Heber J. Grant: Castidade ou Morte

Você é pai ou mãe? Tem filhos ou filhas? Você preferiria chegar em casa e descobrir que seu filho ou sua filha fez sexo seguro com alguém ou que ele ou ela fora brutalmente assassinado?

De acordo com Heber J. Grant, sétimo Presidente d´A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, a sua resposta à essa pergunta determina se você é um bom membro da Igreja ou não.

Heber J. Grant, Presidente d'A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (1918-1945)

Heber J. Grant, 7o Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (1918-1945), Apóstolo (1882-1918)

O Presidente Heber J. Grant explicou a questão com clareza em seu famoso livro Padrões do Evangelho: Trechos de Discursos e Publicações de Heber J. Grant publicado por décadas pela Igreja SUD:

“Não há nenhum Santo dos Últimos Dias de verdade que não preferiria enterrar seu filho ou sua filha do que descobrir que ele ou ela perdeu sua castidade – percebendo que a castidade tem mais valor do que qualquer coisa nesse mundo.” [1]

Como reflete essa citação de Heber J. Grant nas crenças de membros da Igreja hoje?

Quão representativo é esse ensinamento de Grant do que a Igreja prega hoje?

Qual significância pode-se atribuir ao fato da Igreja ainda publicar esse ensinamento? [2]


NOTAS
[1] Grant, Heber J, Gospel Standards Selections from the Sermons and Writings of Heber J. Grant, Deseret Book, 1941.
[2] Edição de 2003 em capa mole e edição de 2009 eletrônica publicadas pela editora da Igreja SUD ‘Deseret Book‘.

 

Leia mais sobre as opiniões de Spencer W. Kimball sobre Sexo Oral.

Leia mais sobre as opiniões de Spencer W. Kimball sobre missionários que se apaixonam.

Leia mais sobre as revelações de Spencer W. Kimball sobre Ameríndios (Lamanitas).

Leia mais sobre o impacto das crenças sobre Lamanitas na história Mórmon aqui.

24 comentários sobre “Heber J. Grant: Castidade ou Morte

    • Cesar, não sei se você tem filhos, mais, jamais, eu como mãe prefiro ter um filho morto, isso é o cúmulo. A vida de um filho é preciosa demais, e independe de seus erros. Na minha opinião toda vida humana vale muito.
      Infeliz colocação do Heber J. Grant.
      Nenhum dos Pais vai desejar a morte de um filho por qualquer razão ou circunstância.
      Ou vocês acham que Deus como Pai olha e vê os erros da humanidade e já pensa que para resolver o problema é melhor a aniquilar a humanidade toda?
      Na cultura cristã foi para isso que Cristo nasceu, pagar os pecados do mundo, e já morreu por nós, creio que nao precisamos de mais mortes, porque a missão de Cristo terá sido em vão.

    • Sábias palavras?!? Meu Deus!!

      Joelma, me perdoe a palavra mas, tenho pena dos seus filhos!!

      Quando será que deixaremos de ser tão radicais?? Há poucos dias um maluco extremista entrou numa boate e assassinou a sangue frio 50 pessoas por não compartilharem de seus ideais!!

      Está mais na hora de refletirmos sobre o quê acreditamos e no porquê de acreditarmos.

      Intolerância e radicalismo fogem dos ensinamentos de Cristo, vide Mateus 22:37-39:

      “Respondeu Jesus: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’.”

  1. Religião e sua desumanidade idolatrada… triste isso (isso que só li dois comentários, imagina se lesse todos esses tipo Joelma e Cesar).

    E pensar que antes isso não me incomodava, mesmo eu não sendo assim tão cruel (na prática) tão pouco me importava com as citações. E ainda vejo mórmons se incomodando com práticas de outras crenças (quanto hipocrisia, primeiro deveríamos esterilizar “o vaso interior”).

  2. 29 Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti, pois te é melhor que se perca um dos teus membros, do que todo o teu corpo seja lançado no inferno.
    30 E se a tua mão direita te escandalizar, corta-a e atira-a para longe de ti, porque te é melhor que um dos teus membros se perca, do que todo o teu corpo seja lançado no inferno.
    (Mateus 5:29-30)

    Não vejo muita diferença do ensinamento do Elder Grant para o acima dado por Cristo.

    • Tem certeza que foi Cristo quem disse isso? É tem certeza que sabe o contexto de tal afirmação. Mais estudo, por favor. Ou melhor, mais encontros com Cristo e menos com os homens.

      • Então, por favor, traga mais luz e conhecimento, senão para todos pelo menos para mim, quem disse tal passagem e em qual contexto foi feita tal afirmação?
        Ficarei grato e feliz em aprender mais!

    • Ok, Silva. Vou escrever um artigo sobre esse tema do escândalo e verás que nada tem haver com esse assunto aqui do post em que você o encaixou. Vou demorar um pouco para terminá-lo, portanto peço que pacientemente aguarde e, enquanto isso, poderia dar uma lida nalgum manual SUD, anotando algumas coisas (que serão discrepantes assim que ver o que eu escrever).

      • Nada tem a ver é um exagero, os dois ensinamentos, tanto do Elder Grant como o do agora autor desconhecido – tenho certeza que neste artigo que escrever dirás quem é o autor destes escritos – estão relacionados por serem ensinamentos de extremos, do tipo: é melhor perder um bem muito considerado nesta vida, no caso do Elder Grant a vida do filho, e no caso do autor desconhecido uma parte do corpo, do que perder a salvação. Neste sentido que os vejo como sendo parecidos.

    • Certamente se trata de uma metafora, nao imagino que o Senhor que declarou que nosso corpo e um templo derepente ordena as pessoas a se multilarem, isso estaria contra o proposito da expiacao que foi realizada justamente para que pudessemos ser perdoados de nossos pecados. Talvez a maneira correta de interpretar seja que devemos sacrificar o que pudermos para evitar o pecado, ou seja se somos tentados a beber devemos entao cortar amizades que nos levem aos bares e lugares de bebida, se temos fraquezas com a lei da castidade entao devemos evitar filmes, musicas e lugares que induzem a tentacao. Querer que um filho morra por ter quebrado um mandamento de Deus nao faz sentido nenhum, para isso o evangelho existe, para providenciar o arrenpendimento e a expiacao para prover o perdao.

  3. Não acredito que li esses comentários. Então quer dizer que uma pessoa que quebrou a lei da castidade estando viva e bem seria melhor que perdesse a própria vida pelo ato? Sinceramente, é muita religiosidade e pouca espiritualidade…

  4. Como reflete essa citação de Heber J. Grant nas crenças de membros da Igreja hoje?

    Entre os mais “fiés” (fanáticos) é possível que pensem assim, já temos dois exemplos aqui e um vindo de uma mulher.

    Quão representativo é esse ensinamento de Grant do que a Igreja prega hoje?

    Não vejo alguma autoridade geral pregando essa ideia infeliz.

    Qual significância pode-se atribuir ao fato da Igreja ainda publicar esse ensinamento?

    Nenhuma, a não ser a título de curiosidade. Aliás, pra alguém que disse que era pra obedecer o profeta ainda que estivesse errado, não é surpreendente.

      • Acredito que por não ser um livro famoso não tirem. Também depende se começar a causar problemas como O Milagre do Perdão e Doutrinas de Salvação. Mas, seria interessante uma errata mostrando que era uma opinião dele.

  5. Bom dia a todos,

    Cada vez que leio os artigos aqui, fico mais surpreso com as irracionalidades proferidas.

    Acho interessante a historia cristã, vendo que a igreja Católica em nome de Deus matou mais que qualquer coisa na face da terra.

    Pelo que estudei a vida inteira, quando Cristo esteve na terra como salvador de toda a humanidade, ele seria o ultimo sacrifício, veio para que cessasse o holocausto de animais e blá blá blá.

    Essa semana tivemos um episódio de ódio e no meu ponto de vista um tanto radical de um seguidor do Estado Islâmico, e ainda vemos varias atrocidades sendo feita por um bando de pessoas irracionais, onde o que é apenas visto é Deus, Pecado, Santidade, Errado, Certo.

    Venho me perguntando há alguns anos, onde está o amor dos homens? Certo que mesmo não acreditando em Deus, ou algo do tipo (sou Ateu convicto) há uma passagem bíblica me chama a atenção. Mateus 24:12 diz “Por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.” Vendo os comentários de alguns acima, vejo que isso está de fato acontecendo.

    “Não há nenhum Santo dos Últimos Dias de verdade que não preferiria enterrar seu filho ou sua filha do que descobrir que ele ou ela perdeu sua castidade – percebendo que a castidade tem mais valor do que qualquer coisa nesse mundo.”

    Citação egoísta, machista, e sem escrúpulos, sou pai de um grande menino, sendo ele uma das minhas mais preciosas joias. O que espero dele? Que seja feliz!

    Ver meu filho em um caixão ou ve-lo feliz com alguém que ama, mesmo sendo antes ou depois de casar?

    Até quando teremos que aguentar esse tipo de pensamento? Basta ler um pouco, basta ter um pouco de senso critico para ver as idiotices ditas por ditadores religiosos que abusam da ignorância de muitos para lucrar e enricar-se.

    A igreja mórmon é uma das mais poderosas (ricas) igrejas do mundo com muitas empresas e terras, dona de Shopping Center, terras, templos exuberantes, igrejas superfaturadas, e por ai vai…

    Sei que o tema é outro, sei que sai um pouco do tema principal, mas não acredito e não consigo aceitar que há pessoas que consigam aceitar essa citação!

    “É uma pena as pessoas não terem senso critico”.

  6. Por um lado vemos alguém totalmente convicto de que a morte não é o fim, sendo assim sem dúvidas que a morte do corpo não é nada comparado com a morte causada pelos pecados sexuais de uma pessoa.

    Do outro, vemos pessoas que não possuem Fé ou ainda é fraca, as quais preferem passar a eternidade longe de sua família [ claro, se isso tudo for verdade ].

    • Desde quando ser estuprado tem haver com falta de fé para viver com sua família eternamente a ponto de desejar que essa pessoa aceite a morte ante ‘aceitar’ o estupro? Lembrando que raramente a vítima tem como escolher, mesmo a morte, numa situação de tal violência. E inclusive algumas são assassinadas em tal.

      A questão é, admiro-me (ou não) que um fanático vá proferir a sentença: “ainda bem que ele matou ela, imagina passar a vida lembrando que foi estuprada, e perder a exaltação!”. Ou ainda: “foi estuprada, agora vai querer fornicação com todo mundo, parir um filho ilegítimo e perder a glória com nossa família na eternidade!”.

      Tivesse eu uma família assim, creio que a tal eternidade familiar não me seria nada atrativa.

      • Me perguntou se lemos o mesmo artigo. Acredito que estamos falando de fornicação, de alguém que por livre e espontânea vontade cometeu algum pecado sexual, não de estupro, onde a vítima não tem culpa alguma.

      • Realmente, meu comentário se atinha a outra postagem, similar, mas relacionada a estupro. Eu li as duas quase ao mesmo tempo, daí minha confusão nas palavras.

        Ainda assim, não prefiro minha filha assassinada ao saber que ‘fornicou’. Nem pratico ou acredito nesse tipo de coisa, por mais que entenda que a ‘morte’ pode ser nada em relação à eternidade, preservo me no direito de querer viver o tempo que for possível na vida mortal com todos que pertençam à minha ‘família’, independente das circunstâncias. Não tenho qualquer pretensão de apressar essa passagem.

  7. Para quem considera a vida como inicio e fim a afirmação é por demais fanática, mas quando se ter a firme crença que aqui é só uma passagem, um teste, prefere que seu filho seja aprovado no teste da mortalidade ainda que ao custo de se passar para a próxima etapa mais cedo, do que falhe no teste da mortalidade.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s