Profeta Mórmon a Africanos: Dízimo Eliminará Pobreza

O Profeta Russell Nelson, Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pregou a africanos, durante sua visita a Nairobi, capital do Quênia, que o pagamento do dízimo é o que eliminará a pobreza de suas vidas.

Presidente Russell Nelson, em visita com Apóstolo Jeffrey Holland, cobrou dízimo dos africanos no Quênia (Foto: Ravell Call, Deseret News)

Mórmons africanos fizeram enormes sacrifícios para ouvir o seu Profeta pessoalmente, de acordo com o jornal da Igreja SUD Deseret News.

“Para ouvir, nesta segunda-feira,  a voz do presidente da Igreja SUD pessoalmente pela primeira vez, os mórmons da África Oriental viajaram centenas de quilômetros em ônibus cobertos de poeira, pulando e balançando por estradas de terra, ruas quebradas e onipresentes lombadas que mantêm velocidades abaixo de 80 km/h.”

E mensagem de Nelson foi tão clara e inequívoca, quanto o seu apelo ao popular evangelho da prosperidade, do tipo “paguem seus dízimos e deixarão de ser pobres”:

“Pregamos o dízimo para os pobres do mundo porque os pobres do mundo vivem em ciclos de pobreza, geração após geração. Essa mesma pobreza continua de uma geração para outra, até que as pessoas paguem o dízimo.”

A reportagem que acompanha o turnê internacional de Nelson e sua esposa, e o Apóstolo Jeffrey Holland e sua esposa, reconta os relatos de sacrifícios de alguns mórmons africanos para ouvir seus profetas:

Um total de 67 membros de quatro ramos SUD na área de Eldoret, a 320 km a noroeste de Nairobi, reuniram-se às 9 da noite do Domingo, mas o ônibus não apareceu até as 12h30. Eles chegaram às 7 da manhã e começaram uma espera de 10 horas pela reunião.

Além do discurso de Nelson, os membros africanos ali reunidos ouviram de sua esposa, Wendy Nelson, do Apóstolo Jeffrey Holland e de sua esposa, Patricia. Todos os oradores discorreram sobre a importância de frequentar o templo, e enquanto não há sequer um templo anunciado para o país, manter uma recomendação ao templo em dia. O que mantém a mensagem perfeitamente coerente e sincrônica com o cobrança do Profeta, considerando que pagar o dízimo regularmente é um dos principais pré-requisitos para se manter uma recomendação ao templo em dia.

Nelson ainda criticou a tradição cultural local quando condenou a prática de dotes matrimoniais:

“Eles receberam uma mensagem adaptada para a África oriental, onde muitas tribos continuam a insistir que os noivos ou suas famílias forneçam um dote ou paguem um preço por uma noiva.

‘Esse não é o caminho do Senhor’, disse o presidente Russell M. Nelson a cerca de 2.000 quenianos e outros africanos na noite de segunda-feira dentro de um grande centro de eventos oval de madeira, decorado em estilo tradicional em Nairóbi, Quênia.O caminho do Senhor é se casar no templo, pelo tempo e por toda a eternidade, com seus filhos selados a você’.”

Naturalmente, Nelson não deixou explícito que, para poder “se casar no templo” e “com seus filhos selados”, é preciso pagar seus dízimos à Igreja SUD fielmente.


O que é a Teologia da Prosperidade?

Teologia da Prosperidade (também conhecida como Evangelho da Prosperidade) é uma doutrina religiosa cristã que defende que a bênção financeira é o desejo de Deus para os cristãos e que a fé, o discurso positivo e as doações para os ministérios cristãos irão sempre aumentar a riqueza material do fiel. Baseada em interpretações não-tradicionais da Bíblia, geralmente com ênfase no Livro de Malaquias, a doutrina interpreta a Bíblia como um contrato entre Deus e os humanos; se os humanos tiverem fé em Deus, Ele irá cumprir suas promessas de segurança e prosperidade. Reconhecer tais promessas como verdadeiras é percebido como um ato de fé, o que Deus irá honrar.

Seus defensores ensinam que a doutrina é um aspecto do caminho à dominação cristã da sociedade, argumentando que a promessa divina de dominação sobre as Tribos de Israel se aplica aos cristãos de hoje. A doutrina enfatiza a importância do empoderamento pessoal, propondo que é da vontade de Deus ver seu povo feliz. A expiação (reconciliação com Deus) é interpretada de forma a incluir o alívio das doenças e da pobreza, que são vistas como maldições a serem quebradas pela fé. Acredita-se atingir isso através da visualização e da confissão positiva, o que é geralmente professado em termos contratuais e mecânicos.

Foi durante os avivamentos de cura (healing revivals) dos anos 1950 que a teologia da prosperidade ganhou proeminência nos Estados Unidos, apesar de especialistas terem ligado suas origens ao Movimento Novo Pensamento. Os ensinamentos da teologia da prosperidade mais tarde ganharam proeminência no Movimento Palavra de Fé e no televangelismo dos anos 1980. Nos anos 1990 e 2000, foi adotada por líderes influentes do Movimento Carismático e promovida por missionários cristãos em todo o mundo, levando à construção de megaigrejas. Líderes proeminentes no desenvolvimento da teologia da prosperidade incluem E. W. Kenyon, Oral Roberts, T. L. Osborn e Kenneth Hagin.

As igrejas nas quais o evangelho da prosperidade é ensinado são geralmente não-denominacionais e usualmente dirigidas por um único pastor ou líder, apesar de que algumas desenvolveram redes que se assemelham a denominações. Algumas igrejas dedicam um longo tempo aos ensinamentos sobre o dízimo, o discurso positivo e a fé. Igrejas da prosperidade geralmente ensinam sobre responsabilidade financeira, apesar de que alguns jornalistas e acadêmicos têm criticado seus conselhos nessa área como enganosos. A teologia da prosperidade tem sido criticada por líderes dos movimentos pentecostal e carismático, assim como de outras denominações cristãs. Eles argumentam que ela é irresponsável, promove a idolatria e é contrária às escrituras. Alguns críticos argumentam que a teologia da prosperidade cultua organizações autoritárias, onde os líderes controlam as vidas dos membros.


O que é mais caro: Os tradicionais dotes matrimoniais quenianos, ou 10% do salário em perpetuidade para a Igreja?

Aparentemente, a tradição estabelece a expectativa de dotes nos valores estimados de 5 anos de trabalho do noivo, embora negociações sejam a regra, e muitas tribos e famílias utilizam tais negociações para mensurar o grau de seriedade do compromisso do noivo para com a noiva. Há muita fluidez, e algum questionamento, na prática real desta tradição, apesar de abusos exploratórios ainda ocorrerem. Existem ainda consultorias profissionais para auxiliar ambas partes durante tais negociações e reduzir tais abusos. Costumeiramente, os dotes são pagos em bens como vacas ou cabras, mas dinheiro é o modo mais comum hoje em dia, e parcelamento em anos, ou mesmo décadas, a norma.

26 comentários sobre “Profeta Mórmon a Africanos: Dízimo Eliminará Pobreza

  1. Eu sou a favor do pagamento dízimo seja qual for o rendimento de uma pessoa. Só não concordo que líderes recebam ajuda de custo pra realizar atividades da igreja e depois dizem que são Voluntários.
    Para mim todo líder não deveria receber ajuda nenhuma de custo para realizar funções da igreja. Recebeu o chamado e aceitou o chamado, tem que arcar com todo ônus como: viagem, alimentação, moradia e etc!

    • Valeria sua ideia ja foi ensinada no Livro de Mormon que lideres Eclesiasticos nao devem receber compensasao para ensinar ou administrar o Evangelho, veja os seguinte exemplos no Livro De Mormon:

      5 Sim, e para que TODOS OS SEUS SACERDOTES E MESTRES trabalhassem com as próprias mãos para prover o seu sustento em todas as circunstâncias, a não ser em caso de doença ou de grande necessidade; e assim fazendo, receberam a graça de Deus copiosamente. (Mosias 27)

      ” 24 E também mandou que os SACERDOTES QUE ele ordenara trabalhassem com as próprias mãos para o seu sustento.

      25 E designou-se um dia de cada semana no qual deveriam reunir-se para ensinar o povo e adorar ao Senhor seu Deus; e deveriam também reunir-se tantas vezes quantas lhes fosse possível.

      26 E OS SACERDOTES NÃO DEVERIAM DEPENDER DO POVO PARA O SEU SUSTENTO; mas, pelo seu trabalho, receberiam a agraça de Deus, a fim de fortalecer-se no Espírito, tendo conhecimento de Deus para ensinar com poder e autoridade de Deus”. (Mosias 18)

      29 Ele ordena que não haja artimanhas sacerdotais; pois eis que artimanha sacerdotal é o homem pregar e estabelecer-se como uma luz para o mundo, a fim de obter lucros e blouvor do mundo; não procura, porém, o bem-estar de Sião.

      31 MAS O TRABALHADOR DE SIÃO TRABALHARÁ POR SIÃO; PORQUE, SE TRABALHAR POR DINHEIRO, PERECERÁ.(Alma 26)

      26 E quando os sacerdotes deixavam seu trabalho para ensinar ao povo a palavra de Deus, o povo também deixava seus trabalhos para ouvir a palavra de Deus. E quando o sacerdote terminava de ensinar-lhes a palavra de Deus, voltavam todos diligentemente para seus trabalhos; e o sacerdote não se julgava superior a seus ouvintes, porque o pregador não era melhor que o ouvinte nem o mestre melhor que o discípulo; E ASSIM ERAM TODOS IGUAIS E TODOS TRABALHAVAM, CADA UM DE ACORDO COM SUAS FORÇAS. (ALMA1)

      Interessantemente o unico exemplo de que lideres deveriam receber para ensinar veio de um Anti- Cristo chamado Neor que saiu pregando que os lideres deveriam serem sustentados pelo povo:

      “2 E aconteceu que no primeiro ano do governo de Alma como juiz, foi-lhe apresentado um homem para ser julgado, um homem de grande estatura e notável pela sua grande força.

      3 E ele saíra pregando ao povo o que achamava de palavra de Deus, opondo-se à igreja; DECLARANDO AO POVO QUE TODOS OS SACERDOTES E MESTRES DEVERIAM TORNAR-SE CPOPULARES; E QUE NÃO DEVERIAM TRABALHAR COM AS PRÓPRIAS MÃOS, MAS DEVERIAM SER SUSTENTADOS PELO POVO.”

      Hoje a igreja gasta milhoes de dolares com salarios de autoridades gerais alem dos inumeros e generosos beneficios como carros, motoristas particulares, cartao de credito corporativo, custos de moradia, bolsas de estudos para filhos, netos etc.. A igreja esta praticando o que o Livro de Mormon define como “Artimanhas Sacerdotais” Onde lideres sao se tornam populares e recebem beneficios financeiros, os lideres na igreja sao tratados quase como celebridades alem de receberem salarios da igreja.

  2. Para eliminar a pobreza o individuo necessita seguir os seguintes passos:

    1) O homem assim como a mulher antes do casamento devem ter formação acadêmica(segundo gráu, curso técnico ou/e formação superior). Além de cursos extracurricular( ex: eletricista, computação gráfica, fotografia e outros). Quanto mais rico é o currículo educacional, maiores chances de preparo o homem e a mulher terá no campo de trabalho.

    2) O homem assim como a mulher antes do casamento devem ter empregos fixos e seu próprio negócio( ex: pequena criação de galinhas para ter ovos gratuitos e frangos, venda de bolos e pão caseiro para colocar dinheiro dentro de casa, e outros negócios que o individuo deseja fazer).

    3) Com emprego fixo garantido e negócios extras já fixo, o homem e a mulher poderão casar sem se preocupar com dinheiro. Após o casamento ou antes mesmo do casório, deve se fazer planejamento familiar baseando na renda do casal. Se a renda do casal é alta, então planeje 3 filhos, caso for baixa então faça 1, e assim por diante.

    A pobreza existe por N de fatores, mas o mal planejamento familiar ou a falta dela contribui e muito para que a familia seja super dependente de alguma instituição ou de outros individuos e grupos. Se cada familia fosse responsável e consciênte fazendo planejamento familiar como foi explicado acima, essas familias não viveriam em necessidade e pobreza, mas sim auto-suficientes.

    O pagamento de dízimo não irá fazer o membro ser rico e nem independente. Lógico que há excessões, mas para que essas excessões ocorram, esses tem que fazer alguns sacrificios e logicamente essas coisas que apontei em cima são primordiais. De nada adianta o membro pagar o dízimo, se o mesmo não tem um emprego fixo e condições que dê esperança de uma vida profissional sólida. Conheço muitas familias que pagam dizimo já a décadas, mas vivem duros. Portanto é ingenuidade o membro pensar que pagamento do dízimo seja o segredo de uma vida social tranquila. Não, não é e muito menos o levará ao sucesso.

    Basicamente dizendo você tem que se esforçar muito para ter uma vida tranquila.

    Agora falando sobre a Africa. A pobreza na Africa não é somente por falta de planejamento familiar, mas também corrupção e desvio de dinheiro dos governantes. Para eliminar a pobreza na Africa, não somente o povo tem que mostrar trabalho árduo, como também os lideres devem ser honestos na posição que ocupam.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.