Profecias

Quando uma profecia é válida? Quando é inspirada? E quando é apenas uma “opinião de um homem”?

Como vimos num outro post, há profecias que se esquecem rapidamente, em poucos anos. Via de regra estas são as que não se cumprem, ou que se provam equivocadas. Por que não lembramos destas?

Existe um traço comportamental humano que cientistas chamam de “viés de confirmação”. Usamos desse viés quando nos lembramos das coisas que confirmam nossas opiniões ou crenças ou ideias, e quando nos esquecemos das coisas que desconfirmam ou contradizem nossas opiniões ou crenças ou ideias.

Uma ilustração: alguém me convence que toda que vez que eu jogo uma partida de futebol usando um boné, eu faço gols, enquanto que todas as vezes que deixo de usar o boné, eu saio de campo sem fazer gols!

Quem ainda não ouviu falar das profecias do calendário Maia para o fim-do-mundo em 2012? Quem realisticamente teme que não chegaremos em 2013?

Poucas pessoas se deixariam levar por uma superstição tão absurdamente irracional, mas o viés existe, é comum, e ocorre com todos os seres humanos.

Um exemplo mais difícil de reconhecer no dia-a-dia: Petistas ignoram tudo de positivo no governo FHC e lembram-se de todos os erros e problemas, enquanto ignoram todos os problemas e erros do governo Lula, lembrando apenas os acertos e os aspectos positivos. Tucanos fazem o mesmo ao inverso. Converse sobre política com 10 pessoas que tenham opiniões formadas, e verá o fenômeno ocorrer 7, ou 8 ou mesmo 10 vezes.

Ele ocorre muito frequentemente em âmbito religioso também. Profecias, usualmente, funcionam assim. Lembra-se dos hits (acertos), ignoram-se os erros. Da mesma maneira funciona o tarot, leitura de mãos, leitura de mapas astrais, astrologia, numerologia, homeopatia, etc.

Gostaria, então, de propor um exercício intelectual. Como incentivo, vou oferecer uma promoção de um livro grátis!

Para o primeiro leitor que propuser uma profecia que comprovadamente já se cumpriu (ver critérios abaixo), oferecerei uma edição eletrônica grátis do livro ‘Nauvoo Polygamy…But We Called It Celestial Marriage’ de George D. Smith (minha resenha do livro aqui).

Eis os critérios para se estabelecer uma profecia cumprida:

1) A profecia deve ser *específica*.

Nada de profecias vagas como “chegará um dia em que o filho de uma mulher será um poderoso líder de homens”! Profecias vagas que se aplicam a qualquer situação não contam.

2) A profecia deve ser anotada *antes* do seu possível cumprimento.

Nada de profecias escritas após a data de seu cumprimento. Ex post facto, qualquer um dia profetiza sobre qualquer coisa já ocorrida com 100% de acerto!

3) A profecia deve ser cumprida *plenamente*.

Nada de profecias que predizem 10 coisas ao mesmo tempo, acertam 1 e erram 9.

4) A profecia *não* pode ser óbvia devido a fatores conhecidos por todos no momento da profecia.

Nada de profecias “ululantes” como “a Copa do Mundo de 2014 será no Brasil” (embora há quem tema que essa não se cumpra, ainda assim é de uma probabilidade tão grande que deixa de se qualificar como profecia).

Eu não consigo imaginar quem se escandalizaria com esses critérios simples mas óbvios. Uma profecia, para ser marcante e profética, deve excluir os fatores comuns para acertos aleatórios por ser vaga ou abrangente demais (#1), feita depois dos acontecimentos (#2), errar mais que acerta (#3), ou ser facilmente deduzível ou previsível por qualquer observador cuidadoso (#4).

Com frequência, as profecias que se crêem cumpridas usualmente nada mais são que expressão do “viés de confirmação” de pessoas que desejam crer, “confirmando-lhes” suas crenças ao ignorar um ou mais dos critérios acima.

Sendo assim, aguardo nos comentários abaixo a profecia cumprida que contradiz essa suposição.

(Nome completo e email serão obrigatórios para um possível vencedor receber o prêmio do livro!)

16 comentários sobre “Profecias

  1. No Livro Historia da Igreja Vol 2 pag 186 Joseph diz que jesus voltaria em 60 anos… resultado, Joseph smit morreu assassinado por motivos de seus proprios erros e Jesus não voltou!

    Joseph smith tambem afirma em seus escritos que Jesus nasceria na cidade de Jeruzalem em Livro de Mormon, Alma Cap 3.14, … Jesus nasceu na cidade de Belém como predisse profeta Miqueias 5 vers 2, e se cumpriu em Mateus capitulo 2.

    O livro de mormon fala de cidades que ate hoje nunca foram encontradas em nenhuma das 3 americas, Central, Norte e Sul, como explicar isso? acreditar numa historia de um povo que não deixou rastro?

    Vamos aos fatos:
    Babilonios até hoje existe vestigios deles e por isso cremos que eles existiram;
    Sodoma existe ate hoje nas redondezas do mar morto;
    O Egito fora derrotado por Deus depois dele mesmo ter libertado o povo da escravidão, até hoje temos as piramides que prova a historia biblica do povo judeu nas terras egipcias;
    Jose foi ministro do egito, ate hoje temos uma tumba em sua homenagem e tambem uma estátua de José do Egito;
    Os Incas e Maias existiram e deixaram seus vestigios na america central;

    E tantos outros povos, mas cadê a cidade dos povos Nefitas e Lamanitas?

    Gente abram os olhos, este Livro de Mormon não passa de uma invenção de Smith, cópia quase perfeita da biblia, com passagens inteiras de Isaias , Jeremias e algumas partes dos evangelhos.

    POw acreditar em um ajo chamado MOroni, é fogo viu…. você aredita em genio da lampada?

    Quem era moroni? Um dos filhos de Mormon, pow ele era ser humano e evoliu para anjo?
    BRINCADEIRA Né?

    Abraço

    • Claudio,

      Você faz algumas afirmações acima que me pareceram factualmente equivocadas, e eu gostaria que as elucidasse ou demonstrasse, se possível:

      1) Miquéias profetizou que Jesus nasceria em Belém? Onde? Quando? No capítulo 5, Miquéias profetiza sobre um líder militar que derrotaria os Assírios e que viria da clã (ou tribo) de Belém Efrata, e não fala nada de um Salvador pregador/curandeiro/expiador que viria da cidade de Belém! Você esta falando de outra profecia?

      2) As pirâmides provam a história bíblica do povo judeu nas terras egípcias? Como? Quando? Onde? Aliás, onde há quaisquer evidências de um povo hebreu no Egito no período do Reino Médio? Ou qualquer período antes de 650 AEC?

      3) Tumba de José no Egito? Você consegue mostrar pra mim um arqueólogo acadêmico ou, melhor, uma publicação de arqueólogos profissionais que aceite o “palácio de Goshen” como um achado válido e bem documentado? Ou qualquer tumba, palácio, ou estátua de José, filho de Jacó, no Egito? Ou qualquer evidência arqueológica para José, Jacó, ou Hebreus no Egito de Reino Médio? Você sabe que há outros sítios para a “tumba de José”?

  2. Pingback: Concurso Em Aberto | Vozes Mórmons

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.