Desastres Naturais, Parte do Castigo de Deus?

Ao ver a devastação do furacão Harvey, o pastor cristão conservador John McTernan argumentou recentemente que “Deus está destruindo sistematicamente a América” devido à sua ira com a “agenda homossexual”.

Houston furacão desastre Deus

Desabrigados em Houston, Texas. | Foto: Adrees Latif/Reuters

Outros discordaram dos motivos da ira de Deus, mas não necessariamente com a suposição de que Deus pode estar furioso.  Ann Coulter, comentarista política conservadora, por exemplo, brincou que a eleição de uma prefeita lésbica em Houston era uma causa mais “crível” para o furacão do que o aquecimento global. E, do outro lado do espectro político, um professor da Universidade de Tampa twitou que Deus havia punido os texanos por elegerem republicanos. Ele posteriormente expressou arrependimento, mas foi demitido. Continuar lendo

Promotores Oferecem Acordo Judicial a Líderes de Igreja Mórmon

Promotores públicos federais ofereceram um acordo judicial para a maioria dos 11 líderes da igreja mórmon formalmente estabelecida como A Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias que estão sendo acusados de cometer fraude contra o programa de “bolsa família” do governo federal americano, além de lavagem de dinheiro.

Mórmons fundamentalistas

Jovens da Igreja FSUD. Imagem: Stephanie Sinclair | NYT

De acordo com o acordo judicial oferecido, a maioria dos mórmons acusados confessariam culpa aos crimes, porém evitariam penas de reclusão.

Entenda o caso: Continuar lendo

Cristóvão Colombo na Doutrina Mórmon

No dia 12 de outubro de 1492, três navios espanhóis sob a liderança do genovês (italiano) Cristóvão Colombo avistaram a ilha de San Salvador nas Bahamas, passando os próximos três meses explorando as ilhas das Bahamas, de Cuba, e de São Domingo no Caribe, e para sempre alterando a história da humanidade e do planeta Terra.

Retrato de Homem, supostamente Cristóvão Colombo, por Sebastiano del Piombo (1485–1547)

Retrato de Homem, supostamente Cristóvão Colombo, por Sebastiano del Piombo (1485–1547)

O que pensam mórmons sobre Colombo, sua façanha, e seu legado histórico?

Em junho de 1829, Oliver Cowdery anotou a seguinte profecia ditada por Joseph Smith, na voz

Continuar lendo

Joseph Smith: Profecia Sobre Segunda Vinda de Cristo

O Profeta Joseph Smith profetizou que a Segunda Vinda de Cristo ocorreria no final do século 19.

Jesus Mórmon

Em fevereiro de 1835, Smith anunciou 1891 como o ano quando ocorreria a Segunda Vinda de Cristo durante a reunião em que o Quórum dos Doze Apóstolos foi formado, como documentada na história oficial da Igreja  e publicado pela própria Igreja em 1902 [leia a profecia aqui]. Smith confirmou esse ano com outra profecia e mais comentários durante seu discurso na Conferência Geral de abril de 1843 (ênfases nossas):
Continuar lendo

Joseph Smith: Ano da Segunda Vinda de Cristo

Joseph Smith profetizou, em fevereiro de 1835, o ano quando ocorreria a Segunda Vinda de Cristo, anunciando-o durante a reunião em que o Quórum dos Doze Apóstolos foi formado.

Jesus Mórmon

Eis as anotações desta reunião, como documentada na história oficial da Igreja por Oliver Cowdery sob a direção do Profeta Joseph Smith,  e publicadas pela Igreja em 1902 (ênfases nossas):
Continuar lendo

Profecia e Revelação

A mensagem da Primeira Presidência deste mês para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, escrita pelo Presidente Henry B. Eyring, afirma aos membros da Igreja que os “profetas e apóstolos vivos… recebem constante orientação do céu.”

Henry Eyring conduz a 2a sessão da Conferência Geral... de dentro de uma savana?

Henry B. Eyring, Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência

Quando, porém, esses homens falam em nome de Deus? Sempre? Às vezes? “Constante[mente]”?

Eyring oferece sua resposta nessa mensagem, mas ela parece contradizer um ensinamento ainda oficial da Igreja SUD: Continuar lendo

Joseph F. Smith, Jr.: A Lua

O Apóstolo Joseph Fielding Smith, filho do 6° Presidente da Igreja Joseph F. Smith, e futuro 10° Presidente da Igreja, pregava ensinamentos bastante específicos sobre a Lua.

Joseph Fielding Smith, 10° Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Foto cortesia da Biblioteca de História da Igreja)

Nós já havíamos publicado uma profecia proferida por Smith em maio de 1961 sobre a Lua, e agora publicamos uma carta do mesmo período e sobre o mesmo tema. O contexto histórico gira em tôrno do anúncio do primeiro ser humano, o Soviético Yuri Gagarin, a sair da Terra e orbitá-la em abril de 1961 e dos ferozes debates públicos nos EUA sobre uma missão para pousar astronautas americanos na Lua. Continuar lendo

Profeta Mórmon Erra Profecia

Muitos Mórmons estavam aguardando que o Apocalipse ocorresse ontem. De acordo com o relato pessoal de Elissa Wall, o Profeta Mórmon Warren Jeffs havia profetizado a Segunda Vinda para a data de ontem, 6 de abril de 2016, quando ele e seu irmão, presos por poligamia e fraude, seriam milagrosamente libertados de suas cadeias.

Jesus Mórmon

Elissa Wall, que abandonou Continuar lendo

Concurso: Profecias

Quando uma profecia é válida? Quando é inspirada? E quando é apenas uma “opinião de um homem”?

Este é uma questão particularmente importante tendo em vista o recente debate sobre a propriedade de se discutir a relevância ou a preeminência de pronunciamentos de profetas. Muitos defendem a posição de que nunca se deve questionar as opiniões de profetas, que devem ser obedecidos cegamente e seguidos em silêncio.

A função de um profeta é justamente profetizar, ou oferecer previsões sobre o futuro. Diferentemente do papel de um vidente (que tem visões sobrenaturais sobre o passado, presente e futuro), de um revelador (que revela tais segredos sobrenaturais não acessíveis aos demais), e de um Apóstolo (que testifica de seu conhecimento sobrenatural de Jesus Cristo), o profeta faz declarações afirmativas que são mensuráveis e checáveis naturalmente. Não se pode checar objetiva ou racionalmente as visões sobrenaturais de um vidente, ou as revelações sobrenaturais de um revelador, ou mesmo o privilégio epistêmico sobre Jesus de um Apóstolo, mas uma profecia pode ser checada e confirmada quanto ao seu cumprimento factual. Pode-se, assim, medir e confirmar o quão relevante e obrigatórios devem ser seus pronunciamentos.

três anos atrás, eu publiquei um curto artigo lançando um desafio para determinar quantas profecias foram realmente cumpridas. O desafio reside em determinar, racional e logicamente, uma (ou mais) profecia(s) que podem ser comprovadas como cumpridas, confirmando assim factualmente o dom profético. Além da satisfação em determinar um exemplo concreto do sobrenatural, eu havia oferecido um prêmio em livro (que até hoje não foi conquistado).

IsaiahComo vimos num artigo mais antigo, há profecias que se esquecem rapidamente, em poucos anos. Geralmente estas são as que não se cumpriram, ou que se provaram equivocadas. Por que não nos lembramos destas?

Existe um traço comportamental humano que cientistas chamam de “viés de confirmação“. Usamos desse viés quando nos lembramos das coisas que confirmam nossas opiniões ou crenças ou ideias, e quando nos esquecemos das coisas que desconfirmam ou contradizem nossas opiniões ou crenças ou ideias. Por exemplo, alguém me convence que toda que vez que eu jogo uma partida de futebol usando um boné, eu faço gols, enquanto que todas as vezes que deixo de usar o boné, eu saio de campo sem fazer gols. Poucas pessoas se deixariam levar por uma superstição tão absurdamente irracional, mas o viés existe, é comum, e ocorre com todos os seres humanos.

Um exemplo mais difícil de reconhecer no dia-a-dia: Petistas ignoram tudo de positivo no governo FHC e lembram-se de todos os erros e problemas, enquanto ignoram todos os problemas e erros do governo Lula, lembrando apenas os acertos e os aspectos positivos. Tucanos fazem o mesmo ao inverso. Converse sobre política com 10 pessoas que tenham opiniões formadas, e verá o fenômeno ocorrer 7, ou 8 ou mesmo 10 vezes.

Ele ocorre muito frequentemente em âmbito religioso também. Profecias, usualmente, funcionam assim. Lembra-se dos acertos, ignoram-se os erros. Da mesma maneira funciona o tarô, leitura de mãos, mapas astrais, astrologia, numerologia, homeopatia, etc.

Gostaria, então, de propor novamente o mesmo exercício intelectual. Continuar lendo

Profetas

Parley P. Pratt

O que é um profeta? O que torna alguém um profeta ou profetisa?

A seguinte citação de Parley P. Pratt, feita na sala celestial do templo de Nauvoo extrapola a ideia de um profeta ser um membro da hierarquia da Igreja de Cristo.

Um homem pode ser um profeta e vidente e não estar na igreja ou mesmo ser batizado; e o próprio Joseph era um profeta, vidente e revelador antes mesmo de ser batizado ou ter qualquer Sacerdócio.¹ Continuar lendo

O Profeta Índio. Ou Joseph Smith?

A evolução da doutrina mórmon ao longo da história deixou muitas marcas nas obras publicadas pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, incluindo o próprio Livro de Mórmon. O exemplo a seguir mostra como uma profecia específica em 2 Néfi 3:24 teve sua interpretação reformulada em décadas recentes.

pexels-photo-227578.jpeg

Esquecendo os lamanitas? Imagem: John Rocha.

Numa porção do Livro de Mórmon que santos dos últimos dias acreditam se referir à restauração do evangelho original, há a menção a um personagem futuro:

E levantar-se-á entre eles um poderoso que praticará o bem, tanto em palavras como em obras, sendo um instrumento nas mãos de Deus, com fé extraordinária para operar grandes maravilhas e fazer o que é grandioso aos olhos de Deus, a fim de levar muita restauração à casa de Israel e à semente de teus irmãos.

Alguns mórmons dos séc. XIX e XX identificavam esse personagem como um futuro “profeta índio” ou “profeta lamanita”. Na edição em espanhol do Livro de Mórmon lançada pela missão mexicana em 1920, por exemplo, as notas de rodapé elaboradas por Rey Lucero Pratt, então presidente da missão, faziam questão de esclarecer aos modernos descendentes dos lamanitas que o hombre poderoso referido no versículo acima era un profeta Lamanita.

Livro de Mórmon da missão mexicana, 1920.

Continuar lendo

Êxodos: um lamento

Walk away, de Lietinga Diena, site Deviant Art.

Walk away, de Lietinga Diena, site Deviant Art.

O êxodo é um tema constante nas escrituras judaico-cristãs e sud. Esse êxodo consiste na busca de uma “terra prometida” ou “terra de promissão”, deixando para trás uma sociedade corrompida que promove o mal e oprime os justos. Trata-se não apenas de uma fuga ou migração mas, sobretudo, de um processo de transformação daqueles que entram na jornada. Continuar lendo

Revelação inédita de 1831


"Mulher Sioux", de Howard Terpning

Trecho da revelação dada por intermédio de Joseph Smith, no Condado de Jackson, Missouri, em 17 de julho de 1831, conforme o relato de William W. Phelps.

Em verdade, em verdade, diz o Senhor, vosso Redentor, o próprio Jesus Cristo, a luz e a vida do mundo que não podeis discernir com vossos olhos naturais, o desígnio e propósito de teu Senhor e teu Deus em trazê-los ao ermo, para uma prova de vossa fé – e para serdes testemunhas especiais para prestar testemunho desta terra, sobre a qual a Sião de Deus deverá ser construída nos últimos dias, quando for redimida. Continuar lendo

Misticismo e ortodoxia

O mormonismo tem sido uma tradição religiosa marcada por duas grandes tendências: o misticismo e a ortodoxia. Das revelações e outras experiências sobrenaturais de Joseph Smith até a formação de uma complexa estrutura que governa a Igreja em escala mundial, houve um longo caminho a ser percorrido, ao longo do qual a ênfase original na revelação direta e a responsabilidade individual de cada membro por sua orientação espiritual foi sendo relativizada em certos pontos. Ainda que não sejam palavras ou conceitos comumente usados entre os santos dos últimos dias, misticismo e ortodoxia estão presentes na história mórmon mais do que se poderia imaginar. Neste breve artigo, tentarei esboçar como essas duas tendências se manifestaram e manifestam na Igreja sud. Continuar lendo