O que Nos Chocará após a Morte?

Algumas semanas atrás, um amigo mencionou em uma conversa sobre o evangelho que, após esta vida, nós saberíamos a verdade sobre todas as coisas. Em seguida, ocorreu-me que um monte de pessoas vão ser, ou já foram, chocadas pela forma como elas estavam errados sobre suas visões de vida, do universo, e de, bem, tudo.

morte vida espiritualidade

 

E, entre todas as coisas, devemos incluir ideais sobre religião.

O Buda deve ter ficado chocado. Maomé, Martinho Lutero, João Calvino, John Wesley, e até mesmo, penso eu, Joseph Smith.

É claro que alguns ficaram provavelmente mais chocados do que outros. Mas, supondo que a nossa atual concepção do evangelho esteja correta, todos esses devem ter sido surpreendidos em algum grau. Sim, acho que Joseph Smith menos que aqueles acima, mas eu suspeito que mesmo ele encontrou alguma verdade inesperada. Foi algo sobre poligamia? Ou talvez a sua compreensão dos papéis de gênero? Eu não posso dizer. E admito que sobre Joseph Smith esta é a minha própria especulação. Afinal de contas, não tenho nenhuma idéia de quais ideias que ele acreditava que estariam erradas no sentido eterno.

Meu ponto não é que Joseph Smith estava errado sobre as coisas, mas sim que nós, mórmons, temos estado errados no passado, e se estamos corretos agora, então membros e líderes do passado devem ter sido surpreendidos ou chocados quando descobriram a verdade. Aqueles que ensinaram e acreditaram que a raça é uma qualificação para o sacerdócio foram surpreendidos depois que eles entraram na próxima vida, não foram? Ou, talvez, aqueles que acreditavam que a poligamia é um requisito para o reino celestial foram igualmente surpreendidos, você não acha? Se não for isso, então, provavelmente, fora outra coisa. Goste ou não, ao longo do tempo a nossa concepção da Verdade do Evangelho mudou um tanto. Eu acho que as crenças fundamentais são as mesmas – certamente a expiação de Cristo, o plano de salvação e nossa crença na revelação contínua, e muito mais.

Se os mórmons do passado estavam errados sobre algumas coisas, então o que vai impedir-nos, hoje, de estar errado sobre algumas coisas? Independentemente do que essas coisas possam ser, não é provável que nós estejamos errados sobre algo? Nós acreditamos na revelação contínua, por isso temos de admitir a possibilidade de mudança no futuro, certo? E ainda acreditamos que a humanidade, assim como cada um de nós individualmente, é ensinado linha sobre linha, preceito sobre preceito, e por isso, no futuro, deveremos ser ensinados novas e importantes verdades, certo?

De alguma forma, parece que não somos sempre humildes sobre doutrina. Nós prontamente transformamos idéias simples em regras rígidas. Conselhos de autoridades gerais são muitas vezes transformados em tabus culturais ao invés de orientações cuidadosamente consideradas. Não devemos nos perguntar de vez em quando “isto é realmente uma parte essencial do evangelho? Ou isso pode ser simplesmente algo que fui convidado a fazer por agora, neste momento e lugar particular?”. E mesmo quando fazemos o nosso melhor para entender os ensinamentos, devemos ter a humildade e paciência para reconhecer que alguma parte deles está provavelmente errada. Nós simplesmente não sabemos qual parte.

Uma das maiores decepções que tenho ao falar com aqueles que deixam a Igreja é quão rígidos eles podem ser sobre doutrina, quase tanto como alguns “verdadeiros crentes” podem ser sobre doutrina (que, consequentemente, às vezes aparece em publicações oficiais da Igreja). Estamos todos tão certos de que sabemos “a verdade” sobre o aborto ou a homossexualidade ou os negros e o sacerdócio ou qualquer posição que você possa citar hoje. Tanto quanto eu posso notar, nossos antecessores estiveram tão certos de si sobre tudo, desde a trindade, transubstanciação, batismo, a ressurreição, e outras “heresias” que surgiram no cristianismo, à poligamia, raça e coligação no mormonismo.

Para que ninguém me entenda mal, não estou sugerindo que não devemos seguir os líderes. É evidente que há coisas no evangelho que devemos fazer agora, mas que não são princípios eternos. Às autoridades gerais foi dada a responsabilidade de determinar o que deve ser feito hoje. Eles são os ungidos do Senhor, e responsáveis por receber revelação hoje. Estou sugerindo que devemos ser humildes sobre como pensamos sobre a doutrina e pacientes com o ritmo da Igreja em direção à perfeição. Eu não sei por que levou tanto tempo para a Igreja avançar ao ponto onde a proibição do sacerdócio poderia ser derrubada por revelação. Mas eu vejo que levou mais de um século para que a correção fosse feita. Talvez eu devesse estar disposto a ter paciência nesse grau, se necessário.

Não devemos esperar a perfeição agora. Também não devemos esperar que nossas crenças e conhecimentos possam ser perfeitos nesta vida. E, devemos estar prontos para aceitar as mudanças que virão, tanto nesta vida como na vida futura.

Quais serão as mudanças? Eu não sei. Na minha vida eu vi grandes mudanças, como a remoção da proibição do sacerdócio, e eu vi pequenas mudanças. E estou tentando me preparar mentalmente para a forma como a próxima vida será diferente do que o presente, e para o quanto a verdade será diferente do que eu, na minha imperfeição, acho que é agora. Tenho suficiente humildade e paciência para aceitar as coisas como elas estão agora, e também como elas serão? Espero que sim.

Quão chocados ficaremos depois desta vida?

23 comentários sobre “O que Nos Chocará após a Morte?

  1. Larsen

    Boa reflexão sobre esse assunto,eu mesmo já pensei muito sobre isso e também cheguei a conclusão que precisamos sermos simplesmente mais humildes,estar dispostos a aprender e reconhecer que ninguém aqui que esta vivendo nessa Terra conhece todas as coisas haja vista que não somos perfeitos.O que devemos fazer é buscar vivermos da melhor maneira que pudermos colocando em pratica o que de bom aprendemos,pois realmente acredito que vamos um dia entender digamos assim alguns porquês da vida e receberemos nosso quinhão na próxima vida de acordo com nossas obras.

      • Veja como mórmon é reticente (no popular: vacilão) … O cidadão tem a coragem de se expor com uma perola dessas: Se fosse uma igreja falsa, ela seria a mais perfeita, correta e próxima da igreja primitiva…. [Em outras palavras ele disse: seria a mais perfeitamente falsa, a mais perfeitamente incorreta (devido a lógica do falsa) e a mais distante da igreja primitiva que na realidade, também, jamais existiu] Há um condicional “SE” antes da dinâmica da ideia…

        Quando o Larsen propõe o texto hora apresentado ele (Larsen) cria uma sequência de reflexão interessante, mais ou menos, no hebraico, karral-karral, assim: SE Joseph Smith estiver correto, por exclusão: BUDA, KRISHNA, MAOMÉ, ETC, estão errados… Eu diria que estes pensadores estão inexatos em algumas questões filosóficas, porém a conversa tomaria outro rumo se a “reflexiva” comparação fosse realizada com MOISÉS…

        Moisés foi o maior profeta de Israel, Smith SE estiver correto, Moisés está errado… Porque a essência dos ensinamento de Smith divergem dos ensinamentos de Moisés e por tabela da Torah (de Moisés) vamos pegar, por exemplo, o fragmento mais polemizante dentro das duas ideologias… Smith em seus ensinamentos dissemina ampla e abertamente a poligamia que ele chama de “casamento plural” ou “união celestial” seja qual for a definição isso jamais foi aprovado ou ensinado pela Torah de Moisés.

        A Torah diz:
        עַל-כֵּן, יַעֲזָב-אִישׁ, אֶת-אָבִיו, וְאֶת-אִמּוֹ; וְדָבַק בְּאִשְׁתּוֹ, וְהָיוּ לְבָשָׂר אֶחָד.
        Al-ken, yeazev-iysh, et-aviyv, v’et-imo v’devek b’ish’to, v’hayu l’vashoar ached.
        Gen 2:24. Portanto deixará o varão o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. [ Temos: בְּאִשְׁתּוֹ = b’ish’to = sua mulher…]. Qualquer um que goze de faculdades mentais perfeitas (ou quase perfeitas) consegue reconhece que a palavra esta no singular “sua mulher” = “beishito” não no plural… Em outras palavras essa é a “deixa” dada pelo Eterno que não deve haver “pluralidade” neste conceito…

        Logo a surpresa maior será de Smith… [Na realidade já foi.]

  2. Quando as verdades são manifestadas pelo Espírito Santo não tem como algo ser errado.

    Todos nós podemos receber a certeza de algo que não sabemos.

    Deus é nosso Pai.

    Mediante a nossa obediência e Sua vontade,podemos saber as verdades de todas as coisas.

    • A “verdade de todas as coisas” para aquele momento débil e incompleto em que nos encontramos.

      A “verdade sobre todas as coisas” muda a cada instante, basta ter humildade em busca do conhecimento (por menos que consigamos obter sabedoria como a ‘eterna’, ficar agarrados apenas ao que temos ou nos é dado tão pouco ajuda).

      Parece que princípios eternos estão intrínseca e inerentemente atrelados à humanidade, ou seja, se pode afirmar apenas de fatos relacionados à percepção humana dos eventos na vida. Coisas essencialmente físicas (procriação, alimentação, divisão de recursos e terras, vida em sociedade, etc.).

  3. Se acreditamos que existe Deus, e que Ele é no mínimo bom, só posso pedir uma coisa, independente de se existe ou não profeta ou sacerdócio ou igreja perfeita:
    Interrogai o vosso bom-senso, a vossa razão e perguntai-lhes se uma condenação perpétua, motivada por alguns momentos de erro, não seria a negação da bondade de Deus. Que é, com efeito, a duração da vida, ainda quando de cem anos, em face da eternidade? Eternidade! Compreendeis bem esta palavra? Sofrimentos, torturas sem-fim, sem esperanças, por causa de algumas faltas! O vosso juízo não repele semelhante idéia? Que os antigos tenham considerado o Senhor do Universo um Deus terrível, cioso e vingativo, concebe-se. Na ignorância em que se achavam, atribuíam à divindade as paixões dos homens. Esse, todavia, não é o Deus dos cristãos, que classifica como virtudes primordiais o amor, a caridade, a misericórdia, o esquecimento das ofensas. Poderia Ele carecer das qualidades, cuja posse prescreve, como um dever, às Suas criaturas? Não haverá contradição em se Lhe atribuir a bondade infinita e a vingança também infinita? Dizeis que, acima de tudo, Ele é justo e que o homem não Lhe compreende a justiça. Mas, a justiça não exclui a bondade e Ele não seria bom, se condenasse a eternas e horríveis penas a maioria das suas criaturas. Teria o direito de fazer da justiça uma obrigação para Seus filhos, se lhes não desse meio de compreendê-la? Aliás, no fazer que a duração das penas dependa dos esforços do culpado não está toda a sublimidade da justiça unida à bondade? Aí é que se encontra a verdade desta sentença: “A cada um segundo as suas obras”
    Vocês acham que esse Deus vai me deixar durante o período de 01(uma) eternidade olhando para o céu, desde os mundos telestial ou terrestrial com dor e sofrimento moral e com saudade da minha família pelo fato de não ter sido tão bom quanto o irmão X?

    • Na teologia mórmon a explicação para essa condenação é que ela não viria de Deus, mas das inteligências, que cobrariam Dele cumprimento da Lei, sob pena de destroná-lo (literalmente deixar de ser deus).

      Em resumo, algumas criações cumpriam com perfeição o propósito de sua criação e exigiriam o mesmo crivo das demais. Por isso a necessidade de um salvador. No final, Deus não poderia nos salvar nem condenar, seria apenas um aplicador da lei.

      • Condenação eterna ou mesmo a “aniquilação total” dos ímpios são contrárias à ideia de perfeição de Deus. O universo, e tudo o que ele contem, evolui para a perfeição.

    • Citando o profeta fundador : “…´É absurdo dizer que os pagãos serão condenados, porque não creram no evangelho; igual disparate dizer que todos judeus serão condenados porque não creram em Jesus Cristo. Se a leis humanas concedem a cada homem o que ele merece, e castiga a todo delinquente de acordo com os seus crimes certamente o senhor não há de ser mais cruel que o homem….” (Ensinamentos do profeta Joseph Smith pág.216)

  4. Acredito que a natureza e propósito do plano eterno de Deus é tão superior e tão mais profunda que o nosso raso conhecimento e nosso medíocre tempo de vida é incapaz de conceber. Tudo que nossos grandes mestres , Profetas e líderes são capazes de fazer é apenas utilizar das ferramentas débeis limitadas e simbólicas que possuem e (isto inclui, rituais, escrituras, religiosidade, revelações visões espiritualidade etc.) e arranhar e sentir a suave brisa da eternidade apenas um pequeno arranhão, mais nada. Portanto, fato! a coisa é bem diferente depois do “Véu” e a impressão que tenho é que o negócio é muito, muito melhor do que imaginamos e sonhamos.

  5. Penso que se estivermos conectados e sincronizados com os pensamentos divinos e alinhados com os propositos da Trindade não haverá o que temer e sim maravilhar-se por continuar participando da obra após a morte.

    Percebo que na igreja que existem membros que apenas vêem de longe e não participam dos banquetes do Senhor exatamente como no vídeo Seu Potencial, Seu Privilégio penso que não podemos nos contentar com nosso próprio conhecimento ou apegar-nos somente nossa própria sabedoria.

    Se disfrutarmos as revelações de Deus, formos humildes, mansos, doutrináveis e obedientes. O Senhor nos brindará grandes tesouros de luz e verdade.Sabemos que no mundo espiritual existem boas pessoas, várias religiões e filosofias compartilhando seu “feijão” com todos e isso é bom… Mas penso que o Senhor tem muito mais para seus filhos e cabe a toda humanidade questionar ao Senhor, diretamente ao seu pai no céus.

  6. Amigos há algum tempo não frequento este portal!
    Primeiramente devo dizer que a reflexão do Antônio é uma excelente reflexão…
    Em segundo lugar cabe-me refutar cada argumento que foi levantado sobre alguns pontos…
    Começarei afirmando que Joseph Smith não foi profeta, vidente tampouco revelador, no máximo era um contador de historias que se aproveitava da bondade e ingenuidade alheia e seu único objetivo era flertar e “transar” com as mulheres alheias não importa muito se eram casadas ou se eram suas simples irmãs de fé ou se eram seladas a seus irmãos elderes… Só isto já tiraria a condição de ser um profeta, entretanto o fato não está apoiado nestas virtudes focadas na luxuria de Smith, o fato é que NÃO PODE HAVER FORA DE ISRAEL, a própria escritura faz esta afirmação.
    Um estudioso honesto e atento que leia as escrituras em sua língua original descobre isto muito fácil com dedicação e trabalho.

    Baseado estritamente nas escrituras podemos afirmar também que haverá enorme surpresa após a morte principalmente para os mórmons que acreditaram em cada fantasia que saiu da “noos” smithiana sobre ir para um mundo espiritual, e depois se tornarem deuses como o D’us da Tora… Pura fantasia, primeiro ponto é que estas cousas são agradáveis de se ouvir e imaginar, mas a verdade está muito distante disto… Uma leitura honesta da gênesis no original em hebraico pode trazer uma visão correta destes fatos. É necessário desfazer esse animismo sobre afirmações do tipo “somos deuses em embrião” ou “somos deuses em potencial” a grande verdade que nenhum mórmon jamais vai compreender para começar a conversa é que nós não temos existência absoluta, nós temos apenas uma existência relativa… Passem a noite em prantos, mas esta é a realidade… Nós sequer existimos como o D’us de Avraham, Itzhac e Yacov existe…

    Para finalizar ocorreu acima uma opinião sobre a bondade de D’us em contraste a condenação eterna, deu-me a impressão que o post mencionava a Lúcifer, mas me perdi um pouco posteriormente quero ler mais atentamente peço que me perdoe pela indicialidade da leitura que fiz… Porem preciso afirmar que na cultura judaica Lúcifer não existe E não é sábio ler a gênesis como uma história literal, Adão e Eva (Adam e Chava) não foram seres literais… Aqui será necessário mais alguns anos para alguns mórmons absorverem a realidade, mas porque o seu profeta sendo “vidente e revelador” sequer alertou sobre isto?????…

    Shalom!

  7. Eu realmente creio que muitas surpresas nos esperam do outro lado do véu…principalmente quando levamos em conta certas “apropriações” que alguns membros ( até mesmo líderes locais) fazem de orientações sobre este ou aquele assunto, deixando de usar o bom senso ( sempre necessário para gerenciar possíveis conflitos e gerenciar pessoas), tornando-se “mais realistas que o rei”.
    Independente disso, considero a teologia/doutrina mórmon a mais perfeita que já conheci, especialmente quando levo em conta a frase de Joseph Smith ” ensino-lhes princípios corretos e deixo que governem a si próprios”. Se muitas pessoas compreendessem essa citação haveria bem menos a ação de confundir autoridade com autoritarismo.Precisamos nos acostumar com o fato de que ” qualquer princípio de inteligência que apreendermos nesta vida ,surgirá conosco na ressurreição, portanto se uma pessoa, por seu esforço e diligência aprender mais que uma outra, tal será a sua vantagem no mundo futuro” (citação livre). É importante levar em conta que Deus, através de seus representantes nos aponta o caminho a seguir,no entanto, permite que o homem exerça seu livre arbítrio para trilhar ( ou não ) esse caminho de acordo com sua capacidade e da maneira que lhe faça mais sentido. À guiza de exemplo: Posso dizer a alguém que deve ir para uma cidade qualquer, no entanto,cabe a essa pessoa, caso decida ir, escolher se vai a pé, à cavalo, de carro, ônibus ou avião…
    Cada qual sabe das suas condições e necessidades e condições para empreender essa jornada.

  8. Eu também acredito que a misericórdia divina é infinita… sou mormon há quase 30 anos e minha esposa é espírita, algo muito interessante que aprendi com ela (e seus amigos espiritas) foi NÃO JULGAR, porque mesmo DEUS não julga da maneira que pensamos…. Jesus disse “na casa do meu pai há muitas moradas” Joseph F. Smith disse que se soubessemos quão maravilhosa é o reino telestial, nos mataríamos pra irmos pra lá (pois suicídas vão pra ta reino) a expiação de Cristo possibilitou a ressurreição de TODOS…..

    Quando era criança, me lembro de ouvir sobre leis temporais e leis espirituais, por exemplo: a questão dos negros e o sacerdócio, os EUA sofreram até meados dos anos 70 com regras de segregação racial, apoiadas por leis civis, que proibiam que negros e brancos frequentassem os mesmos lugares… como um afro-descendente seria líder na igreja em tal epoca….. e antes que alguém fale, sim, muitos apostolos ”viajaram na maionese” sobre tal assunto… mas lembre-se, Noé ficou loucão de vinho e ficou andando pelado, Pedro era nervosinho, andava armado, cortava orelhas e apesar de ter ANDADO SOBRE AS ÁGUAS com Cristo, o negou 3 vezes, e JUDAS, era um apostolo…..

    Se não fosse a poligamia teria demorado muito mais tempo pra que a igreja tivesse chegado no tamanho e extensão que chegou…. eu tive um L.D (Elder Yates) que era descendente da esposa de número 47 de Brigham Young….

    O templo usa símbolos pra fixar verdades eternas…. e os garments são sagrados mas não são “coletes a prova de balas”

    Ou seja, leis temporais e leis espirituais (eternas)

    Esperamos perfeição em homens? autoridades gerais são homens…imperfeitos.. mas comissionados por Deus a guiarem sua igreja na terra…..

    Fiquei 7 anos afastado da igreja, tentando me convencer que tudo não passava de baboseiras…. eu orei quando era adolescente e senti meu peito arder…. senti uma presença ao meu lado…. e senti isso várias vezes na missão…..

    Este site tem me ajudado muito a tirar as autoridades gerais de seus pedestais, e focar no Salvador do mundo….e claro que vamos nos surpreender do lado do véu…. tomara que seja assim….

    • Gostei do seu comentário, você parece ter muita experiência na igreja e pelo jeito você conseguiu se livrar dos mitos e das falsas tradições dentro da igreja mas continua mantendo a fé em Cristo.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s