Maior Missão Mórmon do Mundo Anunciada

A Igreja Mórmon anunciou a criação de sua maior missão no mundo em termos de quantidade de missionários, que ao mesmo tempo será a segunda menor missão do mundo em termos geográficos.

A Missão Utah Salt Lake City Sede d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias abrigará 1.200 missionários a partir do dia 1º de janeiro f.p., criada da atual Missão História da Família e da Igreja Sede.

http://www.mormonnewsroom.org/article/utah-salt-lake-city-headquarters-mission-announced

Missionários voluntários auxiliarão em História da Família, manutenção de prédios e zeladoria, guias, e uma gama de funções outrora ocupadas por funcionários pagos. (Foto de missionários no Departamento de História da Família © 2016 Intellectual Reserve, Inc. Reproduzido sob permissão)

O anúncio realizado pelo Presidente dos Setenta Craig C. Christensen surpreendeu pela explicação da natureza desse chamado missionário. Além de não servirem primordialmente no campo missionário propriamente dito (i.e., fazendo proselitismo), missionários chamados para essa missão não apenas servirão parcialmente no Departamento de História da Família (i.e., auxiliando visitantes com suas genealogias), mas também servirão em funções de manutenção de prédios e zeladoria, segurança, relações públicas com militares, guias turísticos no Museu de História da Igreja, e como equipe de suporte do Templo de Lago Salgado.

De acordo com o anúncio de Christensen:

“A Missão História da Igreja da Família e da Igreja Sede evoluiu ao longo do tempo para ser uma missão única. Ela também tem vivido um crescimento notável. Esta nova missão permitirá que estes missionários maravilhosos promovam o trabalho de muitas maneiras significativas.”

Com essa decisão, a Igreja SUD passa a economizar em folha de pagamento ao substituir profissionais pagos por missionários voluntários e, para a Igreja, gratuitos. Warren G. Tate, que servirá como o primeiro presidente desta missão, ressalva que casais de missionários idosos poderão fazer proselitismo fora dos horários comerciais, e descreve essa economia ao explicar o esperado de seus novos missionários:

“Isto dará aos nossos missionários … a oportunidade de ajudar os líderes locais do sacerdócio na área de Salt Lake City, servindo os membros e aqueles que não são de nossa fé para encontrar seus antepassados usando o FamilySearch, ensinando-lhes o evangelho e prestando serviço.”

Curiosamente, o anúncio oficial pelo site de relações públicas da Igreja cita como missionários desta missão “missionários de serviço, missionários de tempo integral, casais de terceira idade, e missionárias sísteres solteiras”, como se missionárias “sísteres solteiras” e “missionários de tempo integral” fossem categorias distintas e diferentes. Não são, e a falsa distinção gera um conflito desnecessário entre a liderança e missionárias ou missionárias retornadas mulheres.

Esse desvio de missionários da função primária de proselitismo para tarefas burocráticas e profissionais sugere um excesso de voluntários missionários, ou uma falta de fé na eficácia do proselitismo de missionários, ou uma maior ênfase de economia financeira (a favor de outros investimentos mais lucrativos), ou todas as alternativas? Ou sugere outras considerações não citadas? Quais fatores vocês enxergariam como influenciadores de tal manobra estratégica?

16 comentários sobre “Maior Missão Mórmon do Mundo Anunciada

  1. Por que quem não deixam entrar nos Tenplos quem não está com os dízimos em dia? Por que o membro é obrigado a fazer o acerto anual do dízimo perante o Bispo anualmente em uma atitude humilhante? Isso os missionários não explicam.

    • Não vejo como problema ser acompanhado quando estou precisando de apoio ou quando não tive emprego . Vejo da mesma maneira quanto ao pagamento do dízimo. Sou acompanhado e lembrado desse mandamento . Porém quando se faz de coração, com a certeza de que quem está sendo abençoado é vc isso não torna se um fardo ou peso .Tudo é testemunho , nunca fui obrigado mas sempre fui ensinado . Passei a viver e passei a entender e o mesmo ensino a minha família. Venho de uma família que já tinha testemunho do dízimo mesmo antes de conhecer a igreja.

    • Vou te esclarecer como membro dizimista que sou. A primeira vez que fui fazer o acerto anual do dizimo, que você se refere fiquei preocupado, por que não sou de guardar recibos, nem mesmo as copias dos recibos de dizimo, e falei para o Bispo, mas ele me respondeu, não te preocupa com isto vai assim mesmo. Quando cheguei para fazer o dito acerto, o Bispo me prestou contas de todas as contribuições que fiz a Igreja, dízimos, ofertas de Jejum, e alguma outra contribuição que fiz, tipo ajuda a obra missionária, e me perguntou no final se as contribuições que fiz estavam de acordo com o desejo que tive, antes de fazer eu imaginava que era eu que tinha que mostrar quanto eu recebi, para que o Bispo fisese os cálculos se eu havia sido honesto no meu dizimo, mas ele me explicou que este era um acerto entre eu e o Senhor, a parte dele era verificar se o que ofertei estava correto conforme meu desejo.. No tempo em que estou na Igreja já tive Bispos diferentes, e o acerto anual do dizimo continua sendo neste mesmo padrão, não vejo nada humilhante nisto, pelo contrario me surpreendeu positivamente a atitude da Igreja por que considero correta, se você faz uma determinada doação tem o direito de saber se realmente o destino foi aplicado conforme seu desejo. Se em algum lugar é feito de forma diferente não sei te dizer, mas que seja de meu conhecimento este deve ser o padrão do acerto anual de dizimo em todos os lugares. O conselho que recebi do Bispo era que guardasse as cópias de minhas contribuições, para que eu pudesse corrigir algum erro, caso viesse a existir. Quanto a frequentar o Templo, você tem que estar digno e cumprir todos os mandamentos do Senhor para receber uma recomendação e isto inclui ser dizimista, e é a unica pergunta que o Bispo sabe a resposta antecipadamente, porque é ele junto com seus conselheiros responsáveis pelo recebimento do dízimo, mas a pergunta mais importante feita ao entrevistado é também uma resposta sincera entre o membro e o Senhor, porque para o Bispo ele pode até mentir, mas não para Deus, É a seguinte ” Você se sente digno de entrar no Templo? Espero ter ajudado esclarecer suas duvidas, abraços.

  2. Esse desvio de missionários da função primária de proselitismo para tarefas burocráticas e profissionais sugere um excesso de voluntários missionários, ou uma falta de fé na eficácia do proselitismo de missionários, ou uma maior ênfase de economia financeira (a favor de outros investimentos mais lucrativos), ou todas as alternativas? Ou sugere outras considerações não citadas?

    Eu acredito que o principal motivo seja financeiro. São “trabalhadores” mais baratos, que não reclamarão do serviço, além dos benefícios da rotatividade de cargos. Acho que economizarão até com RH…

    Quais fatores vocês enxergariam como influenciadores de tal manobra estratégica?

    Além do dinheiro, talvez seja mais fácil manter o negócio como uma missão do que uma empresa, não haverá dores de cabeça com RH, direitos trabalhistas, etc.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.