Revelação a Newel K. Whitney Através de Joseph, o Vidente (1842)

Um ano antes de ditar a revelação sobre “pluralidade de esposas”, a qual viria a ser canonizada décadas após sua morte como a seção 132 de Doutrina & Convênios, Joseph Smith recebeu uma revelação em que o Senhor instruia seu futuro sogro sobre como realizar o casamento de sua filha ao Profeta.

Sarah Ann Whitney, em Utah. Em 1842, Sarah Ann Whitney foi selada a Joseph Smith em cerimônia oficiada por seu pai, e tendo sua mãe como testemunha. O ritual foi prescrito em uma revelação recebida por Joseph Smith | Imagem: Cortesia de Batsheba W. Bigler Smith Photograph Collection, circa 1865-1900, Biblioteca de Historia da Igreja, Salt Lake City.

Em 25 de julho de 1842, Joseph Smith Jr. ditou a Newel K. Whitney uma revelação sobre a cerimônia na qual Whitney lhe daria sua filha, Sarah Ann Whitney, em casamento.

A revelação foi publicada pela primeira vez este ano pelo Projeto Joseph Smith Papers, reconhecido projeto documental do Departamento Histórico d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e faz parte do seu mais recente volume de documentos, cobrindo o tumultuado período entre maio e agosto de 1842.

De acordo com os editores, a revelação, antes inacessível ao público, traz “as únicas instruções existentes do período de vida de [Joseph Smith] para a realização de uma cerimônia de casamento plural”. Continuar lendo

Bênção Patriarcal de Joseph Smith

Em 09 de dezembro de 1834, Joseph Smith Jr. recebeu de seu pai uma bênção patriarcal. Semanas antes de completar 29 anos, o jovem profeta ouviu de seu pai sexagenário palavras que não só remetiam aos patriarcas bíblicos como traçavam a eles sua genealogia e promessas.

Joseph_Smith_Jr_portrait_owned_by_Joseph_Smith_III_zpsec9818e5

Joseph Smith Sr. foi ordenado como Patriarca da Igreja de Cristo em 1833, sendo seu ofício o único ofício eclesiástico hereditário estabelecido durante a vida do profeta mórmon. Joseph Smith Sr. concedia aos membros da Igreja bênçãos patriarcais. No mormonismo, a bênção patriarcal é uma profecia individual, proferida durante uma cerimônia com imposição de mãos de um patriarca, cujas palavras e profecias são transcritas para servir ao recepiente como escrituras personalizadas e guia espiritual.

Nessa benção patriarcal, o Patriarca elogia seu filho, o Profeta, por sempre apoiar seu pai a despeito de seu problema com alcoolismo, afirmando-lhe que obteria enormes poderes sobrenaturais para realizar milagres iguais aos realizados por Jesus e até mais, e ainda prometendo-lhe segurança física contra assassinos potenciais que lhe tentariam, em vão, tirar-lhe a vida. Acima de tudo, Smith Sr. profetiza a Smith Jr. em tons milenares, comuns para o mormonismo dessa época, que ele ainda presenciaria a tão esperada Segunda Vinda de Cristo.

Continuar lendo

Joseph Smith e a semente escolhida

O Ancião de Dias, de William Blake.

O Ancião de Dias, de William Blake.

A restauração do sacerdócio na dispensação de Joseph Smith teve início muito antes da vinda de João Batista em 1829 (D&C 13). Joseph Smith não apenas recebeu mensageiros que lhe entregaram chaves do sacerdócio, mas ele próprio foi um dos mensageiros divinos com a missão de restaurar o governo de Deus.

Em uma revelação dada em 1832, Cristo disse que “sem suas ordenanças e a autoridade do sacerdócio, o poder da divindade não se manifesta aos homens na carne; pois sem isso [o sacerdócio], nenhum homem pode ver a face de Deus, o Pai, e viver” (D&C 84:21-22).

No entanto, aos 14 anos Joseph Smith viu o Pai e seu Filho e sobreviveu. Como isso teria sido possível sem uma ordenação prévia ao sacerdócio? É minha opinião que isso foi possível porque Joseph Smith havia nascido com uma porção de autoridade sacerdotal, ou com uma ordenação prévia ao seu nascimento em 1805. Continuar lendo

As Três Ordens do Sacerdócio

Joseph Smith primeiro disse que havia dois sacerdócios. Mais tarde, ensinou sobre três sacerdócios. Deveríamos desconsiderar a existência de uma terceira ordem, apenas por não estar explicitamente nomeada nas obras padrão, quando isso reflete o aprendizado do Profeta doze anos mais tarde?

 

Pintura de Liz Lemon Swindle.

Pintura de Liz Lemon Swindle.

A seção 107 de Doutrina e Convênios inicia com a afirmação de que “Há, na igreja, dois sacerdócios, a saber: o de Melquisedeque e o Aarônico, que inclui o Sacerdócio Levítico.” O texto data de 1835 e inclui elementos do início da década de 1830. Ainda que a Igreja sud tenha mudado enormemente sua compreensão do que seja o sacerdócio desde então, permanece a afirmação de que existem dois sacerdócios, sendo o menor parte do maior.

No mesmo texto, porém, há um elemento que aponta para uma outra porção do sacerdócio. Ao falar da responsabilidade dos Doze em ordenar “ministros evangélicos”, patriarcas, a revelação menciona uma “ordem (…) instituída nos dias de Adão e transmitida, por linhagem”. Continuar lendo

Patriarcas: Pais Para Os Órfãos

John_Taylor_seated_in_chairO texto a seguir é a tradução de partes do editorial escrito por John Taylor em 1845, sobre a natureza do ofício patriarcal. O texto suscita alguns pontos interessantes, especialmente o fato de patriarcas ordenados estarem reparando, por assim dizer, uma situação problemática na Igreja. Para John Taylor, a bênção patriarcal é a bênção de um pai sobre seus filhos. Dessa forma, é direito do pai administrar tal bênção para sua própria família. O patriarca ordenado seria apenas um “procurador”, agindo em favor daqueles que são órfãos do sacerdócio. Continuar lendo

Hyrum, o Profeta Rejeitado

Maudsley_JSandHS_lg_stAo iniciar a série sobre o Patriarca Eldred G. Smith, percebi que o tema do ofício patriarcal precisaria ser explorado em maior detalhe. Para tentar explicar o receio existente em torno do ofício do Patriarca e a dramática mudança que sua extinção representou dentro de doutrina mórmon, convido os leitores para uma visita a Nauvoo, no ano de 1843, onde veremos a “reforma” iniciada por Joseph Smith e a polêmica em torno da posição de Hyrum Smith. Continuar lendo

Eldred G. Smith, 105 anos

Aprendemos do ensinamento do Presidente Young que era necessário manter uma organização completa da Igreja o tempo inteiro até onde fosse possível. Pelo menos os três [da] primeira Presidência, quórum dos Doze, Setentas, e Patriarca sobre toda a Igreja etc. de modo que o diabo não pudesse tirar vantagem de nós. –
Diário de Wilford Woodruff, 27 de dezembro de 1847.


Na semana passada, Eldred G. Smith completou 105 anos de vida. Ainda que seu nome seja hoje completamente desconhecido da maioria dos membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, sua importância e a do ofício que ocupou são enormes na história mórmon. Eldred G. Smith foi o último homem chamado como Patriarca da Igreja, servindo de 1946 a 1979. Continuar lendo