Depois da pedra, o chapéu

chapéu

Imagem: lds.org.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias começou a incorporar a pedra de vidente à narrativa da tradução do Livro de Mórmon. Após ter publicado fotos de uma das pedras de vidente utilizada por Joseph Smith, bem como um artigo na revista Ensign, outra publicação oficial recente incorpora – ainda que discretamente – o tema da pedra.

Tradução do Livro de Mórmon

No artigo intitulado O Lar de Joseph e Emma Smith, uma foto busca reconstituir como teria sido a mesa na qual Joseph Smith realizou o trabalho de tradução na cidade de Harmony, Pennsylvania. Em um dos cantos da mesa, o chapéu no qual Joseph Smith colocaria a pedra para exercer seus dons de vidente e tradutor.

Urim e Tumin

Pedras de vidente eram utilizadas para caça de tesouros e outras práticas divinatórias populares durante a adolescência de Joseph Smith. Foi nesse período que ele obteve sua primeira pedra. A partir da década de 1820, o termo bíblico “Urim e Tumim” passou a ser utilizado por Joseph e seus familiares para se referirem às pedras de vidente.

15 comentários sobre “Depois da pedra, o chapéu

    • A pedra de vidente de Joseph Smith tem toda a aparência da uma rocha sedimentar do tipo ‘formação de ferro bandado’. Essas formações costumam tardar entre 1 e 2 bilhões de anos para se formar. Radiometria por Carbono-14 não consegue avaliar além de 500 mil anos.

      Mesmo que se propusesse outras formas de datação radiométricas mais adequadas, como Potássio-Argônio, seria impossível fazê-lo sem destruir a pedra. Ademais, as pedras de videntes eram típicamente escolhidas por suas características físicas, que lhes ofereciam o aspecto ou a ilusão de manufatura intencional. Datá-la radiometricamente significaria deformá-la permanentemente.

      Além disso, a datação não traria dados muito relevantes. Smith encontrou a pedra no início da década de 1820 mas nunca elaborou na sua formação ou origem. Se ela tem 500 mil, ou 1 bilhão, ou 2 bilhões de anos em existência, não vejo como isso alteraria a compreensão que temos do processo de produção do Livro de Mórmon.

  1. A igreja recentemente mostrou as “supostas” pedras e estavam tão novas, nem parecia que séculos já tinha se passado……deveria realmente fazer um teste de carbono 14 adoraria ver o resultado….

    • Esse tipo de rocha, se for realmente o que parece ser (ver comentário acima), costuma manter formato, cor, e aspecto por milhões de anos.

      A julgar pela descrição de todas as testemunhas oculares, essa pedra bate perfeitamente com o “Urim e Tumim” usado durante a produção do Livro de Mórmon.

  2. Tem alguns anos eu li um material xerocado que falava das pedras e o suposto processo de tornar uma pedra retirada da natureza em uma pedra de vidente. Claro, não era uma publicação oficial da igreja. Na publicação lia-se sobre consagrar a pedra e incluía o uso do óleo também consagrado. Um tempo depois conheci um missionário norte- americano que possuía e usava pedras do gênero e afirmava receber revelações através destas.
    Claro que seria interessante mais informações sobre a pedra, mas de acordo com as declarações da igreja e informações até lidas aqui no blog, constatamos que o uso das pedras parecem surgir de um sincretismo religioso e não de uma ordem celeste para uso das pedras. Nesse sentido parece não fazer diferença ao meu ver, que testes sejam realizados nas pedras apresentadas pela igreja, pois não tornaria os relatos da pedra menos ou mais verdadeiros. O fato realmente importante foi a igreja de maneira pública e direta assumir que as pedras foram utilizadas na tradução. Um fato que me chama atenção é que segundo relatos de Joseph Smith, o Urim e Tumim foram reclamados pelo anjo ao passo que as pedras de vidente não. Também é notório que a igreja poderia somente assumir o modo de tradução sem apresentar as pedras mas escolheu mostra-las. Isso pode ser indício de que um teste sendo feito, ele estaria de acordo com a cronologia; ou não, posto que as pedras “podem” ser as usadas pelo Profeta.

  3. Nao vejo relevancia na maneira em que o LM foi traduzido, o que vale e o proposito do LM que e trazer pessoas a Cristo e nisso o Livro cumpre seu papel se usado corretamente. O problema e que a Igreja utiliza o LM para trazer pessoas a Igreja e controlar as pessoas, alem de usar o LM para cobrir as fraquezas da instituicao. Uma das poucas inspiracoes na Igreja nos ultimos anos foi a declaracao do President Ezra Taft Benson quando declarou que a igreja estava sob condenacao por negligenciar o LM.

  4. O Senhor instruiu aos santos como devem prepara-se para receber estes dons, à medida que forem necessário para Igreja. Outros materiais foram usados e estão sendo usado para nos abençoar, a Aliahona para Leí, as pedras incandescente de Jarede, o cajado de Moisés, sem uma chaves, não conseguiremos distinguir o genuíno do espúrio.

  5. O problema é que disseminou-se pelos missionário, ensinamentos e costumes da igreja, discursos de sacramental, ensinado por coordenadores de institutos, classes dominicais, que a tradução foi feita pelo urim e tumim, manual de religião 327 pág. 64, que foi devolvido por Joseph Smith para o anjo Morôni, isso põe em evidência os ensinamentos empíricos recebidos como oficiais, este domingo em um discurso sacramental uma irmã disse que o profeta sabe de tudo é e este o entendimento da maioria esmagadora na realidade fática, ai de quem contraria ou se opõe contra a diretriz e muitas vezes ordem coercitivas de bispos, presidentes de estacas e autoridades gerais, pois são idolatrados e venerados como se fossem Deus na terra e dono de verdades absolutas. Escutamos muitos folclores em discursos incoerentes, falado por membros e bispos, presidentes de estacas e muitos dizem que são inspirados pelo Espirito Santo, será se Ele é tão confuso assim, antes da matéria da Liahona do mês de setembro de 2015, quem falasse tal coisa era tachado de insano, herege, apostata e outra coisas mais; e agora o que dirão?
    Quando me missão me perguntaram sobre está história de que Joseph colocava uma pedra no chapéu para traduzir, eu disse que isto era mentira, era calúnia de grupos apostatas, pois foi sempre isto que me fora ensinado e agora o que dizer para está pessoa? O próprio livro de mórmon diz que a tradução poderia somente ser feita através do urim e tumim. A novas revelações do departamento histórico, muitas vezes, tem-se demostrados contrários e incoerentes aos entendimentos tradicionais sobre a história da igreja, então vê-se que não sabemos quase nada sobre a igreja que professamos ser verdadeira; O que os apóstolos videntes e reveladores o que tem a dizer sobre estes assuntos; estarão sujeitos a entendimentos acadêmicos? E como ficam seus dons meta físicos transcendentais? Não são eles senhores de verdades absolutas, pois não conhecem a mente de Deus e falam pessoalmente com Jesus Cristo?

    • Há uma lacuna muito grande entre o que é possível conhecer da história mórmon em fontes originais e livros acadêmicos e aquilo que é ensinado na Igreja. Mesmo uma abordagem seletiva para fins devocionais deveria primar pela honestidade. Os erros ensinados aparecem, como você observa. E acho isso um processo muito salutar. Minha grande dúvida é se essa narrativa tradicional cederá lugar a uma narrativa mais próxima dos fatos na realidade local da Igreja. No próximo domingo será que dá para mencionar a pedra de vidente marrom sem ser escanteado ou acusado?

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s