Brigham Young: As Esposas Prostitutas de Ezra T Benson

O Presidente Brigham Young fez os seguintes comentários sobre as esposas do Apóstolo Ezra Taft Benson em reunião privada, conforme anotou em seu diário o então Apóstolo Wilford Woodruff.

Brigham Young

Young, em conjunto com o Presidente Heber Kimball, acusam as esposas de Benson de “prostituições”¹, e Benson de mancomunação.

[26 de setembro de 1858; Wilford Woodruff, Diário Pessoal do Historiador da Igreja]

Domingo às 4 horas da tarde [-] O Presidente Brigham Young organizou um Círculo de Oração em seu quarto superior, composto por Brigham Young, Heber C. Kimball, Wilford Woodruff e G[eorge] A[lbert] Smith. Albert Carrington foi nomeado mas não estava presente. B[righam] Young orou & H. C. Kimball era o porta-voz. O Presidente Young desejou que os Doze se reunissem no Gabinete dos Historiadores para seu Círculo de Oração, em vez de se reunirem com o irmão Benson [-] Eu não sei por que, mas o irmão Benson sempre terá esposas que se prostituem. O irmão Kimball disse que o irmão Benson havia sido informado da conduta de suas primeiras esposas que eram culpadas de prostituições, mas ele não fez nenhuma mudança a respeito delas, como foi aconselhado a fazer. Eu não desejo que os Doze se encontrem em um lugar profano [-] O Presidente Young não desejava ter nada dito sobre o nosso Círculo de Oração, mas orientou G[eorge] A[lbert] Smith a escrevê-lo em um diário particular.

(Wilford Woodruff, Historian’s Private Journal (1858-1867), Church History Library)

Sobre essas acusações, escreveu o historiador mórmon D Michael Quinn:

“B[righam] Y[oung] se recusou a fazer um círculo de oração na casa de E[zra] T[aft] B[enson em] 1858 por alegada má conduta sexual por parte das esposas de E[zra] T[aft] B[enson]; [Benson era] presidente de um círculo privado de oração (1858-1862); A Primeira Presidência considerou “seu proceder repugnante” ao permitir a conduta de suas esposas [. Em] 1860, H[eber] C K[imball] queria que os Doze desassociassem E[zra] T[aft] B[enson], mas B[righam] Y[oung] apenas queria que ele saísse de Salt Lake City; [Então Benson foi nomeado] Presidente Regional de Cache Valley [no norte de Utah, sul de Idaho] (1860-1869)”

(Quinn, D. Michael. The Mormon Hierarchy: Origins of Power. Salt Lake City: Signature Books, 1994, p. 539).

Benson faleceu em setembro de 1869 em Ogden, Utah, ainda cumprindo seu exílio no norte de Utah e longe de Salt Lake City².


NOTAS
[1] Os termos utilizados no diário de Wilford Woodruff são o verbo to whore e o substantivo whoredom, que de acordo com um dicionário específico da época, podem significar: To Whore 1) Manter comércio sexual ilegal, 2) Praticar fornicação ou adultério; Whoredom 1) Adultério, 2) Fornicação, 3) Praticar comércio ilegal com o sexo oposto. Utilizamos acima as traduções prostituir-se e prostituição por melhor abranger todos os sentidos, seja literalmente, seja metaforicamente. Não há registro histórico dos detalhes dessas acusações.
[2] Ezra Taft Benson (1811-1869) serviu como Apóstolo da Igreja SUD de 1846 até sua morte por infarto em 1869, e estava no primeiro grupo de emigrantes mórmons a entrar no Vale do Lago Salgado em 1847. Benson casou-se com Pamelia Andrus em 1832, e abraçando poligamia sob as ordens de Joseph Smith, casou-se novamente com Adeline Brooks Andrus (irmã de sua primeira esposa) em abril de 1844. Subsequentemente, casou-se com Desdemona Fullmer (uma das viúvas de Joseph Smith), Eliza Ann Perry, Lucinda West, Elizabeth Gollaher, Olive Mary Knight, e Mary Larsen. No total, Benson teve 8 esposas e 35 filhos. Além disso, era dono de alguns escravos da tribo indígena Paiute.[3] Um de seus bisnetos pela sua segunda esposa Adeline, e seu homônimo, serviu como o 13° Presidente da Igreja SUD.

9 comentários sobre “Brigham Young: As Esposas Prostitutas de Ezra T Benson

  1. Vozes Mórmons mentem.
    Eis aqui o texto original:
    September 26, 1858: At 4 o’clock I met with Presidents B. Young, H. C.
    Kimball, D. H. Wells, and G. A. Smith in President Young’s upper room for
    prayers. B. Young prayed and Pres. Young requested the Twelve to meet at the
    Historians Office for their prayer circle instead of Brother Benson’s. The
    following dream was [114] related which President Young had on Friday night,
    Sept. 24, 1848. He dreamed that men came into his room and tried to get in. He
    tried to shoot them with his pistol, but could not get it off. He then drew a
    bowie knife but found it to be a carving knife with a saw on one side. At the
    same time, Mr. Clarkson reached over his shoulder and drew a large bowie knife
    from between his shoulders and attempted to kill President Young who said to
    him, you may think that you are going to do something, but I will show you. He
    then threw his saw knife at Clarkson and just as it was about to enter his
    body, Brigham Young reached out his hand and caught it so that it did not hurt
    him, saying at the same time, you now see what I can do. Clarkson said I see
    that my life is in your power; at the same time he plunged his knife into his
    own breast and split it open; then handed the handle of the knife all bloody
    to B. Young and walked a short distance and fell dead.

    E como sempre, postam opiniões de um escritor excomungado.

    • Marco Barril demonstra profunda incompetência de leitura básica, raciocínio lógico, e falta de ética.

      Um pouco mais de atenção e habilidades básicas de leitura e ele teria notado que o livro de onde ele cita chama-se “Seleções do Diário de Wilford Woodruff”.

      Um pouco mais de atenção e habilidades básicas de leitura e ele teria notado que o livro de onde nós citamos chama-se “Historian’s Private Journal”, ou em português, “Diário Pessoal do Historiador”.

      Um pouco mais de raciocínio lógico e ele teria se dado conta que as decisões editoriais das “seleções” do que publicar e não publicar do diário tem em mente público alvo que vai comprar tais “seleções”, com pleno incentivo para excisar quaisquer menções embaraçosas para a liderança da Igreja SUD e para os potenciais leitores/consumidores.

      Um pouco mais de ética e ele teria concedido que Michael Quinn é amplamente considerado um dos mais importantes, se não o mais importante, historiador mórmon dos últimos 50 anos, inclusive por historiadores SUD.

      Um pouco mais de ética e ele teria concedido que Michael Quinn foi historiador da Igreja SUD e professor da BYU, famoso pela excelente qualidade acadêmica de seus trabalhos, e que perdeu esses empregos por censura contra sua produção acadêmica.

      Um pouco mais de ética e ele teria concedido que Michael Quinn foi excomungado junto com outros 5 acadêmicos e historiadores por censura contra suas produções acadêmicas.

      Um pouco mais de ética e ele teria concedido que Michael Quinn até hoje, 25 anos após sua excomunhão, mantém sua fé SUD.

      Um pouco mais de ética e ele teria checado as fontes originais (que nós indicamos claramente) antes de sair acusando historiadores de mentir.

      Sugerimos ao Marco Barril leituras mais cuidadosas, o exercício criterioso de raciocínio lógico, e uma ponderação ética antes de tentar postar mais algum comentário aqui.

      Ademais, sugerimos que entre em contato com a Church History Library, como indicamos acima, para pedir visualização dos trechos relevantes, como indicamos acima, e checar se nós e o Michael Quinn “mentimos”. Após isso, confiamos que terá aprendido a comportar-se com um pouco mais de ética e ofecerer-nos uma retratação formal.

      • Nunca e demais enfatizar a importancia do trabalho de Michael Quinn para a historia da Igreja.

    • Para o leitor interessado, o mesmo trecho do Diário de Wilford Woodruff (e não o intensamente editado “Seleções do Diário de Wilford Woodruff”) contém parte dessa citação, porém em Pitman e não em alfabeto romano:

      “O Presidente Kimball disse que não queria que os 12 orassem na casa de Benson, pois não queria que fossem a uma casa de prostitutas[.] O Presidente Young disse que não sabia por que Benson sempre tinha esposas que se prostituíssem.”

      (MS 1352_b0003_f0001_00331)

    • Em primeiro lugar, você está citando Diário Pessoal de Wilford Woodruff, quando nós citamos o Diário Pessoal do Historiador da Igreja no artigo.

      Em segundo lugar, nós explicamos em outro comentário prévio, de modo claro para qualquer pessoa alfabetizada pode entender, que o Diário Pessoal de Wilford Woodruff também cita, de forma resumida, o mesmo evento (repetindo a menção a “prostitutas”), porém no código conhecido como Pitman.

      Incluímos ali até a página exata do diário (com link) para que pessoas honestas pudessem ler o código de Pitman, e incluímos link para um manual para se aprender o código de Pitman.

      Em terceiro lugar, não “suprimi[mos] postagens de usuários” a menos que violem as nossas regras para comentários.

      Não confunda sua estupidez e incompetência pessoal com erro ou desonestidade da nossa parte, Marco. Aliás, questionar nossa honestidade baseando-se em uma pesquisa preguiçosa e incompetente – e não em fatos – viola as nossas regras para comentários. Note, por favor, que não estamos julgando seu caráter e escolhemos crer que não está sendo propositadamente desonesto, apenas incompetente.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.