Primeira Presidência Finge Responder Acusações Sobre Finanças

De acordo com reportagem do The Washington Post, a “Igreja Mórmon engana membros [da Igreja] sobre fundo de investimentos isento de impostos de USD 100 bilhões”.

Russell M. Nelson (centro) e seus dois conselheiros na Primeira Presidência, Dallin H. Oaks (esquerda) e Henry B. Eyring (à direita), em janeiro de 2018. | Imagem Cortesia de Intellectual Reserve.

O prestigioso jornal recebeu documentos da denuncia de um funcionário d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias registrada com a Receita Federal dos EUA alegando que a Igreja malversa e desvia USD 100 bilhões de um fundo supostamente destinado à caridade e a ajudas humanitárias.

Naturalmente, considerando o prestígio do jornal e a gravidade das acusações, a reportagem repercutiu nacional e internacionalmente nas mídias e nas redes sociais. Como seria de se esperar, a Igreja respondeu emitindo uma nota oficial diretamente das autoridades máximas da Igreja: A Primeira Presidência.

Não surpreendendo ninguém, a Primeira Presidência apenas fingiu responder as acusações.

Eis a nota oficial: Continuar lendo

Igreja Mórmon Engana Membros Sobre Fundo de 100 Bilhões

De acordo com reportagem do The Washington Post, a “Igreja Mórmon engana membros [da Igreja] sobre fundo de investimentos isento de impostos de USD 100 bilhões”.

Templo de Lago Salgado (FOTO: Manish Prabhune)

O prestigioso jornal recebeu documentos da denuncia de um funcionário d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias registrada com a Receita Federal dos EUA alegando que a Igreja malversa e desvia USD 100 bilhões de um fundo supostamente destinado à caridade e a ajudas humanitárias.

Os documentos confidenciais, entregues em 21 de novembro p.p., demonstrariam que a Igreja não apenas viola normas éticas, mas também leis federais norte-americanas, ao desviar fundos de contribuições religiosas e caridosas isentos de impostos para atividades com fins lucrativos. O autor da denúncia, membro da Igreja SUD David Nielsen, trabalhava até setembro último para a Igreja como gerente sênior de investimentos em uma das organizações sem fins lucrativos da Igreja no ramo de investimentos Ensign Peak Advisors, e alega em sua denúncia que a Igreja mente para seus membros sobre o uso de fundos de doações religiosas. Continuar lendo

Gordon Hinckley: Faça Guerra, Não Sexo!

O então Apóstolo Gordon B. Hinckley, 15o Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, proferiu um discurso na Conferência Geral de abril de 1967 onde ele faz apologia à guerra como um chamado moral em contraste com a imoralidade do sexo pré-marital:

Gordon B. Hinckley, 15o Presidente d'A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (1995-2008)

Gordon B. Hinckley, 15o Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (1995-2008)

Continuar lendo

Mórmons e Sexo Oral

A Primeira Presidência da Igreja SUD já se pronunciou sobre a prática do sexo oral? Profetas e Apóstolos já se manifestaram sobre o sexo oral? Qual a posição oficial da Igreja?

Spencer W. Kimball, Presidente d´A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (1973-1985)

A Primeira Presidência enviou carta para todos os líderes locais no dia 5 de janeiro de 1982 sobre o assunto de entrevistas pessoais. Na carta, ela esclarecem o assunto de sexo oral, dizendo:

Continuar lendo

Mórmons e o Rock

Não há música no inferno, pois toda boa música pertence ao céu.

Brigham Young¹

1960Um povo que sempre se dedicou à música como forma de entretenimento e adoração, os santos dos últimos dias não escapam das influências musicais e culturais que os cercam. Inclusive o rock.

O tema é trivial, mas mostra como pronunciamentos de líderes da Igreja podem refletir o pensamento de sua geração e como a Igreja é também capaz de aproveitar de forma positiva uma influência antes denunciada como nefasta.

Em 1972, quando o rock era ainda uma força criativa e contestatória, o apóstolo Ezra Taft Benson advertiu os estudantes da BYU contra a natureza satânica daquele estilo musical: Continuar lendo

Como vai o Fundo Perpétuo de Educação?

Gordon B. Hinckley

Quando lançado pelo presidente Hinckley, o Fundo Perpétuo de Educação (FPE) foi
recebido por membros no Brasil com grande euforia. Seu próprio nome procurava fazer uma ligação com o antigo Fundo Perpétuo de Imigração e portanto com seu potencial de ajudar novo pioneiros na construção de Sião. O programa destinado a fomentar o estudo vocacional de suds em países em desenvolvimento não demorou muito para ser chamado localmente de revelação (mesmo sem ter sido chamado de tal pelos líderes mundiais da Igreja) e ser incluído em declarações nos domingos de jejum e testemunho.

Hoje, dez anos depois do lançamemto do FPE, já escutei relatos positivos e negativos de jovens adultos que utilizaram esse financiamento educacional a juros baixos, mas não tenho acesso a dados concretos que mostrem em que situação está hoje. No entanto, noto que é cada vez mais rara a sua menção como uma revelação; aliás, é cada vez mais rara a sua simples menção nas reuniões da Igreja. Continuar lendo

Mãe Celestial redescoberta?

Mãe e criança, pintura de Gustav Klimt (1862-1918)

A existência de uma divindade feminina, esposa de Deus o Pai, é um dos ensinamentos mais distintos do mormonismo. Quase transformado em tabu em décadas recentes, o tema hoje parece receber pouco mais que tímidas alusões no cotidiano da Igreja sud. Sequer a palavra “Mãe” é geralmente mencionada em textos oficiais, mas apenas subentendida nas alusões a “pais celestais”, como no documento A Família: Proclamação ao Mundo e no livro Princípios do Evangelho. O hino Ó Meu Pai, escrito em 1845 por Eliza R. Snow, esposa plural de Joseph Smith,  permanece para a grande maioria dos membros como a afirmação mais acessível de tal doutrina: Continuar lendo