Onde há mais Jedis que Mórmons

Há anos estamos publicando dados estatísticos para demonstrar que o crescimento da Igreja Mórmon vem declinando consideravelmente nas últimas décadas, tanto no Brasil como no mundo. [Ver aqui, aqui, aqui, aqui, e aqui]

Jedi

A situação chegou a tal ponto que há um país de primeiro mundo com mais praticantes da religião Jediismo, baseada nos Cavaleiros Jedi da franquía Star Wars, que membros ativos (ou semiativos) d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

E, ironicamente, os dados estatísticos ainda demonstram que a Igreja está melhor lá que no Brasil. Continuar lendo

Chapéus e Óculos Solares Para Missionários Mórmons

Dentre os diversos desafios do serviço missionário feito por jovens mórmons, estão os rigores do clima e o esforço físico realizado enquanto vestem “trajes profissionais e conservadores“. Todos os que serviram missões de proselitismo, ou observaram o cotidiano desses jovens, notam que tais trajes nem sempre são tão confortáveis ou adequados ao clima.

missionários mórmons roupas

Missionários SUD com chapéus e óculos de sol (Imagens: lds.org)

Continuar lendo

A missão virou moda?

A missão virou uma moda?

“A missão da mulher é casar”.

Que mórmon com mais de 5 anos de membro nunca ouviu essa frase? Seja numa aula, discurso, atividade ou conversa casual, algumas vezes ouvimos esse clichê. Para alguns, a ideia de que essa missão deveria ser cumprida era tão forte, que surgiria outro clichê em forma de rima:

“Quem casa com laurel vai para o céu”.

Artigo no jornal da Igreja Deseret News

Artigo no jornal da Igreja Deseret News nota aumento no número de missionárias.

Essa ideia ainda é viva dentro da cultura popular SUD. Porém, um fato histórico mudou o rumo e fez amenizar esses clichês. Continuar lendo

Qual o Objetivo do Trabalho Missionário na Igreja SUD?

Este texto não é de minha autoria e o publico aqui na íntegra por solicitação.


Pintura de David Lindsley

Pintura de David Lindsley

Olá, caros leitores do site. Estou escrevendo este texto porque acredito que este é um bom lugar para o pensamento livre. Faz anos que eu me questiono sobre algumas práticas missionárias da Igreja e se elas são realmente eficazes ou a quem elas visam atingir realmente. Entretanto, nunca pude comentar nada na Igreja porque seria imediatamente taxado de apóstata por não acreditar em algumas dicas de Pregar Meu Evangelho (PME).

Antes de mais nada, preciso deixar claro que servi como missionário há cinco anos e peguei a fase PME. Já estudava comunicação antes da missão, mas meus estudos mais significativos ocorreram apenas depois que retornei à universidade. Enquanto estudava, percebia que havia falhas na comunicação utilizada pela Igreja em suas abordagens missionárias, fosse pelo trabalho dos élderes e sísteres, fosse em programas como “Mãos que Ajudam”. Hoje não tenho tantos pudores para comentar esse tipo de assunto porque não frequento mais a Igreja. Embora eu duvide de uma série de coisas, eu não tenho ódio pela igreja e, inclusive, me permito indicar alguns amigos aos missionários. Gostaria de contar-lhes algo que aconteceu esta semana para poder ilustrar melhor o ponto em que quero chegar. Continuar lendo

Louisa Barnes Pratt: Unção

Louisa Barnes Pratt ca 1855

Retrato de Louisa Barnes Pratt (1802-1880)

Missionária em uma época em que mulheres mórmons não serviam missões, Louisa Barnes Pratt viveu na Polinésia Francesa entre 1848 e 1850, junto com seu marido Addison. Suas memórias sobre a vida no Pacífico incluem interessantes relatos a respeito da imposição de mãos e outros rituais de cura utilizados por mulheres mórmons. Falando sobre os polinésios, afirmou:

Eles têm grande fé nas ordenanças do Evangelho tais como batismo e imposição de mãos para recuperar a saúde do doente. Eu trouxe comigo uma garrafa de óleo consagrado que foi abençoado pelo irmão Brigham Young e outras autoridades, antes da minha saída de Salt Lake. As mulheres tiveram grande fé no óleo quando lhes disse de onde o havia trazido e por quem havia sido abençoado. Elas frequentemente trazem suas crianças até mim quando estão doentes para eu ungi-las, dar óleo internamente e impôr minhas mãos sobre elas em nome do Senhor; se eu lhes dissesse que ficariam bem logo, pareciam não ter dúvida disso, e assim era de acordo com sua fé.


Referência

Smart, Donna Toland,  The History of Louisa Barnes Pratt. Logan: Utah State University, 1998, p. 128.

Como lidar com a história da Igreja?

“As crianças começam por amar os pais, à medida que crescem tornam-se seus juízes, perdoam-lhes, às vezes”.

                                                                                           Oscar Wilde, em O Retrato de Dorian Gray.

Na semana anterior à VI Conferência Brasileira de Estudos Mórmons, soube que um dos temas abordados seria baseado em uma experiência que Suzana Nunes tivera há pouco tempo.

Conforme nos contou Suzana, uma moça que se preparava para servir em uma missão de tempo integral pediu-lhe que fizesse algumas perguntas sobre a Igreja. A moça, de antemão, mencionou querer perguntas difíceis para treinar sua retórica e testar seu conhecimento sobre o mormonismo.

Suzana então preparou dez perguntas, que podem ser transcritas mais ou menos assim:

Imagem: Florêncio Batista.

Imagem: Florêncio Batista.

A reação da moça que solicitou o teste deixou Suzana reflexiva, segundo esta nos contou dia 7, sábado. A futura missionária não somente desconhecia aquelas coisas, como automaticamente classificou tudo aquilo como mentira.

Ao entrar em contato com essa experiência, veio-me à mente a ideia de fazer as mesmas perguntas a dois rapazes que estão preparando os papéis do chamado missionário.

A resposta dada pelos rapazes foi a mesma da moça sabatinada pela Suzana, com a pequena diferença de que um deles colocou como verdadeira a pergunta sobre Joseph ter sido maçom, pois ouvira sobre isso de um amigo, em um acampamento da Igreja.

As perguntas foram direcionadas a jovens adolescentes, mas não creio que as respostas teriam sido muito diferentes se as mesmas perguntas fossem lançadas a pessoas mais velhas, com mais tempo e posição na igreja.

Neste artigo, quero levantar possíveis razões para o desconhecimento que mórmons têm de sua própria história, as questões culturais que concorrem para isso e propor caminhos para que as próximas gerações possam lidar de uma maneira mais saudável com os assuntos considerados espinhosos de sua tradição religiosa. Continuar lendo

Assédio Sexual na Missão

Seeking-the-Spirit Greg Olsen

Buscando o Espírito, pintura de Greg Olsen.

Missionárias d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias vivem uma rotina dura de trabalho e vários desafios nos seus esforços de proselitismo. Uma dificuldade que pode passar despercebida por ser pouco comentada é o assédio sexual. Continuar lendo

Um missionário brasileiro na Colômbia

MARLON 2Texto de Marlon Paes de Farias

Talvez você tenha visto, em sua ala ou ramo, missionários de língua hispânica. Ou jovens brasileiros que receberam seu chamado missionário para servir em outros países da América Latina. Para os membros que tem um pouco mais de tempo na igreja, a grosso modo parece algo novo, ás vezes causando até certa tipo surpresa. Eu, há quase dois anos, servi numa missão de língua hispânica. Nesse período, tive o prazer de aprender algumas das razões políticas-sociais para essa nova trajetória missionária.

Servi na missão Colômbia Bogotá-Sul, uma missão que pedia, até o crescimento da obra missionária feita pelo profeta Monson, uma média de 4 missionários brasileiros por vez, já que tinha fronteira com Tabatinga, uma cidade brasileira  da Missão Manaus, que não queria ensinar por lá, por ser longe e sem segurança. Logo cabia a nós, brasileiros-colombianos, ficar um ano pregando em um local onde se falavam 3 línguas – o espanhol, o português e o portunhol.
Continuar lendo

Proselitismo digital

Sisters_iPadMais de 32 mil missionários usarão iPads Mini até 2015, segundo planos da Igreja sud. Em missões nos EUA, Canadá, Japão e Europa ocidental, missionários irão adquirir seus próprios dispositivos pré-configurados no valor de US$ 400 (cerca de R$ 887,56 pelo câmbio de hoje). O anúncio foi feito no início do mês de julho. Os iPads servirão para estudo pessoal, planejamento e proselitismo online. Continuar lendo

Crescimento da Igreja Mórmon (2014)

“Estamos reunidos juntos como uma grande família, mais de 15 milhões [de membros] fortes…”, disse Thomas Monson durante a abertura da última Conferência Geral neste fim de semana que passou. Com esta frase, o Presidente da Igreja SUD nos convida a revisitar uma análise estatística de como anda o crescimento da Igreja e ponderar justamente como enxergamos, compreendemos e utilizamos este conhecimento matemático.

Thomas Monson estabelece um número

Thomas Monson estabelece uma afirmação estatística (checável) em plena Conferência Geral

Tal entusiasmo estatístico não é incomum entre a liderança da Igreja. Na Conferência Geral de 2007 (Outubro), o Apóstolo Russell Ballard alardeou: “Como uma das fés Cristãs que cresce mais rápido no mundo, construímos uma capela nova todo dia de trabalho.”

E entre publicações recentes nos jornais oficiais da Igreja há muitos artigos que reforçam essa percepção, além do próprio escritório de relações públicas da Igreja. Lendo as publicações da Igreja e os discursos em Conferência Geral, tem-se a impressão de que a liderança está bastante otimista com o rápido crescimento da Igreja pelo mundo.

Não obstante tal otimismo, em Outubro de 2012 o mesmo Presidente Monson anunciou o rebaixamento da idade mínima para serviço missionário (de 19 para 18 anos para meninos, e de 21 para 19 anos para as meninas) em parte, de acordo com o Apóstolo Jeffrey Holland, para que “Deus … apress[e] Sua obra…”.

Em plena Conferência Geral, o atual Presidente da Igreja estabeleceu uma afirmação clara e inequívoca que pode ser testada, analisada e checada. No mesmo dia, a Igreja apresentou seus novos dados estatísticos para o ano de 2013. Com estes dados novos, além dos dados já oficialmente publicados pela Igreja nos anos anteriores, e comparados com dados populacionais de vários censos, pode-se checar e confirmar a afirmação do Profeta Mórmon e responder — e levantar — algumas perguntas.

A primeira, e mais importante, questão é: Como realmente anda o crescimento da Igreja?

Continuar lendo

Por que Rapazes Fazem Missão e Moças Fazem Bolo?

Texto de Larissa Arce Centurião

Sobre a separação de tarefas por gênero dentro da igreja

Foto: littlemisskaelin.tumblr.com.

Foto: littlemisskaelin.tumblr.com.

Comecei a prestar mais atenção em certos ensinamentos na igreja para compreender por que me prometiam a felicidade mas estavam, de um certo modo, se tornando um incômodo. De princípio até acreditei que meus questionamentos eram desnecessários e que a necessidade de mudança devia estar fora de cogitação. Afinal, quem é que nunca escutou a velha frase: ‘A Igreja é perfeita’? Continuar lendo

Missionárias terão chamado de liderança

Missionárias sud terão novo chamado na hierarquia das missões

Enquanto aguardamos a confirmação de que mulheres poderão orar na Conferência Geral, a Igreja anuncia uma mudança que dá mais inclusão para as mulheres no serviço missionário. Jovens solteiras em missão de um ano e meio (“sisters”, no jargão sud brasileiro) poderão receber um chamado para liderar e treinar outras missionárias. A “Sister Líder de Treinamento” também integrará um novo Conselho de Liderança da Missão, juntamente com outros missionários homens. Abaixo, apresentamos a tradução do comunicado de imprensa publicado ontem. O original em inglês pode ser lido aqui.

missA Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias está fazendo ajustes no modo como suas 405 missões são organizadas, para melhor utilizar as competências e habilidades de todos os missionários em formação e liderança. A mudança se deve, em parte, ao afluxo de milhares de jovens missionários que estão respondendo à redução da idade requerida para o serviço missionário, anunciada pelo Presidente da Igreja, Thomas S. Monson, em outubro passado.

Cada missão na Igreja irá organizar um Conselho de Liderança da Missão que incluirá líderes missionários élderes (homens) e sisters (mulheres). O novo conselho de liderança da missão consistirá do presidente da missão e sua esposa, assistentes do presidente, líderes da zona e as sisters líderes de treinamento – um cargo recém-criado. Continuar lendo

Menos idade = mais missionários?

Neste primeiro dia da 182a Conferência Geral de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, o presidente Thomas S. Monson anunciou a nova idade mínima para os missionários de tempo integral: 18 anos para os homens e 19 para as mulheres (ao invés do padrão anterior de 19 e 21, respectivamente).

A nova idade mínima, no entanto, não será obrigatória para os homens, afirmou Monson: “não estou sugerindo que todos os rapazes irão – ou devem – servir nessa idade mais jovem”. Continuar lendo