Ordenanças do templo – parte 7

Investidura: instruções junto ao véu

Quase três meses antes da sua morte, o então presidente da Igreja Brigham Young decidiu que deveria haver uma maior padronização das ordenanças da investidura. Parte desse esforço foi a redação de uma palestra a ser recebida pelos iniciados antes de sua passagem pelo véu e ingresso na sala celestial do templo.

Templo de St. George. Mórmons.

Templo de St. George, o primeiro templo em Utah, dedicado em 06 de abril de 1877.

 

Durante uma reunião em junho de 1877¹, Brigham Young recontou a precariedade de condições em que as ordenanças foram primeiramente administradas por Joseph Smith, ao mesmo tempo em que assegurou a legitimidade e exatidão das cerimônias que nunca haviam sido escritas na sua totalidade:

(…) Presidente Young estava cheio do espírito de Deus e revelação e disse que quando tivemos nossas abluções e unções sob as mãos do Profeta Joseph em Nauvoo, tínhamos uma só sala para trabalhar, com exceção de uma pequena sala adicional ou escritório, onde fomos lavados e ungidos, tivemos nossas vestimentas [garments] colocadas sobre nós e recebemos nosso Novo Nome. E depois dele ter administrado essas cerimônias, ele deu as palavras-chave, sinais, símbolos e penalidades. Então, depois de entrarmos na sala maior em cima da loja [de Tijolos Vermelhos] em Nauvoo, Joseph diviviu a sala da melhor maneira que podia [e] pendurou o véu. Marcou-o [e] deu-nos instruções à medida que passávamos de um departamento a outro, dando-nos sinais, símbolos, penalidades, com as palavras-chave pertencentes a esses sinais. E depois que havíamos terminado, Ir[mão] Joseph virou-se para mim [Brigham Young] e disse [“]Ir[mão] Brigham, isto não está bem organizado mas fizemos o melhor que podíamos sob as circunstâncias em que nos encontramos, e quero que você assuma essa questão e organize e sistematize todas estas cerimônias com os sinais, símbolos, penalidades e palavras-chave[“]. E fiz isso e cada vez eu percebia algo mais, de forma que quando passamos pelo Templo em Nauvoo eu entendi e soube como colocá-las lá. Tivemos nossas cerimônias bastante corretas.

Mistérios da Divindade
Brigham Young. Adão-Deus. Templo. Investidura.

Brigham Young (1801-1877)

Após recordar eventos acontecidos há mais de três décadas sob a direção de Joseph Smith, reafirmando assim sua autoridade, Brigham Young ditou o pimeiro esboço da “palestra junto ao véu”, como foi conhecido o conjunto de instruções adicionadas à investidura do recentemente dedicado templo de St. George. Tratava-se do primeiro templo construído pela Igreja após o êxodo de Nauvoo.

Durance cerca de meia hora, participantes da investidura seriam relembrados dos principais ensinamentos referentes ao drama da Criação e Queda representado na cerimônia templária. De acordo com a palestra,

Na criação, os deuses entraram em um acordo sobre formar esta terra e colocar Miguel ou Adão sobre ela. Estas coisas das quais tenho falado são o que se chamam de mistérios da divindade mas o farão capaz de entender a expressão de Jesus feita em Jerusalém. [“] E a vida eterna é esta: que conheçam a ti só por único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, a quem enviaste.[“] Estávamos familiarizados com os Deuses e vivíamos com eles, mas tivemos o privilégio de tomar sobre nós carne para que o espírito tivesse uma casa para habitar. Assim fizemos e esquecemos tudo e viemos ao mundo sem recordar nada do que tínhamos aprendido.

Brigham Young, refutando a leitura literalista da criação de Adão a partir do barro e de Eva a partir de uma costela, canoniza na cerimônia do templo a doutrina de deificação de Adão e Eva. Desde a Conferência Geral de 09 de abril de 1852, Brigham Young publicamente ensinou o que veio a ser conhecida como a “doutrina Adão-Deus”, segundo a qual

  • “Adão” e “Eva” foram ofícios assumidos por nossos Pais Celestiais;
  • “Adão” e “Eva” são ofícios a ser assumidos por todos que vierem a ser Deuses;
  • Deus, o Pai e a Mãe Celestial geraram espíritos e desceram à terra para gerar corpos a esses espíritos;
  • Adão ou Miguel era “nosso Pai e nosso Deus e o único Deus com quem nós temos a ver” e o pai – espiritual e biológico – de Jesus Cristo;
  • Eva foi a “mãe de todos os viventes”, tendo gerado os espíritos humanos.

A palestra da investidura prossegue acerca da identidade de Adão e Eva:

O Amor de Uma Mãe, pintura de Lynde Mott, detalhe (Exponent II)

O Amor de Uma Mãe, pintura de Lynde Mott, detalhe (Exponent II)

[Adão] foi feito do pó da terra, mas não desta terra. Ele foi feito da mesma maneira que você e eu fomos feitos, mas em outra terra. Adão era um ser imortal quando veio a esta terra. Ele havia vivido em uma terra semelhante à nossa, recebeu o sacerdócio e suas chaves. E havia sido fiel em todas as coisas e ganhou sua ressurreição e sua exaltação e foi coroado com glória, imortalidade e vidas eternas, e contado com os Deuses, pois havia assim se tornado através da sua fidelidade e havia concebido todos os espíritos que deviam vir a esta terra. E Eva, nossa Mãe comum, que é a Mãe de todos os viventes, concebeu esses espíritos no mundo celestial. E quando este mundo foi organizado por Elohim, Jeová e Miguel – que é Adão, nosso Pai comum -, Adão e Eva tiveram o privilégio de continuar o trabalho de progressão. Assim, vieram a esta terra e iniciaram a grande obra de formar tabernáculos para aqueles espíritos habitarem. E quando Adão e aqueles que o assistiam haviam completado este Reino, nossa terra, ele veio a ela. E dormiu e esqueceu tudo e se tornou como uma criança pequena.

Brigham Young explica o processo pelo qual nossos Pais Celestiais teriam sido temporariamente remortalizados:

Adão e Eva quando foram colocados sobre esta terra eram seres imortais com carne, ossos e tendões, mas ao partilharem dos frutos da terra quando no jardim e cultivarem o solo seus corpos começaram a mudar de seres imortais a mortais com sangue correndo em suas veias como a ação da vida.

Ao contrário de mórmons da Igreja SUD do séc. 21 que veem Elohim como o Pai e Jeová como Jesus Cristo, Brigham Young afirma a filiação de Jesus a Eva e Adão:

O filho mais velho do Pai Adão (Jesus, o Salvador), que é o herdeiro da família, é o primeiro gerado pelo Pai Adão no mundo espiritual, como está escrito. Na sua divindade, ele [Adão] havia voltado ao mundo espiritual e vindo em espírito a Maria e ela concebeu, pois quando Adão e Eva terminaram sua Obra nesta terra, eles não deitaram seus corpos no pó, mas retornaram ao mundo espiritual de onde vieram.

Não há documentação que nos diga claramente se a palestra da investidura foi de fato padronizada para todos os templos ou permaneceu apenas no de St. George. Seja como for, o seu conteúdo principal – a afirmação da divindade de Adão e Eva – não permaneceu inalterado. Apesar de fazer a doutrina Adão-Deus ainda mais canônica e responder à descrença dos membros SUD quanto a mesma, a “palestra junto ao véu” foi sendo grandemente modificada ao longo da história, refletindo as mudanças doutrinárias no mormonismo.

A última versão da investidura na Igreja SUD a possuir a “palestra junto ao véu” foi dada em 1990.

Referência

1. Diário de L. John Nuttal.  07 de fevereiro de 1877, St. George, Utah. Coleções especiais da BYU; Citado em The development of LDS temple worship, ed. Anderson (Salt Lake: Signature, 2011.) p. 35-38.


Leia os posts anteriores desta série:

6 comentários sobre “Ordenanças do templo – parte 7

  1. Que bacana. Quanta informação numa coisa tão simples! Realmente, como as coisas mudam com o passar do tempo e, ao contrário da maioria das pessoas, a Igreja em si não faz qualquer questão de que continuemos a nos lembrar delas, como se tudo que temos hoje sempre foi assim.

    Mas esquecemos que o hoje, é apenas uma nova roupagem do ontem, amanhã.

  2. Quando eu passei pelo templo a 33 anos atrás ainda havia menção e gestos sobre as penalidades. Gostaria de saber porque foram retiradas da ordenança da investidura? Assim como bem disse o Fábio as alterações não mudam a ordenança em si.

    • Boa questão, Lígia. As penalidades foram retiradas pela Igreja SUD em 1990, mesmo ano em que retirou a palestra junto ao véu. Como no caso de mudanças mais recentes no templo, não houve um anúncio ou explicação oficial para a mudança. O que sabemos é que havia um desconforto entre muitos membros SUD com relação às penalidades, o que pode ter influenciado a decisão. Ademais, as penalidades era um forte resquício dos empréstimos maçônicos por parte do profeta Joseph Smith, o que talvez constituísse um desconforto para a Igreja.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s