Cadê os Livros? Parte 4: Perspectivas

Uma breve história e perspectivas para a publicação de livros mórmons

Grandes comunidades SUD se desenvolvem fora dos EUA

Em 1967, o México tornou-se o primeiro país em que não se fala inglês a ter mais de 50 mil membros da Igreja SUD. O crescimento continuou em ritmo acelerado depois disso. Devido a esse crescimento, a Igreja formou um departamento de tradução após a Segunda Guerra Mundial para traduzir correspondência e comunicação administrativa com as missões e os membros em espanhol, dinamarquês, holandês, francês, alemão, norueguês, samoano e sueco.

literatura mórmon livros mórmons SUD

Até 1974, o departamento estava traduzindo 17 mil páginas por idioma a cada ano, em cerca de 16 idiomas. Durante a década seguinte, uma série de novas traduções foram feitas nesses 16 idiomas, incluindo obras clássicas em que a Igreja tinha confiança, como Jesus o Cristo e As Regras de Fé, de Talmage, Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, Doutrinas do Evangelho, Uma Obra Maravilhosa e um Assombro, de LeGrand Richards e obras relativamente novas, tais como O Milagre do Perdão e A Fé Precede o Milagre, de Spencer W. Kimball. Continuar lendo

Criança Pondera Como Será Deus

Como você trata pessoas em grupos minoritários ou diferentes de você diz muito mais sobre quem você é do que o que você diz de si mesmo. Dirá, também, sobre quem é Deus?

"Então, papai, todas essas pessoas no noticiário que dizem que estão seguindo a Deus, pode-se presumir que Deus não é uma pessoa muito boa?" pergunta uma criança na charge "Pode-se Presumir" do nakedpastor David Hayward

“Então, papai, todas essas pessoas no noticiário que dizem que estão seguindo a Deus, pode-se presumir que Deus não é uma pessoa muito boa?” pergunta uma criança na charge “Pode-se Presumir” por David Hayward

O pastor David Hayward se inspira no drama e sofrimento de Continuar lendo

Igreja Mórmon e Bullying

Como você trata pessoas em grupos minoritários ou diferentes de você diz muito mais sobre quem você é do que o que você diz de si mesmo.

'PARE DE FAZER BULLYING COM AS PESSOAS', “Mormon Church & Bullying” por David Hayward

‘PARE DE FAZER BULLYING COM AS PESSOAS’ diz a charge entitulada “Igreja Mórmon & Bullying” por David Hayward

O pastor David Hayward se inspira no drama e sofrimento de Continuar lendo

Ensaios disponíveis em português

gospel topics landing page-2Depois de mais de um ano de espera, foram publicados em língua portuguesa os ensaios do site lds.org. Eles podem ser encontrados neste link.

Os ensaios estão em uma seção do site intitulada Tópicos do Evangelho e incluem O Livro de Mórmon e Estudos de DNAA Tradução do Livro de MórmonA Paz e a Violência entre os Membros da Igreja no Século XIXO Casamento Plural em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e As Etnias e o Sacerdócio, entre outros.

Além do português, os ensaios também foram traduzidos para o alemão, francês, italiano, e espanhol.

A novidades nos foi relatada hoje (29/12) pelo nosso leitor Orwell.

Intolerância religiosa em debate na USP

“Intolerância Religiosa e Intolerância às Religiões” é o tema do painel que acontecerá hoje às 17:30 na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP. Marcello Jun, representando a Associação Brasileira de Estudos Mórmons (ABEM), participará do debate. O evento é gratuito e aberto a todos os interessados.

Participarão também do painel: Continuar lendo

John Taylor: expandir nossa educação

jt3Deveríamos expandir nossa educação e conhecimento em todas as áreas; cultivar o gosto literário; quem tem talento para literatura e ciência deveria desenvolvê-lo e todos deveriam desenvolver os dons que Deus lhes deu. (…) Se houver qualquer coisa boa e louvável na religião, moral, ciência ou qualquer coisa arquitetada para elevar e enobrecer o homem, nós a procuraremos. Queremos empenhar-nos ao máximo em obter conhecimento; o conhecimento que emana de Deus.

– John Taylor. The Gospel Kingdom, G. Homer Durham (org.), 1943, p. 277

Homens e mulheres amam de maneiras diferentes?

Texto de Larissa Arce Centurião

Imagem: livescience.com

Imagem: livescience.com

Há uns dias atrás entrei em uma pequena discussão a respeito do instinto materno, quando uma pessoa afirmou que “Um homem nunca vai amar seu filho da maneira que a sua mulher ama”. Homens e mulheres amam de maneiras diferentes?

Não, por isso não podemos deixar de compreender que essa frase certamente está repleta de equívocos, já que não se pode afirmar que diferenças físicas alterem o funcionamento mental de um ser humano. Nós, homens e mulheres, possuímos uma igual capacidade de amar. “Mas é a mulher quem gera a vida”. Mas olha que incrível! Aprendi nas aulas de biologia que homens e mulheres geram uma vida juntamente. Continuar lendo

Igreja Investe no Mercado Imobiliário

Projeto Arquitetônico da Firma Robert A.M. Stern.

Projeto Arquitetônico da Firma Robert A.M. Stern.

A Igreja Mórmon anunciou planos para construção de prédio de luxo de 32 andares no centro de Filadélfia (1601 Vine St.), como parte de um grande compromisso que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias fez com o município.

A construção substituirá um estacionamento e ficará próxima a um templo que a igreja está construindo entre as ruas Vine e a 17a. Ela faz parte de 50 grandes projetos atualmente em planejamento pela cidade. O Prefeito Michael A. Nutter fez o anúncio hoje na Prefeitura ao lado de oficiais da igreja, da prefeitura, e do setor privado.

Projeto Arquitetônico da Firma Robert A.M. Stern.Projeto Arquitetônico da Firma Robert A.M. Stern.

Projeto Arquitetônico da Firma Robert A.M. Stern.

O novo prédio residencial terá um total de 37.000 m2 e 258 apartamentos e 13 casas, e uns 1.200 m2 será direcionado para comércio varejista. Além disso, uma capela Mórmon será construída, incluindo centro cultural, centro de história da família, e jardins.

Enquanto oficiais da igreja recusam-se a publicar os custos estimados do empreendimento, estimativas giram em torno de USD 120 milhões (aprox. R$ 290 milhões).

Desenharam o projeto as firmas arquitetônicas BLT de Filadélfia e Robert A. M. Stern de Nova York.

O desenvolvimento residencial é privado e está sendo construído pela Property Reserve Inc., que é afiliada à Igreja. Nenhum subsídio público será utilizado para apoiar financeiramente o desenvolvimento, que tem como prazo de término 2016.

Artigo original publicado aqui e traduzido com permissão.

 

Jesus, você não pode entrar.

No dia 17 de janeiro de 2014 a página do SFY Brasil 2014 – For the Strengh of Youth no Facebook publicou fotos mostrando o padrão de se vestir do jovem SUD. Abaixo mostro a foto síntese para os dois gêneros.

Padrão dos jovens SUD.

Padrão dos jovens SUD.

Não é preciso pensar muito para chegar a uma conclusão: Jesus Cristo e seus apóstolos não poderiam estar inseridos no grupo dos jovens rapazes SUD. Não sei você, mas para mim isto é completamente contraditório. Ok, a foto abaixo divulgada pelo site oficial da Igreja está muito longe de um possível Jesus real, palestino tal como arqueólogos ouvidos pela BBC já mostraram publicamente. Continuar lendo

Machismo no Mormonismo

Anotem a data: 16 de Dezembro de 2012 é dia das mulheres da Igreja SUD irem às reuniões dominicais vestindo calças!

A campanha ‘Vista Calças Para Sacramental’ foi organizada por um grupo de mulheres SUD ativas que, apesar de valorizar a Igreja em suas vidas, sente-se discriminadas dentro de uma cultura religiosa patriarcal:

Cremos que muito da inigualdade cultural, estrutural, e mesmo doutrinária que persiste na Igreja SUD hoje em dia advém da dependência de — e persistência em — modelos de genêro rígidos que não tem qualquer relação com a realidade.

Vista Calças Pra Sacramental

A opção de vestuária pode parecer uma questão absolutamente trivial e inconsequente, mas infelizmente ela é uma pequena amostra — a proverbial ponta do iceberg — do que é um assunto muito não-trivial e importante.

A Igreja SUD e a cultura Mórmon são, fundamentalmente, machistas.

Dizem que o primeiro passo para se mudar um problema é admitir sua existência.

Continuar lendo

Abraão Faz 45 Anos

HipocéfaloNesta semana (dia 27) comemoramos o aniversário de 45 anos de quando o Museu Metropolitano de Arte de Nova Iorque devolveu para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias os papiros originais usados por Joseph Smith, jr., para produzir o Livro de Abraão.

Esse evento foi comemorado com grande antecipação e efusivos sentimentos de antecipação, esperança, e até uma sensação de validação. Por mais de um século, estes antigos documentos haviam sido dados como perdidos, e subitamente em 1967 não apenas haviam sido re-encontrados, mas haviam sido retornados à Igreja!

Contudo, tão logo passou a euforia e o regozijo inicial, recaiu sobre a Igreja o que apenas pode ser descrito como “desconforto” sobre o documento, levando a quase silêncio da instituição oficial, e a décadas de esforços intensos (e inúteis) de dúzias de apologistas.

Como houve bastante interesse em comentários passados, em outros posts, sobre discutir a importância desse achado arqueológico, eu acho que essa data importante é a perfeita oportunidade (desculpa) para abrirmos espaço para essa discussão. Segue abaixo apenas uma breve introdução ao tema.

Continuar lendo

“O Evangelho da Esposa de Jesus”

Papiro copta faz referência à esposa de Jesus Cristo

Uma historiadora da Universidade de Harvard, especializada em cristianismo primitivo, identificou um pequeno fragmento de papiro em que Jesus Cristo é citado falando de sua esposa. A Dra. Karen L. King e sua equipe trabalharam sobre o pequeno fragmento de apenas oito linhas, partindo da ideia de que poderia ser uma fraude. Mas a conclusão unânime foi de que não era. O fragmento de “O Evangelho da Esposa de Jesus”, como foi nomeado o texto, é um documento autêntico em um dialeto do copta, idioma egípcio escrito com caracteres gregos, provavelmente do séc. IV.  O recorte do fragmento faz com que nenhuma frase esteja completa. Mas em meio à narrativa de um debate entre Cristo e seus discípulos, é possível ler “Jesus disse a eles: ‘Minha esposa…'”. Essa é a primeira alusão na primeira pessoa ao matrimônio de Cristo em um evangelho apócrifo. Logo abaixo, lê-se “e ela será capaz de ser minha discípula”. Continuar lendo

“Seja o tipo de AMIGO que deseja ter!” (Ralph W. Emerson)

Imagem

“Para conseguir a amizade de uma pessoa digna é preciso desenvolvermos em nós mesmos as qualidades que naquela admiramos.” (Sócrates)

No Brasil, Uruguai e Argentina, a data mais difundida para celebrar o Dia do Amigo é hoje, dia 20 de julho… É claro que a maioria de nós entendemos que o dia do amigo, assim como o dia das mães, pais, mulheres, etc são TODOS os dias, mas as empresas, governo, etc. usam dias como estes visando aquecer a economia no intenso incentivo às compras… Roubando a essência da comemoração que este dia deveria trazer… Não pretendo discutir este ponto “comercial” aqui… rsrs Nem os eventos que originaram a idealização do supracitado “dia”…

 

 

 

Na verdade, meu pensamento segue na música de Milton Nascimento, que entre outras coisas, cita:

Pois seja o que vier
Venha o que vier (venha o que vier)
Qualquer dia, amigo, eu volto a te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar

“Qualquer dia?” “Assim que possivel?” “Se der eu apareço?” “Amanhã, quem sabe…” “Talvez eu vá…”

Porque não hoje? Agora? Por que adiar?

Thomas S. Monson alertou-nos quanto ao triste quadro de protelarmos a valorização de amigos, ao citar um poeta:

Virando a esquina tenho um amigo,
Nesta grande cidade sem fim;
Os dias se passam, as semanas voam,
E antes que eu me aperceba, lá se foi um ano.
E eu nunca vejo o meu velho amigo,
pois a vida é uma corrida, veloz e terrível.
Meu amigo sabe que gosto dele,
Tanto como nos dias em que eu tocava
a campainha de sua casa
E ele tocava a da minha. Éramos jovens, então,
E agora somos homens ocupados e cansados,
— Cansados de fazer o jogo louco,
Cansados de tentar fazer um nome;
— Amanhã, digo eu, visitarei o Pedro,
Só para mostrar que ainda penso nele.
Mas o amanhã chega e o amanhã se vai,
E a distância entre nós aumenta cada vez mais.
É só virar a esquina! Mas parecem quilômetros de distância —
Telegrama, senhor! — “Pedro morreu hoje!”
Eis o que obtemos — e merecemos afinal —
Virando a esquina, um amigo morto.

 

É verdade que para alguns de nós a distância nos limita o almejado encontro, o que justifica a falta de contato PESSOAL, então parte da saudade e dor no coração é aliviada por meio de ferramentas tecnológicas, assim o difundido mundo VIRTUAL encaixa-se perfeitamente como uma solução viável pra suplantar este sentimento sufocador. Entre as muitas ferramentas que poderiam ser citadas, o e-mail, a conversação instantânea e os sites de relacionamento, são os meios mais ultilizados.

Quantos de nós não sofremos  enquanto estamos distantes geográficamente de nossos entes-queridos, e enfim “falamos” novamente com aqueles com quem outrora convivemos? A tecnologia nos chega como uma bálsamo que cura, atravessando limites geográficos em questão de segundos…

Óbviamente gostaríamos de tê-los ao nosso lado fisicamente, onde poderíamos tocá-los e abraçá-los, dentro de uma REALIDADE ímpar, no entanto, ver e ouvir novamente os que tanto amamos, mesmo que com auxílio da internet e outras ferramentas tecnológicas, já é um tanto satisfatório  e consolador…

Mas o que dizer do CONTATO PESSOAL com aqueles que não tem barreiras geográficas para justificar?

Maravilhei-me ao ler no Jornal Metrô News o sábio comentário da psicoterapeuta Rosângela:

Amizade verdadeira precisa de encontro, faz bem partilhar, a presença do outro aconchega.
A internet é boa para reencontrar amigos, mas é importante não ficar apenas nisso, é ferramenta de resgate, não de sustentação.

Vemos então a tecnologia entrar na vida de algumas pessoas indisciplinadas (e até mesmo viciadas) como uma ferramenta de “distanciamento”, e não de aproximação, como “alguns defendem“.

Abaixo, segue três imagens muito comuns, que falam por si só, e que tenho certeza que é um quadro tão atual, que muitos de nós que lemos este artigo já viveu ou presenciou cenas semelhantes:

 Imagem

Imagem

Imagem

David A. Bednar nos preveniu deste grande problema:

“[Tenham cuidado com] a possível influência asfixiante, sufocante, anulante e restritiva que alguns tipos de interações e experiências realizadas no mundo virtual podem ter sobre nossa alma. Essa preocupação não é algo novo, mas aplica-se igualmente a outros meios de comunicação como a televisão, o cinema e a música. No mundo virtual, porém, esses desafios são mais difundidos e intensos. Rogo que tomem cuidado com a influência entorpecente e espiritualmente destrutiva das tecnologias do ciberespaço que são usadas para produzir alta fidelidade e promover propósitos degradantes e malignos.”

Que usemos moderada e sabiamente estas ferramentas, lembrando de priorizar o contato pessoal e frequente, onde realmente somos fortalecidos e nutridos com relacionamentos seguros que nos impulsionam ao progresso. No entanto, vale ressaltar a máxima da responsabilidade individal de “[Sermos] o tipo de AMIGO que [desejamos] ter!” (Ralph W. Emerson) Pois e muito fácil cobrar dos outros que nos visitem, liguem ou que estão “distantes” e indiferentes… Difícil é entendermos que em “nós” (em mim) está a maor parte do problema, sou “eu” que tenhho que mudar e melhorar, ou seja, verdadeiramente me aproximar!

Sim Milton, “Amigo é coisa para se guardar debaixo de sete chaves, dentro do coração (…), mesmo que o tempo e a distância digam “não” “….  No entanto, quando não houver estas “barreiras”, isso quando honestamente justificicáveis (pois as vezes a “falta de tempo” pode ser solucionada através de uma boa administração de tempo e a “possível” distância pode ser que não seja tão longe assim), visitemos e conversemos PESSOALMENTE com os muitos “Pedros de nossas vidas” supracitado pelo poeta, antes que sejamos surpreendidos…

Como disse Jeffrey R. Holland: “Não [demoremos]. Está ficando tarde”!