Reunião das Mulheres fará parte da Conferência Geral

Mulheres na saída da reunião de 27 de setembro. Imagem: Rick Egan, The Salt Lake Tribune.

Mulheres na saída da reunião de 27 de setembro. Imagem: Rick Egan, The Salt Lake Tribune.

Após contradições e uma oração censurada, Igreja muda o status da reunião feminina

A Reunião Geral das Mulheres que aconteceu este ano uma semana antes da Conferência Geral de outubro passou a ser considerada uma sessão da Conferência geral da Igreja sud. A mudança já pode ser vista no site oficial trazendo o conteúdo da Conferência, onde a reunião feminina é a última sessão listada. A decisão aconteceu depois de afirmações contraditórias em relação ao status da reunião.

Dieter F. Uchtdorf, conselheiro da primeira Presidência, havia se referido à reunião do dia 27 de setembro como sendo a abertura da Conferência Geral semianual. Mas na manhã de 04 de outubro, Henry B. Eyring, primeiro conselheiro da Primeira presidência, em seu discurso, e Bonnie Oscarson, presidente da Organização das Moças, durante sua oração, afirmaram estar na primeira sessão do evento. A surpresa maior aconteceu na Sessão Geral do Sacerdócio, a qual seria a terceira sessão, quando o setenta Bruce A. Carlson orou dizendo “Nós nos regozijamos com o convite de estar nesta quarta sessão desta conferência especial”. Posteriormente, o vídeo da Conferência foi editado, cortando a “quarta sessão” da oração. A oração original em inglês pode ser ouvida neste vídeo; a versão editada encontra-se aqui. Em português, a “quarta sessão” não foi mencionada por erro na tradução simultânea. Apesar da decisão da Igreja ter provado que Carlson estava correto sobre aquela ser a quarta sessão, o vídeo de sua oração permanece editado.

A inclusão da Reunião Geral das Mulheres no evento de maior importância da Igreja sud tem sido considerado um gesto significativo para uma maior valorização das mulheres mórmons.

3 comentários sobre “Reunião das Mulheres fará parte da Conferência Geral

  1. Para quem é casado, vai provavelmente entender o que escrevo a seguir:

    [1]. Quando você pergunta para sua esposa (aqueles que tem ou tentam ter esse costume) a opinião dela sobre alguma coisa, basicamente duas coisas acontecem (claro, com diversos e distintos desdobramentos posteriores): (1) Ela diz não saber (ou seja, ‘faz o que você achar melhor’), ou (2) a resposta dela é prontamente argumentada por você (pois em geral você gostaria que ela sugerisse algo que você já havia pensado em fazer). [Claro, pessoal, que fique claro, isso não acontece somente em casamentos, mas é bem comum neles].

    [2]. E, por mais que não nós homens não saibamos nada a respeito do gênero oposto, a maioria de nós já percebeu a premissa verdadeira que a maioria das mulheres é atenta a pequenos detalhes de como agimos com elas, e que seja uma coisa costumeira. Em geral elas reagem bem a isso [novamente, não é regra, afinal, homem e mulher sabem muito pouco a respeito do gênero oposto].

    Então concluo: sendo assim, porque os discursos nas capelas discorre-se tanto sobre essa parceria homem x mulher, mas na prática, inclusive nas próprias reuniões de liderança e coisas do gênero, isso muitas vezes não ocorre? [Esta minha pergunta é apenas para reflexão, não estou acusando alguém ou o grupo do qual aqui nos referimos. Há pouco tempo atrás sequer eu pensava a respeito dessas coisas].

    O que me leva a observar o seguinte: É cultural. Em geral as mulheres de outras épocas faziam o papel para o qual foram ‘doutrinadas’ a cumprir, e quando você pergunta algo pra elas, elas não julgam que realmente tenham algo a oferecer, e preferem ficar quietas ou deixar a cargo dos maridos as decisões. Lembrando que a própria estrutura patriarcal molda isso nas pessoas. [Mais uma vez, estou apenas refletindo, não tenho predileção ou desgosto pelo sistema patriarcal ou matriarcal nem vejo qualquer deles com maus olhos, não é isto que está em análise agora].

    E pra quem aguentou ler o que escrevi até aqui [Parabéns!], deixa claro que a Igreja poderia e pode fazer coisas bem mais simples (do que ordenar as mulheres ao sacerdócio) para demonstrar que lhes tem o devido apreço, fugindo do mero discurso e indo para coisa simples e práticas:
    a) Deixar as esposas assistirem as reuniões dos maridos (que eu saiba isso não rouba ‘o sacerdócio’ de ninguém);
    b) Chamar desde sempre a reunião das mulheres de ‘sessão geral da conferência’;
    c) Realmente ouvir e fazer o que as irmãs sugerirem nas reuniões ‘do sacerdócio’ e liderança;
    d) Tirar delas o medo ou pensamento de que sua opinião não é importante, por exemplo, incluindo o ‘alto escalão’ de líderes mulheres na ‘proclamação da família’ (coisa que foi dita aqui que não ocorreu);

    COISAS PEQUENAS E SIMPLES, que parecem só terem sido percebidas agora depois que algumas mulheres resolveram dizer que: ‘não, vocês dizem que fazem, até acreditamos que ingenuamente pensam que fazem, mas vocês [homens da igreja] não sabem nos fazer incluídas e valorizadas’. E ainda acrescento, ‘e se outras dizem não saber nada sobre isso, ou é porque nunca passaram por esse tipo de coisa ou porque acham que (culturalmente) as coisas são assim mesmo e não é nosso direito questionarmos nossos maridos e ‘líderes”.

    Bem, espero que compreendam o que eu quis dizer.

  2. Bem isso,

    O problema é que fomos criados de tal forma que basta questionar qualquer coisa, mesmo na mais ingênua intenção, sem qualquer dolo ou intenção de provocar escândalos, e já te observam com outros olhos: descrente, “está no caminho da apostasia…”, “é coisa do senhor e isso é rebeldia…”.

    Como se pensar para o bem comum e por conta própria fosse algo errado e ainda ficam todos bravos quando nos acusam de ‘lavagem cerebral’.

Deixe uma resposta para Nilton Melo Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.