Por Que o Rótulo “Seita” Atrapalha o Entendimento de Novas Religiões

“Seitas” estão de volta ao noticiário.

O documentário “Wild Wild Country” da Netflix ressuscitou o interesse pela seita do amor livre” fundada pelo guru indiano Rajneesh, ou Osho, e que em 1984 lançou um “ataque bioterrorista“, espalhando salmonella em restaurantes perto da sede do grupo no Oregon.

Reverendo Moon Seita Casamento

Cerimônia coletiva de casamento ou “rededicação” para mais de 3800 casais na sede da Igreja da Unificação em Gapyeoung, Coreia do Sul, em 2015. Imagem: Chung Sung-Jung | Cosmopolitan.

Depois, há o NXIVM, uma “seita sexual” sediada em Albany, Nova York. Reportagens na mídia afirmam que as integrantes do NXIVM recrutavam “escravas”, que eram marcadas com as iniciais do líder do grupo, Keith Raniere. Raniere, também chamado de “Vanguarda”, foi preso por tráfico humano. 

Acadêmicos às vezes usam o termo “seita” [ou, em inglês, cult, “culto” ] para descrever grupos que possuem crenças distintas e fortes níveis de comprometimento. O problema vem com o uso popular da palavra, frequentemente usada para descrever grupos autoritários que induzem crenças ou ações através de “controle da mente” ou “lavagem cerebral”.

Como acadêmico que ensina e escreve sobre religião, acredito que o rótulo “seita” atrapalha a compreensão de religiões novas ou alternativas.

Eis o porquê Continuar lendo

Mórmons Contra Ciência em Utah?

Mórmons em Utah estão pressionando a Comissão de Educação Estadual para piorar o ensino de Ciências para crianças e adolescentes em uma nova cruzada anti-ciência.

A mutação de um gene significou a evolução do coração. Nenhum fato científico está melhor estabelecido pelo acúmulo de evidências que a Evolução Orgânica.

De acordo com várias agências de notícias (Washington Post, Newsweek, Salt Lake Tribune, Jezebel), o currículo de alunos Continuar lendo

Para Setenta, Terra Tem 6 Mil Anos

João R. Grahl é um dos novos setenta autoridades de área chamados na última Conferência Geral. Professor universitário de administração, Élder Grahl afirma que o planeta terra tem 6.000 anos de idade. Não, isso não é uma piada.

terraVejamos um trecho de seu livro A Origem da Vida. Após refutar a teoria do Big Bang, Grahl escreve sobre a idade da terra:

Outras declarações de estudiosos e cientistas que passam desapercebidas para leigos e são ouvidas por muitos sem questionamentos é sobre a idade da terra. Frequentemente ouvimos que a terra tem milhões ou bilhões de anos. A terra só tem seis mil anos. Todos os cálculos que têm sido apresentados estão errados. (p.08) Continuar lendo

Cientista da BYU Descobre Nilo em Lua

Cientista da BYU Descobre Nilo em Lua

Cientista Planetária da BYU Jani Radebaugh

Cientista Planetária da BYU Jani Radebaugh

A cientista planetária Jani Radebaugh, do departamento de Geologia e Ciências Planetárias da Brigham Young University, participou do processo de descobrimento do maior rio extraterrestre do qual temos conhecimento.

A Dra. Radebaugh, SUD de nascença, é formada em Física e Astronomia pela BYU, com Mestrado pela BYU e Doutorado pela Universidade do Arizona em Geologia e Ciências Planetárias, e desde 2006 integra o grupo de cientistas do Projeto Cassini pela NASA.

Em Setembro de 2012, cientistas do Projeto Cassini avistaram uma enorme formação ribeira em Titã, uma das luas de Saturno. O rio, que apresenta uma semelhança visual

Continuar lendo

Mórmons Contra Ciência?

A elegante estrutura helicoidal do DNA: descoberta em 1953, 6 anos após Russell Nelson se formar em Medicina, quase 100 anos depois que Charles Darwin revolucionou a Ciência moderna com a Teoria que ela ajudou a comprovar.

Mensagem de Páscoa de Apóstolo Russell Nelson inaugura nova era de conflito entre Mormonismo e Ciência?

Durante a última Conferência Geral há duas semanas atrás, para minha enorme surpresa, o Apóstolo Russell Nelson ridicularizou duas das teorias científicas mais aceitas, comprovadas, demonstradas, e fundamentais para uma gama enorme de todo processo científico da atualidade.

Sem exageros, ele teria se envergonhado menos se ele tivesse questionado uma das teorias de Gravidade, que é muito menos compreendida. Eu gostaria de, brevemente, discutir como ele esta errado, por que eu suspeito que ele tenha adotado essa postura, qual o contexto histórico na relação entre Mormonismo e Ciência, e quais as implicações para o futuro.

Continuar lendo

Palavra de Sabedoria e a Ciência

Quem nunca ouviu a afirmação que a revelação da chamada “Palavra de Sabedoria” foi revolucionária e um enorme avanço sobre as ciências médicas, que viriam a confirma-la décadas ou centenas de anos depois? Que a Palavra de Sabedoria é uma profecia cumprida e confirmada pela Ciência moderna? E, como prova disso, o estado de Utah — ainda em sua maioria Mórmon — goza de uma das maiores taxas de expectativa de vida nos EUA e no mundo!

Bom, do ponto de vista histórico sabemos que a Palavra de Sabedoria é praticamente idêntica ao movimento chamado de “temperância” que alastrava por toda a região norte-nordeste dos EUA desde o início do século XIX, atingindo furor nas décadas de 1820 e 1830.

Ignorando a questão de sua independência de origens, a Palavra de Sabedoria traz afirmações de saúde claras e específicas, que permanecem no contexto Mórmon fortemente até hoje.

Ao menos alguns líderes da Igreja defendem ou defenderam Ciência como o resto do mundo a utiliza: ferramenta para o avanço do conhecimento e bem estar da Humanidade. Sendo assim, eu achei que seria interessante ver o que as Ciências Médicas, principalmente as pesquisas científicas mais recentes, tem a dizer hoje sobre a Palavra de Sabedoria (como publicada em Doutrina e Convênios, seção 89).

O que dizem os estudos recentes? [1]

Continuar lendo