Russell M. Nelson e o Dom de Línguas

Texto de Gustavo Oliveira

Fui escolhido! Quando tinha 17 anos, o Élder Russell M. Nelson, do Quórum dos Doze Apóstolos, viria visitar o Rio de Janeiro. Seria uma visita rara, sem muito aviso prévio, e somente por um dia. Élder Nelson anunciou que queria dirigir-se aos jovens e jovens solteiros. Meu bispo me perguntou se eu tinha interesse em ser o tradutor do Élder Nelson para seu discurso. Eu estava em êxtase! Um membro do Quórum dos Doze Apóstolos! Claro que aceitei!

Semanas se passaram e eu não havia recebido nenhuma mensagem reforçando o convite; eu ainda não sabia se seria o tradutor ou não. Finalmente, chegou o dia do serão com o Élder Nelson. Eu cheguei cedo na capela de Andaraí, um bairro carioca, e a sede da nossa estaca. A grande maioria dos presentes eram jovens; jovens das três estacas cariocas: Andaraí, Madureira, e Rio de Janeiro. A capela de Andaraí estava mais cheia que durante nossas conferências de estaca. E eu ainda não sabia se seria o tradutor ou não. Continuar lendo

Monson plagia Monson

Na Conferência Geral de outubro de 2014, o presidente Thomas S. Monson reciclou discursos de anos anteriores.

tsm cabeçaAs conferências gerais de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias são eventos considerados sagrados na cultura mórmon. Os discursos do presidente da Igreja, especialmente, são tidos por muitos não apenas uma fonte de inspiração mas um oráculo que pode revelar a vontade divina para a Igreja e a humanidade.

Na década de 1950, introduziu-se a referência ao presidente da Igreja como “o profeta”, expressão até então usada para referir a Joseph Smith. Uma publicação oficial usada nas aulas dominicais de visitantes e novos membros diz que seus discursos teriam, a princípio, a mesma importância das escrituras canônicas:

Devemos estudar suas palavras e ouvir seus discursos nas conferências.

Além desses quatro livros de escrituras, as palavras inspiradas dos profetas vivos tornam-se escritura para nós. (p. 42, 49)

Outra afirmação do mesmo livro, porém, sugere que as palavras do presidente da Igreja seriam ainda mais importantes do que as obras-padrão:

Muitas pessoas acham fácil acreditar nos profetas do passado. Entretanto, acreditar no profeta vivo é algo muito mais importante. (p. 42)

Diferentemente dos primórdios do mormonismo — e contrário aos princípios escriturísticos de ensinar o que o Espírito Santo venha a inspirar no momento (Mat. 10:19-20; Luc. 12:11-12; Mor. 06:09; D&C 68:03; 84:85; 100:05-06) —, os discursos nas Conferências há várias décadas são escritos de antemão. Eu nunca havia percebido, porém, a prática do autoplágio na Conferência. Continuar lendo

Guia Prático dos Piores Discursos 2

Dando continuidade ao nosso curso intensivo e gratuito, aqui vai o segundo passo. Se você perdeu o primeiro, leia aqui antes.

2° Passo: Fale mormonês

A maneira mais fácil de se perder do roteiro e acabar acidentalmente dizendo algo que faça sentido é falando português. Isso deve ser evitado a todo custo! Portanto, não corra o risco. Seu discurso deve estar recheado de palavras e expressões tipicamente mórmons, especialmente aquelas que não precisam ser definidas. Frases que ninguém sabe de onde vieram e pseudo-escrituras também são de extrema utilidade.

Lição de casa: estude atentamente e memorize este discurso exemplar.

Guia Prático dos Piores Discursos 1

Muitos imaginam que aquele discurso sacramental de efeito sonífero é fruto de intrincadas construções discursivas; ou que aquele discursante que consegue falar durante 15 minutos sem dizer nada tem uma técnica impenetrável. Ledo engano! Revelamos aqui os meios mais eficazes para se fazer os piores discursos dominicais.

1° Passo: Proteja-se contra a inspiração

Ao ser convidado para discursar, não busque inspiração, jamais. Inspiração é complicada e deve ser deixada para profissionais. Vai que você acha que está recebendo inspiração e não está?

Uma ótima técnica para evitar a inspiração é confiar no que outras pessoas disseram, sem nenhuma reflexão. Você pode citar, por exemplo, o que disse o presidente de missão ou o professor do ÇEI. Outra possibilidade é simplesmente pegar uma revista Liarrona e ler um discurso de cabo a rabo. É tiro e queda.

182ª Conferência Geral Anual da Igreja Sud

Esta discussão se refere à Conferência de abril de 2012. Para a Conferência Geral de outubro, leia aqui.

O que chamou mais a sua atenção durante a última conferência geral de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias?

Que ideias ou ensinamentos você destacaria?