No Caminho de Damasco: Relatos Contemporâneos

A conversão de Saulo de Tarso, popularmente conhecido com o Apóstolo Paulo, é uma narrativa popular entre cristãos há quase dois milênios e uma das estórias mais recontadas entre mórmons e por missionários SUD.

Narrando a estória de como um judeu fanaticamente religioso e opositor da nascente fé cristã, Saulo teria visto o ressuscitado Jesus Cristo e dele recebido uma comissão para apoiar e disseminar a Igreja de Cristo na Terra, e esta narrativa serve como fundamentação epistemológica central das fés cristã em geral, e mórmon em específica.

A caminho de Damasco, famosa pintura barroca por Michelangelo da Caravaggio (1571-1610)

Não obstante, existem no registro histórico apenas 4 relatos da conversão de Saulo documentados, dos quais apenas dois contemporâneos a ele.

Ei-los em ordem cronológica aproximada:

Continuar lendo

A Primeira Visão: Relatos Contemporâneos

A Primeira Visão é uma narrativa popular entre mórmons na atualidade, e uma das primeiras coisas que missionários SUD são instruídos a recontar para potenciais conversos.

Narrando a estória de como Joseph Smith, ainda adolescente, teria visto Deus e Jesus Cristo, e d’Eles recebido uma comissão para reorganizar a Igreja de Cristo na Terra, a Primeira Visão serve como fundamentação ontológica central da fé mórmon.

A Primeira Visão, print de filme para proselitismo da Igreja SUD

A Primeira Visão, print de filme para proselitismo da Igreja SUD

Não obstante, existem no registro histórico apenas 13 relatos documentados da Primeira Visão que sejam contemporâneos com Smith.

Ei-los todos em ordem cronológica, pela primeira vez em português:
Continuar lendo

Podcast Mórmon #3 – POLIGAMIA

A Associação Brasileira de Estudos Mórmons e o Vozes Mórmons dão seguimento ao projeto coletivo de podcasts para discussão de temas relacionados ao Mormonismo: o Podcast Mórmon.

Neste episódio Antônio Trevisan, Emanuel Santana e Marcello Jun discutem o passado e o futuro da pesquisa acadêmico-histórica de um dos aspectos históricos, sociais, e culturais mais marcante no Mormonismo: POLIGAMIA.

Podcast 03 versão 02

Em 1831, Joseph Smith teria recebido uma revelação ordenando homens casados a desposarem mulheres ameríndias poligamamente para gerar Lamanitas brancos. Entre 1833 e 1839, Smith relacionou-se com uma adolescente e uma mulher casada em segredo, mas a partir de 1841 começou a casar-se secretamente com múltiplas mulheres, iniciando oficialmente uma cultura polígama. Havendo iniciado os seus acólitos mais fiéis na prática, e elaborado toda uma teologia templária ao seu entorno, Smith construíra um legado que viria a definir o Mormonismo pelos próximos dois séculos.

Assista aqui o podcast na íntegra:

Continuar lendo

Desafio de história mórmon: crise de sucessão

Sucessão VM (2)

Você consegue identificar estes oito homens que foram considerados ou se apresentaram como sucessores de Joseph Smith?

 

A crise de sucessão, ocorrida após o assassinato de Joseph Smith, será o tema do próximo Podcast Mórmon, no dia 14 de junho, às 14 horas. O programa, ao vivo, será transmitido pelo site LiveStream. Participe!

Famílias Dividas na Crise de Sucessão

Pioneira, de Michael Dumas

Pioneira, de Michael Dumas

O assassinato de Joseph Smith em 1844 deixou os santos dos últimos dias numa situação inesperada: a jovem igreja estava desprovida de seu líder maior e sem instruções específicas sobre o que fazer. Isso não gerou um problema qualquer, mas uma imensa e intensa crise, em que doutrinas, ordenanças, quóruns, ofícios e personalidades entraram em disputa para decidir os rumos do mormonismo.

Estima-se que em torno de 50% dos membros da Igreja deixada por Joseph Smith tenham seguido a liderança dos Doze, encabeçados por Brigham Young. Já a outra metade dos membros teria se dividido entre os demais grupos ou indivíduos. Dentre as igrejas minoritárias formadas sem a liderança de Brigham Young, algumas ainda existem, enquanto outras são extintas. Mas todas contam têm ou tiveram algo em comum: uma envolvente história feita por pessoas que sacrificaram suas vidas em nome da fé. Continuar lendo

A Bíblia e sua restauração de uma pedra de tropeço

Texto de Daymon Smith para a Conferência Brasileira de Estudos Mórmons, realizada em 2013. Daymon Smith possui doutorado em antropologia pela Universidade da Pensilvânia e é o autor de The Book of Mammon e os três volumes de A Cultural History of the Book of Mormon, entre outros trabalhos. Possui o blog Mormonism Uncorrelated. Comentários e perguntas dos leitores e as respostas do autor serão traduzidas pelo Vozes Mórmons.

book-whirlUma das ironias do Livro de Mórmon é que seu tradutor e seu escriba frequentemente entendiam mal o que diz o texto. O termo “restauração”, por exemplo, é claramente definido por Alma e outros como algo muito maior do que trazer de volta alguma igreja cristã, imaginariamente tirada das páginas do Novo Testamento. A restauração da Casa de Israel é trazê-la de volta a Deus, e isso acontece pela restauração do conhecimento sobre seus convênios e sua misericórdia desde a Criação até esta tarde.

Restauração era um termo do Livro de Mórmon, nele definido claramente, descrevendo geralmente algo como karma: aquilo que sai de você voltará a você, para sua condenação ou salvação, se sua vida tiver sido misericordiosa ou injusta.

Seis meses depois de o livro ser publicado, porém, um grupo amplo de restauracionistas afiliados a Alexander Campbell e seu amigo Sidney Rigdon foram reunidos na fazenda de Isaac Morley, próxima a Kirtland, Ohio. Eles viviam o que consideravam ser um comunismo cristão, uma parte distintiva do seu esforço de restaurar a antiga ordem das coisas. Campbell e Rigdon não praticavam a comunidade de bens, entretanto, e ocasionalmente discutiam sua restauração. Continuar lendo

Prepare-se para a IV Conferência Brasileira de Estudos Mórmons

Você já se agendou para a IV Conferência Brasileira de Estudos Mórmons? Ela acontece no dia 19 de janeiro de 2013, em São Paulo.

O tema da Conferência de 2013 será “A Relação entre Sede e Periferia na Igreja SUD”.

A Conferência é gratuita e aberta a todos os interessados. Continuar lendo

Adoção e Salvação dos Mortos

Para Joseph Smith, a exaltação no reino celestial dependia da obediência a todos os mandamentos e o recebimento de todas as ordenanças do evangelho. Conforme tentei esboçar na primeira parte deste estudo, entre tais mandamentos e ordenanças estava a inclusão do indivíduo numa família, formada pelo matrimônio (homem e mulher) e pela adoção (homem a homem). Esses dois tipos de selamento, em suma, deveriam ligar os santos em uma única família, a família de Deus, estabelecendo na mortalidade a única estrutura que existiria na eternidade. Continuar lendo

A adoção

Que tipo de selamento era a adoção? Como essa doutrina fazia parte do pensamento de Joseph Smith? Que implicâncias ela tinha na redenção dos mortos e organização do povo do convênio? Este post introduz o desconhecido tema da adoção.

Foi na cidade de Nauvoo, durante a década de 1840, que as ordenanças do templo atingiram uma maior elaboração,

Continuar lendo

Jeová, o Pai

No meu post anterior, mostrei como, de acordo com algumas escrituras bíblicas, Cristo não pode ser considerado o Deus que interagiu com os antigos israelitas. O “Deus de Abraão, Isaque e Jacó” para os autores do Novo Testamento é o próprio Pai e não seu Filho. Nesta continuação do tema, busco novamente na relação do Novo Testamento com a bíblia hebraica a identidade de Jeová como o Pai; também utilizo uma importante escritura de Doutrina e Convênios para mostrar como Joseph Smith também usava o termo Jeová para se referir ao Pai. Continuar lendo

Chamada de trabalhos para a IV Conferência Brasileira de Estudos Mórmons

IV Conferência Brasileira de Estudos Mórmons

Conferência Anual da ABEM

(Associação Brasileira de Estudos Mórmons)


Tema

“A Relação entre Sede e Periferia na Igreja SUD”

19 de janeiro de 2013

São Paulo, Brasil Continuar lendo

Mórmons, Maçons e Antimaçons

O segredo da maçonaria é guardar um segredo.

Joseph Smith

StairNauvoo1

Escada do atual templo de Nauvoo.

 

Na quarta ou quinta série, ouvi uma colega perguntar à professora de história se a maçonaria era a igreja do diabo. A surpresa que senti foi enorme, mas nada comparado ao que sentiria vinte anos depois, enquanto ensinava uma aula da Escola Dominical. Discutindo as combinações secretas descritas no Livro de Mórmon, alguém com décadas de experiência como membro da Igreja disse que a maçonaria se encaixava na descrição daquelas antigas conspirações.

Continuar lendo

Hyrum, o Profeta Rejeitado

Maudsley_JSandHS_lg_stAo iniciar a série sobre o Patriarca Eldred G. Smith, percebi que o tema do ofício patriarcal precisaria ser explorado em maior detalhe. Para tentar explicar o receio existente em torno do ofício do Patriarca e a dramática mudança que sua extinção representou dentro de doutrina mórmon, convido os leitores para uma visita a Nauvoo, no ano de 1843, onde veremos a “reforma” iniciada por Joseph Smith e a polêmica em torno da posição de Hyrum Smith. Continuar lendo

Salvação e revelação

Salvação não pode vir sem revelação; é vão para qualquer um "A moeda perdida", pintura de J. Kirk Richardsministrar sem isso.  Nenhum homem é um ministro de Jesus Cristo sem ser um profeta.  Nenhum homem pode ser um ministro de Jesus Cristo a não ser que tenha o testemunho de Jesus e este é o Espírito de Profecia.  Sempre que a salvação tenha sido administrada o foi por testemunho. Homens no presente testificam de céu e inferno e nunca viram nenhum. (Joseph Smith, 08 de agosto de 1839, registrado por Willard Richards, Words of Joseph Smith, p. 10.) Continuar lendo