Racismo no Livro de Mórmon

O Livro de Mórmon é uma obra de escrituras sagrada para mórmons.

Infelizmente, é uma obra profundamente racista.

Obra de arte representando as lendárias "placas de ouro" que Joseph Smith teria encontrado e de onde teria traduzido o Livro de Mórmon (Museum of Church History and Art, Salt Lake City)

Obra de arte representando as lendárias “placas de ouro” que Joseph Smith teria encontrado e de onde teria traduzido o Livro de Mórmon (Museum of Church History and Art, Salt Lake City)

Tanto para a narrativa, como para a teologia, do Livro de Mórmon uma cor de pele escura é um claro sinal de maldição e reprovação divina. Além disso, há severas admoestações para a manutenção de pureza racial. Esses ensinamentos racistas do Livro de Mórmon são tão enraizados que levou gerações de profetas mórmons a pregarem tais ensinamentos do púlpito. [Ver aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, e aqui]

Essas são as passagens relevantes que permeiam o texto canônico mórmon (ênfases nossas): Continuar lendo

Spencer Kimball: O Dia dos Lamanitas (Ficarem Brancos)

O Profeta Spencer W. Kimball, então no Quórum dos Doze Apóstolos, elaborou um elogio aos índios nativo-americanos com comentários profundamente racistas  durante a Conferência Geral de abril de 1960.

Spencer Kimball Lamanitas Mórmons

Spencer W. Kimball confraternizando com membros da tribo Navajo Imagem: lds.org

Continuar lendo

Spencer Kimball: Índios Preguiçosos e Supersticiosos

O Profeta Spencer W. Kimball, então no Quórum dos Doze Apóstolos, repudiou comentários racistas de membros da Igreja SUD contra índios nativo-americanos, durante a Conferência Geral de abril de 1954.

Spencer Kimball Lamanitas Mórmons

Spencer W. Kimball confraternizando com membros da tribo Navajo Imagem: lds.org

Ironicamente, ao defender os ameríndios do racismo e intolerância de alguns membros SUD (que ele chama de “Srs. Anônimos” em seu discurso), Kimball refere-se a eles de maneira similarmente preconceituosa e pejorativa, em perfeita ilustração de imperialismo cultural e a filosofia do “fardo do homem branco“. Incorporando essa filosofia particularmente popular no final do século 19 e início do século 20, Kimball descreve os povos ameríndios como atrasados, preguiçosos, incompetentes, e culpados pelas conquistas, genocídios, e opressões infligidas neles pelos invasores europeus (ênfases nossas):

Continuar lendo

Nefita no Dia das Bruxas é Racista?

Há mórmons quem digam que os índios não são descendentes literais dos lamanitas e nefitas descritos no Livro de Mórmon, apesar do próprio texto da escritura deixar claro o contrário.

Jovem SUD fantasia-se de índia (Fonte: Facebook)

Jovem SUD fantasia-se de índia desejando a todos “Feliz Dia das Bruxas” (Fonte: Facebook)

Naturalmente, nem todos os mórmons pensam assim.

Uma jovem mórmon fantasiou-se de ameríndia para o Halloween, o famoso festival de “dia das bruxas” norte-americano, e postou sua foto em sua página pessoal de rede social. A reação de sua família foi inteiramente positiva, congratulando-a por sua linda fantasia de nefita: Continuar lendo