Terroristas Mórmons Atacam no Oregon

Durante o fim de semana, terroristas norte-americanos fortemente armados invadiram um prédio federal no estado do Oregon. Com mensagens suicidas e desafiando a polícia e o governo federal ao confronto armado, eles anunciaram o plano de permanecerem na propriedade indefinidamente. O grupo é liderado por membros da maior e mais famosa denominação do mormonismo.

Terrorista Mórmon que se identifica apenas como "Capitão Moroni" diz-se pronto para morrer

Terrorista que se identifica como “Capitão Morôni” diz-se pronto para morrer. (Imagem: Amanda Peacher/OPB)

Brandindo, além de rifles militares de assalto, a Constituição dos Estados Unidos, o grupo tomou o prédio federal do Parque Nacional Malheur para exigir a libertação de dois pecuaristas recém-condenados a 5 anos de prisão por incêndios criminosos em terras do governo e caça ilegal. O parque de preservação ambiental é apontado pelos invasores como um símbolo da tirania exercida contra os acusados.

Dwight Hammond e seu filho Steven alegaram que provocaram uma queimada para proteger sua propriedade de ervas daninhas e incêndios espontâneos. A agência federal responsável pelas terras os acusa de causar o incêndio para esconder vestígios de caça ilegal a cervos. O filho cumpriu pena de um ano e o pai, de três meses. Uma inesperada decisão judicial, porém, exigiu que fossem novamente encarcerados, uma vez que suas sentenças não correspondiam às penas mínimas previstas pela lei antiterrorismo de 1996, a qual prevê o mínimo de cinco anos de reclusão para incêndios criminosos a propriedades federais. Na última segunda-feira, pai e filho retornaram à prisão, na Califórnia, afirmando que pedirão indulto ao presidente Obama.

Do Protesto à Invasão

No sábado passado, cerca de 300 pessoas realizaram um protesto pacífico no município de Burns, Oregon, em apoio aos Hammonds. A maioria dos manifestantes não tomou parte na invasão armada. E os próprios Hammonds procuraram se distanciar dos milicianos. A maior organização paramilitar dos EUA criticou a ação no Oregon.

A retórica anti-governo atraiu a participação de milicianos, muitos vindos de outros lugares dos EUA. Foi após o protesto que os terroristas invadiram a área federal, a cerca de 80 km da cidade. Eles dizem ser aproximadamente 150 homens, embora observadores sugiram ser apenas 15.

Um dos homens que identicou-se pela alcunha de “Capitão Morôni”, em referência ao personagem do Livro de Mórmon, disse a uma repórter: “não vim aqui para atirar, vim aqui para morrer”.

Liderança Mórmon

Ammon Bundy, ao lado de seu irmão Ryan, é o principal líder do movimento armado. A invasão da propriedade federal, declarou, não foi “uma decisão que tomamos de última hora”. Ammon postou um vídeo no Facebook conclamando patriotas de todos os Estados Unidos a unirem-se com suas armas à ocupação.

Mórmons devotos do estado de Nevada, os Bundys são membros d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias que ganharam o noticiário em 2014. Seu pai, o também pecuarista Cliven Bundy, esteve à frente de outra demonstração de força envolvendo terras federais.

Miliciano vigiando forças policiais em Nevada, em 2014. (Imagem: Jim Urquhart/Reuters)

Miliciano vigiando forças policiais em Nevada, em 2014. (Imagem: Jim Urquhart/Reuters)

Cliven deve mais de US$ 1 milhão em impostos e multas por utilizar ilegalmente para seu gado terras públicas durante mais de duas décadas. Após ter seu rebanho confiscado, em abril de 2014, Cliven recebeu reforço armado para fechar a rodovia interestadual que liga Las Vegas a Salt Lake City. Na ocasião, o senador democrata Harry Reid (mórmon) classificou o grupo como “terroristas domésticos“.

Ao lado de bandeiras americanas, manifestantes em Nevada tinham cartazes com um famoso trecho do Livro de Mórmon. Segundo Cliven, sua desobediência ao governo foi inspirada por Deus: “Ele disse ‘Esta é a tua chance de endireitar esta coisa'”, declarou o rancheiro.

Evangelho, Política e Racismo

Oregon. Mórmons. Milícia.

Um dos invasores, Brand Thorton, da Califórnia, toca um shofar. (Mark Graves/The Oregonian)

Discursando em Utah aos membros do Partido Americano Independente (que chegou a ter o apóstolo Ezra Taft Benson como pré-candidato presidencial), Cliven Bundy perguntou: “Se nossa Constituição [dos EUA] é um documento inspirado pelo nosso Senhor Jesus Cristo, ela não é então escritura? (…) Então não é a mesma coisa que o Livro de Mórmon e a Bíblia?”

Transformado em uma celebridade por vários conservadores e libertários durante o impasse em Nevada, Cliven fez com que algumas figuras públicas como o jornalista Glenn Beck (também mórmon) e o senador republicano Rand Paul se distanciassem após declarações racistas. Cliven afirmou que a abolição da escravatura não beneficiou negros nem o restante da sociedade:

seguido me pergunto, eles [os negros] estariam melhor como escravos, colhendo algodão e tendo uma vida em família e fazendo coisas, ou estariam melhores com o subsídio do governo? Eles não conseguiram mais liberdade. Conseguiram menos liberdade.

Nevada. Mórmons. Bundy.

Cliven Bundy cercado por apoiadores (Imagem: John Locher/AP)

Problema Fundiário

O discurso dos Bundy contra o governo federal tem a simpatia de boa parte da população rural do oeste americano. O governo é o proprietário de 27,4% das terras do país, mas é no oeste que a concentração ganha proporções surpreendentes: o governo federal controla 84,9% de Nevada, 64.9% de Utah, 61.9% de Idaho, 52.9% do Oregon e 48.1% do Wyoming. Com a crescente proteção ambiental, em detrimento de práticas tradicionais das populações rurais, a frustração popular no Oregon e em outros estados tem crescido há anos.

Igreja Mórmon Condena Invasão

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias condenou em nota a invasão armada, afirmando que os líderes da Igreja

estão profundamente preocupados com os relatos de que aqueles que tomaram a instalação sugerem que o estão fazendo com base em princípios escriturísticos.

 

Excomunhão dos Terroristas?

Com a família Bundy fazendo referências religiosas explícitas e o consequente dano causado à sua imagem pública, resta saber se a Igreja SUD tomará ações disciplinares  contra seus membros envolvidos no ato terrorista do Oregon. Entre 2013 e 2015, a Igreja excomungou, por motivações teológicas, alguns autores e ativistas:

  • Denver Snuffer, que afirmou ter sido visitado por Cristo;
  • Kate Kelly, que defendia a ordenação de mulheres ao sacerdócio;
  • John Dehlin, que questionou o tratamento de homossexuais e temas históricos da Igreja;
  • Alan Waterman, que criticicou a cobrança inadequada de dízimos, entre outros temas.

Patriotismo e Decadência Espiritual

Na segunda-feira, reportagem do jornal Deseret News noticiando o repúdio da Igreja SUD à invasão também citou trechos de um discurso do apóstolo Dallin H. Oaks a alunos da BYU em 1992:

Amor pelo país é certamente um vigor, mas levado ao excesso pode tornar-se a causa de decadência espiritual.

 

Ocupação Continua

Ryan Bundy disse ontem que seu grupo armado deixará a área federal caso a população local assim exija. Mais cedo, o  xerife do condado, David Ward, havia pedido que os homens deixassem o local pacificamente. Na opinião do policial, o grupo usa o caso dos rancheiros como subterfúgio, tendo o verdadeiro intento de iniciar um movimento nacional. O FBI (polícia federal americana) monitora a invasão em conjunto com as polícias locais.

Com atualizações em 06/01/2015.

7 comentários sobre “Terroristas Mórmons Atacam no Oregon

  1. Duvido muito que esses ‘macho alfa’ serão de alguma forma punidos ‘espiritualmente’ pela igreja SUD como tantos outros já foram. Afinal, esses tem braço e arma, os demais só ficavam no campo das idéias (coisa muito mais fácil de abafar do que um calibre militar).

  2. É por essas e outras que o Obama quer restringir o acesso à armas de fogo.
    Gerson, ledo engano se você acha que as ideias são mais fáceis de abafar do que uma arma.
    Algumas ideias são mais perigosas do que armas.

  3. Tenho certeza que serão. Um dos motivos para excomunhão é quanto o membro denigre o bom nome da igreja. Neste caso, usando trechos do Livro de Mórmon para justificar o levante contra o governo.

  4. Esses membros devem ser punidos pelo estado e pela igreja. Eles infringiram leis e usou como desculpa/escudo o capitão Moroni, ilustre personagem do Livro de Mórmon que estava lutando por uma causa justa. Esses membros pelo que li na reportagem são detentores da primeira ofensa, ou seja eles estão em divida com o estado e ainda querem ter razão? Sei que serão punidos pela lei do estado, porém não sei se serão punidos a altura pela igreja, espero que sim!

  5. Estamos vendo a história se repetir, no início da igreja alguns membros viram NÉFI ,outros receberam revelações de construírem barcos para uma terra prometida, e tiveram revelações com pedras.Joseph Smith em D&C recebeu uma revelação de que falsos espíritos que estariam enganando os Santos.Fui de uma ala que um membro ouviu uma voz que lhe dizia que ele foi chamado para ser um apóstolo.Creio que todas religiões sofrem ataques de falsos espíritos.Satanás deseja desacreditar o cristianismo em geral, abrindo caminho para que o ateísmo cresça.Existe a parte de erro humano também.Sei que alguns membros tem problemas psicológicos e outros são imbuídos de falsas idéias,apegados ao fanatismo e interpretam incorretamente o evangelho.Sei que o Espírito Santo inspira os homens mansos cheios de fé, retidão e caridade.Qualquer traço caráter que destoe dessas condições, pode levar a pessoa para um caminho obscuro.Pelos frutos conhecereis.

Deixe um comentário abaixo:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s