Por que Rapazes Fazem Missão e Moças Fazem Bolo?

Texto de Larissa Arce Centurião

Sobre a separação de tarefas por gênero dentro da igreja

Foto: littlemisskaelin.tumblr.com.

Foto: littlemisskaelin.tumblr.com.

Comecei a prestar mais atenção em certos ensinamentos na igreja para compreender por que me prometiam a felicidade mas estavam, de um certo modo, se tornando um incômodo. De princípio até acreditei que meus questionamentos eram desnecessários e que a necessidade de mudança devia estar fora de cogitação. Afinal, quem é que nunca escutou a velha frase: ‘A Igreja é perfeita’?

Porém tomei conhecimento de que o problema estava em algumas doutrinas repletas de sexismo, e isso definitivamente não é saudável para o crescimento de mulheres na igreja (digo mulheres pois são as mais prejudicadas, mas os homens não fogem das consequências). Principalmente para que tenham a plena noção de que os estereótipos extremos na sociedade não fazem nenhum bem, tornando assim o evangelho duvidoso.

Acredito que a base para esses ensinamentos esteja nas organizações dos jovens (ORM). Quando uma criança completa doze anos de idade, ela desvincula-se da primária e passa a ter aulas separadas e especificas de acordo com o seu sexo.

Jovem posando com a publicação

Jovem posando com a publicação “Progresso Pessoal”. Foto: lds.org

Essas aulas dão ênfase para os jovens de seu verdadeiro papel na terra, e eu como Laurel aprendi nesses quatros anos meu verdadeiro papel como mulher e claro minhas responsabilidades diante da família. Creio que os irmãos já imaginam quais ensinamentos tive nesses quatro anos, pois nas organizações dos adultos não é diferente, a questão é que para os jovens passa-se uma visão ‘natural’ das coisas, ensinando toda a visível divisão de tarefas de modo sútil durante tais aulas.

Aprendi que sou uma moça, naturalmente mais frágil, possuo uma afinidade maior e uma responsabilidade maior com os afazeres domésticos, devo ter filhos (sem mas), a responsabilidade de cuidar deles é minha, devo cuidar e ajudar meu futuro esposo com o sacerdócio, e de um modo aprendi também o papel do homem: ele é o cabeça, tem a responsabilidade de me sustentar e o direito de tomar as decisões finais da família.

Com essa explicação objetiva dos ensinamentos devo assustar alguns, mas a prova que tenho de que o que falo é verídico é muito simples, os manuais com metas para obter um testemunho pessoal de Jesus Cristo – diferentes para meninas e meninos.

Imagem da publicação

Imagem da publicação “Dever Para Com Deus”.

Ao analisar Dever para com Deus (dos Rapazes) e Progresso Pessoal  (das Moças) é óbvia a separação de tarefas por gênero. Observamos o foco para os rapazes fazerem o trabalho missionário, adquirir conhecimento e habilidades para um futuro emprego.  Já o Progresso Pessoal das Moças foca na “natureza divina da mulher”, aconselhando sobre o natural instinto materno, com metas para ajudar a família em afazeres domésticos, aprender a cozinhar, costurar, e ainda possui uma opção no projeto de boas obras de “ser uma boa dona-de-casa”.

“Ah! Mas no dever para com Deus também possui meta para os rapazes cumprirem atividades no lar” “Ah! Mas no Progresso Pessoal existe meta de obra missionária”. Ok irmãos, gosto de falar em números, alguém ai já comparou?

O sistema de metas dos dois livrinhos é completamente diferente. Até mesmo entre os jovens é reconhecido que o Progresso Pessoal das Moças é mais difícil, pois depende de um tempo e um foco maiores, moldado aos seus oito valores (fé, natureza divina, valor individual, conhecimento, escolhas e responsabilidades, boas obras, integridade e virtude – Princípios básicos para uma boa moça Sud). A Organização dos Rapazes não possui tais valores como foco, nem se comenta esses valores especificamente. Por que não focar em virtude com os Rapazes assim como nas Moças? 

Repetidas vezes no Dever para com Deus é possível ver imagens de missionários, e apenas duas imagens de meninos lavando a louça (páginas 26 e 75), exemplos dados para as metas de servir ao próximo (qualquer próximo), diferentemente do Progresso Pessoal das Moças, em que todas as atividades referentes ao lar são claramente colocadas para nos preparar a uma futura responsabilidade dentro da família: “O serviço é um princípio essencial da vida familiar. Por duas semanas, ajude a preparar o cardápio de sua família, consiga alimentos e prepare parte das refeições” (Boas Obras, p. 54).

Quando comentado no começo do texto de que os homens não fugiam de tais consequências não houve nenhuma ideia precipitada, afinal, a maneira como eles são ensinados e cobrados da responsabilidade masculina de sustentar toda a família e tomar sobre si todos os problemas fora da responsabilidade materna (filhos, limpeza), e a obrigação (sim, obrigação) de cumprir uma missão de tempo integral também é de se preocupar.

“Se você tiver uma renda, desenvolva e siga um planejamento pessoal de despesas e de poupança. Inclua o pagamento do dízimo e uma poupança para a missão.” Pg.57

Foto: lds.org

Foto: lds.org

Muitos irão criticar o que escrevo, dizendo que é impossível questionar algo que veio da inspiração do Senhor, mas digo: sim, acredito que um manual para os jovens poderem facilmente adquirir um testemunho de Jesus Cristo deve existir, acredito que ensinar sobre a importância do trabalho missionário e a importância de servir também é necessário, acredito que ensinar afazeres domésticos para a proximidade da independência e a importância do aprendizado para os cuidados de uma criança também é extremamente importante, porém, quando ensinado igualmente para os dois.

As pessoas gostam também de lutar contra este argumento apresentando o famoso testemunho dos apóstolos “A Família: Proclamação ao Mundo”: ‘Segundo o modelo divino, o pai deve presidir a família com amor e retidão, tendo a responsabilidade de atender às necessidades de seus familiares e de protegê-los. A responsabilidade primordial da mãe é cuidar dos filhos.’

Não existe documento mais contraditório e patriarcal. Esse documento foi feito por homens. Existe sim um equívoco. Deve haver a necessidade de todos compreenderem a importância da família, porém, não dessa forma.

Infelizmente acho triste mulheres se fecharem a essas ideias, ou então, procurar igualdade ‘até onde convém’. Nós podemos ser mais do que nos apresentam que podemos ser.

Eu não estou querendo dizer que todas as mulheres devem abolir o pensamento de responsabilidade dentro do lar, mas sim, que TODAS devem ter a noção de que sua escolha e sua liberdade não se limitam a isso, todas devem ter a visão de que estar ali é uma escolha e não uma obrigação.

Foto: lds.org.

Foto: lds.org.

Acredito que devem e vão haver algumas mudanças. Uma prova é o direito de sisters  ocuparem cargos na missão antes negados. Ainda falta muito, mas já seria excelente se os membros começassem a compreender e a se sentirem livres para argumentar e questionar certas doutrinas da igreja.

Sei que os problemas apresentados estão presentes nos moldes da sociedade, mas se este é o evangelho de Cristo deve-se então desprender-se dessas ideias e procurar o melhor para seus membros. Todos sofremos as consequências do patriarcado, e o ensinamento igualitário atrai benefícios em qualquer situação.

*Sobre a autora:

Larissa Arce Centurião tem 16 anos e acaba de ingressar no Curso de Ciências Sociais da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.

126 comentários sobre “Por que Rapazes Fazem Missão e Moças Fazem Bolo?

  1. Larissa Centurião, grato pelo convite feito a mim para ler seu artigo. Estou vislumbrado com tamanho poder de argumentação, parabéns ! Não estou aqui pra dizer se está “certo ou errado”, mas sim para contribuir com informações adicionais com o intuito de fomentar este debate. Agora a pouco eu e minha esposa estudávamos em nossa noite familiar o manual chamado: CASAMENTO ETERNO, pgs 127 á 130, artigo de autoria do então Segundo Conselheiro na época, o Pres. Gordon B. Hincley, em jan de 1984. Aqui ele nos ensina sobre 4 pedras angulares de um Lar Feliz, fala sobre o relacionamento entre um Homem e uma Mulher, reflete sobre o que muitas vezes se torna realidade, porém não é o que o Evangelho de Cristo ensina.
    Gostaria que você pudesse ler este artigo para incrementar suas palavras, ampliando ainda mais sua visão, e enriquecendo o debate.
    Vou colocar aqui um pequeno trecho que acredito ser pertinente, porém ficaria muito feliz se você lesse na íntegra(mando o arquivo com o Manual do Casamento Eterno em pdf pra você, ok!):

    -Pres. Gordon B. Hincley-

    “(…)É preciso haver respeito pelos interesses do outro. É preciso haver oportunidades e incentivo para o desenvolvimento e a expressão dos talentos individuais.Todo homem que nega à esposa o tempo e o incentivo para que ela desenvolva seus talentos, nega a si mesmo
    e a seus filhos a bênção que ela poderia conceder ao lar e transmitir a sua posteridade.
    É comum dizermos que somos filhos e filhas de Deus.Não existe base no evangelho que justifique a inferioridade ou a superioridade entre marido e mulher. Acham que Deus, nosso Pai Eterno, ama menos as Suas filhas do que os Seus filhos? Nenhum homem pode
    menosprezar ou maltratar sua esposa, que é uma filha de Deus, sem ofender
    seu Pai Celestial. Sinto-me ofendido pela falsa declaração de que o único destino da mulher SUD é ficar confinada ao lar e estar sempre grávida. É uma frase de efeito, mas é
    falsa. Evidentemente acreditamos que devemos ter filhos. O Senhor ordenou-nos
    a multiplicar-nos e encher a Terra para que tenhamos alegria em nossa posteridade, e não
    há maior alegria do que a proporcionada por filhos felizes numa boa família. Mas Ele não determinou o número de filhos, tampouco o fez a Igreja. Isso é um assunto sagrado entre o casal e o Senhor.”

    Larissa,em 1984 o Pres. Hincley disse isso, e se até hoje pouco mudou…precisamos melhorar e muito. A letra mata o espírito vivifica. Cada um de nós forma o que chamamos de Igreja, no que estamos nos tornando ? O que nos define?

    Bons Estudos.

    Abraços, Marcos Lázaro – Pres. Rapazes da Ala Bandeirantes.

    email: marcoslz83@hotmail.com

    *encaminha um email em branco para o meu, que retorno com o arquivo contendo o Manual – Casamento Eterno, para estudar as páginas 127 á 130.

    • Irmão Marcos, como sou grata ao Pai Celestual quando vejo tão sabias palavras em um site como esse! Posso sentir o amor que você tem por mosso Pai Celestial e Jesus Cristo nosso redentor!
      Seu comentário é de uma demonstração de amor pelo próximo tão grande e reflete o verdadeiro evangelho de Cristo. Só fico triste que parece que foi pouco lido pelas pessoas que comentaram ou pouco compreendido. Que o Pai Celestial continue te inspirando e dando força para levantar a Bandeira em devesa da verdade e retidão!

  2. Amei ler o teu texto, Larissa. Quanta maturidade, sensibilidade e coragem, parabéns! Não canso de elogiar os textos dos meninos, mas ler o teu foi ainda mais prazeroso. Concordo com tudo, tenho a mesma percepção, mas a sensação de impotência. Esse é o começo para uma mudança, mesmo que lenta. Peço que continue compartilhando as tuas idéias aqui e não te deixa abalar por comentários negativos, medianos e sem noção. Tenho certeza que está muito acima disso. Aproveito para acrescentar que tenho formação, trabalho fora e amo o que faço, mas meu sonho era ter a minha família e cuidar da minha própria casa e ter meus filhinhos, TAMBÉM… kkk. Confesso que me acho meio caretona por isso, mas essa dupla jornada é totalmente possível e digna, ainda mais nos dias atuais. Quero uma filha igual a ti!! rsrsrs… Beijinhos!

    • Muito Obrigada Graciela .
      Quem acredita em mudança sempre se sente impotente, mas acabamos por esquecer que todas elas só ocorrem com o que já estamos fazendo-questionando!
      Jamais que você é careta ! Eu quero sim e pretendo ter uma dupla jornada futuramente, com o seu comentário tive mais certeza de que é possível, deve ser uma mãe maravilhosa! Obrigada mais uma vez ! Beijos.

    • Obrigada Graciela !
      Quem acredita na possibilidade de mudança sempre se sente impotente, porém nos esquecemos de que já estamos fazendo o fundamental -questionando !
      Jamais que você é careta, aliás ser careta por escolher isso é outro ponto social hahaha, eu quero sim também poder conseguir ter dupla jornada, e seu comentário me deu mais afirmação de que isto é possível ! Você deve ser uma mãe maravilhosa ( assim como a minha :p ) Agradecida mais uma vez 😀

  3. São Tomás de Aquino: ‘a verdade é filha do tempo’.

    “Até Cristo, no cume da agonia, lançou uma pergunta sem resposta. Por que nós, que somos filhos de Deus por delegação, teríamos o direito congênito a respostas imediatas?”

    “O aprendizado é impossível sem o direito de errar e sem uma longa tolerância para com o estado de dúvida. Mais ainda: não é possível o sujeito orientar-se no meio de uma controvérsia sem conceber a ambos os lados uma credibilidade inicial sem reservas, sem a mínima prevenção inteerior, por ais oculta que seja. Só assim a verdade acabará aparecendo por si mesma.”

    Estes singelos parágrafos de Olavo de Carvalho me vieram a mente enquanto lembro que é bem difícil interlocutores separarem ideias e análises das crenças e opiniões. Basta destoar um pouco do discurso ‘homogêneo’ que já perdeu a fé ou é amoral… análise muito superficial e fraca por sinal. Esta Igreja, que somos nós, não está pronta para o diferente, e isso enfraquece a qualificação para recebermos o Filho de Deus.

    O Antônio Trevisam citou isso em um desabafo (sobre sua participação em uma reunião dominical); vários posts aqui parecem evocar essa temática, quando o que mais se vê nos comentários é falta de imparcialidade crítica. Tente falar uma coisa dessas numa aula dominical e vai dar no que falar…

    E antes que escrevam qualquer coisa, sou membro de bispado, trabalho intensamente com jovens, sou voluntário nos SEI (Instituto) e não desacato qualquer líder ou programa. Frequento o templo tanto quanto me é possível, minha esposa e eu servimos missão, incentivo ela a sonhar, querer estudar ou ter um negócio; temos uma menina (eu até gostaria de mais, mas quem decide isso é minha esposa e sou tranquilo com isso).

    Já presenciei muitas ‘maravilhas do céu’ e presto testemunho vigoroso das coisas sagradas que sei. E ainda assim, eu me atrevo a pensar, e sou bem realista quando me perguntam coisas sobre o evangelho ou a vida, cuidando sempre para não desmontar a fé daquele que me busca, mas ajudá-lo a ajustar o foco e crescer nessa fé.

    Essa moça aí é bem esperta, mas não é ‘apóstata’. E sim, ninguém escreveu isso e alguns nem pensaram, embora tenham fugido do assunto. Prefiro liderar ovelhas pensantes do que ‘vacas mandadas’, pois no final, as verdadeiras ovelhas serão reunidas pelo Bom Pastor.

    Agora, lendo, percebi que esse comment nem era para estar aqui neste post, mas me deu um trabalho de digitar, não vou apagar… kkkk

    • “não é possível o sujeito orientar-se no meio de uma controvérsia sem conceber a ambos os lados uma credibilidade inicial sem reservas”. Gerson, essa afirmação também me remete à famosa frase de Joseph Smith: “ao provar contrários, a verdade é manifestada”. Não podemos ter medo de opiniões diferentes (ou, muito menos, abdicar de ouvir outras opiniões em favor da rotulação).

  4. Concordo com a jovem que escreveu esse texto, embora alguns lideres preguem igualdade e elevem o papel da mulher na igreja e na sociedade, a realidade da mulher passa longe disso. Devemos trabalhar mais arduamente para mudar esse paradigma que prevalece mantendo nossas amadas filhas sujeitas ao machismo. Gostaria tambem de ressaltar que acima de tudo a liberdade de escolha deveria ser o principal fator decisivo na vida delas.

    • Fabio, então fiquei com uma dúvida, nossos lideres ensinam machismo? tipo, eles são inspirados no que ensinam? O profeta é inspirado? Ou são apenas idéias machistas de suas cabeças? tipo, a igreja deve adptar-se ao membro ou o membro deve adptar-se a igreja? Esta mudança que falam é o que exatamente?

      • A igreja esta adaptada a sociedade, o evangelho não. Como a igreja é na terra administrada por homens esses pensamentos se infiltram . Foi como eu disse no texto :
        “Muitos irão criticar o que escrevo, dizendo que é impossível questionar algo que veio da inspiração do Senhor, mas digo: sim, acredito que um manual para os jovens poderem facilmente adquirir um testemunho de Jesus Cristo deve existir, acredito que ensinar sobre a importância do trabalho missionário e a importância de servir também é necessário, acredito que ensinar afazeres domésticos para a proximidade da independência e a importância do aprendizado para os cuidados de uma criança também é extremamente importante, porém, quando ensinado igualmente para os dois.” Ou seja, a inspiração existe e é verdadeira, porém é feita ao modo dos homens.
        A mudança é : Igualdade.Liberdade de escolha.

      • Uma pessoa pode ser inspirada pelo Espirito em um momento mas continuar com a mentalidade secular como vemos nas escrituras. Joseph Smith ensinou que a tradicao dos pais e que tira a luz e a verdade dos homens (D&C 93:38-39) O membro deve seguir buscando orientacao do Espirito e ao mesmo tempo ampliando seu conhecimento e nao adpatar se a nenhum sistema, e sempre mais facil seguir alguem do que seguir o Espirito, No livro de Mormon vemos a triste historia de Laman e Lamuel onde eles se esforcavam em seguir o Lider mas nunca conseguiram seguir o Espirito do Senhor.

  5. Gosto das discussões porque nos ajuda a refletir e ponderar no que é ensinado a nós, mulheres. Muitas vezes ensinamos também coisas nas quais não acreditamos plenamente, mas fazemos por obediência (faço pelo Senhor, e não pelo homem). Já tenho 30 anos, um filho e casada há quase 9 anos (casei cedo demais), sou mais articulada do que o meu marido, sou formada e mais perto de conquistar sucesso profissional do que ele. Como mulher, gosto de me sentir protegida e amada, não me faço de meiga e frágil para ele (apesar de ser naturalmente mais frágil), tenho personalidade forte e fama de sarcástica na minha ala (Aff! Tem gente que merece uma boa resposta mesmo), me visto com recato (ops! aos padrões da igreja né) e critico mesmo quando não gosto de um comportamento, não pela igreja, mas pela forma como penso. Às vezes sinto vontade de ficar em casa pelo meu filho, mas ganho mais do que o meu marido e não coloco muita fé nele não, um dia meu filho vai sair de casa… E outra, os homens se cansam de tudo depender deles, até os que têm dinheiro, esposas de grandes líderes que posam de santinho já me confessaram um monte de coisa, até de levar um supetão (sério!). Uma vez o meu presidente de estaca acusou minha irmã de adultério só porque ela queria se separar. Ah! E uma vez fui reclamar (pedir que ele aconselhasse) que meu marido (bispo na época) era paradão, queria que ele estudasse, e ele fez a mulher dele me emprestar um livro de como uma mulher deve se comportar. E aquelas mulheres que têm quatro filhos e ficam em casa que se acham mais dignas do que eu? Por quê? Eu chego à noite em casa e o pouco tempo que fico com ele sou muito carinhosa, e ele é mais esperto, amoroso e educado que os filhos delas. Ainda tenho que me cuidar, pois não é só porque o meu marido é da igreja que eu vou relaxar. E não sou tapada, percebo os outros homens me admirando e acredito que é justamente por eu ser independente, forte, vaidosa… Enfim, só quero mostrar para você, Larissa, que existem muitas mulheres como eu na igreja, não somos “submissas”. Você é muito inteligente, e concordo que você deve ser assim, é muito bom. No entanto, assim como o machismo demais não é bom, o feminismo também. Mesmo tendo um olhar crítico, eu entendo que, como seres humanos, precisamos de limites, senão vira bagunça. Eu ainda sei que a igreja é o melhor lugar para a minha família, que os princípios me ajudam a moldar o meu caráter (sei que tenho muito que melhorar), eu alio o bom senso e os ensinamentos da igreja, assim como também considero bastante o conhecimento científico. Lembra dos tipos de conhecimentos que aprendemos na escola de filosofia? Considero todos essenciais e filtro tudo que seja mais importante para mim e para a minha família. Agora, fazer o que, se tem mulher que não se valoriza?!

    • Com certeza sei que não são todas as mulheres que são submissas na igreja.

      Vejamos seus argumentos :

      “Os homens se cansam de tudo depender deles” – Colocar características especificas de acordo com o sexo, moça isso é errado.

      “No entanto, assim como o machismo demais não é bom, o feminismo também. Mesmo tendo um olhar crítico, eu entendo que, como seres humanos, precisamos de limites, senão vira bagunça.” – Não existe ‘feminismo’ demais, ou você é ou não é.

      “No entanto, assim como o machismo demais não é bom, o feminismo também.” – Deste argumento tiro a conclusão de que possivelmente não compreende que feminismo não é o oposto de machismo, feminismo não é pensar que a mulher é superior ao homem , isso se chama femismo. Não vejo nenhuma situação em que igualdade ‘demais’ seja prejudicial.

      “Agora, fazer o que, se tem mulher que não se valoriza?!” – Moça,qualquer pessoa possui um valor, qualquer pessoa já tem respeito por direito, isso não é uma coisa a ser conquistada e sim a ser cobrada da sociedade. Cada um é cada um.

      “Apesar de ser naturalmente mais frágil” – Se pensa assim, não sei o que dizer, só sei dizer que desde a infância a sociedade nos ensina que do padrão qualquer menina é mais delicada e sensível. Mito.

      Obrigada pelo comentário 😀

  6. Parabéns pelo texto menina! Vi que é acadêmica de Ciências Sociais. Sou sociólogo pela UERJ. Se precisar de ajuda ao longo da graduação pode contar comigo. Muitos beijos e, novamente, parabéns!

  7. Olá, Larissa.

    Na noite passada quando vi seu post fiquei encantada com o seu texto, não fiquei surpresa porque te conheço e sei que isso é apenas o começo de sua luta, como sua presidente tenho muito orgulho de ouvir e ler seus comentários, quero deixar claro que apoio todos as lutas que forem para o bem e nao acho nada errado uma mulher expressar seus desejos, suas duvidas, seus medos e sonhos na igreja, se ela nao pode fazer isso na igreja oande ela fará então? Sempre que a Larissa vai as aulas temos muitas perguntas e respostas e mais perguntas rsrsr, a aula fica dinamica e as outras moças falam de suas duvidas tambem, acredito que muitas coisas devem mudar na igreja porque de fato existe essa diferença, tenho 26 anos servi na missão BH 2009 a 2011 e muitas vezes me sentia menor que os homens, cheguei a perguntar para o meu presidente porque as mulheres nao podiam receber cargos de liderança e ele me disse que isso era “apostasia”, assim que cheguei da missao, a idade para servir missão dos homens e das mulheres diminuiram, as sisteres receberam cargo de “Sister Treinadora” e atualmente tem conferencia das sisteres, muitos elderes me falaram que essa mudança foi positiva e ajudou a acelerar a obra do senhor, meu lider de zona me chamava de Elizete (lider de zona) porque eu questionava a autoridade deles sobre mim, normalmenteeu dizia pra eles nao gostei do seu tom passo o relatorio amanha, a forma que muitas vezes fui tratada nao me deixava feliz.

    Me casei seis meses depois que cheguei da missão e deixei bem claro que eu nao teria filho cedo, que ficaria em casa limpando e cozinhando e que estudaria, já se passaram 3 anos faço duas faculdades ao mesmo tempo, recentemente terminei uma que é mais curta e em maio começo minha pós graduação, na engenharia enfrento os preconceitos dos homens e fico impressionada com a maneira que somos tratadas, mutas vezes é necessario assumir uma postura masculina para receber o respeito deles. Já fui muito criticada por ainda nao ter filhos e muitas vezes fui grossa quando tentaram me impor isso, essa é minha natureza, mesmo sabendo que a maternidade é algo sagrado e que Deus nos deu esse tempo na terra para progredirmos e trazermos seus filhos para a terra, ainda nao tenho o desejo materno e não consigo ver uma criança me chamando de mãe, vou ter filhos quando eu sentir que é a hora de ter, tambem nao quero ser mae muito velha.Minhas brincadeiras de infancia era com uma barbie falsificada que estudava, trabalhava e era casada sem filhos rsrsrsr, a Larissa nasceu em um lar com 3 homens e sempre questiona a mae e o pai sobre essa diferença, ela gosta de cozinhar mais cozinha por gosto e nao por obrigação, não vou fazer e nem pedir para Larissa mudar os pensamentos dela, porque ela sempre foi assim e nao acho errado a maneira dela pensar, sei que ela vai conquistar muitas coisas, ela tera meu apoio quando as coisas forem positivas para todos e para ela, esses dias falei para as moças vamos arreacadar roupas para ajudar alguns jovens do FSY com poucas condiçoes finaceiras, vamos costurar, lavar, passar e organizar, uma delas me disse eu venho se os rapazes vierem pois eles precisam saber disso tambem, para ajudarem no lar rsrs, posso dizer que isso ja esta sendo percebido por todas elas.

  8. Pingback: PORQUÊ OS RAPAZES FAZEM MISSÃO, E AS MOÇAS FAZEM BOLO? «

  9. Parabéns pelo texto Larissa, realmente você,diferentemente de mim, sabe expor muito bem suas ideias!
    Vou tentar expor minha opinião com todo o repeito.
    Larissa,acho que a Igreja não esta edificada pelos moldes da sociedade,mas sim, nos moldes do próprio Pai Celeste!Ele está no controle! Sabe, já pude notar que as defensoras mais fervorosas do feminismo querem no fundo(e não tão fundo assim)ser literalmente homens!
    Pode parecer meio forte,e até equivocada, essa minha conclusão, mas pense bem:as feministas fanáticas mesmo, não querem apenas trabalhar fora do lar,elas querem trabalhar em um serviço extremamente tão braçal e viril quanto os homens.Elas depreciam o fato de poderem gerar filhos dentro delas e, realmente acham o próprio Deus machista pelo fato delas serem naturalmente assim.Pude perceber que elas não aceitam o fato do corpo feminino ser fisicamente mais frágil e anatomicamente mais delicado que o corpo masculino.Por fim querem literalmente ter as mesmas atitudes e gestos dos homens, achando que a própria essência doce e meiga da mulher as torna inferiores….Ou seja, se dependesse delas, simplesmente não existiria a mulher!Pois elas seriam homens!
    Sabe,eu não sei pqe(Deus permitiu) vocês não possuem plenamente o sacerdócio agora.Tbm não sei pqe vocês foram(e são) realmente tão discriminadas(assim tbm como a raça negra).Não sei pqe existe o homossexualismo. Não sei pqe os filhos do Pai Celestial foram divididos entre homens e mulheres.Mas sei com certeza que nenhum de nós é inferior a ninguém por causa desses fatos.

  10. Parabéns pelo texto Larissa, realmente você,diferentemente de mim, sabe expor muito bem suas ideias!
    Vou tentar expor minha opinião com todo o repeito.
    Larissa,acho que a Igreja não esta edificada pelos moldes da sociedade,mas sim, nos moldes do próprio Pai Celeste!Ele está no controle! Sabe, já pude notar que as defensoras mais fervorosas do feminismo querem no fundo(e não tão fundo assim)ser literalmente homens!
    Pode parecer meio forte,e até equivocada, essa minha conclusão, mas pense bem:as feministas fanáticas mesmo, não querem apenas trabalhar fora do lar,elas querem trabalhar em um serviço extremamente tão braçal e viril quanto os homens.Elas depreciam o fato de poderem gerar filhos dentro delas e, realmente acham o próprio Deus machista pelo fato delas serem naturalmente assim.Pude perceber que elas não aceitam o fato do corpo feminino ser fisicamente mais frágil e anatomicamente mais delicado que o corpo masculino.Por fim querem literalmente ter as mesmas atitudes e gestos dos homens, achando que a própria essência doce e meiga da mulher as torna inferiores….Ou seja, se dependesse delas, simplesmente não existiria a mulher!Pois elas seriam homens!
    Eu não sei pqe vocês não possuem plenamente o sacerdócio agora.Tbm não sei pqe vocês foram(e são) realmente tão discriminadas(assim tbm como a raça negra).Não sei pqe existe o homossexualismo. Não sei pqe os filhos do Pai Celestial foram divididos entre homens e mulheres.Mas sei com certeza que nenhum de nós é inferior a ninguém por causa desses fatos.

    • O que é ser homem ? e agir como um homem?
      Se a igreja estivesse modificada aos moldes do pai ela seria imutável. Acredito que Deus não é bipolar :B

      “Pode parecer meio forte,e até equivocada, essa minha conclusão, mas pense bem:as feministas fanáticas mesmo, não querem apenas trabalhar fora do lar,elas querem trabalhar em um serviço extremamente tão braçal e viril quanto os homens.Elas depreciam o fato de poderem gerar filhos dentro delas e, realmente acham o próprio Deus machista pelo fato delas serem naturalmente assim.Pude perceber que elas não aceitam o fato do corpo feminino ser fisicamente mais frágil e anatomicamente mais delicado que o corpo masculino.Por fim querem literalmente ter as mesmas atitudes e gestos dos homens, achando que a própria essência doce e meiga da mulher as torna inferiores….Ou seja, se dependesse delas, simplesmente não existiria a mulher!Pois elas seriam homens!”

      Ser homem é ser forte ?

      “natural essência doce” , por favor, isso me deprime.

      Sim suas colocações foram completamente equivocadas , creio que não compreende o objetivo daquelas que lutam pela igualdade de gênero. Alias , sabe o conceito de ‘feminista radical’ ? Se for na sua opinião for o ‘muito feminismo’ , isso não existe, como já argumentei , ou você é ou você não é.
      Obrigada pelo apoio mesmo assim, mas acho importante o senhor se livrar de certos padrões de pensamentos sobre o que as mulheres são e o que elas devem ser, e até mesmo sobre o que é ser um homem .

      Obrigada 😀

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s