experiencias do tipo.

      • Nunca conheci, uma sister presidente que não fosse formada em uma universidade. Talvez exista, mas as que conheci o eram. Podemos olhar para nossas descrições dos fatos ou olhar para os fatos como eles realmente o são. Lembro de um fato; Um homem que abandonou sua esposa depois de uns 30 anos de casamento deixando ela com filhos para ajudar. Enfim, até mesmo sem o sustento correto ela ficou. Logo penso, não é certo que a mulher também se prepare e se estabeleça em uma profissão para garantir o que sua família necessita em caso de falta do homem? Isto foi um fato e qual é a resposta? Esta irmã dedicou-se inteiramente a igreja e o continua fazendo e como fica? Vou dizer, algo bem simples, não estudar e não se formar é um erro na vida de qualquer pessoa seja homem ou mulher. Ser auto-suficiente é um tipo de aperfeiçoamento… Acreditar que o príncipe nunca poderá virar um sapo é outro erro…

      • Mais um exemplo de que a mulher deve procurar alguma independência no caso de ocorrer um imprevisto, e não de um desejo pessoal.
        Não se deve ensinar a uma mulher que ela deve estudar somente para esses objetivos,deve ser ensinado que ela deve procurar fazer algo que lhe de gosto, por isso não fica de fora ser secretária do lar, desde que seja uma ESCOLHA.
        Com toda a certeza acreditar que o príncipe nunca poderá virar um sapo é um erro extremo, mas isso infelizmente é ensinado nas moças também, muitas delas vivem em um mundo utópico sobre o casamento, não conseguindo entender que não existem pessoas perfeitas, nem casamentos perfeitos, e quando ocorre é um abalo total.

      • Nunca conheci uma pessoa que estudasse em um curso superior e que isto não tenha sido uma ESCOLHA e que isto não lhe traga REALIZAÇÃO PESSOAL! E que isto não se torne em uma PROFISSÃO e que uma profissão precise ser EXERCIDA para virar uma CARREIRA! Pois uma profissão que não tem uma carreira é algo estranho. Agora, para quem deseja tomar esta caminho ficam as seguintes perguntas que gostaria de ouvir sua solução sobre elas? Uma moça deve se formar antes de casar-se? Deve ter filhos somente depois da formatura? Quando for trabalhar exercer a profissão seguir carreira etc… Onde os filhos devem ficar e a partir de que idade? Com ensinar o evangelho para os filhos na infância de uma forma melhor dentro deste contexto? O marido é obrigado a trabalhar? E se o marido resolver cuidar dos filhos quando a esposa for trabalhar? Uma moça deve fazer como meta servir missão antes de casar-se? E se a esposa ganhar o suficiente para sustentar a casa o marido deve continuar trabalhando? Ou poderia assumir o papel de cuidar dos filhos?

      • Vou levar o seu primeiro argumento tomando o entendimento de que não sabe como é a diferença de incentivo de estudos para homens e mulheres, e que essa escolha, no caso das mulheres, é ensinada pelo medo do amanhã.
        Uma moça deve se formar antes de casar-se? Se ela quiser.
        Deve ter filhos somente depois da formatura? Se eles quiserem. Mas existem casos que não existe uma escolha.
        Quando for trabalhar exercer a profissão seguir carreira etc… Onde os filhos devem ficar e a partir de que idade? o casal decide, acho que são maduros o suficiente para isso, e sobre a idade , não vejo problema nenhum em deixar uma criança pequena sobre cuidados de outros.
        Com ensinar o evangelho para os filhos na infância de uma forma melhor dentro deste contexto? Dialogo, se você for ativo, aos domingos isso vai ser reforçado, mas o ensinamento não pode ser taxado somente a conversa frente a frente com escrituras na mão sentados à mesa, e sim no dia a dia.
        O marido é obrigado a trabalhar? jamais.
        E se o marido resolver cuidar dos filhos quando a esposa for trabalhar? Por que não? A vida é do casal a escolha cabe somente a eles não é mesmo?
        Uma moça deve fazer como meta servir missão antes de casar-se? Se ela quiser, assim como é opção o menino servir ou não uma missão.
        E se a esposa ganhar o suficiente para sustentar a casa o marido deve continuar trabalhando? O fato de um ganhar o suficiente não pode impedir o outro de ter sua própria independência, eu não posso dizer ‘ele deve’ , ou ‘ele não deve’ , quem sou eu para decidir a vida dos outros? Sempre deve haver um acordo entre o casal.
        Ou poderia assumir o papel de cuidar dos filhos? Eles escolhem o que é melhor para a vida deles e para seus filhos, garanto que todo casal se esforça para fazer o possível, e nenhum deles simplesmente está junto e com filhos por estar .
        Na minha casa ambos trabalham fora, e as pessoas ainda tem a audácia de perguntar o porque de minha mãe trabalhar sendo que o salario do meu pai já é suficiente, mas uma vez digo, e a individualidade dela? a realização ? O fato de alguém poder ficar o tempo todo com os filhos não tem automaticamente a consequência de uma família unida e feliz. Cada um sabe o que faz e como faz a sua vida.

      • Sim entendi agora seu ponto de vista, então só nos resta uma coisa, crer que os ensinamentos da igreja foram dados por um profeta de Deus e que são verdades inspiradas ou são ideias de homens mescladas com evangelho. Porque as duas coisas não podem ser…

      • Estudar é o ideal na terra, talvez p minimo. casar é o minimo e ter filhos é o minimo, agora permanecer em todas essas coisas é a valentia que o senhor procura para qualificarmos a exaltação!

      • A minha não o foi e foi a melhor que um Missionário pode ter. Muito preparada, principalmente um amor incondicional, para conosco e semelhante a o de Cristo!!

      • gostei …(acreditar que o príncipe nunca poderá virar um sapo )))).essa busca pelo perfeito casamento(relacionamento) como a igreja prega ….é pura utopia….outra coisa esmagadora q deixam pessoas totalmente deprimidas após divórcio…é o fato delas acreditarem em afirmações ,q eu chamo de “”mortais”” e “””fatais”””, por parte de profetas…ou seja daqueles q se acredita q foi inspirado do alto(céus ) ,q fomentam crise existencial em qualquer pessoa…. tais como “”””nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar “””(autor …sem comentário ))) essa máxima tira qualquer esperança de um indivíduo uma vez q tenha acreditado q o casamento era pra sempre, mas fracassou nele. Só deixo uma reflexão aqui ….então eu posso dizer tbm que na bíblia Adão e Eva fracassaram por causa do episódio de Caim e Abel , no livro de mórmon Leí e Saria tbm fracassaram por causa de lamã e Lemuel. Outra coisa , Deus tbm fracassou por causa do episódio da rebelião nos céus , onde sua família ficou dividida . Gente vamos pensar um pouco e ir mais alto !!!

      • “Nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar “. Eu acho que você interpretou de maneira equivocada esta frase. No meu entender, ela quer dizer, entre outras coisas, que não adianta conquistar o mundo, ser famosos, ter um grande sucesso profissional se a família estiver em decadência. Nada destas coisas poderá compensar esta decadência, já o sucesso no lar compensa a falta de todas estas coisas e impulsiona o indivíduo a não desistir e ir atrás de seus sonhos.

      • Sim, esse casamento utópico geralmente é passado o tempo todo nas moças,a necessidade de casar também – “velha e solteira ? cruzes!”.
        Lembro até de uma certa vez em que minha presidente das moças veio me fazer uma visita, meus pais não são da igreja e são casados, porém, não no papel. Ela estava tentando explicar sobre a importância do casamento e colocou em questão a separação : – separar? não jamais, ta ruim mas vamos continuar juntos, firmes,tentar…..
        Fiquei até assustada, desculpa dizer isso, mas me pareceu um pouco doentio.
        Acredito que o que o senhor espera de nós é que estejamos contentes com nossas escolhas. Forçar a uma situação para se forçar a ser feliz, creio eu , não é algo ideal.
        Não estou dizendo aqui que pequenas discussões,conflitos ou sei lá que seja muito simples para qualquer um que é casado, seja motivo de separação, estou dizendo que o pensar “jamais” não é um pensamento inteligente para guardar para si. Afinal cada um é feliz a sua maneira.
        Li um texto que dizia algo bem legal : ‘seja uma laranja inteira’. O que isso quer dizer? Ser uma laranja pela metade é ser uma pessoa pela metade, não tente encontrar a felicidade no outro, e sim em si mesma.

      • “Casamento utópico”. Talvez isso seja uma verdade aqui na Terra. Mas no reino Celestial ele será uma realidade. Temos que lutar com todas as nossas forças para manter nosso casamento, porém se um dos lados ou os dois estiverem completamente infelizes e vêem que nao tem mais jeito então se separem, se considerarem como a melhor alternativa.

        “…não tente encontrar a felicidade no outro, e sim em si mesma.” Eu escreveria esta frase da seguinte maneira:
        “…não tente encontrar a felicidade no outro, e sim em Deus e em si mesma.”

  5. olha fiz missao, tenho doutorado e tenho certeza que estudar e fazzer obra missionaria é muito mas muito mais facil mesmo do que manter uma familia feliz e disposta a trabalhar pela igreja. ainda bem que alguem estimula as moças a cuidarem da familia pois se não quem vai querer assumir tao grande responsabilidade?

      • Se os dois estudarem antes de ter os filhos, nosssa! Funcionaria perfeito geralmente é oque os americanos fazem. mas, ter filhos e os dois estudarem so se os filhos ficarem em escolas com turno integral e ainda assim, em casa terão que estudar, e não vou conseguir ou voce estuda ou voce trabalha . fazer as duas coisas é complicado, o problema é por a carroça na frente dois bois, se formar deveria ser feito antes de casar, mas tem gente casada ainda terminando o segundo grau ai dizem ser dificil claro que é quem e casado e tem filhos sabe do que estou falando.

      • Sim, na minha vida pretendo fazer essa escolha de resolver certas coisas antes, porém a pessoa ou o casal que decida quando cada coisa deve acontecer. Não é preciso ser casada e ter filhos para compreender tamanha responsabilidade e deveres. Digo que não é impossível levar as duas coisas, assim como não é errado se responsabilizar especificamente com o lar. Cada um que escolha.

    • Não existe uma pessoa que foi feita para a outra,a não ser que o casal se faça um para o outro.Torna-se uma utopia, quando um quer ser o dono do outro.A igreja não prega isso!! Na visão espiritual tudo é um sonho,ou tem que se tornar um !! E a nossa espiritualidade é que vai definir, olhar as coisas utópicas é de grande valor,por que quando vemos somente o que consideramos verdades,esquecemos dos sonhos,pensamos negativos, somos influenciados por aquilo que é negativo. Se os dois marido e mulher,viverem o evangelho, ter a luz de Cristo um para o outro,eles se farão um para o outro – serão feitos um para o outro. Toda as coisas que são pregadas é se vivermos o evangelho,não impõe nada, a escolha é nossa, mas, se o marido ou a mulher não cumprirem o evangelho,com eles mesmos,não amarem um ao outro,não respeitarem um ao outro o encanto acaba,o amor também.Porém, se tiverem seguindo a Cristo,o encanto continuará….Isso acontece muito no namoro, eles se respeitam e querem apenas fazerem a vontade do outro, depois que casam querem apenas fazerem suas próprias vontades.Por isso a presidencia da igreja aconselha que devemos namorar a nossa esposa,para que a chama possa continuar ascesa.Utopia?Tem gente que consegue!!A diferença é que alguns vivem o evangelho no casamento e outros não. O estado de espírito é diferente, o que vive o evangelho sempre parece estar mais feliz.

  6. Leonel, eu acho que a menina de DEZESSEIS ANOS tem muito mais experiência em ser mulher do que você e tem percepção sócio-crítica mais atunada que a sua.

    1) Os papéis sociais são imposições culturais. Em sociedades de caçadores-coletores, as interações sociais são mais egualitárias e menos gênero-dependentes que sociedades agrárias e muito menos que sociedades industrializadas. Ademais, os papéis sociais de alguns outros primatas incluem maior equalidade entre gêneros que a de seres humanos. Certamente, há influências biológicas em nível populacional, mas as forças sócio-culturais são muito mais determinantes. Especialmente em uma sociedade tecnologicamente avançada, como a nossa.

    2) O casamento surgiu exatamente por uma demanda dos homens para assegurar sua prole e seus bens quando passamos de sociedades nômades para sociedades sedentárias e agrárias. Em sociedades nômades de caçadores-coletores, as relações tribais eram mais importantes que as familiares, sendo mulheres e crianças defendidas e criadas comunalmente. Determinações de paternidades eram, largamente, irrelevantes sendo que todas as crianças eram criadas como filhos de todos e bens de produção mantidos em comum. Com a revolução agrária, o núcleo familiar passou a ser mais importante que, e independente do, contexto tribal. Posse de terra e instrumentos agrícolas significava posse dos meios de produção e a revolução tecnológica-agrária permitiu um acúmulo calórico-alimentar com menos esforço (e menor número de trabalhadores), reduzindo o núcleo central da tribo à família. Garantir a “posse” da prole tornou-se importante pois agora havia “herdeiros” e a criação da prole era familiar, não comunitária.

    3) Não há nada natural em determinar que homens e mulheres sejam fundamentalmente diferentes. Homens e mulheres são fundamentalmente seres humanos, com desejos, anseios, aspirações, sonhos e medos similares. Há expectativas diferentes na Igreja e na sociedade porque há perspectivas diferentes de homens e mulheres, e à esta diferenciação de perspectiva dá-se o nome de “sexismo”. O sexismo na Igreja é profundo e enraízado e o simples fato de você, homem, ser incapaz de perceber isso é prova absoluta. Mulheres podem ser batizadas, mas isso é básico e universal. Elas podem assumir cargos de liderança, mas apenas sobre outras mulheres e nunca sobre homens. Elas podem dar aulas, mas nunca dirigir ou presidir ou comandar congregações ou tomar decisões.

    4) Francamente, eu não gosto de dar conselhos pessoais na internet, especialmente a pessoas quem não conheço pessoalmente. Simplesmente não acho uma atitude sábia. Mas eu acho que “envelhecer” é bom para todos nós. Ganhamos experiência, perspectiva, etc. Eu só não sei se, baseado nos seus comentários aqui, você é a pessoa mais capacitada para oferecer esse conselho para a menina de 16 anos. Do meu ponto de vista, eu acho que você precisa crescer mais e ponderar mais no que é ser mulher na sociedade em que vivemos, dentro da Igreja SUD, e os desafios que ela enfrentam que são diferentes (e maiores) que os nossos.

    • Excelente nível!
      A autora está de parabéns!
      Quisera eu, na idade dela, já estar um pouco abaixo da capacidade que ela tem para analisar, da forma clara como analisou, aquilo que uma organização patriarcal gigantesca produziu…
      O sistema do Evangelho de Jesus Cristo é, sim, patriarcal.
      Prefiro acreditar que nós, homens, somos tão deficientes que Deus, em sua infinita sabedoria, nos dá mais oportunidades e responsabilidades para que cresçamos muito mais e, assim, possamos chegar um pouco mais perto da grandeza espiritual das mulheres.
      Sou dos que não concordam quando se espalham frases e imagens que procuram diminuir a imagem de homens e mulheres (uns depreciando os outros).
      Aprendi que a Igreja muda conforme a sociedade muda. O exemplo da restrição ao Sacerdócio para os negros me ensinou alguma coisa a respeito de como as coisas são feitas de acordo com os interesses do momento. E isso me incomodou, porque também me ensinaram que Deus é o mesmo: ontem, hoje e sempre!
      Então, só se pode concluir que os homens estão interferindo por sua própria vontade nos caminhos da Igreja. Nossa liderança foi educada sob rígidos princípios patriarcais. Então, o que se poderá esperar que venha deles?
      Cabe ao marido aprender por si mesmo a amar e respeitar a sua mulher como um ser individual, com sonhos e anseios pessoais e dar a ela o direito e as oportunidades para estudar e realizar-se. Não é o “aqui quem manda sou eu!” que deve prevalecer, mas sim, “eu devo presidir, me ajuda?”.
      Lembrando ainda que hoje a maioria das mulheres (que pensam!) estão em vantagem financeira, muitas delas sendo a maior fonte de sustento da família.
      Quanto ao Sacerdócio e o poder de liderança, para as mulheres… Melhor deixar como está, pois corremos o risco de a Igreja se tornar uma Igreja apenas de mulheres… Só lembrar às mulheres que, no templo, elas usam o sacerdócio. E que são preparadas para se tornarem rainhas e sacerdotisas… Se uma rainha não tem poder de liderança, não sei quem tem… rsrsrsrs
      Com algumas exceções, a maioria das mulheres é humilde e aceita estar “abaixo” do homem. Já os homens, muito orgulhosos e bem menos espirituais, não aceitam nem a idéia de submeter-se ao comando feminino! rsrsrsrs
      Ok… Ok… Tudo isso é consequência dos rumos da humanidade… kkkkk
      Bem, me parece que os rumos estão indo para o pior possível e, diante do pior – só uma guinada para o melhor será possível! :b

      O senhor Leonel Alves parece ser muito inteligente – ou, pelo menos, possuidor de muito conhecimento. Seu comentário pareceu ser tão bem embasado mas, não me convenceu.

      Obrigado Marcelo Jun por seu comentário esclarecedor e imparcial.

      E me desculpe se deixei alguma lacuna em minhas frases ou pensamentos – faz parte de quem já viveu muito, sofreu muito, foi muito injustiçado e viu muita injustiça acontecendo – e está cansado e com pressa de ver as coisas melhorarem.

      Obrigado pelo espaço!

    • Marcelo JUN
      Adorei a sua explicação. Na verdade, o Sr. é um professor nato, conhecedor do assunto. Parabéns, mais uma vez.
      Igualmente essa jovem de 16 anos, dá aula em muitos marmanjos, que na verdade, eles deveriam se atualizar mais em determinados assuntos, para não falarem bobagens… Essa jovem tem um futuro brilhante. Ela está de parabéns.
      O muito obrigado.
      Araújo

  7. Prezada Larissa, entendo seu ponto de vista e não quero fazer com que você mude seu modo de pensar,porém existem coisas que infelizmente não são do modo que eu ou você gostaria que fosse. Sou pai de 03 rapazes sendo que os dois mais velhos estão no campo missionário, e um deles serve na Missão Cuiabá e terceiro está em faze de preparação; Mas quero lhe dizer que em alguns ponto,sua visão está um pouco incompleta. A palavra final nas decisões familiares não é do Homem, mas sim de um conjunto de ideias e diálogos entre a Mulher e o marido e até mesmo com a participação dos filhos;Outra coisa Homem lava louças, faz faxina na casa, põe crianças pra dormir, prepara almoço e o jantar, lava roupas, passa roupas a ferro, prepara sobremesa do almoço de domingo, recolhe o lixo da casa e acima de tudo isso, Também namora e passeia com a esposa, namoram no parque, em fim, isso tudo eu faço na minha casa com minha amada esposa que estamos casados a 23 anos.Eu só digo que as Mulheres são SIM especiais no mais amplo sentido da palavra e nunca devem ser comparadas ou devem fazer as mesmas coisas que os homens. Mais uma vez quero dizer que entendo que muitos homens agem de forma errada e destroem a beleza da feminilidade dentro da Igreja ou mesmo nos lares.

    • Adorei sua resposta Nilton, Também tem um esposo maravilhoso em casa que me ajuda muito com meus afazeres domésticos e nossos filhos que são 4. Só para completar seu comentário, o texto da Larissa dá a entender que as mulheres SUD não são aconselhadas a estudar, e pelo contrário os líderes nos incentivam a estudar, fazer uma faculdade, termos um diploma e incentivar nossos filhos a fazer o mesmo. A igreja SUD é perfeita! alguns membros podem distorcer muitas coisas, mas os ensinamentos que recebemos do profeta são p aperfeiçoar-nos e algumas coisas podemos não compreender com nossos olhos naturais, mas um dia conheceremos todos os mistérios de DEUS.

      • Espero que um dia também conheça aos olhos naturais os mistérios por trás de tais padrões nos ensinamentos, e realmente observe os focos diferentes para os dois. Porque não começar a observar na organização dos seus filhos ?

    • Se for real, que belo exemplo! Porém não acontece em mais da metade das famílias.
      Por que a mulher é especial e nunca deve fazer a mesma coisa que um homem? somos um semi-deus vivendo na terra?
      O mais comum e tipico argumento também , tratar a mulher como algo ‘supremo’, naturalmente delicada e mais propicia a realizar determinadas tarefas, não entendendo que essas afinidades se constroem na infância. Um exemplo da filoginia na igreja é a explicação do sacerdócio: ” A mulher é naturalmente melhor, o homem precisa do sacerdócio para se igualar a ela ”
      Não existe um padrão homem-mulher, somos todos seres humanos, muitos diferentes e cheio de facetas, fatores biológicos não explicam isso.

      • Preza Jovem Larissa, o que eu falei é real,embora acho você uma jovem mulher e tem bastante conhecimento e que isso é muito bom e por que não dizer que é notável. Porém a maior parte da sociedade Mormon ainda não está pronta para tal mudança, Apenas pare e pense! há quantos séculos nós somos ensinados que a “mulher é um ser inferior ao homem” a muitos não é? agora imagine mudar este conceito que a meu ver é retrógrado,absurdo e nojento, talvez até mesmo muitas mulheres não aceitariam ou quem sabe todas aceitariam tais mudanças sugeridas no seu texto original, porém saiba minha jovem amiga,quem sabe quando você chegar aos 40 sua visão mude e talvez você perceba que no auge de seus 16 anos você de fato tem uma capacidade intelectual muito grande e até avançada para sua idade, e saiba que acho isso notável, e muito perigoso ao mesmo tempo, até por que eu também já fui jovem e já tive meus 16 anos e eu queria e achava que tudo deveria ser diferente, mas o tempo passou hoje tenho 45 com 26 de Igreja e 23 de casamento e vejo jovens iguais a você, agindo, pensando, correndo em direção a um futuro de mudanças e realizações e com uma vontade imensa de mudar o mundo. Porém o tempo passa, as prioridades mudam, as atividades do dia-dia nos levam para outros objetivos e muitas de nossas vontades de mudanças ficam para traz ou guardadas dentro de um armário e ai nos damos contas que o tempo passou e caímos na realidade de que nem tudo pode ou deve ser como eu quero que seja. A Igreja tem quase 185 anos, você já pensou quantas mulheres pensaram iguais a você? Acredito que muitas e com apoio de muitos homens, mas as coisas não mudaram tanto quanto deveria. Talvez você pense que sou contra seu modo de pensar, eu não o sou! Quero sim que haja mudanças e que você não só cultive mas que mantenha seu foco.
        Um forte abraço.

      • “Apenas pare e pense!”

        Parei, pensei, me choquei. Por isso escrevi esse texto.

        “A maior parte da sociedade Mórmon ainda não está pronta para tal mudança”

        Como disse no texto,esse pensamento esta sendo mudado aos poucos. Apesar de ter 16 anos, acredite irmão, não tenho o pensamento utópico de revolução imediata, mas a minha ação na causa agora esta sendo a conscientização. O fato de muitas pessoas poderem ler o que penso, dentre elas, algumas fazerem parte de tais organizações , para mim, já é um grande feito.

        Como dito no texto também, sei que existem mulheres que não admitem abandonar tais dogmas, mas quero apenas que outras que tenham o pensamento diferente e querem seguir a vida de modo diferente tenham a plena liberdade disso!

        Nenhuma mudança (digo MUDANÇA) que conheço na historia foi rápida.

        O pior dos argumentos que alguém pode jogar e de uma certa forma me ofender é : “você só tem 16 anos e é um tanto quanto inexperiente para entender muitas coisas”

        Se escrevesse esse texto,não colocasse a minha idade, e desse a ideia de que supostamente fosse casada e com filhos, qual seriam os argumentos da maioria contra? “louca”? “Age como um homem”?

        Com toda a certeza muitas das minhas noções básicas sobre muitas coisas irão mudar aos quarenta, porém sobre este especifico tema, digo com forte precisão e absoluta certeza: Vou procurar lutar, conscientizar, ensinar, dialogar, pesquisar, defender a igualdade de gêneros até meu ultimo minuto de vida na terra. E não tem porque desistir dessa causa. Não me taxe como apenas uma adolescente, observando apenas a minha idade, vendo de longe o que penso, afinal não me conhece. Por que ao invés de analisar a minha vida, não analisa o texto diante do que é passado agora?

        Se o senhor um dia pensou diferente e tentou agir diferente mas não continuou, não pense automaticamente que a mesma coisa vai acontecer comigo ou com qualquer outra pessoa. E digo ainda, porque não retoma essas vontades? ou o senhor acha que defender algo tira toda a possibilidade de ter uma ‘vida social’?

        “Igreja tem quase 185 anos, você já pensou quantas mulheres pensaram iguais a você?”

        Sério que esta me fazendo essa pergunta? Ou também acha que desconheço a luta das mulheres da igreja contra a poligamia ? Será que nada mudou, e não esta mudando?

        Ao ler todos esses argumentos logicamente vou pensar que o senhor é contra, perdoe se fui um pouco rude no modo de escrever,mas nunca leve uma experiencia PESSOAL como possibilidade de experiencia COLETIVA. Vou manter meu foco.

        Abraços.

      • Prezada Larissa.
        Gostei de sua resposta, é assim mesmo que gosto de discutir assuntos como este,eu tenho meu ponto de viste e você tem o seu e isso não significa que temos que concordar, acho muito bom o seu modo em defender seus argumentos, é de pessoas assim que precisamos, que tem vontade e garra eu acho muito bom mesmo.Não sou contra seus argumentos de forma alguma, apenas também tenho os meus, mas não quero que você pense que por ter 16 anos eu ache você imatura, isso não,muito pelo contrario. Sim achei suas palavras um tanto rude, mas entendo e não fiquei chateado, confesso que até sorri ao ler sua resposta.
        Quero que meus comentários sejam rebatidos e assim posso ajusta-los e até melhora-los.
        “Se o senhor um dia pensou diferente e tentou agir diferente mas não continuou, não pense automaticamente que a mesma coisa vai acontecer comigo”
        Neste ponto te acho sim um tanto ,rude e até ante-ético, mas compreendo que no afã de defender uma causa,nem sempre as palavras soam amigáveis.

        “O pior dos argumentos que alguém pode jogar e de uma certa forma me ofender é : você só tem 16 anos e é um tanto quanto inexperiente para entender muitas coisas”
        Neste ponto,você realmente está agindo como uma garota de 16 anos.Porém os seu argumentos refletem uma mulher adulta e plena convicção do que quer e deseja ser na vida e como tal precisa compreender e aceitar as criticas sejam elas boas ou não, seria muito bom se meu comentário tivesse o tom de: Que bom Larissa, gostei do texto ou ainda que menina inteligente e por ai vai. Mas como eu contra-argumentei em alguns pontos do seu texto, você não gostou e foi um tanto RUDE em suas colocação.
        O que gosto muito do Vozes é essa liberdade de opiniões e respeito muito os contra- argumentos, é assim que se formam opiniões, é assim que conhecemos outras pessoas que pensam parecido conosco.
        Seja Feliz.
        Aleikhem shalom.

      • Me desculpe mais uma vez, não agi dessa forma por que não gosto de ser contrariada, sou uma menina mimada e que só quer escutar elogios.Jamais. É porque já estou cansada aqui de rebater o mesmo argumento “é porque você tem 16 anos”,(é , sou fraca as vezes, e imatura também.)Me desculpe de novo por descontar isso no senhor. Obrigada por entender.

      • Apenas acho que vc deveria sonhar mais e não se acomodar, como vc fez todos esses anos em sua vida ..A Larissa tem futuro brilhante pela frente….qualquer nível de inteligência surgirá conosco após essa vida …e isso será vantajoso lá p aqueles q se dedicaram mais nesta vida ….isso é doutrina mórmon!!!!

      • “….qualquer nível de inteligência surgirá conosco após essa vida …” É impressão minha, ou a maioria das pessoas que falam sobre esta frase referem-se unicamente a conhecimento secular? E o conhecimento do evangelho que vamos adquirindo durante esta vida? Os dois são importantes, mas somente o conhecimento e prática do evangelho poderá nos garantir a vida eterna.

      • Na verdade , nas minhas experiências, todas as vezes que meus lideres disseram isso, era sobre o conhecimento do evangelho. Acho que todo conhecimento é valido e vamos tirar algum proveito.

    • Desculpe nilton mas discordo quando falou que a decisão final é dos dois,digo isso baseado claro no lugar que frequentei quando era membro,a decisão final sim é do MARIDO sempre,prevalece o que ele quer,vejo mulheres aqui sem condição nenhuma de casar e nem de ter pelo menos 1 filho mas o marido por ser portador do tal sacerdócio,leva vantagem e os líderes vão sempre puxar para o lado dele,e elas não tem como levantar a cabeça e ir contra o marido mesmo vendo que estão passando fome.

  8. Muito obrigada por deixar aqui sua opinião.
    Seu comentário afirma mais ainda que não basta a sociedade viver de preconceitos sobre raça,gênero,etnia,opção sexual… Tem que ainda viver de preconceitos e tabus com a idade das pessoas. Eu poderia até me ofender, mas convivo em uma constante tentativa de dialogo com pessoas mais velhas, por isso, o senhor acaba sendo só mais um.
    Não se preocupe irmão, vou envelhecer cedo ou tarde, e volto para lhe mostrar que casamento,filhos, … não mudaram meu pensamento.
    O fato de citar várias coisas nas quais as mulheres possuem um direito na igreja como forma de argumento ‘igualitário’ mostra que realmente o senhor não sabe o que é ser mulher na igreja, tampouco na sociedade.
    Me sinto na idade medieval com essas suas citações.

  9. Larissa você é ótima!
    Parabéns pelo texto, sempre questionei sobre essas coisas, mas por medo de ser o opositor me mantive calada tentando moldar meu ser, até que não pude mais me conter e resolvi falar, o que me levou a ser taxada como mulher de pouca fé! Então questionei, se pensar é ter pouca fé vou me retirar do meio. E assim venho seguindo, não perdendo a fé em Cristo, mas me distanciando de pessoas que tentam me encaixar em um padrão único.
    Abracos

    • Obrigada, fico muito feliz. E que mórmon não se sentiu de pouca fé alguma vez ao questionar algo? Equivoco extremo, se estamos questionando e tentando mudar,acreditamos mais do que nunca de que este é o evangelho de cristo, do contrario simplesmente nos afastaríamos e procuraríamos outra religião.

    • Perfeito Tainá,isso aconteceu comigo enquanto era sud e sim as mulheres tem que ficar caladas,lembro que eu e uma amiga eramos tachadas sempre como ” do contra” pois discordavamos disso de mulher só ser dona de casa e não trabalhar e ser sustentada pelo marido que só ganha 1 salário.

  10. Legal, sister líder treinadora eu acho excelente mas não sou muito a favor de sister lider de distrito, se já com elder fica correria e não recebe mais como os lideres de zona imagina como seria uma zona só com lideres de zona pra fazer as entrevistas, na área deles as entrevistas seriam feitas com outros lideres de zona ou os próprios assistentes, ficaria um pouco mais corrido e menos prático. Esse é meu pensamento visando minha missão que não teria muitas condições para isso, mas tinha la sisteres lider treinadoras que deu certo.

      • Que boa pergunta. Seria sim, e quem sabe assim os batismos não seriam levados mais a serio pelos Elderes que muitas vezes se preocupam apenas em números.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s