Encontradas as Dez Tribos?

Uma tribo indígena ainda sem contatos prévios com ocidentais foi fotografada por um avião da Funai em território brasileiro, na região da floresta amazônica do estado do Acre.

Foto aérea de tribo apelidade de Yano, com população estimada em 100 pessoas. (Foto: © Guilherme Gnipper Trevisan/Hutukara)

Foto aérea de tribo apelidade de Yano, com população estimada em 100 pessoas. (Foto: © Guilherme Gnipper Trevisan/Hutukara)

Estima-se que essa tribo ocupe a mesma região da floresta há mais de um milênio. Ela foi fotografada pela Fundação Nacional do Índio (Funai) com a intenção de documentar sua existência e proteger a tribo de contato com mineradores, legais e ilegais, na região. Teme-se que contato direto com estes possa ter consequências desastrosas para essa população indígena. Entre as ameaças encontram-se doenças transmissíveis e até violência.

Entre mórmons, há uma preocupação teológica e folclórica com as supostas “dez tribos perdidas de Israel”, e mais especificamente em torno do fato delas constituírem um grupo étnico e nacional distinto, coeso, e segregado do resto da população mundial.

E isso não é sem justificação. Afinal, as escrituras mórmons deixam essa descrição razoavelmente clara (ênfases nossas):

Regras de Fé 1:10

Cremos na coligação literal de Israel e na restauração das Dez Tribos; que Sião (a Nova Jerusalém) será construída no continente americano; que Cristo reinarápessoalmente na Terra; e que a Terra será renovada e receberá a sua glória paradisíaca.”

Doutrina e Convênios 110:11

“Depois de encerrar-se esta visão, os céus tornaram-se a abrir e Moisés apareceu diante de nós e conferiu-nos as chaves para coligar Israel das quatro partes da Terra e trazer as dez tribos da terra do norte.

Portanto, com as descrições canonizadas de que as “dez tribos” retornariam “da terra do norte”, com destino a “Sião (a Nova Jerusalém)” no “continente americano”,  é fácil considerar, como Joseph Smith o fez, que eles estariam mantendo-se coesos em uma entidade nacional distinta e escondidos do resto do mundo. O próprio jornal oficial da Igreja sob a direção de Smith, por exemplo, mencionou e estimulou essa crença:

Latter-day Saints’ Messenger & Advocate, v. 2 no. 1 p. 194, outubro 1835

“Que nenhum homem se maravilhe com essa afirmação, porque pode haver um continente no pólo norte, com mais de 3366 quilômetros quadrados, contendo bilhões de Israelitas que, após a construção de uma rodovia por sobre o grande abismo, poderão vir a Sião, cantando canções de gozo eterno.”

Para os membros da Igreja SUD que cresceram na época antes da revolução digital e da internet, não eram incomuns as crenças populares sobre tribos secretas ou escondidas do resto do mundo, que ainda não haviam sido descobertas por satélites e aviões e desbravadores. Junte-se a isso as crenças populares mórmons de que os ameríndios seriam descendentes de israelitas, e um toque de ufanismo brasileiro no patriotismo SUD, e não é difícil descobrir porque tais lendas eram populares entre mórmons no Brasil.

Foto aérea de tribo apelidade de Yano, com população estimada em 100 pessoas. (Foto: © Guilherme Gnipper Trevisan/Hutukara)

Foto aérea de tribo apelidade de Yano, com população estimada em 100 pessoas. (Foto: © Guilherme Gnipper Trevisan/Hutukara)

O território fotografado pela Funai, onde encontram-se essas tribos separadas e até então escondidas do resto do mundo, apesar de reservado para as tribos Yanomami desde 1992, encontra-se constantemente invadida e ameaçada por mineradores e exploradores ilegais. Ela é lar para mais 22 mil pessoas em vários tribos, 3 dos quais nunca tiveram contato com ocidentais, de acordo com a Survival International. A atual presença de aproximadamente 5 mil mineradores preocupa ativistas e agentes governamentais devido às precedências trágicas de contato desregulamentado entre indígenas e ocidentais.

Seriam tribos assim que populavam a imaginação mórmons por décadas ou séculos com relação as lendárias “dez tribos perdidas”? Tais crenças populares persistem entre mórmons brasileiros na era digital?

3 comentários sobre “Encontradas as Dez Tribos?

  1. Eu fui ensinado de que eles viviam no centro da terra e a entrada para esse “mundo” ficava no pólo norte e já ouvi que eles, como Sião tinha sido levados da terra e voltariam pouco antes do início do milênio e que essa terra se uniria com o planeta deles.

  2. Contrariando Joseph Smith, o Livro de Mórmon e todo o establishment de Utah, Israel não reconhece os ameríndios como descendentes dos antigos hebreus ou dos judeus.

    Mas o Estado Judeu decidiu conceder vistos a cerca de 50 membros da tribo Bnei Menashe, que foi reconhecida oficialmente em 2005 como uma das dez tribos israelitas perdidas muitos séculos atrás.

    Acredita-se que o grupo pertença a uma das dez comunidades que foram exiladas quando os assírios invadiram o norte do reino de Israel no século 8 a.C.

    De acordo com os RELATOS TRANSMITIDOS POR SUA PRÓPRIA TRADIÇÃO ORAL, a tribo diz que nos últimos dois milênios passou pela Pérsia (atual Irã), Afeganistão, Tibete, China e Índia, onde acabou se fixando nos Estados de Manipur e Mizoram, no nordeste do país.

    “OS MEMBROS DESSA TRIBO JAMAIS ESQUECERAM SUAS RAÍZES e estamos animados em poder ajudá-los a voltar”, disse Michael Freund, chefe do grupo Shavei Israel, que ajudou a organizar a viagem “de volta” para Israel.

    Leia mais aqui: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2012/12/121225_israel_tribo_perdida_jp.shtml

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s