Igreja Mórmon Desfaz-se de Arte em Templos

As encenações ao vivo da cerimônia da investidura serão descontinuadas nos templos de Salt Lake City e de Manti, conforme anúncio da Primeira Presidência de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Os dois templos construídos no século 19 contarão com a exibição de filmes, tal como feito nos demais templos da denominação ao redor do mundo.

Mural na Sala do Mundo, pintado por Minerva Teichert no interior do templo de Manti, Utah.

Os projetos de renovação desses dois templos do estado de Utah ainda previam originalmente a destruição de murais artísticos, incluindo as obras de dois dos mais celebrados artistas mórmons, C. C. A. Christensen (1831-1912) e Minerva Teicheirt (1888-1976). O projeto foi classificado por alguns como violência cultural, em óbvia contradição aos diversos projetos de preservação histórica e arquitetônica da Igreja, incluindo sua reconstrução do templo de Nauvoo.

Para Margaret Tarkington, professora da Universidade de Indiana,

Mulheres SUD fortes, talentosas, trabalhadoras e cheias de fé há muito se veem refletidas no trabalho de Teichert, que muitas vezes celebra a fé, a força e as contribuições das mulheres – desde pioneiras gritando “Hosana” até a Rainha Ester. Mesmo que mulheres não sejam o foco específico do deslumbrante retrato da história humana em sua Sala do Mundo, as mulheres veem seu próprio valor refletido na maior realização de Teichert e na expressão magistral de sua fé.

Após uma semana de protestos e petições, a Primeira Presidência prometeu, em 12 de marco, preservar os murais pintados por Minerva Teicheirt, ainda que retirando-os do templo de Manti. Segundo a declaração da liderança máxima da Igreja,

As obras de arte no Templo de Manti incluem murais pintados por Minerva Teichert, que são valorizados não apenas por sua beleza, mas também como uma lembrança preciosa da fé, talento e dedicação da artista.

Os murais, originalmente pintados sobre tela e colados as paredes do templo da região central de Utah, serão, segundo a Igreja, disponibilizados para exibição pública.

As reformas dos templos pioneiros haviam sido anunciadas na Conferência Geral de abril de 2019. A renovação do templo da capital de Utah foi iniciada em dezembro de 2019 e encontra-se em andamento. Sua reabertura está prevista para 2024.

O icônico templo de Salt Lake, cuja construção durou 40 anos (1853-1893), foi renovado diversas vezes durante as décadas seguintes. A reforma mais extensa havia ocorrido entre 1962 e 1966, quando foram instalados novos sistemas de encanamento, eletricidade, aquecimento e ar condicionado, além das construções adicionais de um anexo com salas de selamentos ao norte do templo, e um novo e maior anexo no lugar do demolido anexo original do templo.

A presente reforma, porém, prevê maiores mudanças e inclui uma atualização sísmica. Em  março de 2020, um terremoto fez cair a trombeta da estátua do anjo Morôni, sem causar danos estruturais ao prédio. Para prover um local para as reuniões templárias semanais para as quinze maiores Autoridades Gerais, um “mini-templo” foi disponibilizado no oitavo andar do Memorial Joseph Smith, prédio centenário da Praça do Templo. O custo estimado pela imprensa para a reforma do andar foi de US$2 milhões.

Um comentário sobre “Igreja Mórmon Desfaz-se de Arte em Templos

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.