A Fantasia dos 16 Milhões de Mórmons

É uma tradição da Igreja SUD organizar uma Conferência Geral Anual para todos os membros da Igreja mundo afora no primeiro fim de semana de abril.

Centro de Conferências, em Salt Lake City, durante a 187a Conferência Geral Anual. Foto: lds.org

É uma tradição da Igreja SUD alardear, com enorme entusiasmo, o impressionante crescimento da Igreja em termos de membros e conversões. Afinal, esta é a Igreja missionária “cortada da montanha” que “preencherá toda a Terra”.

É uma tradição aqui no Vozes Mórmons, todo ano em abril, levantar as estatísticas apresentadas e matematicamente demonstrar como o alarde da liderança SUD é na melhor das hipóteses fantasioso, e na pior simplesmente desonesto.

Este ano foi um pouco diferente.

Enquanto em 2014 o Profeta Thomas Monson se gabou:

“Estamos reunidos juntos como uma grande família, mais de 15 milhões [de membros] fortes…”

Antes dessa vanglória de Monson em 2014, outros líderes haviam sido ainda mais sanguíneos em seus entusiasmos. Na Conferência Geral semianual em outubro de 2017, o Apóstolo Russell Ballard havia alardeado:

“Como uma das fés Cristãs que cresce mais rápido no mundo, construímos uma capela nova todo dia de trabalho.”

E ainda publicações em jornais oficiais da própria Igreja em muitos artigos que reforçavam essa percepção de “igreja que cresce mais rápido no mundo”, incluindo o próprio escritório de relações públicas da Igreja.

Este fim de semana, contudo, o anúncio dos dados estatísticos simplesmente foi ignorado durante a Conferência Geral pela primeira vez, e foi publicado apenas online. O jornal oficial da Igreja até tentou fazer um alarde com a chamada: “Número de Membros da Igreja SUD oficialmente ultrapassa 16 milhões”, sem fazer quaisquer alusões ao fato dos números não terem sido divulgados durante a conferência, e obviamente, sem notar o quão irrelevante esse número total é para se analisar o real crescimento da Igreja.

A título de curiosidade, os números oficiais publicados pela Igreja para o fim do ano calendário de 2017:

Total de membros: 16 118 169
Total de conversos (2017): 233 729
Novas crianças de registro (2017): 106 771
Missionários de Tempo Integral: 67 049
Congregações (alas e ramos): 30 506
Templos: 159

Como realmente anda o crescimento da Igreja?

Em abril de 2012, nós havíamos publicado uma retrospectiva do crescimento da Igreja SUD entre 1981 e 2011, com base nos dados estatísticos publicados pela própria Igreja, e comparando-os com estatísticas populacionais mundiais. Em abril de 2014, utilizamos os dados oficiais da Igreja para 2012 e 2013 para publicação e verificamos os números dentro das mesmas tendências gerais, sem grandes mudanças.

Tabela de Estatísticas da Igreja SUD entre 1981 e 2013 (Clique na imagem para amplia-la).

Computados os dados oficiais da Igreja de total de membros por ano, podemos rastrear as taxas de crescimento anual da Igreja. Vemos então que, nos últimos 30 anos a taxa média de crescimento caiu de 5-6% ao ano nos anos 80, para 3-4% nos anos 90, 2-3% 14 anos, e entre 2-2,5% na última década.

Além de ser notável a redução progressiva na taxa de crescimento total, nós sabemos por estudos populacionais independentes que a taxa real de membros (em atividade ou por auto-identificação) é bem, bem menor que as taxas oficiais computadas pela Igreja — que costuma contar como membros todas pessoas batizadas ou abençoadas quando crianças, até 120 anos de idade ou falecimento confirmado. O que torna o número total de membros uma ferramenta para rastreamento de crescimento menos confiável.

Como foi nos últimos 5 anos?

O crescimento dos últimos 5 anos é um parâmetro interessante de análise pois quantifica o impacto do ímpeto missionário que por trás da revelação das drásticas mudanças no serviço missionário em outubro de 2012. Em outras palavras, o Profeta Thomas Monson havia revelado novos parâmetros etários para missionários de tempo integral para “impulsionar a obra missionária”, e agora podemos objetivamente calcular o impacto dessa diretriz pelos números dos anos 2013, 2014, 2015, 2016, e 2017.

E como podemos ver, o número de missionários aumentou consideravelmente (após uma explosão inicial e uma igual retração). Hoje a Igreja SUD dispõe de quase 14% a mais de missionários no campo que tinha antes da mudança há 5 anos. Contudo, a taxa de conversão anual caiu para 16% a menos novos conversos por ano! A taxa anual de crescimento da Igreja caiu drasticamente para 1,59% em 2016 e 1,48% em 2017, as piores taxas na desde 1937, assim como a taxa anual de crescimento de unidades (alas e ramos) também caiu para 0,67% ao ano.

Como anda o crescimento das unidades da Igreja?

Não obstante, podemos rastrear a taxa de crescimento de novas unidades (alas e ramos), pois em média estas necessitam de números de participantes ativos médios razoávelmente estáveis e comparáveis. Quanto usamos os dados oficiais para rastrear o crescimento da Igreja pela taxa de crescimento anual de unidades, vemos que a Igreja crescia entre 2,5% e 5% ao ano nos anos 80, entre 2,5% e 6% ao ano nos anos 90, e entre 0,5% e 1,6% ao ano nos últimos 15 anos.

Quando ploteamos esses dados num gráfico, uma tendência para redução de crescimento torna-se bastante aparente!

Crescimento da Igreja SUD, baseado em estatísticas oficiais de membros (taxa calculada anual de crescimento de número total de membros) AZUL, e de unidades (taxa calculada anual de crescimento de número total de alas e ramos) VERMELHO; comparação com taxa de crescimento populacional do mundo (Banco Mundial) VERDE.

Se olharmos com um pouco mais de atenção para os últimos 15 anos, esta tendência torna-se ainda mais óbvia.

Crescimento da Igreja SUD, baseado em estatísticas oficiais de membros (taxa calculada anual de crescimento de número total de membros) AZUL, e de unidades (taxa calculada anual de crescimento de número total de alas e ramos) VERMELHO; comparação com taxa de crescimento populacional do mundo (Banco Mundial) VERDE.

Vê-se, portanto, que a Igreja crescia bastante até 1998, com crescimento de membros bem acima do crescimento populacional global, mas que esse ritmo caiu bastante e progressivamente de 1999 para cá. Além disso, nota-se que o crescimento, como medido em unidades ou congregações, está abaixo do crescimento populacional de 1999 para cá, dando a entender que a Igreja cresce apenas em têrmos de taxas de reposição, ou até negativamente.

Que fique claro que os dados não dizem que a Igreja esta reduzindo de tamanho total! Há sem dúvidas mais Mórmons hoje que há 2 anos atrás, ou 5 anos ou 10, ou 20. Mas, os dados sugerem que a Igreja esta reduzindo de tamanho em proporção ao mundo ao seu redor.

Como cresce a Igreja em seu país natal dos Estados Unidos?

Os Estados Unidos vem mantendo uma taxa de crescimento populacional razoavelmente estável entre 0,85 e 0,95% ao ano.

A Igreja nos Estados Unidos crescia, em média, entre 1 e 4% ao ano nos anos 70, 1 e 4% ao ano nos anos 80 (com dois picos anômalos), 2 e 3% nos anos 90, e 2% na última década.

Então a Igreja cresce acima do crescimento populacional nos EUA?

Não exatamente. Estas taxas acima são dos números oficias de membros, que estudos independentes colocam entre 40 e 70% da real taxa demográfica de Mórmons. Por exemplo, o estudo independente ARIS demonstra que a população SUD nos Estados Unidos mantém-se estável (crescimento zero) em proporção à população Americana desde 1990 (1,4%).

Sendo assim, há dados que sugerem um crescimento pequeno, e há dados que sugerem um crescimento nulo nos últimos 20 anos nos EUA.

Como anda a obra missionária? Qual o impacto dela nisso tudo?

O gráfico é um pouco difícil de visualizar, mas mostra claramente que a taxa de conversos por missionários esta razoavelmente estável nos últimos 30 anos, entre 4 e 6 por ano por missionário. Quando se aumenta o número de missionários, aumenta-se o número de batismos proporcionalmente, e ambas taxas vem se mantido moderadamente estáveis, com a média anual de missionários na casa dos 50 000 e conversos na casa dos 280 000. Contudo, como discutido acima, há 5 anos a Igreja reduziu a idade mínima para serviço missionário, o que resultou num aumento súbito de missionários no campo de 58 990 no final de 2012 para 83 035 no final de 2013, com subsequente queda drástica para os atuais 67 049.  Não obstante, a taxa de batismos de conversos manteve-se no mesmo nível que nos últimos 25 anos, caindo ainda mais nos últimos 3 anos, enquanto a taxa de batismo por missionário caiu para um recorde histórico negativo.

Dez anos antes desta mudança, a Igreja havia anunciado uma política que reduziria o número de missionários no campo, por aumentar o grau de exigência para o serviço. Os resultados, como se pode ver, foram desastrosos e a Igreja vem lutando desde então para reverte-lo, culminando com esta mudança mais recente (10 anos após a outra). Entretanto, apesar do súbito crescimento de missionários totais no campo, ainda não houve comparável crescimento na taxa de conversos e batismos.

Considerando todos os dados estatísticos disponíveis, nota-se que a Igreja vem, há décadas, sofrendo de redução progressiva na taxa de crescimento. Sob alguns prismas, a Igreja tem crescimento nulo, apenas repondo suas perdas naturais (deserções e óbitos). Sob outros prismas, a Igreja cresce muito pouco acima do crescimento populacional natural, e sob outro (análise de crescimento de unidades) ela cresce abaixo do crescimento populacional (crescimento negativo). Sob nenhuma consideração pode-se dizer, baseando-se nos dados concretos, que a Igreja esteja crescendo bem.

E a questão dos “15 milhões [de membros] fortes…” de Thomas Monson?

Se considerarmos as estimativas conservadoras e otimistas de 1,4% da população americana (4 400 000), de 50% da população SUD fora dos EUA e de 25% de auto-identificação lá (2 000 000 — baseado em estudos brasileiros, chilenos, mexicanos, e filipenhos), deve haver uns 6,5 milhões de SUD nominais pelo mundo afora, ou pouco mais que 40% do que Monson alardeou neste fim de semana. Isto, considerando que estas estimativas são conservadoras e generosas, pois os números reais podem bem ser até menores — especialmente levando em consideração que destes ainda há muitos SUD que são inativos mais ainda se consideram Mórmons, e o fato de que em qualquer congregação SUD a porcentagem de membros dizimistas integrais e templários é usualmente pequeno comparado ao número de membros moderada ou intermitentemente ativos.

Novos números, outras análises

Uma excelente, mais detalhada, e certamente mais acurada análise estatística sugere que a real taxa média global de atividade gira em torno de 30%! A análise dos números é longa e complexa, e certamente recomendamos a leitura, mas o resumão dos dados permite uma projeção baseada em presentes tendências que, apesar de óbvias pelo exposto acima, são matematicamente sãs expressas equacionalmente.

Distribuição Estimada de Membros da Igreja SUD: Azul (Total de membros de registro), Vermelho (Membros ativos), Verde (Membros inativos), Vinho (Nomes removidos)

Outro excelente levantamento dos números, que também merece sua atenção individualizada, contrastou com maestria os números oficiais com as taxas de crescimento calculadas para melhor demonstrar as reais tendências demográficas.

Barras: Crescimento em números totais oficiais (azul, EUA; vermelho, internacional) versus Linha (verde): Taxa de crescimento anual

Barras (vermelhas): Números de alas/ramos versus Linha (azul): Taxa anual de crescimento de números de alas/ramos

Barras (azul): Número total de missionários no campo versus Linha (vermelha): Batismos por missionário

Taxas estimadas de membros ativos: Linha (verde) como percentual do total de números de membros em registro versus Barras (azuis, EUA; vermelhas; internacional) como total de membros ativos

Conclusão

A Igreja SUD está passando por uma transição de uma igreja missionária com crescimento forte e expansionário, para uma igreja que investe e luta ferozmente apenas para manter-se relevante e estável – especialmente considerando que as suas atuais taxas de crescimento apenas se equiparam ao crescimento populacional orgânico.

É inteiramente possível que o silêncio inusitado durante a Conferência Geral deste fim de semana seja o primeiro sinal de um reconhecimento oficial do alto escalão mórmon de tal transição. Também é possível que a promoção de 2 Apóstolos com apelo internacional (asiático e latino-americano) seja o segundo sinal deste reconhecimento.

19 comentários sobre “A Fantasia dos 16 Milhões de Mórmons

  1. Sempre gosto de pensar que o rebanho do Salvador será pequeno, se comparado às demais fé existentes. O que me resta é prestar meu testemunho irrefutável de que Deus vive e que esse evangelho é verdadeiro, eu sei disso. Há pessoas como vocês que duvidem, gosto de ler suas queixas que em nada abalam minha fé, mas eu sei que esse evangelho é verdadeiro e tenho a esperança do dia em que toda língua, inclusive as de vocês, confessará que Jesus é o Cristo. Eu creio nisso!

  2. Não há ódio no texto em si, mas sim uma constatação dos fatos.
    Se não houver humildade de aceitar o que foi escrito no texto, a pessoa nunca irá entender das razões da igreja estar estagnada com alto número de inativos crescendo a cada ano.
    Ignorar esses fatos ou se ofender com esses fatos só irá mostrar que você não está pensando na igreja como todo, mas somente no seu lado individual. Você tem testemunho? Legal, bacana isso, mas isso não quer dizer que quem está inativo não tenha. E, convenhamos, quando se há um testemunho de Cristo, você irá fazer de tudo para ajudar outras ovelhas a sentirem bem dentro de sua ala ou ramo. Dizer que quem se tornou inativo é fraco e não tem Jesus no coração só demonstra que você ainda não aprendeu o que é ser cristão de verdade.

  3. Heheh…Isso me faz lembrar quando era adolescente. Eu via as conferências e quando falava nos relatorios da Igreja, eu sentia aquele sentimento de “poxa que dá hora, a igreja é dahora ein”. Na época a igreja computava dez milhões de membros. Porém, quando fui e voltei da missão percebi o quanto esses números era só para encher linguiça rs…Na lista desses milhões de membros tinha pessoas que fazia anos que não frequentava a igreja, pessoas que de fato nunca tiveram uma palestra por já terem falecidos( aqueles batismos tipo do escândalo do Rio de Janeiro onde muitos missionários foram excomungados por batizar almas do cemitério), pessoas que nunca existiram(invenções de nomes), crianças, pessoas com problemas psicologicos, e outras coisas bizzaras que muita gente nem imaginam rs…

  4. Com ou sem números, ainda é a Igreja de Cristo e ponto final. Deixem os críticos falarem o que quiserem. Afinal, o livre arbítrio é pra isso mesmo. O que não podem tirar de nós é a plena certeza de que esta é a única Igreja viva e verdadeira sobre toda a Terra. A oposição sempre existiu e agora, ainda mais. Sempre foi assim.

    • Marcos Vinícius, tente novamente com um argumento inteligente, ou raciocínio lógico, ou mesmo fatos adicionais sobre os argumentos, fatos, dados, estatísticas apresentadas no artigo.

      Choramingar em público não lhe confere qualquer tipo de vantagem, especialmente quando você só conseguiu demonstrar falta de educação e compostura. Pense assim: Se você se considera um discípulo de Jesus, será que Jesus iria choramingar em público “a oposição sempre existiu” e “a única Igreja viva e verdadeira”, etc.?

      Ademais, se você parasse para pensar um pouco, raciocinar um pouco, notaria que os fatos publicados no artigo são verídicos e incontestáveis. Cabe apenas ao crente racional acomodar esses fatos as suas crenças. Choramingar sobre eles não ajuda sua crença e não os torna menos reais.

  5. Poste totalmente tendencioso e sem nenhum compromisso com a realidade! Os criadores e colaboradores deste site são sem dúvida de oposição a igreja fingindo serem um grupo de pesquisadores muito “bem intencionados”!

    • Luiz Fernando, ao invés de ficar choramingando emotivamente e xingando os outros em uma diatribe irracional, por que você não tenta argumentar quais números apresentandos acima não tem “nenhum compromisso com a realidade”?

      Por que não demonstra quais números acima diferem dos números publicados pela Igreja SUD?

      Por que não demonstra como apresentar os números publicados pela Igreja SUD de modo diferente e que não seja “totalmente tendencioso”?

      Ou então por que não simplesmente admite que você está mentindo para se sentir melhor sobre si mesmo e sobre a suas concepções pessoais da Igreja? Por que não admite que nem sequer leu o artigo ou checou os números e resolveu mentir para justificar ignorar os dados apresentados?

      (Dica pessoal: Santidade em inglês é “holiness”, não “hollyness”!)

  6. Fico imaginando o porque que certos “especialistas”, “intelectuais” e até mesmo “teólogos” se deram ao trabalho de criar esta página! A igreja realmente deve estar “incomodando” muito! Não precisei ler mais do que um único parágrafo para desvendar as verdadeiras intenções de seus autores e colaboradores! A vocês o meu recado é! NÃO PERCAM O SEU TEMPO! Não irão por mais que se esforcem destruir esta obra! Pois ela é muito maior que o seus pretensos intelectos! Podem nos perseguir como quiserem! Outros já tentaram de forma muito mais intensa e violenta no passado, até mesmo torturando, encarcerando, expulsando e até mesmo assassinando a liderança da igreja na época! Mas a obra prosseguiu! E prosseguirá não importa o que façam pois não é uma obra de homens mas sim de Deus!!

    • Luiz Fernando, ao invés de ficar choramingando emotivamente e xingando os outros em uma diatribe irracional, por que você não tenta argumentar quais números apresentandos acima não tem “nenhum compromisso com a realidade”?

      Por que não demonstra quais números acima diferem dos números publicados pela Igreja SUD?

      Por que não demonstra como apresentar os números publicados pela Igreja SUD de modo diferente e que não seja “totalmente tendencioso”?

      Ou então por que não simplesmente admite que você está mentindo para se sentir melhor sobre si mesmo e sobre a suas concepções pessoais da Igreja? Por que não admite que nem sequer leu o artigo ou checou os números e resolveu mentir para justificar ignorar os dados apresentados?

      (Dica pessoal: Santidade em inglês é “holiness”, não “hollyness”!)

  7. No relatório não informa que esse número é de membros ativos. mas sim de membros!
    Independente se são ativos ou inativos a Igreja relata com esses números quantas pessoas tiveram o desejo de se unir a Igreja SUD.
    Não tem como precisar quantos são ativos, pois o relatório é trimestral e lançar estatística seria ainda mais inexato!

    • A Igreja SUD absoluta e certamente tem “como precisar quantos são ativos”, Valéria.

      Ela coleta dados de frequência de todas as unidades. Ela coleta dados detalhados de pagamento de dízimos de todos os membros e todas as unidades. Ela coleta dados de recomendações de templo e ainda frequência de templo.

      Qualquer pessoa com ensino médio completo e mínima competência em softwares de planilhas, 2 horas, e acesso a esses dados estatísticos dos últimos 20 anos (que a Igreja coletou e coleta rotineiramente) consegue calcular quantos membros ativos há com enorme precisão. Tranquilamente.

      Francamente, duvidamos que a cúpula da Igreja não tenha esses dados computados rotineiramente. É uma questão de competência administrativa básica, e a alta liderança da Igreja não é nada se não administrativamente competente.

      • Um membro ativo precisa frequentar uma vez a cada três meses para ser um membro ativo, mesmo que ele falte dez de onze vezes durante esses três meses na Igreja Sud. Não acredito que ela consiga realmente precisar essa informação de forma exata.
        Se ela apresentar qualquer número informando que mesmo assim esses podem ser considerados como ativos ai sim ela estará apresentando impostura!

      • É por isso que qualificamos acima com “qualquer pessoa com ensino médio completo”, Valéria.

        Calcular variabilidades amostrais, margens de erro, intervalos de confianças, e significância estatística em casos simples como esse está perfeitamente dentro das habilidades matemáticas de qualquer graduado do ensino médio.

        E sabemos que o departamento de estatística da BYU é excelente. Certamente a Igreja SUD pode (se não já tem) um exército de matemáticos em seu emprego. Ela tem um exército de advogados, e matemáticos ganham menos.

  8. A igreja verdadeira igreja de Cristo ira crescer sim mas a igreja de Cristo como definida pelo Salvador e a que as escrituras mencionam nao e a mesma igreja que os membros acreditam que seja. No Livro de Mormon ha varias profecias sobre o Reino de Deus na terra, sobre Siao, sobre a Igreja do Cordeiro etc.. Na Biblia tambem vemos varias profecias sobre ela, em D&C o Profeta Joseph Smith registrou algumas profecias e revelacoes sobre a Igreja. O problema e que os membros associam o Reino de Deus ou Siao com a igreja incorporada SUD atual, ao estudarmos as escrituras vemos que o Reino de Deus ou Siao e completamente diferente e independente da Igrea SUD our qualquer instituicao terrestre. O que me intriga e o zelo com qual os membros da igreja insistem em defender a instituicao quando o proprio Senhor condenou a igreja nos ultimos dias em mais de uma vez alem de as profecias indicarem uma disolucao da igreja institucional nos ultimos dias.

  9. Algumas vezes, (confesso não sou leitor assíduo), leio o blog, e todas as vezes observo que a Igreja nunca os agradará, se ela diz: É azul, e você (diz) é vermelho, na sua ótica ela estará errada, mas se ela (a Igreja) concorda com você, mesmo assim, ainda encontrará algo em desarmonia. Parece que qualquer coisa que seja ensinado ou dito pela Igreja, por uma opção pessoal sua, se torna ponto contraditório. É mais ou menos como alguém qye briga com um bêbado – se bater, dirão: você bateu em um bêbado? Que coisa horrível!
    Se apanhar, dirão: você apanhou de um bêbado? Que fracote!
    Nem mesmo o próprio Senhor Jesus Cristo, falando em rede mundial o agradará, pois parece que discordar é sua escolha.

    • Obviamente, você não é “leitor assíduo” de nada, Cesóstre.

      Se você tivesse lido o artigo acima com um mínimo de atenção, teria se dado conta que ele demonstra exatamente como o seu preconceito sobre o site Vozes Mórmons é baseado em fantasia pessoal e não em fatos.

      Qualquer leitor racional e objetivo terá notado 3 coisas óbvias no artigo acima: 1) Nós, além de demonstrarmos os fatos estatísticos e demográficos com clareza, notamos uma súbita e surpreendente mudança em postura em relação a estes fatos estatísticos e demográficos por parte da liderança da Igreja SUD; 2) Demonstramos essa mudança de maneira clara e inequívoca; 3) Sugerimos que tal mudança é positiva, e ainda especulamos que outras mudanças positivas vieram desta mudança inicial.

      Como é comum em atitudes preconceituosas no geral, seu comentário sugere que você nada mais está tentando projetar em nós o seu próprio preconceito pessoal. Nós estudamos e publicamos os fatos aqui. Se eles são negativos, você vem choramingar que estamos “denegrindo” alguém por publicar fatos (verídicos e documentados) negativos. Se eles são positivos, você vem choramingar que “a Igreja nunca [n]os agradará”.

      Sugerimos que, no futuro, leia os artigos com mais atenção e menos preconceito, Cesóstre. Para isso, é preciso abordar o texto sem uma ideia pré-concebida do que ele dirá, argumentará, ou demonstrará, ou mesmo de qual opinião você terá dele. E, no seu caso, talvez lê-los mais de uma vez.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.