Joseph Fielding Smith: Profecia sobre a Lua

Quando uma profecia é válida? Quando é inspirada? E quando é apenas uma “opinião de um homem”?

aldrin_apollo_11_crop

 

Eis um exemplo razoavelmente recente:

09 de abril, 1951 – Joseph Fielding Smith torna-se Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos.

12 de abril, 1961 – Yuri A Gagarin torna-se o primeiro humano a viajar para o espaço quando sua nave espacial Vostok completou uma órbita completa ao redor da Terra.

05 de maio, 1961 – Alan B Shepard torna-se a segunda pessoa, e o primeiro norte-americano, no espaço quando sua nave espacial Freedom 7 completou 15 minutos de vôo suborbital balístico.

14 de maio, 1961 – Joseph Fielding Smith anuncia à conferência de estaca em Honolulu:

“Nós nunca teremos um homem no espaço. Esta Terra é a esfera do homem e nunca se pretendeu que ele poderia se afastar dela. A Lua é um planeta superior à Terra, e nunca se pretendeu que o homem pudesse ir para lá. Você pode escrever em seus livros que isso nunca vai acontecer!” Smith, então, instruiu George S Tanner em privado que esta visão deveria ser ensinada aos “meninos e meninas no Sistema do Seminário.” ¹

12 setembro, 1962 – Presidente dos EUA John F Kennedy anuncia na Universidade Rice, em Houston, Texas: “Nós escolhemos ir à Lua nesta década!”

20 de julho, 1969 – Astronautas da Apollo 11 Neil A Armstrong e Edwin “Buzz” Aldrin são os primeiros homens a pisar na Lua. [vídeo]

23 de janeiro, 1970 – Joseph Fielding Smith torna-se Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

14 de setembro, 1971 – Astronautas da Apollo 15 (David R Scott, James B Irwin e Alfred M Worden – os dois primeiros dos quais chegaram a pisar na Lua) apresentam uma bandeira de Utah que eles haviam levado consigo na viagem à Lua para Joseph Fielding Smith.


[1] Diário de George S. Tanner JWML (J.Willard Marriott Library, University of Utah), E848, anotação para 14 de Maio de 1961, com comentários de alguns dias mais tarde, citado em ‘Estadista Ancião: Uma biografia de J. Reuben Clark‘ por D Michael Quinn.

33 comentários sobre “Joseph Fielding Smith: Profecia sobre a Lua

  1. Não entendi… desculpe-me, mais você quis provar que Joseph Fielding Smith, não é um profeta? ou que simples mente não tinha inspiração na conferência ao fazer essa citação? em que contexto da história da igreja o secular ele fez essa declarão á George S. Tanner ,apar que que fosse feito a instrução aos jovens, e onde se encontra esse discurso? pois seria interessante como você mostrou o videos do Pres. ohn F. Kennedy fazendo uma declaração tambem possas da a fonte do discurso e se possivel comentarios da igreja sobre o ocorrido. aguardo . obrigado.

    • Nacélio,

      1) Eu não quis provar nada. Eu quero estimular reflexão e debate com a História. O que você tirou desse episódio?

      2) O contexto esta incluso nas entradas e nas datas acima. O que, você acha, motivou Smith a pensar — e falar sobre — a possibilidade de homens no espaço ou na Lua?

      3) Fonte no asterisco.

  2. Interessante o artigo. Me parece razoável de se assumir que do ponto de vista moral e religioso, nunca seja interessante o homem permanecer na lua. Apesar das rápidas visitas feitas, nada de realmente relevante foi descoberto ou aprendido. Hoje em dia se retomarmos a exploração da lua, me parece que será feita por robôs por muito e muito tempo. Por experiência propria aprendi a levar a sério as palavras dos profetas. Entendo que neste caso, a afirmação do Presidente Joseph Fielding Smith continua correta.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.