Novos Apóstolos do Mormonismo Ilustram Crescente Alcance Global

Em sua Conferência Geral anual, realizada de 31 de março a 1º de abril, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (comumente conhecida como mórmons), anunciou dois novos membros para o seu segundo maior corpo governante, o Quórum dos Doze Apóstolos: Gerrit Gong, filho de imigrantes chineses nos Estados Unidos, e Ulisses Soares, um brasileiro nativo.

Membros durante a Conferência Geral da Igreja SUD em 31 de março de 2018. AP Photo/Rick Bowmer

Esses dois homens são os primeiros apóstolos não brancos da história da igreja. Da minha perspectiva como um estudioso da religião americana e do mormonismo, esses desenvolvimentos ilustram a transformação do mormonismo em uma fé global e diversificada.

Os apóstolos mórmons

Em seus níveis mais elevados, a igreja mórmon é dirigida por quinze líderes: uma Primeira Presidência, composta pelo presidente da igreja e seus dois conselheiros, e o Quórum dos Doze Apóstolos, que trabalham imediatamente sob o presidente. Todos servem pelo resto de suas vidas.

Os apóstolos sempre foram escolhidos pelo presidente da igreja e, por sua vez, o presidente da igreja é o mais antigo dos apóstolos.

Os mórmons tiveram grande sucesso missionário na Europa no século 19 e, consequentemente, a igreja já teve um número de não-americanos nesses postos antes. Mas nunca houve homens americanos não europeus ou não-brancos nesses postos até agora.

Isto é devido a várias razões. Uma delas é que o mandato vitalício significa que qualquer tipo de mudança na alta liderança da igreja acontece lentamente. Russell Nelson, um homem branco de Utah, atual presidente da igreja, tornou-se apóstolo em 1984. Seu antecessor, que morreu em janeiro, tornou-se apóstolo em 1963. Os apóstolos atuais têm entre 58 e 89 anos de idade.

Presidente Russell M. Nelson. AP Photo/Rick Bowmer

Outra razão para a falta de diversidade na liderança da igreja é que o crescimento do mormonismo fora das comunidades brancas dos Estados Unidos e da Europa foi esporádico por muito tempo. Até 1978, a igreja não permitia que os membros negros fossem ordenados ao sacerdócio ou que adorassem nos templos, ritos necessários para a liderança sacerdotal na igreja.

Além disso, embora o crescimento da Igreja na América Latina tenha sido rápido, ela tradicionalmente aderiu às normas culturais americanas, o que significa que historicamente tem lutado para manter seus membros na América Latina e na África. Por exemplo, os mórmons esperam que os homens usem camisas e gravatas e que as mulheres usem vestidos para os cultos de domingo. O hinário mórmon oficial também está repleto de hinos americanos do século 19. Os hinários produzidos para países que não falam inglês consistem em traduções dessas músicas para os idiomas locais. Eles contêm apenas um pequeno número de músicas locais.

Presença na China

No entanto, a seleção de Gong e Soares é uma indicação de que a igreja começou a levar a sério a tarefa de crescer fora dos Estados Unidos.

Ulisses Soares, left, of Brazil, and Gerrit W. Gong, a Chinese-American. AP Photo/Rick Bowmer

Por causa de seus enormes esforços missionários, existem atualmente cerca de 16 milhões de mórmons no mundo, e uma maioria considerável deles vive fora dos Estados Unidos. Um em cada 15 mórmons é do Brasil, onde os missionários mórmons encontraram seu maior sucesso.

De fato, esse maremoto demográfico foi tão pronunciado que muitos mórmons esperavam um apóstolo latino-americano nas últimas vagas. Um número de mórmons saudou a escolha de Gong e Soares com entusiasmo, vendo-a como um importante reconhecimento da diversidade na igreja.

E enquanto a seleção de Soares reflete o presente mórmon, Gong pode apontar para o futuro do mormonismo.

O mormonismo não é uma das cinco religiões oficiais reconhecidas pela República Popular da China, mas há congregações mórmons no país, construídas principalmente por expatriados e cidadãos chineses convertidos por missionários mórmons no exterior. Os números oficiais não são reportados, devido a restrições impostas pelo governo chinês.

O atual presidente da igreja, Russell Nelson, estudou mandarim enquanto jovem e passou muito tempo na China durante sua carreira. Ele estava entre os cirurgiões cardíacos americanos que viajaram para a China para educar médicos chineses sobre transplantes de coração. Seu interesse pessoal no país vem sido recentemente acompanhado por sinais de que a igreja como um todo está interessada em cultivar um perfil maior lá. Por exemplo, a igreja lançou recentemente um site dedicado ao seu relacionamento com a China. Dallin Oaks, membro da Primeira Presidência da igreja, anunciou que a igreja tem cultivado uma “relação de confiança com as autoridades chinesas”.

O novo apóstolo Gerrit Gong é também fluente em mandarim. Com um Ph.D. nas relações internacionais e empregos no Departamento de Estado (N. do T., ministério de relações exteriores norte-americana) e na Universidade de Georgetown em seu currículo, ele poderia ser uma ajuda inestimável em tais esforços.

Globalizando a igreja

Um notável desenvolvimento na recente conferência foi um movimento dos líderes mórmons em descentralizar a administração da igreja, a fim de fortalecer as congregações locais em todo o mundo.

Mormon leaders decentralized church administration and cut down on the bureaucracy and paperwork surrounding the practices of home teaching. More Good Foundation, CC BY-NC

Um desses anúncios consolidou e simplificou a liderança em cada congregação local. Outro interrompeu grande parte da burocracia e da burocracia em torno das práticas de “ensino familiar” e “professoras visitantes”, nas quais os fiéis se visitam mensalmente para garantir que todos os membros de uma congregação estejam indo bem. Historicamente, esse trabalho era feito de acordo com procedimentos rigidamente controlados pela sede da igreja, que exigiam relatórios regulares. Agora a igreja está permitindo mais autonomia local.

O anúncio de Nelson ao final da Conferência fez com que o interesse da igreja em aumentar a sua presença internacional da igreja ficasse explícito. Ele anunciou que a igreja estaria construindo sete novos templos, em lugares tão distantes quanto a Índia, a Rússia e as Filipinas.

Os templos mórmons são distintos das capelas semanais. Existem milhares de capelas, mas apenas 159 templos em todo o mundo. Cerimônias como o casamento sacramental e um rito de iniciação chamado de investidura são realizadas apenas em templos – que são rituais essenciais para os mórmons entrarem em posições de liderança na igreja. Construir um templo em um país é um sinal de que a igreja vê potencial para uma forte liderança local.

Se já houve dúvidas de que o mormonismo vê um futuro global para si mesmo, os eventos desta Conferência Geral as eliminaram.


Matthew Bowman é Professor de História na Henderson State University e autor dos livros Christian: The Politics of a Word in America (Harvard, 2018) e The Mormon People: the Making of an American Faith (Random House, 2012).

Artigo originalmente publicado aqui. Reproduzido com permissão.

The Conversation

15 comentários sobre “Novos Apóstolos do Mormonismo Ilustram Crescente Alcance Global

  1. Bom, agora um brasileiro vai ter a oportunidade de descobrir se realmente membros da presidencia dos 12 etc… recebem visitias de cristo e acabar com um mito mormon…

    • Silva o Elder Oaks já declarou uma vez que isso não acontece que ele nunca teve uma experiência como essa e não conhece nenhum dos doze que já tenha visto ou da primeira Presidencia e que geralmente as revelações ocorrem por meio de sentimentos e impressões. Acho que o último que viu foi Lorenzo Snow. Mas porém o mito persiste pois até mesmo Joseph Smith em muitas das revelações de doutrina e convênios se não 95% foram de palavras comunicadas pela “voz” e não por aparições do Senhor isso só aconteceu em ocasiões raras como na primeira visão e no Templo de Kirtland pelo que me lembro. Se ele tiver visto mais vezes, alguém me corrija.

  2. Interessante ver as intenções da igreja SUD de expandir a religião na China e outras nações. O que é bem intrigante é quanto de dinheiro é gasto em templos onde a frequência é baixa. Muito luxo, muito lindo internamente e externamente, mas pouco frequêntado.
    A coisa piora quando a exigência de ter recomendação do templo envolve o dizimo no meio. Na India onde o templo será construido apenas tem “13.500” membros(contando os inativos) e grande maioria é pobre(levando em consideração as condições sociais e economicos da India). Se um país como Brasil onde há mais membros os templos são pouco frequentados, o que pensar da India que grande maioria vive de ajuda externa para viver suas vidas? Um templo lindo e luxuoso, mas com rara frequência. Gastos exorbitantes para ter pouquissimo retorno.
    Realmente muito dinheiro será gasto, mas a situação continuará como é atualmente, ou seja estagnada.

    • Hico eu já li que não só gastam muito com templos como também com a manutenção, e já é extremamente lindo lá dentro, isso funciona como uma espécie de lavagem de dinheiro deles, o dinheiro não pode ficar parado por isso eles gastam com besteiras.

      • Desonestidade e mal uso do dinheiro é algo comum em muitas religiões Magnólia e a IJCSUD não é a excessão. Para quem já foi para ABIJCSUD sabe como as coisas na igreja funcionam. Bem parecido com empresas e não seria novidade alguma se descobrir casos de desvio de dinheiro pois isso já vi na igreja.
        Agora, Adriano, se você acha que a Igreja está em uma situação correta, é um direito seu achar isso, mas seria mais maduro da sua parte ter educação e não insinuar que outros falam besteiras mesmo porque nem mesmo você sabe o que ocorre dentro da igreja.

      • Amigo Hico, o Adriano é o típico mórmon que vive dentro de uma matrix, e mesmo se a igreja provasse que rouba e desvia dinheiro, ele ainda assim continuaria defendendo.

      • Hico eu não insinuo nada eu estou afirmando mesmo. Voces falam tanta besteira quanto os membros da igreja.Adorei a relação do meu comentario com Matrix,voce não tinha mesmo o que escrever né rs. Fiquem a vontade para chorar o mimi é grátis!

    • Pois é Magnólia, mas acho que nem devemos ligar para isso. Ele é ainda adolescente pela maneira como se comporta. Logo é normal ele ter essa atitude heheh…Quem já passou e passa pelo templo sabe muito bem que a frequência dela é bem menor do que se espera. Aqui mesmo onde moro quando há viagens ao templo vejo o templo bonito, mas a frequência é bem baixa. Engraçado que quando falo essas coisas as pessoas acham que eu sou “anti-mormon” rs… Eu simplesmente falo o que eu observo no dia a dia da igreja e falo essas coisas para o bem dos membros.

      • Hico e Magnólia para a informação de vocês não sou nenhum adolescente sou inclusive mais velho que a Magnólia pois sei quem é Magnólia pois serviu aqui em Teresina.Hico ao contrário do que você disse em outro comentário sei bem como funciona a igreja estou la dentro e a conheço muito bem a muito tempo.Agora deixem de querer bancar os reis da maturidade e pureza como se fossem os seres mais perfeitos do mundo,ninguém aqui é.Um abraço para vocês!

      • Hico as caravanas que saem do nordeste, onde os pobres membros sem dinheiro algum são obrigados a ir, são aquelas que ainda mantêm o templo funcionando.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s