O problema do discurso de King Follett

Um dos documentos mórmons mais importantes que não estão disponíveis em português é também o último discurso de Joseph Smith na conferência geral e talvez o seu discurso mais famoso: o discurso de King Follett. No discurso, Joseph Smith mostrou-se como ainda o grande profeta, esclarecendo novas doutrinas de uma teologia ampla e profunda. Para quem quer explorar a doutrina da igreja, o discurso é importantíssimo. Ainda hoje ele é citado freqüentemente na conferência geral da igreja. Mas o discurso permanece disponível apenas em inglês! Por quê?

A razão é um tanto complicada. Mas na sua forma mais simples é assim: não sabemos exatamente o que ele disse. Uma versão completa e autenticada não existe.

Joseph Smith deu o discurso, conhecido na época como o “discurso no Bosque” no dia 7 de Abril de 1844, menos de 3 meses antes da sua morte. Durante esse mesmo dia, houve um serviço funeral para Elder King Follett, membro da igreja que tinha morrido num acidente 1 mês antes da reunião. Depois desse serviço, Joseph Smith falou para uma sessão da conferência geral ao ar livre, no local perto do centro de Nauvoo conhecido como o bosque. Acredita-se que havia cerca de 20.000 membros da Igreja assistindo o discurso.

Enquanto a igreja estava crescendo rapidamente nessa época, não houve nenhuma política sobre como registrar os discursos da conferência. Apenas houve um escrivão oficial (Thomas Bullock) que escreveu notas da conferência. A ciência de estenografia era muita incomum e o sistema de Pitman, (introduzido em 1837) que revolucionou a estenografia em inglês e acabou fazendo a estenografia comum, ainda não estava disponível. Os discursos da conferência geral permaneceram sem registros por ainda muitos anos.

Mas, felizmente, houve membros da igreja que fizeram notas e tentaram escrever as palavras dos discursos, especialmente os discursos de Joseph Smith. Nesse caso, existem notas de Thomas Bullock, William Clayton, Willard Richards, Wilford Woodruff, e George Laub, mas não estavam todas disponíveis no mesmo tempo.

O discurso foi publicado pela primeira vez no jornal Times and Seasons em 15 de Agosto de 1844, mas essa versão foi baseada apenas nas notas de Bullock e Clayton — no fim incluiu por volta de 30% do discurso (4.760 palavras em inglês).

Mais tarde, uma nova versão do discurso foi publicado no Deseret News em jullho de 1857, usando as notas de Bullock e Clayton, mais as notas de Woodruff e Richards. Essa versão foi incluido na “History of Joseph Smith” publicada em série no Deseret News e mais tarde foi incluída na “História da Igreja” de 7 volumes preparada por B. H. Roberts. É essa versão a mais conhecida e mais publicada.

Mas, como vê, esta versão falta as notas de Laub, e também usava versões inadequadas das notas dos outros. Mais recentemente o historiador Stan Larson criou uma versão nova, incluindo todas as notas, publicada no jornal BYU Studies em 1978. Ainda assim, essa tem talvez 60% do texto. O acadêmico W. V. Smith criou uma versão das notas em paralelo que está disponível aqui. Mas esta não é uma versão integrada.

Eu acho que seria interessante e importante fazer uma tradução do discurso para o português. Mas a dificuldade principal é fixar o texto do discurso. Qual das versões devemos usar como a base da tradução? A versão mais oficial–que apareceu na “História da Igreja”? Ou podemos usar as versões mais novas, de Larson ou Smith? Parte do problema é que a versão da “História da Igreja” está no domínio público, enquanto é possível que as versões do Larson e Smith tem direitos autorais. É possível que um deles concederia permissão para fazer a tradução — ainda não perguntei-lhes.

A verdade é que o discurso é apenas um texto histórico importante de muitos textos sobre mormonismo. E muitos desses textos tem dificuldades semelhantes. Infelizmente, conseguir um texto que pode ser traduzido não é nada fácil.

15 comentários sobre “O problema do discurso de King Follett

  1. Kent, o artigo é excelente, eu só tenho uma questão: por quê você mencionou, no começo do texto, que Joseph Smith se mostrou “ainda como o grande profeta”? Ele se mostrou em decadência em alguma época?

  2. Decadência, não. Mas na época havia muitos membros afastados (em geral por causa dos boatos sobre a poligamia que ainda não foi anunciada para o público) que o chamavam de profeta caído. Também, as revelações nessa época não eram tão frequentes nem tão revolucionárias como no começo da década de 1830.

    • Aw. Entendo. Quanto às revelações, acho que era meio a tendência mesmo, não? Os outros profetas também não deram tão grandes revelações, só foram adicionando conforme a necessidade… e a poligamia, bem, esse é um assunto que eu vou fazer questão de, quando chegar lá em cima, perguntar para o próprio Joseph. Obrigado pela resposta!

    • Kent,

      em termos de número e frequência imagino que você esteja certo. Até porque muitas das inovações cerimoniais e doutrinárias não foram dadas a conhecer publicamente. Mas questiono a afirmação de que as revelações em Nauvoo não eram “tão revolucionárias como no começo da década de 1830.” Lendo as acusações feitas no “Nauvoo Expositor”, vemos que muita gente achava as novas revelações por demais revolucionárias.

      Em Nauvoo, Joseph Smith passou a falar sobre a pluralidade de deuses, de três ordens do sacerdócio, sobre o conceito de exaltação, vida pré-mortal, criação da terra através da organização de elementos existentes, a interdependência entre vivos e seus antepassados mortos, distanciando-se ainda mais do cristianismo tradicional. Em termos de ordenanças, foram introduzidos em Nauvoo a investidura e os selamentos (tanto para o casamento celestial quanto adoção).

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.