Dívidas Missionárias

Jovens d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias são convocados a servir 18 a 24 meses como missionários.

Em teoria, esses jovens são voluntários e são sustentados seja por suas famílias, seja por suas poupanças pessoais, durante esse período.

Contudo, a Igreja solicita doações de todos os membros da Igreja destinados a um fundo destinado a financiar as missões dos jovens que não gozam de estrutura familiar ou financeira para se sustentar enquanto trabalham como missionários para a Igreja.

O que fazer, porém, quando alguns líderes ameaçam os jovens e suas famílias para que paguem quando recebem ajuda desse fundo?

Recebemos recentemente uma carta de uma leitora pedindo ajuda ou orientações e gostaríamos de compartilhar essa história para que mais pessoas pudessem oferecer sugestões.

Preciso de uma ajuda de vocês. Meu namorado serviu missão e retornou há um ano atrás, e hoje sua mãe me relatou que meus líderes haviam cobrado dela uma dívida que meu namorado acumulou da missão. Bom, ela me relatou também que os irmãos lhe haviam mandado dinheiro durante a missão, só que ele não recebia porque os irmãos colocavam no envelope do dízimo. Bom, esse dinheiro acredito eu que foi para descontar o valor da missão. Bom, eu queria saber com funcionar esse valor que os rapazes e moças pagam para fazer missão? E, também, minha sogra relatou que não irá pagar e como fica esse caso? Porque falaram para ela que se ele não pagar pode até ser excomungado da igreja. Como não entendo nada sobre isso, preciso de uma orientação.

Quais orientações poderíamos passar para essa moça? Como ajudar esse rapaz e sua família?

É inteiramente possível que os líderes locais estejam sendo cobrados pela liderança da Estaca ou da Área para aumentar suas contribuições financeiras, especialmente ao fundo missionário. E estes, consequentemente, estão cobrando daqueles que já receberam essa ajuda como se tivessem recebido empréstimos ao invés de “ajuda de custo”. Custos missionários são “retirados” dos fundos locais (i.e., alas e estacas) de onde o jovem oriunda nos livros contábeis da Igreja, apesar dos fundos serem todos centralizados em uma conta única.

A nossa impressão é que o fundo missionário é uma complementação para o sustento desses missionários e não um empréstimo e, portanto, não pode ser cobrado como uma dívida. Ademais, embora os familiares dos missionários sejam sempre encorajados, e até pressionados, a contribuir “generosamente” para o fundo missionário para cobrir os gastos, eles não são assim obrigados por nenhuma lei ou regra eclesiástica. Certamente, eles não podem ser obrigados legalmente para oferecer o que é oficialmente uma contribuição religiosa voluntária. A ameaça de excomunhão não parece ter respaldo nas próprias leis eclesiástiças internas. Como ainda não houve missionários cobrando na Justiça do Trabalho os direitos trabalhistas por esse período é quase um milagre.

Lembremos, finalmente, que a Igreja alterou recentemente suas regras para determinar que ela tem o direito de gastar as doações para o fundo missionário como lhe bem prouver, mesmo que não seja com missionários como anunciado.

Quais sugestões podemos oferecer a esse rapaz e sua família?

88 comentários sobre “Dívidas Missionárias

  1. A Igreja parece que esta pendendo para teses Calvinistas ou estes neo pentecostais que só pensam em dinheiro, o que não explicam é o que fazem com o dizimo e nem de onde vem o dinheiro e o que fazem com os lucros dos muitos investimentos financeiros que a igreja tem; e mais tem fazendas, shoppings, edifícios imobiliários para fins comerciais e lucrativos e sem falar no clube de caça. Como diz o livro de mórmon edificam igrejas para obter lucros, roubam a viúva e o órfãos, digo mais na minha ala não ajudam o pobre, mas querem forçar o pobre a doar, eles até se afastam por isto, quando quis ajudar alguém de fato tive que ajudar informalmente sem envolver a igreja oficialmente, porque parece que só tem dinheiro para ajudar o queridinhos da lideranças e para outros nada, alguns bispos são bastante parciais na hora de julgar a quem devem ajudar.

    • meu jovem tu não e´membro da igreja, tu deve ser um lunatico, busca um testemunho.o sistema da igreja funciona irmão ajudando irmãos, a igreja funciona como um intermediario o dinheiro que entra por exemplo na coluna fundo missionario de ala a igreja ajuda aqueles que por ventura não tem o suficiente para sustentar sua missão, mas deseja faze-lo, por outro lado, precisa se tiver um testemunho coisa que o amigo não tem. de ajudar ou mesmo devolver o que recebeu para que outros que na mesma situção seja ajudados. mais como divida ninguem que fez missão gerou uma divida que se não puder devolver, seria penalizado com excomunhão. para uma pessoa ser excomugada ele precisaria ter cometindo uma trangressão muito grave.

      • Bom dia, precisaria procurar a liderança para saber que dívida é essa… Geralmente o que pode ter acontecido, é que o dinheiro de outros missionários ter caído na conta de alguém que era responsável em pegar e distribui-lo e não o fez…. ou outra situação financeira e o dinheiro ser usado, sabendo que não era dele… Sendo assim, é uma dívida de quem utilizou o dinheiro… Não se paga por ter feito uma missão! E com esse problema de que pode ser excomungado a situação é gravíssima, não adianta reclamar aqui, isso não resolve! Tem que procurar a liderança e saber o que realmente aconteceu… Não tem como cobrar o que alguém não deve! Se estão cobrando, não é por conta da missão que fez! Se usarmos um dinheiro indevido na missão, ai sim, temos que pagar, temos que devolver, temos que dar conta dele… Isso sim seria algo muito grave, para ser excomungado…. e levado até a justiça… Como não sabemos o que realmente aconteceu, sugiro procurar a liderança local para saber o que realmente aconteceu… Porém, isso pode não ser falado a todos, mesmo que for da família por ser algo muito grave… Já por parte do ex- missionário ele pode falar qualquer coisa!… Embora explicando o que pode ter acontecido, somente quem esta nessa situação é que sabe! A liderança e o próprio envolvido… Que o Senhor os abençoe para que se resolva….

  2. Achei muito estranho esse caso. Nunca tinha ouvido nada parecido. Já frequentei alas de regiões diferentes e nunca tinha nem ouvido falar sobre isso. Todos meus amigos não pagaram a missão integralmente, devido ao fundo destinado aos missionários da ala. Esse valor nunca foi cobrado, muito menos sobre ameaça de excomunhão. Se essa ameaça ocorreu de fato, vá até seu presidente de estaca e peça esclarecimento. Essa história está muito mal contada.

    • Sim, também estranho, por isso desconfio do líder envolvido, caso tenha ocorrido. Pois a cobrança existe (fica registrado nas contas da associação de algum modo), mas de modo tão explícito ou usando de tal coerção, eu desconheço diretriz para tal.

    • Concordo eu servi missão de tempo integral custeada pela igreja e no texto desta carta não procede a maneira administrativa do fundo da ala. Essa afirmativa da carta é falsa.

      • Pode até ser falsa, mas que existem líderes que metem os pés pelas mãos e que essa dívida missionária nas alas é real, isso não pode ser negado.

        Todo mês a ala que tem ou teve missionário no campo, cujo compromisso missionário não foi pago, recebe um e-mail (o bispo recebe), alegando dessa dívida da ala e que ações sejam realizadas para saldá-la. Muitas vezes a ala aceita pagar do próprio orçamento em parcelas a perder de vista, em geral com supervisão do presidente da estaca que também é pressionado.

        Nesse caso alguns bispos tem achado que uma cobrança direta é a melhor abordagem, já que a pessoa ou família prometeu um valor x, no chamado (preenchimento dos papéis), e não honrou.

        Mas a dívida, que eu saiba, nunca é a integral da missão, e sim o que a pessoa, família e ala ‘concordaram’ em pagar. Embora exista a prerrogativa do presidente da missão encaminhar pra ala ou família do missionário alguma despesa que ele ache que o orçamento da missão não deva pagar. E isso já aconteceu.

        Também não estranho que as pessoas em geral não saibam dessas coisas, é algo tão velado que só os envolvidos descobrem, e muitas vezes tarde demais. Não há qualquer orientação sabia ou honesta para o povo mais simples de que a missão, além de ser uma ‘obrigação’ também precisa ser paga, nem que seja R$ 5,00 por mês. Daí a pessoa boa lá R$ 20,00 por mês e nunca paga e acha que fica por isso mesmo, afinal já paga seu dízimo e contribui há anos com fundo missionário da ala.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.