Podcast Mórmon #102 – A Crise de Sucessão de 1844

A Associação Brasileira de Estudos Mórmons e o Vozes Mórmons dão seguimento ao projeto coletivo de podcasts para discussão de temas relacionados ao Mormonismo: O Podcast Mórmon.

Neste episódio Antônio Trevisan e Marcello Jun discutem o passado e o futuro da pesquisa acadêmico-histórica de um importante capítulo na história Mórmon: a crise de sucessão pelo controle da Igreja Mórmon após o assassinato de Joseph Smith em junho de 1844.

Em 27 de junho de 1844, Joseph e Hyrum Smith foram assassinados por uma turba em Carthage, Illinois. Suas mortes precoces e inesperados tomaram Joseph, e todos os Mórmons, completamente surpresos e despreparados. O que seguiu-se foram meses, anos, e décadas de confusão, brigas, e incertezas sobre quem deveria liderar a Igreja Mórmon agora que seu Profeta havia morrido. Esta confusão afetou não apenas a estrutura de poder e os líderes e candidatos à sucessão, mas também pessoas individualmente e famílias inteiras.

Embora muitos Mórmons acreditem que os Apóstolos teriam o direito de liderar a Igreja após a morte do Profeta, isto não era o que Smith havia legado à sua Igreja. Neste episódio do Podcast Mórmon, discutimos o que historiadores descobriram sobre os dilemas, debates, e brigas que sucederam a morte do Profeta e do Patriarca.

Assista aqui o podcast na íntegra:

Continuar lendo

Os Doze e a Primeira Presidência

ppQuando Joseph Smith organizou a Igreja de Cristo, em 1830, não havia uma Primeira Presidência ou um Quórum dos Doze. Joseph e Oliver Cowdery eram respectivamente primeiro e segundo élderes, sendo também considerados apóstolos (D&C 20) em um sentido diferente do utilizado modernamente no mormonismo – e mesmo diferente do que viriam a ser os apóstolos escolhidos pelas Testemunhas do Livro de Mórmon. Foi só em 1832 que surgiu a Primeira Presidência e em 1835 o Quórum dos Doze. Continuar lendo

Atas do Conselho dos 50 serão publicadas em 2016

Joseph_Smith_Jr_portrait_owned_by_Joseph_Smith_III_zpsec9818e5Editores do projeto Joseph Smith Papers anunciaram para o final de 2016 a publicação de um volume dedicado às atas do Conselho dos 50 durante o período de Nauvoo. O anúncio foi feito durante a conferência anual da Mormon History Association, realizada no início deste mês em San Antonio, no Texas. Os editores, Ron Esplin, Matthew Grow e Richard Turley, afirmaram não haver nada “sensacional” nas atas que serão publicadas. Continuar lendo

Podcast Mórmon #102 – A Crise de Sucessão Após a Morte de Joseph Smith

Podcast Mórmon #102 – A Crise de Sucessão Após a Morte de Joseph Smith

No próximo sábado, a crise de sucessão de 1844 será o tema do Podcast Mórmon. Antônio Trevisan Teixeira e Marcello Jun discutirão o impacto da morte de Joseph e Hyrum Smith e a subsequente divisão entre os santos dos últimos originada pelas diferentes ideias a respeito de como e por quem Joseph Smith seria sucedido na liderança máxima do mormonismo.

No mês em que se completam 170 anos do assassinato dos irmãos Smith, o Podcast Mórmon apresentará ao público de língua portuguesa o que há de mais atual na pesquisa acadêmica mórmon sobre o tema da sucessão. Continuar lendo

A Última Revelação de Joseph Smith

Ou como Joseph e Hyrum Smith iniciaram sua fuga para as Montanhas Rochosas e voltaram atrás aa228c9a-7830-4d73-b819-fd4c7e5de0a2_zps369ddf72aa228c9a-7830-4d73-b819-fd4c7e5de0a2_zps369ddf72aa228c9a-7830-4d73-b819-fd4c7e5de0a2_zps369ddf72

Por que houve uma crise de sucessão entre os santos dos últimos dias com a morte de Joseph Smith? Por que houve uma divisão da Igreja com diferentes indivíduos dizendo ser os legítimos sucessores do profeta assassinado – e encontrando apoiadores? A resposta mais simples, ainda que menos conhecida entre o público sud: não apenas a situação era inédita para aquela jovem organização, como não havia sido sequer esboçado um procedimento claro para a eventual morte de Joseph Smith. (Que possibilidades existiam e como foi consolidada a sucessão pela via apostólica será assunto para outra conversa.)

smith1

Apesar de sofrer hostilidade interna e externa, Joseph Smith aparentemente não esperava morrer aos 39 anos. Por isso, nunca apresentou à Igreja um processo de sucessão claro. Ele não só recebeu pelo menos uma revelação que sugeria a possibilidade de uma vida bem mais longa como sua ida à cadeia de Carthage foi contrária à última revelação por ele recebida. Em uma reunião no dia 22 de junho, Joseph Smith teve o seguinte diálogo com Hyrum Smith, após ler a carta do governador Ford: Continuar lendo

Desafio de história mórmon: crise de sucessão

Sucessão VM (2)

Você consegue identificar estes oito homens que foram considerados ou se apresentaram como sucessores de Joseph Smith?

 

A crise de sucessão, ocorrida após o assassinato de Joseph Smith, será o tema do próximo Podcast Mórmon, no dia 14 de junho, às 14 horas. O programa, ao vivo, será transmitido pelo site LiveStream. Participe!

Famílias Dividas na Crise de Sucessão

Pioneira, de Michael Dumas

Pioneira, de Michael Dumas

O assassinato de Joseph Smith em 1844 deixou os santos dos últimos dias numa situação inesperada: a jovem igreja estava desprovida de seu líder maior e sem instruções específicas sobre o que fazer. Isso não gerou um problema qualquer, mas uma imensa e intensa crise, em que doutrinas, ordenanças, quóruns, ofícios e personalidades entraram em disputa para decidir os rumos do mormonismo.

Estima-se que em torno de 50% dos membros da Igreja deixada por Joseph Smith tenham seguido a liderança dos Doze, encabeçados por Brigham Young. Já a outra metade dos membros teria se dividido entre os demais grupos ou indivíduos. Dentre as igrejas minoritárias formadas sem a liderança de Brigham Young, algumas ainda existem, enquanto outras são extintas. Mas todas contam têm ou tiveram algo em comum: uma envolvente história feita por pessoas que sacrificaram suas vidas em nome da fé. Continuar lendo

O Conselho de Deuses e o Conselho dos 50

William Clayton (1814-1879), secretário do Conselho dos 50

William Clayton (1814-1879), secretário do Conselho dos 50

William Clayton foi secretário do Conselho dos 50 e suas anotações pessoais constituem uma das importantes fontes sobre aquela organização. Durante nosso primeiro Podcast Mórmon, que tratou do Conselho dos 50, percebi a dificuldade de explicar – e mesmo de entender – a relação intrínseca que mórmons no séc. XIX viam entre a sua religião e outros aspectos da vida humana como economia e política.

A anotação feita por William Clayton em seu diário¹ é valiosa por mostrar a sua percepção do Conselho dos 50 como uma entidade que representava o núcleo de um futuro governo teodemocrático, mas era à semelhança de um governo divino anterior à formação da Terra. Em 10 de março de 1845, enquanto revisava as atas do Conselho, Clayton anotou em seu diário:

Enquanto escrevendo e copiando os registros do Reino, estava escrevendo estas palavras dadas pelo Élder H. C. Kimball no conselho no dia 04, “se um homem pisar fora dos seus limites, ele perderá seu reino como foi com Lúcifer e será dado a outros mais dignos”. Essa ideia me veio à mente. É doutrina ensinada por esta igreja que nós estávamos no Grande Conselho entre os Deuses quando a organização deste mundo foi contemplada e que as leis de governo foram todas feitas e sancionadas pelos presentes e todas as ordenanças e cerimônias decretadas. Agora não é o caso que o Conselho do Reino de Deus agora organizado sobre esta terra está fazendo leis e sancionando princípios que em parte governarão os santos após a ressurreição, e depois da morte não serão essas leis dadas a conhecer por mensageiros e agentes como o evangelho nos foi dado a conhecer[?]. E não há uma similaridade entre esse grande conselho e o conselho estabelecido antes da organização deste mundo[?].

 

1. An intimate chronicle: the journals of William Clayton. George D. Smith (ed.) Signature. Salt Lake, 1995.

Podcast Mórmon #101 – O Conselho dos 50

A Associação Brasileira de Estudos Mórmons e o Vozes Mórmons anunciam o início de um projeto coletivo de podcasts para discussão de temas relacionados ao Mormonismo: O Podcast Mórmon.

Neste primeiro episódio Antônio Trevisan e Marcello Jun discutem o passado e o futuro da pesquisa acadêmico-histórica de um importante capítulo na história Mórmon: a fundação e o crescimento do Conselho dos 50, estabelecido por Joseph Smith em março de 1844 para servir como o braço político do Reino de Deus na Terra.

Assista aqui o podcast na íntegra:

Continuar lendo

Jane Manning James – parte I

jane3A história de Jane Elizabeth Manning James (1822-1908) tem se tornado cada vez mais conhecida por um número crescentes de mórmons e estudiosos do mormonismo. Uma história que inclui fome e perseguição; seu abandono pelo marido durante longas duas décadas; sua insistência junto a um presidente da Igreja para receber certas ordenanças; sua convivência no lar de Joseph e Emma Smith, e muitos outros acontecimentos que tornam sua vida como mulher mórmon e negra uma narrativa única e impressionante. Continuar lendo

Podcast Mórmon #101 – Conselho dos 50: O Governo Teocrático Mórmon

Podcast Mórmon #101 – Conselho dos 50: O Governo Teocrático Mórmon

A Associação Brasileira de Estudos Mórmons e o Vozes Mórmons anunciam o início de um projeto coletivo de podcasts para discussão de temas relacionados ao Mormonismo.

Buscando não ser redundante com a missão do site Vozes Mórmons ou das Conferências Anuais de Estudos Mórmons, o Podcast ​Mórmon consistirá em diferente mídia, e mais importantemente, diferente formato.

​Estruturado num modelo de programa ao vivo, o Podcast Mórmon incluirá resenhas de livros, entrevistas, debates​, e curtas apresentações com interação dos ouvintes através de perguntas, réplicas, e questionamentos enviados em tempo real (via Twitter, Facebook, e aqui pelo próprio Site).

General de Divisão Joseph Smith, jr.

General de Divisão Joseph Smith, jr.

Continuar lendo

Profeta Mórmon Processado

O Profeta Mórmon Thomas Monson esta sendo processado por fraude no Reino Unido.

thomas-monson-2O 16o Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias Thomas Spencer Monson foi citado em dois processos judiciais por fraude há duas semanas. Mais especificamente por 7 casos de fraude corporativa. O caso vem, desde então, gerando muita discussão e controvérsia por causa de sua natureza religiosa e, mais surpreendentemente, do julgamento de validade do processo aferido pelo Juíz Distrital de Westminster.

O que segue é uma introdução básica sobre o caso, seu contexto histórico, e uma entrevista exclusiva com o autor do processo.

Continuar lendo

A Sociedade de Socorro e o Sacerdócio

Em 1842, a organização da Sociedade Feminina de Socorro de Nauvoo fazia parte do complexo quebra-cabeças teológico e organizacional desenvolvido por Joseph Smith em seus últimos anos de vida.

emma

Emma Smith

Muito mais do que uma sociedade dedicada à caridade, as atas da Sociedade de Socorro nos mostram que ela foi criada para ser uma organização sacerdotal que prepararia as mulheres para exercer dons espirituais e autoridade divina. Continuar lendo

Atas do Conselho dos Cinquenta serão publicadas

js-booksAs atas das reuniões do Conselho dos Cinquenta virão a público pela primeira vez, segundo afirmação de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. O Departamento de História da Igreja poderá utilizar as atas para referências e notas do próximos volumes do projeto Joseph Smith Papers e um volume único contendo as atas será publicado. Não foi divulgada uma data para tal publicação.

O Conselho dos Cinquenta foi instituído por Joseph Smith em 1844 e constituía, no entender de seus membros, o Reino de Deus. A publicação de suas atas deve preencher uma importante lacuna na compreensão da história mórmon. Continuar lendo

Curso realizado em Porto Alegre

Durante o mês de junho, realizei em Porto Alegre o curso Introdução à Doutrina de Nauvoo (1939-1844). Com encontros nas tardes de sábado, tivemos 10 horas de estudo sobre o período mais revolucionário do mormonismo do séc. XIX. Com uma abordagem histórica, buscamos compreender os ensinamentos de Joseph Smith em seus últimos anos de vida, as inovações organizacionais e ritualísticas daquele período, incluindo os primórdios do que pode ser considerado o verdadeiro ápice da obra de Joseph Smith: as ordenanças do templo. Continuar lendo