Ordenanças do templo – parte 7

Investidura: instruções junto ao véu

Quase três meses antes da sua morte, o então presidente da Igreja Brigham Young decidiu que deveria haver uma maior padronização das ordenanças da investidura. Parte desse esforço foi a redação de uma palestra a ser recebida pelos iniciados antes de sua passagem pelo véu e ingresso na sala celestial do templo.

Templo de St. George. Mórmons.

Templo de St. George, o primeiro templo em Utah, dedicado em 06 de abril de 1877. | Foto do autor.

 

Continuar lendo

Brigham Young: do Pó de Outra Terra

O Presidente Brigham Young fez os seguintes comentários sobre a criação de Adão no histórico Tabernáculo, em abril de 1856:

BY“Ainda que tenhamos na história que nosso pai Adão foi feito do pó desta terra, e que ele nada sabia sobre seu Deus antes de ser feito aqui, não é assim; e quando aprendermos a verdade, veremos e compreenderemos que ele ajudou a fazer este mundo, e foi o administrador principal naquela operação. Ele foi a pessoa que trouxe os animais e as sementes de outros planetas para este mundo, e trouxe uma esposa consigo e permaneceu aqui. Vocês podem ler e acreditar como quiserem no que se encontra escrito na Bíblia. Adão foi feito do pó de uma terra, mas não do pó desta terra. Ele foi feito como vocês e eu somos feitos, e nenhuma pessoa foi jamais feita sob qualquer outro princípio.” — Brigham Young (Journal of Discourses 3:319)

 


 

Leia mais sobre o que Brigham Young ensinou a respeito de Adão

Leia mais sobre o que Brigham Young ensinou sobre quem fora Adão

Leia mais sobre o que Brigham Young ensinou sobre progresso eterno

Leia mais sobre o que Brigham Young ensinou Apóstolos errando em doutrinas

 

Joseph Smith e a semente escolhida

O Ancião de Dias, de William Blake.

O Ancião de Dias, de William Blake.

A restauração do sacerdócio na dispensação de Joseph Smith teve início muito antes da vinda de João Batista em 1829 (D&C 13). Joseph Smith não apenas recebeu mensageiros que lhe entregaram chaves do sacerdócio, mas ele próprio foi um dos mensageiros divinos com a missão de restaurar o governo de Deus.

Em uma revelação dada em 1832, Cristo disse que “sem suas ordenanças e a autoridade do sacerdócio, o poder da divindade não se manifesta aos homens na carne; pois sem isso [o sacerdócio], nenhum homem pode ver a face de Deus, o Pai, e viver” (D&C 84:21-22).

No entanto, aos 14 anos Joseph Smith viu o Pai e seu Filho e sobreviveu. Como isso teria sido possível sem uma ordenação prévia ao sacerdócio? É minha opinião que isso foi possível porque Joseph Smith havia nascido com uma porção de autoridade sacerdotal, ou com uma ordenação prévia ao seu nascimento em 1805. Continuar lendo

Ordenanças do templo – parte 3

Vitral na Catedral de Saint-Julien de Mans, França

Vitral na Catedral de Saint-Julien de Mans, França

Simbolismo maçônico e o Ancião de Dias

Os rituais mórmons em Kirtland não teriam sido por si só suficientes para o desenvolvimento das cerimônias do templo em Nauvoo. Dois elementos ainda faltavam para formar a teologia e o ritual do templo: a posição de Adão e a maçonaria.

Muitas das revelações recebidas por Joseph Smith foram motivadas por algo que havia lhe chamado a atenção. Não foi diferente com os rituais maçônicos. O mormonismo surgiu em um contexto em que a maçonaria ainda era uma instituição relevante no acalorado debate político e religioso da época. A nova religião foi capaz de atrair a suas fileiras tanto maçons quanto antimaçons.

A denúncia de combinações secretas na narrativa do Livro de Mórmon – que tanto agradava aos mórmons de sentimentos antimaçônicos – não impediu que Joseph Smith viesse a acreditar na ideia de segredos antigos estavam sendo preservados pela maçonaria e que o segredo seria um elemento essencial para as inovações realizadas na década de 1840. De acordo com Benjamin F. Johnson, referindo-se a Joseph Smith:

Ele me disse que a Franco-Maçonaria, no presente, era as investiduras apóstatas, assim como a religião sectária era a religião apóstata. [1]

É fato inegável que Joseph Smith fez empréstimos do ritual maçônico para a investidura mórmon. Seria ingenuidade ou simplificação extrema, porém, considerá-la como uma mera cópia ou imitação.

Em sua celebrada biografia de Joseph Smith, o historiador Richard Bushman aponta as diferenças de objetivos nos rituais maçônicos e mórmons:

No difícil mundo do capitalismo emergente, as lojas [maçônicas] estabeleceram um universo alternativo de virtude e amizade contido em imagens e rituais antigos. Na superfície, o templo [mórmon] parece com o mundo fechado, fraternal das lojas. Mas o cerne espiritual da investidura de Nauvoo não era a ligação masculina. Em 1843, mulheres estavam sentadas nas salas de ordenanças e passando pelos rituais. Adão e Eva, um par homem-mulher, eram as figuras representativas, ao invés do herói maçônico Hiram Abiff. O objetivo da investidura não era fraternidade masculina, mas a exaltação de maridos e esposas. [2]

Continuar lendo

Adão e Descartes

"O Anjo da Presença Divina Trazendo Eva a Adão" (1803), gravura de William Blake

O poeta norte-americano Wallace Stevens (1879-1955) acreditava que a arte seria a grande sucessora da religião em contribuir com algo transcendental à experiência humana. Como alguém que acredita na realidade espiritual de práticas religiosas, não concordo com Stevens, mas reconheço o quanto a arte é capaz de captar e transmitir verdades que consideramos sagradas.

Nos versos a seguir, traduzidos por Paulo Henriques Britto, Stevens retrata Adão e Eva. Melhor: retrata a nós em nossa dívida com aqueles que nos antecederam. Continuar lendo

Mãe Celestial redescoberta?

Mãe e criança, pintura de Gustav Klimt (1862-1918)

A existência de uma divindade feminina, esposa de Deus o Pai, é um dos ensinamentos mais distintos do mormonismo. Quase transformado em tabu em décadas recentes, o tema hoje parece receber pouco mais que tímidas alusões no cotidiano da Igreja sud. Sequer a palavra “Mãe” é geralmente mencionada em textos oficiais, mas apenas subentendida nas alusões a “pais celestais”, como no documento A Família: Proclamação ao Mundo e no livro Princípios do Evangelho. O hino Ó Meu Pai, escrito em 1845 por Eliza R. Snow, esposa plural de Joseph Smith,  permanece para a grande maioria dos membros como a afirmação mais acessível de tal doutrina: Continuar lendo

Páscoa com Adão e Eva

A libertação do pecado e da morte; a fuga da iniquidade; a busca de uma terra prometida; esta mortalidade como uma passagem; a expiação de Cristo. A celebração da Páscoa nos remete a muitas camadas de significado e reflexão em nossa vida. Mas será que temos tradições mórmons que apontem para o significado da Páscoa?

Querubim e espada flamejante, pintura de J. Kirk Richards

Ao fazer essa pergunta obviamente estou pensando que deveríamos tê-las, uma vez que as tradições sociais herdadas do cristianismo tradicional, há séculos mescladas com tradições pagãs, não parecem suficientes para abarcar significados tão profundos.

Na ausência de tradições que soem mais legítimas ou mais “sud”, vejo que a tendência entre a maioria de nós é ignorar a data no que se refere ao seu significado espiritual e/ou participar das tradições mais populares com o simbolismo de ovos e coelhos. Continuar lendo