Joseph F. Smith, Jr.: A Lua

O Apóstolo Joseph Fielding Smith, filho do 6° Presidente da Igreja Joseph F. Smith, e futuro 10° Presidente da Igreja, pregava ensinamentos bastante específicos sobre a Lua.

Joseph Fielding Smith, 10° Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Foto cortesia da Biblioteca de História da Igreja)

Nós já havíamos publicado uma profecia proferida por Smith em maio de 1961 sobre a Lua, e agora publicamos uma carta do mesmo período e sobre o mesmo tema. O contexto histórico gira em tôrno do anúncio do primeiro ser humano, o Soviético Yuri Gagarin, a sair da Terra e orbitá-la em abril de 1961 e dos ferozes debates públicos nos EUA sobre uma missão para pousar astronautas americanos na Lua.

A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS
ESCRITÓRIO DO HISTORIADOR DA IGREJA
47 E. SOUTH TEMPLE STREET
SALT LAKE CITY 11, UTAH
01 de maio de 1962

Élder Robert Lee Echols Jr.
316 Edifício Idaho
Boise, Idaho

Querido irmão:

Quando retornei da conferência na Estaca de Nova Iorque, eu encontrei sua carta e cerca de vinte e cinco outras, me aguardando por respostas. Fui forçado a recusar a responder cartas pedindo respostas a perguntas a menos que haja um envelope selado para sua resposta. Eu estou abrindo uma exceção no seu caso, devido à importância da resposta para você e para os meninos e meninas do Sistema do Seminário.

O relatório da entrevista está, no geral, correto. É o meu juízo, que homens da terra que são mortais não têm motivo para ir à lua ou têm qualquer coisa a ver com a lua. Nós somos invasores quando nos esforçamos a fazê-lo e estou certo de que isso está desagradando ao Senhor. Agora, antes de mais nada: Adão e Eva foram enviados aqui para povoar esta terra, que é uma esfera probatória aonde somos enviados para passar por experiências mortais por uma curta temporada para ganhar conhecimento que é essencial para o nosso bem-estar eterno, e para sermos provados para ver se seremos fiéis à verdade enquanto caminhamos na mortalidade, provando-nos assim dignos de uma condição maior e melhor. Os homens vão provar-se aqui ser dignos de ir ao reino celestial ou algum outro tipo através de guardar, ou recusando-se a guardar, os mandamentos do Senhor. Este é um campo de testes – um estado probatório. Por ora isso basta.

A lua é de uma ordem mais elevada do que a terra de acordo com o cômputo do Senhor. Nosso dia é de apenas 24 horas, o que significa referindo-se ao tempo que lhe é dado para a nossa medição do dia a dia. O tempo na Lua é de aproximadamente vinte e oito dos nossos dias. Portanto, a Lua é de uma ordem maior. Mais uma vez, podemos dizer que somos prisioneiros aqui submetidos a um julgamento, uma provação, para ver se sob condições mortais, vamos guardar os mandamentos do Senhor.

Realmente, estou surpreso que tanta atenção tenha sido dada a uma simples declaração feita por mim em resposta à pergunta de um repórter. Há milhares de pessoas que não são membros da igreja que têm a opinião de que este esforço é todo errado.
Baseio-me simplesmente nos fundamentos que o Senhor nos deu. Fomos colocados aqui como presos, por assim dizer, pelo menos limitados à mortalidade por uma temporada, para sermos julgados e provados dignos de uma exaltação ou alguma outra condição na vida futura.

Sabemos muito pouco sobre a lua pois aqui estamos confinados e o Senhor não tem achado necessário nos esclarecer sobre se a lua tem habitantes ou não. Ela pode ser – e isso é apenas uma conjectura – um lugar para seres transladados. Não, eu não declaro isso como uma doutrina! Eu não sei que propósito o Senhor tem para ela, mas nisso eu não acredito, que o homem mortal da terra tenha o direito de buscar chegar à lua, e ao fazer isso ele está se colocando além da sua jurisdição.

Esta terra é o nosso lar, e não a lua! Por favor, leia o que está escrito na Pérola de Grande Valor em relação à terra e a lua.

Muito Sinceramente seu irmão,

[Assinado] Joseph Fielding Smith
[Verso da carta (N do T.: Trocadilho de canção infantilrimando no original):]

“Brilha, Brilha, Estrelinha
Eu não quero saber o que você é;
Suponho seu lugar no espaço
Quando você deixou a sua base de míssil.”

“Qualquer pergunta que eu faça
Gira em torno do seu preço,
E eu tremo quando penso
O que você está nos custando a cada brilhada.”


Carta de Joseph Fielding Smith, MSS SC 2031, Coleções Especiais L. Tom Perry; Manuscritos Mórmons e Ocidentais do Século 20; Biblioteca Harold B. Lee 1130; Universidade de Brigham Young; Provo, Utah 84606. Carta reproduzida com expressa autorização escrita do curador da BYU John Murphy.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s