Podcast Mórmon #101 – O Conselho dos 50

A Associação Brasileira de Estudos Mórmons e o Vozes Mórmons anunciam o início de um projeto coletivo de podcasts para discussão de temas relacionados ao Mormonismo: O Podcast Mórmon.

Neste primeiro episódio Antônio Trevisan e Marcello Jun discutem o passado e o futuro da pesquisa acadêmico-histórica de um importante capítulo na história Mórmon: a fundação e o crescimento do Conselho dos 50, estabelecido por Joseph Smith em março de 1844 para servir como o braço político do Reino de Deus na Terra.

Assista aqui o podcast na íntegra:

[Ilustrada aqui a bandeira do Reino de Deus, ou do Conselho dos 50]

Em 1844, apenas três meses antes de sua morte, Joseph Smith estabeleceu uma nova organização composta por 53 indivíduos – incluindo três “gentios” (não-mórmons). Tratava-se de uma instituição teocrática, cuja existência era desconhecida dos membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Tal organização secreta deveria preparar o governo milenar de Cristo na Terra, constituindo um núcleo político inicial do Reino de Deus.

Em uma revelação recebida por Joseph Smith em 1842, o nome da organização havia sido dado por ordem divina:

Assim diz o Senhor, este é o nome pelo qual vocês serão chamados, o Reino de Deus e suas Leis, com suas Chaves e poder, e julgamento nas mãos de seus servos, Ahman Cristo.

Dois anos depois, ele iniciaria a organização desse Reino. Seus membros costumavam chamá-lo por um nome mais breve: Conselho dos 50. Outros se referiam à organização em seus diários como “YTFIF” (palavra inglesa “fifty”, de trás para frente) e “Conselho do Reino”, entre outros.

Apesar de sua enorme importância no pensamento de Joseph Smith, o Conselho dos 50 ainda permanece desconhecido da maioria dos mórmons. Não há, por exemplo, nenhuma menção do Conselho em manuais do Sistema Educacional ou outras publicações da Igreja sud. Por outro lado, desde a década de 1950, tem sido um dos grandes temas da história mórmon.

Antes de partir para a cadeia de Carthage, Joseph Smith instruiu o secretário dos 50, William Clayton, a queimar ou enterrar as atas da organização. Em 22 de junho de 1844, Clayton registrou em seu diário:

Joseph sussurrou e disse-me para colocar os r[egistros] do R[eino] nas mãos de um homem fiel e mandá-los para longe, ou queimá-los, ou enterrá-los, o que fiz imediatamente após retornar para casa.

Graças à sua escolha, as atas foram preservadas. No entanto, até hoje, não se encontram disponíveis para estudo.

Uma ótima notícia veio no ano passado, quando o Departamento de História da Igreja anunciou que as atas poderão vir a ser publicadas pelo projeto Joseph Smith Papers. Há uma grande expectativa sobre o que será publicado e quais questões virão a ser elucidadas pelas novas fontes.

Após o martírio, o Conselho dos 50 Brigham Young assumiu a liderança do Conselho dos 50. Uma de suas primeiras ações foi descontinuar participação dos não-mórmons no Conselho.

Para Brigham Young, assim como as novas ordenanças recebidas no Quórum dos Ungidos, a liderança dos 50 era também uma credencial para futuramente assumir a presidência da Igreja. Ou seja, o Conselho dos 50 era um ponto de disputa nos bastidores da crise de sucessão

Até James Strang – que nunca fora parte dos 50 – fez questão de criar sua própria réplica do Conselho teocrático de Joseph Smith, contando com o auxílio de George Miller, membro original dos 50.

Assim como na sucessão da Primeira Presidência, a sucessão no Conselho dos 50 tampouco foi livre de controvérsias. Pelo menos três de seus membros quiseram honrar as missões de colonização a eles dadas por Joseph Smith, colocando-as acima da liderança de Young – James Emmet, Alpheus Cutler e Lyman Wight – e acabaram por estabelecer suas próprias organizações.

Entre 1844 e 1884, quando ocorreu sua última reunião, o Conselho dos 50 passou por diferentes composições, assumiu diferentes tarefas e recebeu maior ou menor importância da hierarquia mórmon.

Você tem uma pergunta ou comentário adicionais sobre o Conselho dos 50?

Você tem alguma sugestão ou solicitação para o próximo episódio do Podcast Mórmon? Utilize abaixo o espaço dos comentários.

50

Artigos citados no podcast (listados por data de publicação)

HANSEN, Klaus J. The Metamorphosis of the Kingdom of God: Toward a Reinterpretation of Mormon History.  Dialogue: A Journal of  Mormon Thought, vol. 1 no. 3, 1966.

QUINN, D. Michael. The Council of Fifty and Its Members, 1844 to 1945. BYU Studies vol. 20, no. 2, 1980.

EHAT, Andrew. “It Seems Like Heaven Began on Earth”: Joseph Smith and the Constitution of the Kingdom of God. BYU Studies vol 20, no 3, 1980.

BLYTHE, Cristopher J. “… But the future will write up the past, when all will be made plain…” What we will learn with the publication of the Council of Fifty minutes. 2013

6 comentários sobre “Podcast Mórmon #101 – O Conselho dos 50

  1. Parabéns pelo Podcast, foi muito interessante! Gostaria que se possível, vocês fizessem um podcast sobre os grupos considerados “dissidentes”, que não aceitaram a liderança de Brigham Young, os motivos, e sobre alguns argumentos que consideram como uma usurpação a subida ao poder de Brigham Young. Me interesso saber mais sobre Alpheus Cutler e os Cluteritas.

  2. Pingback: Temas para o Podcast Mórmon | Vozes Mórmons

  3. Li alguma coisa brevemente e encontrei outros artigos, achei muitíssimo interessante. Se não estou enganada alguém mencionou algo relacionado a doutrinas do passado e atuais, no dia da apresentação anterior…

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s